Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

segunda-feira, 30 de março de 2009

Dilma chega a 16,3% e ultrapassa Aécio Neves, diz CNT/Sensus!! Economia inicia retomada e Dilma deverá crescer ainda mais!


A ascensão da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, nas pesquisas eleitorais continua. A pesquisa CNT/Sensus, divulgada hoje, já mostra Dilma à frente do governador de Minas Gerais, Aécio Neves, na pesquisa espontânea. Nesta, Dilma aparece com 3,6%, sendo que Aécio têm 2,9%.

Já na pesquisa estimulada, Dilma chegou a 16,3%, sendo que em Janeiro ela tinha 13,5%. Enquanto isso, Serra apareceu com 45,7%, nesta pesquisa de Março, contra 42,8% em Janeiro.

Assim, Dilma continua a sua escalada nas pesquisas eleitorais. Isso decorre do fato dela estar se tornando mais conhecida da população e, também, do fato de que as pessoas estão tomando conhecimento de que Dilma será a candidata a Presidência apoiada pelo Presidente Lula.

E num cenário com Aécio Neves como candidato do PSDB, Dilma já aparece em primeiro lugar, empatada tecnicamente com o governador mineiro. Este têm 22% e Dilma já aparece com 19,9%, enquanto que Heloísa Helena teria 17,4%. Como a margem de erro da pesquisa é de 3 p.p. e Dilma vem num processo de crescimento constante, ela poderá aparecer isolada em primeiro lugar, no cenário com Aécio como candidato tucano, já na próxima pesquisa da CNT/Sensus.
E a pesquisa também constatou que 50,1% dos eleitores se dispõem a votar num candidato (a) apoiado (a) pelo Presidente Lula. Este índice era de 44,5% em Dezembro do ano passado.

Além disso, o cenário econômico brasileiro começou a melhorar, com o IGP-M apontando deflação de 0,74% em Março. A redução de IPI para os automóveis foi prorrogada e as vendas já cresceram consideravelmente em função desta redução. O governo federal també anunciou um pacote de R$ 34 Bilhões para investir no setor de habitação, o que é fundamental, pois a construção civil é um setor que gera empregos em grande quantidade, pois têm toda a sua cadeia produtiva dentro do país. Os materiais de construção foram beneficiados com redução do IPI. E o Brasil irá iniciar, ainda em 2009, a produção de chips com tecnologia nacional, e que serão produzidos no Rio Grande do Sul.
As vendas no comércio varejista nacional continuam crescendo, quando comparadas com o mesmo período de 2008. E a taxa Selic terá uma nova redução no final de Abril, com muitos analistas apontando para uma nova redução de mais 1,5 p.p., reduzindo a taxa básica de juros para 9,75% ao ano. E para o final deste ano a previsão é de uma Selic ainda menor, de 9,25% ao no. Mesmo com o mundo enfrentando a sua pior crise em 100 anos, a taxa de desemprego no Brasil ficou em 8,5% em Fevereiro, inferior à taxa de 8,7% de Fevereiro de 2008.

Tudo isso aponta para uma retomada da economia brasileira ainda em 2009, principalmente no 2o. semestre do ano.

E com isso teremos mais um ano de crescimento econômico garantido em 2010.

Neste cenário, será praticamente impossível que Dilma não se eleja Presidente da República em 2010.



Link:


http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u542726.shtml

domingo, 29 de março de 2009

'Che', o Filme!: por Celso Lungaretti!!


Eu iria escrever uma mensagem sobre o filme 'Che', dirigido por Steven Soderbergh, com participação de Rodrigo Santoro (que interpreta Raul Castro no filme) e cujo papel principal coube ao excelente ator porto-riquenho Benicio Del Toro e cuja primeira parte estreou nesta Sexta-Feira nos cinemas brasileiros. Ainda não assisti ao filme, mas quando o ver (o que farei nesta semana) escreverei um comentário a respeito.

Mas, o Celso Lungaretti já postou em seu blog, o 'Náufrago da Utopia', um texto absolutamente brilhante sobre o filme e irei reproduzí-lo abaixo, pois é bom demais, como tudo o que o Lungaretti escreve:




CHE PUEBLO

“El nombre del hombre muerto ya no se puede decirlo, quién sabe?
Antes que o dia arrebente, antes que o dia arrebente
El nombre del hombre muerto, antes que a definitiva noite se espalhe em Latinoamérica
El nombre del hombre es Pueblo, el nombre del hombre es Pueblo”
(“Soy Loco Por Ti America”, Capinan, Gil e Torquato)

Che, de Steven Soderbergh, consegue um prodígio, em termos de grandes produções estadunidenses enfocando personagens revolucionários: é um filme honesto.

Claro que, precavendo-se contra as inevitáveis críticas dos direitistas, Soderbergh e o roteirista Peter Buchman evitaram manifestar simpatia ostensiva pela causa revolucionária, limitando-se a colocar na tela os episódios narrados nos diários de Che Guevara.

Então, os aspectos políticos, como o relacionamento entre a guerrilha e a oposição desarmada, são tratados de forma muito superficial, enquanto as cenas de batalhas tomam tempo demais do filme.

Um cineasta do ramo, como Costa-Gravas, certamente aprofundaria mais os personagens e situações, ao invés de ficar no meramente descritivo. Só que Hollywood jamais bancaria um filme sobre Guevara que tivesse Costa-Gravas como diretor...

Justiça seja feita: o atual Che é extremamente mais digno do que o Che! de 1969, dirigido por Richard Fleischer, com Omar Shariff no papel principal. Caricaturas e preconceitos desta vez ficaram de fora. A guerra fria acabou, felizmente.

Chamou-me a atenção o tratamento respeitoso que Fidel Castro (interpretado pelo bom ator mexicano Demián Bichir) recebe. Ele é mostrado como líder inconteste da revolução: ao mesmo tempo o visionário que apostou numa possibilidade remotíssima de vitória, o carismático que soube contagiar os outros com seu sonho e o pragmático que tomou quase sempre as decisões corretas ao longo da campanha.

Benicio Del Toro, obviamente, é quem sustenta o filme.

A opção foi abarcar, nesta primeira parte do épico -- há uma segunda, Che - A Guerrilha, que ainda não tem estréia marcada no Brasil --, o período que vai do primeiro encontro entre Che e Fidel (1955) até a derrubada do ditador Fulgencio Batista (1959); afora isto, só existe um pequeno salto para o futuro, o pronunciamento de Guevara na ONU (1964).

Nesses quatro anos de que se ocupa o filme, o idealismo e a capacidade de enternecer-se de Guevara não se ressalta tanto nas situações propriamente ditas, como nos Diários de Motocicleta, de Walter Salles.

Aqui e ali, o roteiro cumpre esse papel, como ao mostrar Guevara fragilizado ao sofrer ataques de asma, compassivo no trato com os camponeses e solidário com um novato a ponto alfabetizá-lo nos intervalos das batalhas e caminhadas.

E há também a bela frase dos diários do Che, sobre o amor que move os revolucionários.

Mesmo assim, dependia em muito do ator passar ou não para os espectadores a humanidade de um herói que não foi um homem de ferro e, muito menos, o sanguinário em que parte da mídia o quer hoje transformar.

Benício conseguiu, oferecendo-nos um verdadeiro tour de force interpretativo . Seu Che é mesmo um idealista obrigado a endurecer-se para cumprir seu papel histórico, mas que não perde a ternura jamais.

Enfim, o cinema ainda continua nos devendo um filme definitivo sobre a revolução cubana. Mas, tenho a impressão de que este Che é o máximo que podemos esperar de Hollywood.

E vale para estimular o interesse das novas gerações por um dos personagens mais emblemáticos do século passado.

CULTO PERENE

É claro que muitos jovens, antes desse filme, já viam Guevara como o próprio símbolo da revolução.

Enquanto Marx, Lênin, Stalin, Trotsky, Mao e o próprio Fidel só significam algo para os politizados, o Che tem uma força simbólica indiscutivelmente maior -- e muito mais adeptos na faixa da adolescência e mocidade.

Quais os motivos de culto tão perene?

Há quem o atribua, depreciativamente, à semelhança visual entre o Che abatido e o Cristo crucificado, omitindo que as trajetórias também são semelhantes.

Ambos desdenharam os bens materiais e foram solidarizar-se com os pobres, oferecendo-lhes apoio e esperanças. Despertaram a fúria dos poderosos de seu tempo e foram por eles destruídos, terminando sua jornada com muito sofrimento.

Evidentemente, os relatos que chegaram até nós sobre Jesus Cristo não têm áreas nebulosas como aqueles episódios em que Guevara parece haver incorrido em violência excessiva.

Mas, se o Salvador disse que não vinha “trazer a paz, mas a espada”, foi Guevara quem a empunhou. E a guerra nunca inspirou os melhores sentimentos ao ser humano. Pelo contrário, desperta seus piores instintos.

Então, a luta justificada e necessária contra o tirano Fulgêncio Batista pode ter feito aflorar o Robespierre latente naquele homem afável, tão bem retratado nos Diários de Motocicleta.

Mas, contradições são inerentes a todo ser humano. Não existe o herói perfeito e impoluto, salvo em nossa imaginação.

O certo é que Guevara continuou sacrificando tudo por seu ideal de justiça social. Como Garibaldi, foi levar a chama da revolução a outro mundo, a África. E tentou outra vez na Bolívia, onde finalmente o Império o fez executar (mais um paralelo com Cristo!).

Sua vida só foi uma sucessão de fracassos (como já se alegou) para quem reduz a existência à busca do sucesso fácil, descartando valores como a solidariedade, a coerência e a dignidade.

Os que o recriminam, certamente jamais agiriam como Guevara, abrindo mão do poder e honrarias para efetuar desesperadas tentativas de romper o isolamento da revolução cubana.

Pode-se supor que, como Trotsky, ele tenha concluído que a revolução invariavelmente se deforma quando fica restrita a um só país – ainda mais uma nação pobre, atrasada e asfixiada pelo embargo comercial, como Cuba. E fez o que poucos fariam: assumiu a missão de encontrar uma saída para o impasse, nas condições mais desfavoráveis.

No mundo todo, os jovens que também lutavam contra o Império se identificaram com seus sonhos e seu martírio. Não foram uma foto e um pôster que o transformaram em mito, mas sim esse exemplo de dedicação a uma causa justa até o sacrifício extremo.

E, como os corações mais sensíveis e as mentes mais lúcidas não conseguiram vencer o sistema regido pela desigualdade e ganância, Che inspira até hoje os que não aceitam o capitalismo globalizado como o fim da História.

Daí a inutilidade dos frequentes ataques à memória do homem Ernesto Guevara -- como os lançados pela mídia reacionária, a Veja à frente, quando do 40º aniversário da morte do herói.

Jamais atingirão, contudo, o mito Che Pueblo, personificação dos ideais igualitários que os melhores seres humanos vêm acalentando através dos tempos.



http://naufrago-da-utopia.blogspot.com/2009/03/che-pueblo.html



Vídeo no Youtube - Abaixo, vai o link que dá acesso ao vídeo 'Soy Loco por Tí, América', interpretada pelo sempre genial Gilberto Gil:


http://www.youtube.com/watch?v=1X8hh2FnjYs

Basta de Impunidade!!


A sra. Eliana Tranchesi, dona da Daslu, que foi presa novamente devido a uma condenação de 94 anos e meio, que também foi aplicada ao seu irmão, Antonio Carlos Piva, disse que ficou traumatizada devido à esta nova prisão.

O curioso é que quando ela estava contrabandeando, sonegando impostos, cometendo inúmeros crimes, enfim, ela nunca ficava 'traumatizada'.

A Daslu acumulou débitos fiscais de R$ 1 Bilhão. Imaginem quantas casas populares, escolas e postos de saúde não seria possível construir com todo esse dinheiro. Com isso, a sra. Tranchesi não fica traumatizada, não é mesmo?

Aliás, é interessante como esses ricos safados que são pegos no flagra cometendo crimes que violam quase todas as leis do país, tão logo sejam descobertos e presos, aparecem com a conversa de que estão doentes.

Mas, quando estavam praticando os seus crimes, eles nunca ficavam doentes e desfrutavam de uma saúde absolutamente perfeita. A 'doença' deles aparece apenas quando são flagrados e presos. É muita cara-de-pau dessa gente!! A doença deles chama-se, na verdade, 'Canalhisite Hipocrisite Sonegatite Contrabanditite Aguda!'. E para doenças como essa o único remédio que existe é a prisão.

Lugar de bandido é na cadeia!

E vejam o absurdo que a sra. Tranchesi disse:

"Cresceremos mais, com a garra e a dedicação de toda uma enorme rede de pessoas que gostam da loja: colaboradores; clientes; gente do mundo da moda, no Brasil e no exterior; gente que nem conheço, mas a quem agradeço por suas orações e pelo pensamento positivo durante todo esse tempo.".

Traduzindo: a Daslu continuará crescendo graças ao apoio de sonegadores, contrabandistas e de uma Justiça conivente com os crimes praticados pela turma do colarinho branco e que frequente a Daslu.

Enquanto a Lei, no Brasil, não for igual para todos, jamais viveremos num país verdadeiramente civilizado.

Basta de Impunidade!!!

sábado, 28 de março de 2009

Gilmar Mendes, novamente, defende os criminosos de colarinho branco!


Bastou a Polícia Federal desencadear uma nova Operação Especial (denominada 'Castelo de Areia') de combate à corrupção e outros crimes financeiros, tão ao gosto das elites tupiniquins retrógradas e corruptas, e o sr. Gilmar Mendes já veio a público defender os interesses dos mesmos, dizendo que tais 'Operações Especiais' da PF criam um 'cenário de terror'.


Assim, é possível deduzir que, para o sr. Gilmar Mendes, a prática de inúmeros crimes (corrupção, financiamento irregular de campanhas eleitorais, evasão de divisas, entre outros) é que contribui para a construção de uma sociedade aberta, saudável, moderna e democrática.


É lamentável que o atual ministro-chefe do STF se preocupe tanto com a defesa dos interesses dos ricos e poderosos, principalmente quando os mesmos são presos em flagrante por terem cometido tantos e tão variados crimes.


Se depender, única e exclusivamente, do sr. Gilmar Mendes, o crime organizado irá se apossar do país, levando adiante toda as práticas criminosas mais nefastas e sujas, como o tráfico de drogas, o contrabando, a sonegação de impostos, a corrupção, a evasão de divisas, entre inúmeras outras.

Barrichello surpreende e renasce na F-1!


Parece que 2009 assistiu a mais um renascimento de um talentoso esportista brasileiro. Depois do Ronaldo Fenômeno, agora é o Rubens Barrichello que consegue ‘dar a volta por cima’.


Depois de ter sido considerado, por quase todos, como estando ‘acabado’ para a F-1, ele conseguiu se recuperar e sairá em 2o. lugar no GP da Austrália, na madrugada deste domingo, e que será a primeira corridas das 17 programadas para esta temporada.


Para mim, Barrichello sempre foi um piloto talentoso, mas carregou o peso de ’substituir’ o insubstituível e inigualável Ayrton Senna e, depois, ainda foi obrigado à ficar ajudando Schumacher na Ferrari, sendo praticamente proibido de vencer pela equipe italiana.


Agora, ele mostra que ainda é um ótimo piloto e têm grandes chances, até, de ganhar o título do mundial de pilotos deste ano. Vamos aguardar para ver se isso se confirma, mas estou otimista.


O problema de Barrichello é que a Brawn GP é uma equipe britânica e que têm, também, um talentoso piloto e que é também britânico, que é o Jenson Button.


Então, Barrichello terá que superar com uma certa folga ao Button para poder ser o campeão mundial, mas que ele mostrou que está mais vivo e competitivo do que nunca ah, isso ele mostrou, sim.


Vídeo sobre o desempenho de Barrichello nos treinos para o GP da Austrália:


http://.globo.com/Esportes/Noticias/Formula_1/0,,MUL1062504-15011,00-RUBINHO+RADIANTE+ESTOU+MUITO+MUITO+FELIZ+POR+ESTAR+AQUI.html

sexta-feira, 27 de março de 2009

China quer criar moeda reserva internacional e abandonar o dólar!!


O governo chinês manifestou o seu interesse na defesa da criação de uma moeda internacional que sirva de reserva de valor e que não esteja atrelada a nenhum país em particular. Isso demonstra que o governo da China perdeu a confiança no dólar, pois o gigante oriental detém cerca de US$ 2 Trilhões em reservas, sendo que quase todas são em dólares ou em títulos públicos dos EUA.


E como o governo dos EUA está emitindo uma quantidade crescente e absurda de dólares e de títulos públicos a fim de salvar as instituições financeiras do país e evitar o aprofundamento da Depressão econômica que os estadunidenses estão enfrentando (o PIB dos EUA caiu 6,3% no último trimestre de 2008) a tendência é a de que, nos próximos anos, o dólar perca muito valor. Com isso, a China teria prejuízos de centenas de bilhões de dólares, pois as reservas que possui também seriam desvalorizadas. Caso, por exemplo, o dólar sofra uma desvalorização de 30% a China terá um prejuízo de US$ 600 Bilhões, algo inaceitável para um país que ainda luta para reduzir a pobreza e a miséria, principalmente na área rural.


Caso essa proposta chinesa vingue, então veremos o fim da hegemonia do dólar na economia mundial, algo que vigora desde o fim da Segunda Guerra Mundial. E com isso o Império norte-americano chegará ao fim, pois não haverá mais ninguém disposto a financiar os gigantescos gastos militares e nem o consumismo desenfreado dos estadunidenses.
E quem financiava tudo isso? Eram os países que, como a China, possuíam imensos superávits comerciais e em transações correntes com os EUA, como é caso da própria China, Rússia, Japão, Taiwan, União Européia, Coréia do Sul e até o Brasil. Sem esse financiamento, os EUA estão impossibilitados de manter os seus atuais níveis de consumo e de gastos militares (estes chegam a US$ 1,1 Trilhão/ano, algo como 8,5% do PIB anualmente).


Assim, tudo aponta para o fato de que esta crise irá transformar os EUA numa potência comum, sem condição de impor a sua vontade aos demais povos e países, tal como o faz, basicamente, desde a Guerra contra o México, na década de 1840 (através da qual os EUA roubaram mais da metade do território mexicano, incluindo os atuais estados do Arizona, Califórnia, Colorado, Nevada, Novo México, Texas e Utah) e a Guerra Hispano-Americana de 1898, quando derrotaram os espanhóis e se apossaram de Cuba, Porto Rico, Filipinas e Guam. Essas guerras foram as primeiras em que os EUA atacaram, invadiram e conquistaram territórios que pertenciam a outros países.


Desde o final da Segunda Guerra Mundial os EUA se tornaram o líder incontestável do mundo Capitalista, pois o conflito mundial abalou profundamente o poder da França e da Grã-Bretanha, que se enfraqueceram muito após enfrentar 2 guerras mundiais contra uma Alemanha belicosa e expansionista. E após o fim da URSS, os EUA se transformaram na grande superpotência mundial, a quem nenhum outro país ou bloco de nações poderia fazer frente.


Agora, esta época de predomínio indiscutível dos EUA no cenário mundial chegou ao fim. E o fim da hegemonia do dólar na economia mundial será a 'pá-de-cal' sobre o que ainda resta do, até há pouco tempo, temível Império ianque.


Os EUA continuarão sendo um país rico, poderoso e importante, mas muito menos do que antes desta crise. Eles serão apenas mais uma potência em meio a várias outras (China, Rússia, União Européia, Brasil, Índia). E terão que dialogar e negociar com os outros países para fazer valer os seus interesses.
Esta é uma situação a que os estadunidenses não estão acostumados, mas a qual terão que se habituar, queiram ou não.
Império Ianque: Descanse em Paz!


quinta-feira, 26 de março de 2009

"Folha de S.Paulo": Descanse em Paz!!


A Polícia Federal prendeu inúmeras pessoas envolvidas num caso de corrupção e evasão de divisas para o exterior, na 'Operação Castelo de Areia' e o ministro do STF Gilmar Mendes terá que fazer hora-extra para dar HCs para todo esse povo.

Aliás, gosto muito dos nomes que a PF escolhe para as suas operações. Com essa operação, o 'castelo de areia' de muita gente graúda dos meios empresarial e político deve ter desmoronado. Afinal, temos o envolvimento de pessoas ligadas a uma das maiores empreiteiras do país, a vários partidos políticos (PSDB, DEM, PPS, PMDB, PDT, PSB, PP) e até à Fiesp.
Gostaria de saber quem é que escolhe os nomes das Operações da PF... O cara é um gênio!!
E a 'FSP' (Faremos Serra Presidente) conseguiu mais uma proeza. Embora as informações iniciais não citem o PT, a 'FSP' conseguiu colocar apenas a sigla dos petistas no título de uma reportagem sobre o assunto, embora os partidos citados como estando envolvidos no esquema sejam DEM, PSDB, PPS, PMDB, PDT e PSB.
Esta é a patética 'Folha Nós Apoiamos a Ditabranda de S.Paulo'. A decadência da 'Folha' me parece ser um processo irreversível. O 'jornal' joga no lixo, diariamente, o mínimo de credibilidade ou de seriedade jornalística que ainda possa vir a ter, se é que ainda possui algo parecido com isso.
'Folha de S.Paulo': Descanse em Paz!!

quarta-feira, 25 de março de 2009

Radiohead faz show histórico em São Paulo!!


O grupo de rock britânico Radiohead fez um show absolutamente fantástico e antológico no último Domingo, em São Paulo, na Chácara do Jockey, onde tocaram para um público de 30 mil pessoas (foram vendidos todos os ingressos do Festival, chamado 'Just a Fest', e que também contou com a participação do Los Hermanos e do Kraftwerk).


Durante 2 horas e 20 minutos o grupo britânico fez uma apresentação absolutamente irrepreensível, com uma grande variação de climas. Oras tínhamos músicas tristes e melancólicas, oras tínhamos verdadeiras pauladas roqueiras, baladas maravilhosas e momentos altamente experimentais. Enfim, o Radiohead mostrou do que é capaz um grupo no auge da forma, que toca muito bem e que tem um repetório fantástico.


O grupo interagiu muito com o público, principalmente o vocalista, Thom Yorke. E vi no show um dos mais belos momentos de qualquer show de rock que já vi na vida, que foi quando, após o grupo terminar de tocar 'Paranoid Android' o público continuou cantando a música e Thom Yorke pegou novamente o violão e cantou e tocou junto com o público. Este, é claro, veio abaixo.


Sem dúvida alguma, este foi um dos momentos mais sensacionais que já presenciei num show e, modéstia à parte, já vi muitos, incluindo Echo and the Bunnymen, Rolling Stones, Page & Plant, The Cure, New Order, Smashing Pumpkins, U2, Duran Duran, Roger Waters, Interpol, Strokes, Iggy Pop, Sonic Youth, Tina Turner, Sting, entre muitos outros.


Enfim, os 30 mil privilegiados que, como eu, assistiram ao show no local jamais irão esquecer os belíssimos momentos proporcionados pelo Radiohead, um dos melhores grupos da História do Rock.


Que voltem para o Brasil e o quanto antes!
No link abaixo você pode ver, no Youtube, um dos melhores momentos do show, com o Radiohead tocando 'Creep', a música que encerrou a sua inesquecível apresentação em São Paulo:



http://www.youtube.com/watch?v=nNO8Hwzy-sY





domingo, 22 de março de 2009

Pet Shop Boys faz música e clipe em homenagem a Jean Charles!


O duo de pop eletrônico Pet Shop Boys fez uma música e um clipe em homenagem ao brasileiro Jean Charles, brutal e covardemente assassinado pela polícia britânica. O mais revoltante é que, além do crime, os seus autores ficaram totalmente impunes.

Para assistí-lo:

http://www.youtube.com/watch?v=qmgwvSS-I30

Cesare Battisti, o STF e a Lei!


Têm sido comentado que o STF iria mudar a jurisprudência em casos de concessão de pedidos de extradição, passando a ter a última palavra no assunto. Pela Lei, a última palavra em qualquer caso de extradição é do Poder Executivo. Não há o que contestar. Está na Lei! Para mudar isso, é preciso mudar a lei e não apenas uma decisão do STF.

Qualquer decisão do STF que tire do Poder Executivo o direito de ter a palavra final em casos de extradição é uma decisão ilegal. E o chefe do Poder Executivo federal é o Presidente da República, a quem cabe o direito de ter a palavra final no tema. Se isso não for feito, teremos então uma decisão ilegal e inconstitucional.

É um Golpe de Estado 'branco'!

Quanto a abrigar terroristas, como algumas pessoas dizem por aí, quem faz isso são os EUA, que dão proteção para Posada Carriles (imagem acima), agente da CIA que foi responsável por derrubar um avião civil cubano no qual morreram 73 pessoas. A maioria dos passageiros era de cidadãos venezuelanos. E é por isso que tanto o governo de Cuba, como o da Venezuela, já pediram inúmeras vezes a extradição de Carriles para o governo dos EUA, já que vive livre e solto nos EUA. E tal pedido nunca foi atentido.

E o Brasil já têm uma tradição de conceder asilos para pessoas condenadas por motivos políticos ou que fugiram de seus países por razões políticas, como é o caso de Cesare Battisti, que foi condenado numa época em que o Estado italiano usava de leis típicas de Ditaduras, as chamadas 'Leis de Exceção', para julgar e condenar ativistas políticos como ele. O próprio Cesare Battisti foi julgado e condenado com base nestas leis.

Outros exemplos são o ex-ditador paraguaio Alfredo Stroessner e o ex-presidente do Equador, derrubado pelo povo, Lucio Gutiérrez. Ambos receberam asilo político do Estado brasileiro.

Portanto, cabe ao STF respeitar a tradição brasileira de concessão de asilos políticos e de respeitar as leis do país, que dão ao Presidente da República o direito de ter a palavra final neste assunto.


Para saber mais sobre Posada Carriles:

http://www.mwglobal.org/ipsbrasil.net/print.php?idnews=1044

Afinal, quem mais 'mama nas tetas' do Estado brasileiro?


O leitor André Araujo, do blog do Nassif, escreveu um comentário interessante no mesmo, dizendo que as terceirizações se transformaram num verdadeiro festival de sangria e de desvio de recursos públicos. E como o próprio Nassif diz, é através delas que mais se desvia dinheiro público atualmente.

A solução é uma só: reverter todas as terceirizações e recuperar o caráter público dos serviços prestados pelo Estado.

As terceirizações têm que ser proibidas.

E o serviço e os servidores públicos têm que voltar a ser valorizados.

Somente discordei quando o André diz que o Estado custa 40% do PIB.

Na verdade, o Estado não fica com a maior parte dos recursos que arrecada. Ele apenas cobra impostos e taxas de determinados setores da sociedade e transfere estes recursos para outros setores.

O IPEA fez um estudo onde demonstrou isso e de forma clara, mostrando que a carga tributária líquida é de apenas 12% do PIB. Isso é o que, de fato, fica com o Estado. O restante volta para a sociedade, embora não de forma justa, pois alguns grupos sociais, politicamente melhor articulados, conseguem ficar com grande parte dos recursos, como é o caso dos banqueiros, do agronegócio, das grandes indústrias e das classes médias mais abastadas, que ficam com o 'grosso' dos recursos públicos que retornam para a 'sociedade'.

Isso se faz através do pagamento de juros da dívida pública (no ano passado esse valor foi de R$ 162 Bilhões), de subsídios e de empréstimos com juros subsidiados para as empresas (somente o BNDES emprestou R$ 92 Bilhões em 2008), de abatimentos no pagamento do imposto de renda, da manutenção de universidades estatais gratuitas para filhos das classes médias mais abastadas e de inúmeros outros mecanismos.

Portanto, são as elites brasileiras as que mais se beneficiam com as 'mamatas' do Estado. Elas são as que mais sugam os recursos do Estado e ficam com o 'grosso' dos recursos da carga tributária.

E bastou criar alguns poucos programas sociais de transferência de renda que beneficiam os mais pobres e miseráveis, politicamente fracos e desorganizados, que os grupos que sempre mamaram nas 'tetas' do Estado passaram a chiar, dizendo que tais programas eram uma 'Bolsa-Esmola', 'Bolsa-Cachaça'.

E os recursos que os grupos das elites bem organizadas politicamente sugam do Estado são o que, afinal? 'Bolsa-Cocaína'? 'Bolsa-Disneylândia'? 'Bolsa-Paraísos Fiscais'?

Trata-se, de fato, de uma luta política acirrada para ver quem irá ficar com os recursos arrecadados pelo Estado.

E é por isso que justamente as elites que mais sugam os recursos do Estado são as que mais atacam o 'Bolsa-Família' e outros programas sociais que beneficiam aos pobres e miseráveis.

Tais elites acreditam que somente elas têm o direito de mamar nas tetas do Estado. E o povo? Bem, o povo que morra de fome, fique quieto e não reclame, é o que elas pensam...

Assim, no Brasil, o povo trabalha feito 'burro de carga' para os empresários, paga um caminhão de impostos e estes, depois, voltam para as mesmas elites empresariais que exploram o trabalho da população.

Não é à toa, portanto, que o Brasil possui uma das maiores concentrações de renda e é um dos países mais desiguais e injustos do mundo. É por isso que os 10% mais ricos da população possuem 46% da renda nacional e têm 75% da riqueza do país em suas mãos.


Sobre o estudo do IPEA:

http://www.ipea.gov.br/005/00502001.jsp?ttCD_CHAVE=383

sábado, 21 de março de 2009

Presidente Hugo Chávez aumenta salário minimo em 20%, para US$ 446!


O presidente venezuelano, Hugo Chávez, decidiu aumentar o valor do salário mínimo em 20%. Com isso, o mesmo passou a valer US$ 446, corroborando o fato de que este é o maior valor de um salário mínimo em toda a América Latina.

A medida faz parte do plano de Chávez para combater os efeitos da crise global sobre a economia venezuelana, no que ele está absolutamente correto, aliás, pois quanto maior o poder de compra da população, mais esta irá consumir e isso irá elevar a produção, gerando empregos e mantendo o crescimento econômico.

E é bom lembrar que a Venezuela é um dos países cuja economia mais cresceu no mundo desde 2003, quando se encerrou o locaute empresarial iniciado no ano anterior e que visava derrubar o governo Chávez, mas que acabou fracassando totalmente, embora tenha provocado gigantescos prejuízos para a economia do país.

Aliás, este foi um dos maiores erros cometidos pela ridícula, golpista, elitista, racista e reacionária elite venezuelana, que saqueou o país durante séculos e que enviou dezenas de bilhões de dólares para o exterior, enquanto o povo venezuelano empobrecia cada vez mais.

Link:

http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2009/03/21/chavez+decreta+aumento+de+20+no+salario+minimo+a+us+446+4976039.html

DEM reclama de 'campanha antecipada' e TSE ignora!


Tempos atrás, o DEM protocolou uma consulta no TSE reclamando de que o Presidente Lula e a ministra Dilma Rousseff estaria fazendo 'campanha eleitoral antecipada' ao participar de atos públicos típicos de um Presidente e de uma ministra que, como Dilma, comanda o maior programa de obras do país, que é o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Como resultado disso, o TSE decidiu, por unanimidade, simplesmente ignorar a reclamação dos Demos.

Bem feito para os demos.

Aliás, o DEM foi o mesmo partido que reclamou junto ao STF para que o mesmo acabasse (isso mesmo...) com o ProUni, programa criado pelo governo Lula que já permitiu que mais de 360.000 pessoas de baixa renda passassem a frequentar um curso superior.

Esse é o velho DEM de sempre, que não nega as suas origens coronelísticas e anti-populares. O DEM, como sempre, aliás, mostra-se preocupado em prejudicar a população mais carente e em beneficiar apenas aos mais ricos, que é a receita típica de governos neoliberais, como os que o demos e os tucanos comandam, infelizmente, pelo Brasil afora.

Eleitores com nível superior: Serra 36%; Dilma 18%!


O blog do Rovai chamou a atenção para uma notícia importante, que é o fato de que entre os eleitores com nível superior, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, já alcança os 18% das intenções de voto para a eleição presidencial de 2010, contra 36% de José Serra.

Enquanto isso, quando se leva em consideração o eleitorado total, Dilma alcança os 11%. É uma diferença considerável, em torno de 70%, entre os 2 resultados.

Por que isso acontece? Provavelmente, porque um grande número de eleitores com nível superior já tem conhecimento do fato de que Dilma é a candidata escolhida por Lula para ser a sua sucessora na Presidência da República e também porque o nível de conhecimento da ministra Dilma entre o eleitorado com nível superior também é maior do que entre a população em geral.

Assim, Dilma ainda é bastante desconhecida entre os eleitores com menor nível de instrução, entre os quais a aprovação do governo Lula é a maior, visto que foi este eleitorado o que mais se beneficiou com as políticas sociais (aumento real do salário mínimo em 46%; criação de 7,7 milhões de empregos formais; criação do ProUni, etc) e de geração de empregos adotadas pelo governo federal.

Isso mostra que Dilma possui um grande potencial para crescer ainda mais nas pesquisas.

Link:

http://www.revistaforum.com.br/sitefinal/blog/

Povo brasileiro amadurece e, mesmo com a crise global no auge, Governo Lula alcança 65% de Ótimo/Bom!


O governo do Presidente Lula continua obtendo um altíssimo índice de aprovação, alcançando 65% de ótimo/bom na mais recente pesquisa Datafolha, realizada na semana passada com mais de 11.200 pessoas no Brasil inteiro. A margem de erro da pesquisa é de 2 p.p.

A mídia e a oposição ridícula e patética do PSDB/DEM comemoraram uma 'queda', parcial e momentânea na avaliação do governo Lula, que havia alcançado 70% de ótimo/bom na pesquisa anterior, feita em Novembro de 2008.

Porém, a mídia e a oposição golpistas ignoraram vários dados fundamentais, como:

1) O último trimestre de 2008 e o primeiro trimestre de 2009 serão, justamente, os piores em termos de efeitos da crise global (que demonstrou a clara falência do Neoliberalismo, que PSDB/DEM/PPS sempre defenderam com unhas e dentes) sobre a economia brasileira.

2) No entanto, o que aconteceu entre Setembro/2008 e Março/2009, segundo o Datafolha? A popularidade do Presidente permaneceu intacta neste período. Em Setembro/2008 o governo Lula era aprovado por 64% da população e, agora, obtém 65% de ótimo/bom. O índice de regular era de 28% em Setembro/2008 e, agora, é de 27%. E o índice de ruim/péssimo era de 8% em Setembro/2008 e continua em 8% em Março.

3) Assim, se conclui que, justamente no pior momento dos efeitos da crise global sobre a economia brasileira, o governo do Presidente Lula manteve inalterado os seus índices de aprovação, o que não deixa de ser uma grande conquista, pois a atividade econômica brasileira sofreu uma forte retração neste período.

4) Se o governo do Presidente Lula consegue uma aprovação tão elevada no pior momento da crise, isso demonstra o elevado grau de compreensão que a população brasileira têm do fato de que a crise não é culpa do governo Lula e que o mesmo está tomando as medidas necessárias a fim de combater os seus efeitos (queda dos juros, redução de impostos, aumento dos investimentos públicos, aumento real do salário mínimo, aumento do valor dos benefícios do Bolsa-Família, redução dos compulsórios, elevação do crédito ofertado pelos bancos públicos, redução do superávit primário, etc).

É claro que as medidas adotadas até o momento irão levar um certo período de tempo para surtir efeito sobre a economia, mas a população está ciente disso e, justamente por isso, o governo Lula mantém um elevadíssimo índice de aprovação popular, tanto que os 65% de ótimo/bom que o governo Lula alcançou nesta mais recente pesquisa Datafolha são o segundo melhor resultado já alcançado por qualquer Presidente desde que o instituto começou a medir a popularidade do governo federal.

E como a economia brasileira já dá claros sinais de recuperação, é mais do que evidente que a tendência é que o governo Lula mantenha os seus elevados índices de aprovação até o final do seu mandato, o que refletirá com muita força na campanha presidencial de 2010.

Tanto isso é verdade que essa mesma pesquisa Datafolha constatou o crescimento da candidatura da ministra Dilma Rousseff, que já chegou a 11% das intenções de voto. E como ela ainda é desconhecida para a maioria absoluta da população e esta, na sua quase totalidade, desconhece o fato de que Dilma é a candidata que será apoiada pelo Presidente Lula, então fica claro que a ministra ainda têm um imenso potencial para crescer nas pesquisas e é, sem dúvida alguma, a grande favorita para vencer a eleição presidencial de 2010.

quinta-feira, 19 de março de 2009

Bolsa-Família, Gastos Militares na América do Sul e Avenida do Estado se transformando no Rio Amazonas!


A falta de tempo me obriga a comentar rapidamente alguns fatos importantes da semana. Vamos à eles:


1) "Um relatório produzido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) indica que a ampliação do programa Bolsa Família pode contribuir para estimular o consumo interno e amortecer o impacto da crise mundial entre as camadas mais pobres da população no Brasil." (fonte: Blog 'Os Amigos da Presidente Dilma').


Pronto, descubriram a América! É inacreditável que tenham demorado tanto a reconhecer o óbvio, ou seja, que jogar dinheiro no bolso dos mais pobres acaba servindo como estímulo para o consumo e ajuda a diminuir os efeitos da crise global. É claro, cara-pálida! Afinal, os mais pobres gastam tudo o que ganham... Eles não têm dinheiro para enviar recursos para paraísos fiscais, não compram dólares, não aplicam na Bolsa de Valores (ou seja, eles não especulam).


Mais um dia e esse povo da OIT irá descobrir que a Terra gira em torno do Sol!


2) " Os gastos militares brasileiros totalizaram US$ 20,7 bilhões, mais da metade do total despendido pelos 12 países-membros da União dos Países da América do Sul, somados, no mesmo período: quase US$ 40 bilhões.Os seguintes no ranking sulamericano são o Chile (US$ 5,3 bilhões), a Colômbia (US$ 4,5 bilhões) e a Venezuela (US$ 2,5 bilhões) -- sendo que os dados preliminares de 2008 apontam para uma inversão de posições entre Colômbia (US$ 6,7 bilhões) e Chile (US$ 6,4 bilhões).Em 2007, os gastos militares mundiais ficaram na casa de US$ 1,3 trilhão, com os EUA respondendo por 41% desse total (US$ 543,3 bilhões). O segundo lugar pertence à Grã-Bretanha, num patamar muitíssimo inferior: US$ 63,2 bilhões." (do blog 'Náufrago da Utopia', do Celso Lungaretti).


Esses dados desmoralizam completamente com o discurso da troglodita, golpista e reacionária Direita latino-americana de que o governo de Hugo Chávez é o que mais gasta com armas na América do Sul. Não é! Brasil, Chile e Colômbia possuem gastos militares muito superiores aos da Venezuela. Portanto, cai por terra mais uma mentira deslavada espalhada pelos direitistas retrógrados através da Mídia e da Internet.


3) A foto acima mostra a Avenida do Estado, na capital paulista, no dia 17/03/2009. Isso mesmo, você não se enganou. Esta não é uma foto do Rio Amazonas. Por essa imagem já se conclui o quanto o governo do estado de SP e da capital paulista investiram no combate às enchentes nos últimos anos.
E dizer que a capital da Civilização Asteca, a cidade de Tenochtitlán, já havia conseguido resolver os seus problemas de enchentes no longínguo século XIV.
Estamos no século XXI e os nossos governantes do estado e da cidade de São Paulo ainda não conseguiram isso.
Estamos apenas 700 anos atrasados em relação aos Astecas...

segunda-feira, 16 de março de 2009

FMLN vence eleição presidencial em El Salvador!


Pela primeira vez na História, o povo de El Salvador, pequeno país da América Central, elegeu um candidato de Esquerda, da FMLN (Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional) para a Presidência da República, que foi o jornalista Mauricio Funes. O candidato da Esquerda obteve 51,2% dos votos, contra 48,8% do candidato da direitista Arena, Rodrigo Avila.


Funes teve como marketeiro, o publicitário João Santana, que foi o responsável pela campanha vitoriosa do Presidente Lula à reeleição em 2006. Aliás, Funes usou como principal mote de campanha o famoso 'A Esperança venceu o medo', já utilizado por Lula em 2006. E Funes ainda é casado com a representante do PT brasileiro para a América Central.


Assim, a campanha de Funes teve uma forte marca petista.


Este é um acontecimento histórico, pois a FMLN nunca havia sido vitoriosa em eleições presidenciais, embora já tivesse governado vários municípios e estados importantes de El Salvador, como foi o caso da capital, San Salvador.


E o presidente venezuelano Hugo Chávez já declarou que "Essa vitória consolida a corrente histórica que tem ocorrido na primeira década do século 21 em toda a América Latina e no Caribe, e abre portas para outros povos irmãos em relação aos desafios que nós temos pela frente", disse Chávez em um comunicado divulgado pelo governo.".


Assim, El Salvador é mais um país latino-americano que elege um Presidente da República originário das Esquerdas, fenômeno este que se alastrou por toda a América Latina nos últimos 10 anos, com as vitórias do próprio Chávez, Lula, Nestor e Cristina Kirchner, os governos de Centro-Esquerda da 'Concertación Democrática' no Chile, Rafael Correa, Evo Morales, Fernando Lugo, Alvaro Colom, Daniel Ortega.


E 'coincidentemente' foi nos governos destes Presidentes que a América Latina se recuperou econômica e socialmente, retomando o crescimento econômico, reduzindo o desemprego, a pobreza, a miséria e as desigualdades sociais. Venezuela e Bolívia conseguiram até erradicar o analfabetismo.


Bons ventos sopram na América Latina nesta primeira década do século XXI.


Que continue assim!

EUA em Depressão: Produção industrial despenca 11,2% em Fevereiro!


A produção industrial dos EUA despencou 11,2% em Fevereiro, quando comparado com o mesmo mês de 2008. O resultado mostra que a crise ainda está longe de terminar na maior economia do mundo. A utilização da capacidade instalada foi de apenas 70,9%, o menor patamar desde 1982. As previsões apontam para uma queda de 9% na produção da indústria estadunidense em 2009. Essa queda gigantesca dá continuidade à crise que se intensificou no último trimestre de 2008, quando a produção industrial dos EUA já havia tido uma queda de 16% em relação ao mesmo período de 2007.


Esse nível de queda mostra que os EUA estão, hoje, numa Depressão econômica e não numa mera recessão. A questão é até quando essa Depressão irá durar. O FED aposta que a recuperação irá começar em 2010, mas não é possível ter certeza disso.


Os EUA pagam, agora, o preço de terem se endividado de forma absolutamente irresponsável nas últimas décadas, principalmente após o início da Guerra do Vietnã, que foi o ponto de partida para o início do endividamento tanto do setor público, como do setor privado norte-americano.


Enquanto isso, na União Européia o número de desempregados aumentou em 672.000 no último trimestre de 2008. A situação da UE não é tão catastrófica quanto a dos EUA, onde cerca de 4,4 milhões de pessoas ficaram desempregadas desde o início da Depressão, em Dezembro de 2007, e a taxa de desemprego do bloco europeu terminou o ano de 2008 0,8% menor.


Os EUA acumularam, somando o seu setor público e o privado, uma dívida total de US$ 52 Trilhões, quatro vezes mais do que o valor total do PIB do país, que é de US$ 13 Trilhões.


Agora, chegou a hora de apertar os cintos, consumir muito menos e pagar as dívidas acumuladas. Com isso, a economia dos EUA deverá crescer muito pouco nos próximos 10 anos, caindo numa situação muito semelhante aquela que o Japão enfrentou nos anos 1990, quando a economia do país oriental ficou estagnada em função, também, do estouro de uma bolha especulativa em imóveis e ações, basicamente. Qualquer semelhança com a atual crise dos EUA não é mera coincidência. O problema é que o Capitalismo é incapaz de aprender com os inúmeros erros que comete.


domingo, 15 de março de 2009

Fernando Rodrigues e a Arte de como escrever muito, ocupar muito espaço e não dizer coisa nenhuma!


Entrei no blog do Fernando Rodrigues, algo que não fazia desde a 'sensacional' atuação dele no 'Roda Viva' do Delegado Protógenes Queiróz, e fiquei pasmo o quanto ele conseguiu desenvolver a arte de ocupar um espaço gigantesco no blog sem dizer absolutamente nada de relevante.

Se vocês duvidam, cliquem no link abaixo, e leia o comentário que têm o título de "Aqui manchetes. Lá notas", escrito sobre o encontro entre os Presidentes Lula e Obama.

Link: http://uolpolitica.blog.uol.com.br/

É sensacional. Fernando gastou um espaço imenso no blog dele para dizer algo que qualquer pessoa sabe, ou seja, que os estadunidenses não dão a mínima para os governantes de outros países, e ele mesmo reconhece isso em seu post.

Mas, se isso é algo de que todos têm conhecimento, então porque Fernando Rodrigues ocupou tanto espaço comentando algo tão irrelevante?

Por que, em vez disso, ele não fez uma análise séria do encontro? porque ele não fez comentários mais aprofundados a respeito das relações entre o Brasil e os EUA? Ou porque ele não analisou as medidas recentes tomadas por Obama em relação aos países da América Latina, como no caso de Cuba, sobre o qual Obama aliviou as restrições comerciais e de realização de viagens de estadunidenses para a ilha caribenha? Seria por falta de conhecimento ou de capacidade? Ou seriam ambas as coisas? Neste caso, não seria melhor ele ter ficado quieto?

Por que não te calas, Fernando Rodrigues?

Obs: Sobre a redução das restrições dos EUA em relação à Cuba, medida adotada pelo Presidente Obama, cliquem aqui:

http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2009/03/11/congresso-dos-eua-alivia-restricoes-contra-cuba-754782046.asp

O histórico encontro do Presidente operário com o Presidente afro-americano de família multinacional!


Considero como sendo de grande importância simbólica e histórica o encontro entre o Presidente Lula, um brasileiro de família pobre e de origem operária, com o Presidente Obama, um estadunidense que nasceu no Havaii, de origem afro-americana, e cujos parentes e familiares se espalham por 3 continentes (América, África e Ásia).

Primeiro, porque é a prova de que o sistema liberal-democrático, por mais defeitos que possua, têm determinadas virtudes, como a de permitir a ascensão social e política de pessoas inteligentes, talentosas e batalhadoras. É verdade que há muitas injustiças que precisam ser corrigidas para permitir que isso se torne realidade para muito mais pessoas dotadas das mesmas virtudes. Mas, que isso é muito melhor do que viver numa sociedade que não permite que isso aconteça, isso é, sim.

Além disso, tanto Lula, em 2002, como Obama, em 2008, se elegeram Presidentes de seus países usando discursos muito parecidos. Em ambos os casos, eles se apresentaram como os candidatos da Esperança e disseram, em suas respectivas campanhas, que o medo (das mudanças) precisava ser derrotado. E assim o fizeram.

Tanto Lula, como Obama, representam segmentos mais progressistas de suas respectivas sociedades. Lula têm um grande apoio de movimentos sociais (estudantil, sindical, de trabalhadores rurais, de sem-teto, de GLBT, feministas, negro, entre outros) e Obama também foi apoiado, principalmente, por movimentos sociais norte-americanos (negro, de mulheres, estudantes, sindical, ambientalista, entre outros).

Assim, há muitas coisas em comum ligando os dois Presidentes das duas nações mais importantes do continente americano.

E entendo que ambos, se conseguirem desenvolver uma agenda comum, terão muito a contribuir para que tenhamos o início de um novo momento histórico nas relações entre os EUA e a América Latina. Tais relações sempre foram muito conturbadas, principalmente depois que, a partir do final do século XIX, os EUA iniciaram uma era de intervencionismo nos assuntos internos dos países latino-americanos.

A intervenção dos estadunidenses na luta do povo cubano por sua independência (que serviu de pretexto para que os EUA impusessem à Cuba a 'Emenda Platt' e a construção da Base Naval de Guantánamo) e a transformação de Porto Rico num protetorado dos EUA, durante a chamada 'Guerra Hispano-Americana' (1898), foi o principal ponto de partida do crescente intervencionismo dos EUA na região. Isso culminou com a adoção, por parte dos EUA, da política do 'Big Stick' (ou seja, do 'Grande Porrete'), através da qual os EUA passaram a intervir militarmente na América Latina de uma forma cada vez mais constante.

Assim, países como Cuba, Nicarágua, Haiti, entre outros, sofreram inúmeras intervenções militares por parte dos EUA durante várias décadas. Tal política somente foi abandonada na época da 2a. Guerra Mundial, quando Franklin D. Roosevelt adotou a política da 'Boa Vizinhança', que determinava que os EUA deveriam interromper as intervenções militares na região, procurando solucionar seus conflitos com os governos latino-americanos através da diplomacia.

Mas, isso não impediu que o governo dos EUA apoiasse inúmeras ditaduras na América Latina, como as de Trujillo (República Dominicana), Somoza (Nicarágua), Duvalier (Haiti), Fulgêncio Batista (Cuba), Stroessner (Paraguai).

Tal apoio era dado sob o pretexto de combater as influências de potências estrangeiras na região. Na época da Segunda Guerra Mundial, a prioridade era impedir que a Itália Fascista e a Alemanha Nazista ampliassem sua influência na América Latina, visto que vários governantes latino-americanos (Vargas e Perón, por exemplo) simpatizavam com o Fascismo italiano e colaboraram com o regime Nazista. Exemplo disso foi a entrega de Olga Benário Prestes, pela Ditadura do Estado Novo de Vargas, para o governo nazista alemão.

Depois da Segunda Guerra Mundial, o apoio aos ditadores latino-americanos, por parte dos EUA, passou a ser justificado pela necessidade de impedir a expansão do 'Comunismo' internacional na região. Era a época da 'Guerra Fria' entre os EUA e a URSS. E tal política se intensificou fortemente depois da vitória da Revolução Cubana, que embora fosse, na origem, uma Revolução de caráter Nacionalista e Reformista (apenas Che Guevara e Raul Castro eram comunistas entre os principais líderes da mesma), ela desembocou na implantação do primeiro e único regime Socialista na América Latina e isso aconteceu muito mais em função dos brutais erros cometidos pelo governo dos EUA, como a imposição do Bloqueio Econômico, a Invasão da Baía dos Porcos, a 'Operação Moongoose'. Esta, foi levada adiante pela CIA, e por ordens direta dos irmãos Kennedy, e que procurava sabotar a economia e o governo cubanos com atentados terroristas e assassinatos praticamente diários a fim de desestabilizar e derrubar o governo nacionalista e revolucionário do país que contava com amplo e maciço apoio do povo cubano. É claro que tal política somente poderia levar a que o governo cubano fechasse o regime e procurasse combater toda e qualquer oposição interna, a fim de unir o povo em torno do governo do país e de impedir que o mesmo fosse derrubado pelos EUA. E foi exatamente isso que aconteceu.

Nas décadas seguintes, os EUA ajudaram a organizar e apoiaram inúmeros Golpes de Estado contra governantes democraticamente eleitos (como Jacobo Arbenz, João Goulart, Arturo Frondizi, Salvador Allende) de países latino-americanos que procuravam, dentro das regras do jogo democrático, promover reformas sociais, políticas e econômicas que visavam desenvolver seus países e reduzir as gigantescas desigualdades sociais neles existentes, beneficiando aos trabalhadores e aos mais pobres.

As retrógradas, preconceituosas e ultra-conservadoras elites latino-americanas (latifundiários, banqueiros, industriais, classes médias abastadas, Igreja Católica) iniciaram uma política visando derrubar tais governos e, para isso, se associaram ao governo dos EUA e, através de intensa atuação da CIA em toda a América Latina, levaram adiante inúmeros Golpes de Estado que resultaram na implantação de brutais e violentíssimas Ditaduras Militares, ostensivamente apoiadas e financiadas pelos EUA.

Isso resultou, inclusive, numa intensa colaboração entre as Ditaduras militares latino-americanas para levar adiante uma política de extermínio de lideranças progressistas, democráticas, reformistas, nacionalistas e de Esquerda na região. Foi a chamada 'Operação Condor', que contou com a conivência e o silêncio dos EUA. E também tivemos as chamadas 'Guerras Sujas', promovidas por tais Ditaduras, com o objetivo de eliminar com toda e qualquer oposição interna. Tivemos, assim, centenas de milhares de vítimas de prisões, torturas, assassinatos, estupros e 'desaparecimentos', como resultado destas políticas brutalmente repressivas adotadas por tais Ditaduras.

E ainda há quem diga, como a 'Folha' o fez recentemente, que tais Ditaduras foram 'ditabrandas'...

Depois, com o forte desgaste sofrido pelas Ditaduras Militates latino-americanos nos anos 70, devido a fatores como a crise econômica (fruto dos dois 'Choques do Petróleo', de 1973 e 1979, e da crise da Dívida Externa, que explodiu em 1980/82), o aumento da inflação, a forte perda de poder de compra por parte dos trabalhadores e das classes médias, das denúncias de torturas e assassinatos em grande escala cometidos por tais ditaduras, a retomada das lutas populares (com o renascimento dos movimentos sindical, estudantil, pela Anistia, contra a Carestia, de luta pela reforma agrária) enfim, da luta pela Redemocratização, a década de 1980 assistiu ao retorno dos regimes democráticos à região.

Mas, a crise e a estagnação econômicas abriram caminho para a emergência de governos neoliberais, que literalmente entregaram o patrimônio público e nacional para grandes conglomerados financeiros e industriais europeus e norte-americanos a preço de banana. E é claro que tivemos muita corrupção neste processo, pois ninguém vende nada a preço de banana sem receber algo em troca, não é mesmo? E estes casos de corrupção ainda assombram tais países. A 'Operação Satiagraha' que o diga...

E a falência do modelo Neoliberal, que fracassou totalmente em oferecer uma vida melhor para os latino-americanos, se combinou com a ascensão de um governo neocon, ou seja, neo-fascista, nos EUA, que foi o de George Bush Jr (2001/2009). Este, tratou de intensificar a pressão sobre o governo cubano e apoiou tentativas de Golpes de Estado contra governos de Esquerda democraticamente eleitos na Venezuela (Hugo Chávez) e Bolívia (Evo Morales), além de apoiar a Ditadura colombiana, comandada por Álvaro Uribe, para que esta adotasse, como o fez, uma 'Guerra contra as Drogas' que tinha, na verdade, a intenção de destruir com os grupos guerrilheiros que ainda atuam no país, como as FARC.

Assim, retomaram-se com força os conflitos entre o governo dos EUA e os países latino-americanos que procuravam adotar políticas de reformas econômicas, sociais e políticas de caráter socializante e nacionalista. A situação somente não se agravou ainda mais devido ao importante papel desempenhado pelo governo do Presidente Lula, que procurou diminuir a gravidade dos conflitos entre o governo Bush e os presidentes de Esquerda eleitos diretamente pela população de seus países, estabelecendo um diálogo construtivo com ambas as partes.

Agora, com Obama governando os EUA, abre-se as perspectivas para uma nova era nas relações entre os EUA e a América Latina, baseado mais no respeito mútuo e no diálogo, do que em tentativas de Golpes de Estado apoiados pelo governo dos EUA contra governantes dos quais eles, norte-americanos, não gostam.

Aliás, essa foi a principal mensagem levada pelo Presidente Lula ao Presidente Obama. Lula disse, claramente, que os EUA não devem mais agir como fiscais dos governos latino-americanos, mas como parceiro dos mesmos, procurando ajudar no desenvolvimento econômico e social da região.

Se o governo Lula conseguir, de fato, convencer Barack Obama a adotar tal perspectiva nas relações entre os EUA e a América Latina, então teremos o início de uma nova era, muito mais positiva, nas relações entre eles.

Se Obama, por exemplo, chamar de volta os agentes da CIA que atuam com o objetivo de desestabilizar os governos democraticamente eleitos da região e mandar médicos, professores, engenheiros, que possam atuar de forma a colaborar com o desenvolvimento da América Latina, então a própria visão que os latino-americanos têm dos EUA irá melhorar consideravelmente.

Um substancial aumento, por exemplo, no orçamento do BID (do qual os EUA são o maior contribuinte) e o uso destes recursos para financiar projetos de infra-estrutura e de desenvolvimento urbano (em Transporte Coletivo, Saneamento Básico, Habitação, Saúde, Educação) nas grandes e médias cidades da América Latina seria muito bem-vindo. Mas, será que isso será feito? Espero que sim.

A América Latina não precisa de agentes da CIA, mas de investimentos na área social que melhorem as condições de vida dos latino-americanos.

Cabe ao governo Obama perceber que sem essa mudança de perspectivas e de políticas por parte dos EUA, continuará existindo uma grande desconfiança dos latino-americanos em relação ao seu país.

E tal desconfiança é mais do que justificada, dado o histórico de intervenções militares dos EUA na América Latina, o seu apoio e participação direta em inúmeros Golpes de Estado, bem como à sua conivência e silêncio frente aos inúmeros crimes cometidos por tais Ditaduras. Sem falar das catastróficas políticas neoliberais, que arrasaram com as economias e as sociedades latino-americanas nos anos 1990. A Argentina que o diga...

O Presidente Lula fez a sua parte, apontando qual a direção que o Presidente Obama deveria seguir nas suas relações com a América Latina, reforçando o diálogo e a cooperação com a mesma.

Cabe ao Presidente Barack Obama, agora, fazer a sua parte, e caminhar no sentido de implantar uma nova política em relação aos países e povos da América Latina, baseado no respeito, no diálgo e na cooperação.

Não nos decepcione, Presidente Obama!!

Lula, o protecionismo e a Grande Depressão dos anos 1930!


O Presidente Lula têm feito sucessivos alertas para o perigo mortal que representaria para a economia mundial um eventual aumento desenfreado e irracional do protecionismo pelo mundo afora. A questão é: porque o Presidente Lula sempre toca neste assunto?

Não creio que o Presidente Lula ignore que uma crise como a atual gere mais protecionismo. Mas, ele está perfeitamente consciente dos elevados riscos que isso representa para o mundo inteiro. Até o próprio Presidente Obama declarou que já será uma grande vitória se, em meio à pior crise financeira e econômica mundial em 100 anos, o protecionismo não aumentar.


Embora o governo Lula não esteja alheio ao problema e tome medidas que, na prática, representam uma maior proteção para os produtores brasileiros, mas sem fazer barulho, e sem partir para a histeria protecionista. Exemplo: O governo Lula aumentou substancialmente os empréstimos do BNDES, para R$ 166 Bilhões em 2009, sendo que tais empréstimos cobram juros muito baixos, subsidiados. Oras, fazer isso é uma forma, indireta, de aumentar a proteção às empresas instaladas no Brasil. Quando a empresa canadense Bombardier, há anos atrás, reclamou na OMC dos subsídios que o governo brasileiro dava à Embraer, uma das críticas que ela fazia era justamente o do grande volume de empréstimos do BNDES com juros subsidiados concedidos para a empresa brasileira.

Mas, entendo que o principal motivo do alerta dado pelo Presidente Lula a respeito do protecionismo esteja no fato de que um dos fatores que gerou a Grande Depressão dos anos 1930 (e que resultou na ascensão do Nazismo ao poder na Alemanha e que jogou o planeta na 2a. Guerra Mundial) foi justamente o aumento brutal do protecionismo. Como nenhum país queria comprar nada dos demais, o comércio mundial despencou ladeira abaixo, contribuindo muito para a Grande Depressão. E já vi vários governantes importantes (Sarkozy, Angela Merkel, etc) alertarem para esse risco nos dias atuais.

Se o protecionismo triunfar, estaremos perdidos, literalmente.

A postura de Lula, portanto, tem base num conhecimento da História e é bastante ponderada. Agora, daí a pensar que o Brasil não irá proteger as suas empresas ou o seu mercado, vai uma longa distância. Ele o fará, mas não de uma maneira indiscriminada, histérica.

Outro exemplo: Por que o governo Lula está querendo construir 1 milhão de casas populares? para incentivar a indústria da construção civil, certo? E por que a construção civil foi o setor escolhido? por uma razão muito simples: ela tem quase toda a sua cadeia produtiva dentro do Brasil. Isso significa que tudo o que é utilizado pelo setor é produzido no país. Quase nada é importado. Sem falar que cada emprego gerado numa obra abre outros 25 empregos em outros setores da economia.

Então, ao apoiar a construção civil o governo Lula está contribuindo para aquecer a demanda interna e gerar empregos. E isso não irá prejudicar em nada a balança comercial e as contas externas do país.

A indústria automobilística é outro setor em que cerca de 80% das peças e componentes utilizados são produzidos no Brasil e que gera cerca de 25 empregos em outros setores para cada emprego criado no setor.

É por isso que o governo federal está dando tanto estímulo para estes dois importantes setores da economia.

Portanto, cabe ao mundo, se tiver juízo, prestar atenção aos alertas do Presidente Lula e evitar o caminho do protecionismo desenfreado e irracional, pois isso iria jogar a Humanidade numa Grande Depressão que teria consequências ainda mais catastróficas do que aquelas que tivemos no século XX.


sábado, 14 de março de 2009

PSDB/DEM repetirão mentiras mil vezes, para que se transformem em verdades, nas eleições de 2010!


Preparem-se! A campanha eleitoral de 2010, que já começou e está a pleno vapor, será um festival de baixarias, de mentiras e de manipulações grosseiras, se depender dos tucanos e dos demos.

Segundo o blog do Noblat, que republicou nota do 'Painel', da 'Folha Ditabranda de S.Paulo', em reunião realizada na sede do governo do estado de São Paulo, a cúpula do DEM, José Serra e FHC chegaram às seguintes conclusões:


"Já FHC alertou para a necessidade de colar o noticiário negativo no governo. "Não se pode despolitizar a crise", insistiu o ex-presidente. Os "demos" concordaram. Para eles, o candidato pega leve demais quando admite, como fez num seminário em São Bernardo, que a crise "veio de fora".".

Assim, a oposição tucano-democrata irá partir para os ataques falsos e mentirosos, a fim de 'colar o noticiário negativo no governo'. Aliás, é exatamente isso que o DEM já está fazendo em suas propagandas no rádio e na TV, nas quais diz que o Brasil é o país mais afetado pela crise e que o número de desempregados está crescendo em 600 mil por mês no país, o que são deslavadas mentiras. Mas, os tucanos e os democratas vão fazer igualzinho a Goebbels, ministro da Propaganda de Hitler, que dizia que se uma mentira fosse repetida mil vezes ela se transformaria numa verdade. E é exatamente isso que tucanos e democratas irão fazer nesta campanha eleitoral (veja a imagem acima... Nela, Hitler diz para Goebbels: 'Veja como esses tucanos e demos brasileiros aprenderam direitinho as nossas lições'. E Goebbels responde: 'Têm razão, meu Fuhrer! Fui eu que os ensinei! Eles foram ótimos alunos!').

Assim, quando FHC diz que não se pode despolitizar a crise, ele está dizendo que a oposição deve colocar a culpa pela crise no Presidente Lula e no seu governo, embora o próprio José Serra tenha dito que a crise veio de fora, ou seja do exterior, e não foi provocada por fatores internos, portanto.

Mas, a própria notícia já demonstra que FHC atacou Serra por isso e este aceitou calado as críticas, sem respondê-las. Assim, em breve, veremos José Serra fazer afirmações totalmente estapafúrdias, e sem nenhuma base na realidade, afirmando que a crise é culpa do governo Lula, algo que até os buracos da Lua sabem que é uma deslavada mentira.

Portanto, se preparem: a campanha tucano-democrata será repleta de baixarias e de mentiras e manipulações, usando claramente de uma estratégia copiada de Goebbels, ou seja, irão repetir inúmeras mentiras mil vezes para que elas se transformem em verdades.

Mas, tenho certeza de que os tucanos-democratas irão fracassar novamente em 2010. Eles já fizeram isso em 2006 e em 2002 e não deu certo. E agora irão fracassar novamente.

A população não quer saber de mentiras, nem de manipulações e nem de terrorismo barato, que procure amedrontar as pessoas, a fim de levar o Brasil para o abismo. O que os brasileiros querem saber da oposição tucano-democrata é: O que eles têm para propor ao país e ao povo? O que eles farão caso vençam as eleições? Quais serão as suas prioridades de governo? Quais as mudanças que eles irão promover? O ProUNI irá acabar, por exemplo, já que o DEM entrou no STF com um pedido para extinguir o programa? E o Bolsa-Família, que é um programa de transferência de renda com condicionalidades, irá acabar? Afinal, não são os tucanos e demos que dizem que o Bolsa-Família é uma 'Bolsa-Esmola', 'Bolsa-Cachaça' e 'Bolsa-Vagabundo'?? O PSDB e o DEM irão adotar novamente a política Neoliberal, tal como o fizeram no governo FHC, e que acabou de falir no mundo todo, gerando a pior crise financeira e econômica mundial dos últimos 100 anos?

Será que o PSDB/DEM irão esclarecer estas e muitas outras questões sobre como seria um eventual governo deles na Presidência da República?

A julgar pelo que foi discutido na reunião do Palácio dos Bandeirantes, não. Tucanos e demos irão se limitar a promover ataques baixos, irão mentir na cara-dura, vão distorcer os fatos, negando na campanha aquilo que disseram até outro dia.

Com isso, tucanos e demos irão caminhar para mais uma fragorosa derrota na eleição presidencial de 2010.

Quem viver, verá.

sexta-feira, 13 de março de 2009

Jango, Lula e as mudanças políticas-institucionais no Brasil! - por Marcos Doniseti!


Jango, Lula e as mudanças políticas-institucionais no Brasil! - por Marcos Doniseti
O jornalista Luiz Carlos Azenha, pelo qual tenho um grande respeito, devido ao seu trabalho sério e íntegro, disse em seu blog que:

"A doença que acometeu os governos Sarney e FHC também pegou o governo Lula: a falta de coragem política. O loteamento do governo para garantir a "governabilidade", lá atrás, em 2002, desaguou em 2009 nas vitórias políticas de Collor e Sarney dentro do Congresso. O antigo Centrão divide o poder com o governo Lula, que agora é refém dele para as eleições de 2010. E essa "banda podre" sempre foi, é e sempre será imobilista: do jeito que está, tudo bem. Eles sempre estiveram por cima da carne seca. Assim como FHC, Lula faz um governo "reativo". Não ousa politicamente, apesar de montado em 84% de popularidade. Aposto que o cálculo político do presidente leva em conta que à esquerda dele não há lugar para correr. Por isso, Lula costura à vontade ao centro e à direita.".


Bem, eu não discordo desta avaliação do Azenha. Mas, há um elemento fundamental que é preciso levar em consideração, que é o fato de que o Congresso brasileiro sempre foi dominado pela Direita. Cerca de 80% das 'Vossas Excelências' em Brasília foram eleitas pelo DEM, PSDB, PMDB, PP, PTB, PR e outras agremiações direitistas menos populares.

As Esquerdas brasileiras sempre foram fracas e isso é um dado histórico. Elas sempre tiveram muita influência junto à intelectualidade, estudantes e setores de vanguarda do movimento sindical e de movimentos populares, mas nunca conseguiram mobilizar e organizar todo o povo.

Além disso, Lula ganhou em 2002 e em 2006 justamente porque se aliou com forças políticas conservadoras. E consegue governar pelo mesmo motivo. Sem isso, não teria sido eleito e não aprovaria um mísero projeto de lei no Congresso Nacional, onde as Esquerdas têm apenas 20% dos eleitos.

Enquanto a Direita dominar o Congresso, esqueça. Não teremos grandes mudanças políticas-institucionais no Brasil, não. No Judiciário, a situação é ainda pior. Basta ver como Gilmar Mendes faz o que quer e ninguém faz nada, mesmo no Poder Judiciário.

Aliás, esse dilema não é novo. João Goulart também o enfrentou. Ele queria fazer as 'Reformas de Base', mas o Congresso Nacional, formado majoritariamente pelo PSD e UND (ambos de Direita e que apoiaram o Golpe Militar contra Jango, bem como a própria Ditadura Militar. Aliás, até Ulysses Guimarães e JK apoiaram o Golpe de 64) impediu que elas fossem colocadas em prática.

E quando Jango ameaçou radicalizar, decidindo mobilizar a população e os movimentos populares (CGT, Ligas Camponesas, sindicatos, etc) para aprovar as 'Reformas de Base' ele foi derrubado. E quando o Golpe estourou, Goulart mandou seus aliados não resistir, algo que Brizola nunca perdoou, rompendo com Jango por 12 anos. Somente poucos meses antes da morte de Jango é que Brizola reatou com o mesmo.

Isso explica, na minha opinião, essa "timidez" de Lula. Ele não quer ser um novo João Goulart.

Vendas no comércio varejista brasileiro crescem 11,9% em Janeiro! DEM mente na cara-dura!


A receita nominal do comércio varejista brasileiro cresceu 11,9% em Janeiro deste ano, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Em volume de vendas o crescimento foi de 6%.


E isso acontece em meio a pior crise financeira e econômica global dos últimos 100 anos, no mínimo. Sob determinados aspectos (como a da especulação financeira desenfreada), a crise atual é pior até do que a Grande Depressão que abateu a economia mundial na década de 1930.


E o pior de tudo é que o DEM (Democratas, o que é uma piada, já que este é o mesmo partido que apoiou a Ditadura Militar, tendo apenas mudado de nome. Antigamente, era Arena, depois virou PDS, PFL e, agora, virou DEM) está com uma propaganda mentirosa e desonesta na mídia, dizendo que o Brasil é o país mais afetado pela crise global e que o país está perdendo 600 mil empregos por mês. Aliás, isso está acontecendo, sim, mas nos EUA, país que foi o responsável por espalhar o Neoliberalismo pelo mundo afora, e que agora vive os efeitos da falência deste mesmo Neoliberalismo que o DEM sempre defendeu e defende com unhas e dentes.


Quero ver o DEM explicar esse significativo aumento das vendas do comércio varejista brasileiro e, ao mesmo tempo, manter esse discurso mentiroso e desonesto em sua propaganda eleitoral.


Que o Brasil está sendo afetado pela crise global, isso é óbvio, até porque não vivemos isolados do mundo. Mas, daí a dizer que somos o país mais afetado pela crise global e que estamos perdendo 600 mil empregos por mês, vai uma longa distância da realidade.


O DEM está mentindo e na cara-dura!!


quinta-feira, 12 de março de 2009

Banco Central reduz juros básicos para 11,25% ao ano!!


Em reunião do COPOM (Comitê de Política Monetária) concluída ontem à noite o mesmo decidiu baixar a taxa Selic para 11,25% ao ano, promovendo uma redução de 1,5 p.p.


Com isso, temos agora a menor taxa real de juros da História recente do país. Aliás, uma das vantagens do Brasil em relação aos demais países em relação a esta crise é que as principais economias do mundo (EUA, UE, Japão) já estão com taxas de juros reais negativas ou em torno de zero.


O Brasil é, praticamente, o único país que ainda têm taxas de juros reais positivas e, logo, possui margem de manobra para reduzí-las. Com isso, teremos mais um importante estímulo à retomada do crescimento econômico, o que se soma às medidas já anunciadas pelo governo federal de redução de impostos, aumento real do salário mínimo, elevação do valor dos benefícios do Bolsa-Família, de redução dos compulsórios e de aumento dos investimentos públicos.


Com isso, embora a taxa de crescimento da economia fique em torno de 1% em 2009, o crescimento econômico de 2010 já está praticamente garantido.


quarta-feira, 11 de março de 2009

Bomba! Bomba! Parem as máquinas!! Delegado Protógenes grampeou Papai Noel, o Lobo Mau e o Monstro do Lago Ness!!


Na próxima edição de 'Veja', panfleto neo-fascista e mentiroso da troglodita e reacionária Direita tupiniquim, uma nova denúncia irá demonstrar, de forma clara e incontestável, que o delegado Protógenes também grampeou o Abominável Homem das Neves (imagem acima), a Cegonha, o Papai Noel, o Monstro do Lago Ness, o Lobo Mau, a Chapéuzinho Vermelho, a Branca de Neve e os 7 anões, o Tio Patinhas, Tutankhamon, o Chewbacca e o Ronaldo Fenômeno.

As provas disso são irrefutáveis e indiscutíveis.


terça-feira, 10 de março de 2009

PIB brasileiro cresceu 5,1% em 2008!


O IBGE divulgou hoje que o PIB brasileiro cresceu 5,1% em 2008, um ótimo número, fazendo com que o país tivesse, assim, o seu quinto ano consecutivo de crescimento econômico. Desde 2004 que a economia brasileira vem crescendo e, entre 2004/2008, a mesma acumulou um crescimento de 26% nestes 5 anos, o que dá uma média anual 5,2%.


Porém, no quarto trimestre de 2008 o PIB sofreu uma queda de 1,3% em relação ao mesmo período do ano passado, mostrando uma desaceleração da economia brasileira.


Assim, se faz necessário que o governo tome medidas adicionais a fim de estimular novamente a economia, retomando o crescimento.


A redução mais acelerada da taxa Selic, a continuidade da redução de impostos para o setor automobilístico, medidas de apoio às micro e pequenas empresas (redução de impostos, crédito facilitado com juros menores fornecido pelo BNDES, BB e CEF, etc) e o pacote habitacional, para construir 1 milhão de moradias, devem estar entre estas medidas.


Desta maneira, o Brasil irá superar a crise antes dos demais países e voltará a crescer de uma forma muito mais rápida.




domingo, 8 de março de 2009

Ronaldo, o Gênio, voltou!


Podem falar o que quiser... Temos um Gênio jogando no Timão... Ronaldo é Fenomenal!

E foi isso que ele demonstrou no jogo de hoje, contra o Palmeiras, o maior rival do Corinthians.

Apesar de ainda não estar na sua melhor forma (longe disso...), ele arrebentou com o jogo. Em 30 minutos mostrou muito mais futebol do que qualquer outro jogador. Deu um drible que quase quebrou a costela do Pierre, deixou o Jumar para trás e chutou uma bola no travessão, driblou um jogador do Palmeiras e o tal do Marcão e cruzou a bola na cabeça do André Santos (que cabeceou e quase fez um gol), ia chutar uma bola no gol, mas foi travado pelo Pierre, que fez falta e o juiz não marcou.

E Ronaldo ainda fez o gol de empate aos 47 do 2o. tempo, de cabeça, sendo que o Ronaldo Gênio sempre detestou cabecear. E ele ainda pulou a placa de publicidade, deu um pique e subiu no alambrado, como um verdadeiro Homem-Aranha, para comemorar junto com a Fiel Torcida. E é claro que o seu gol levou milhões de corintianos à loucura, bem como a outros milhões que não são corintianos, mas que são fãs de Ronaldo, e no mundo inteiro.

Ele fez tudo isso em apenas 30 minutos e porque ainda não está na forma ideal.

Imaginem quando estiver...

Não foi à toa, portanto, que o seu gol foi manchete de tudo quanto é site esportivo pelo mundo afora.

O site 'Marca.com', da Espanha, disse que Ronaldo teve uma atuação brilhante. A 'Gazzetta dello Sport' disse que Ronaldo ressuscitou pela enésima vez.

Na quinta-feira alguns torcedores de outros times vieram me gozar, falando mal do Ronaldo e eu disse para eles: dêem risada agora, pois daqui a alguns meses vocês estarão chorando.

A julgar pelo que vi após o final da partida contra a porcada (sem ofensa...), com a torcida do Palmeiras totalmente cabisbaixa e desanimada, os torcedores adversários já começaram a chorar...

E irão chorar muito mais daqui para a frente.

Temos um Gênio no Timão. Isso é fato: Ronaldo Fenômeno!

O futebol brasileiro e mundial somente têm a ganhar com o seu retorno, pois Ronaldo está muito acima do nível de quase todos os jogadores do futebol mundial, como aliás ficou demonstrado no jogo de hoje.

FHC e suas bobagens monumentais!


É incrível a quantidade de bobagens que o ex-Presidente FHC consegue falar em tão pouco tempo.

Como se não bastasse o fato dele ter entregue um Estado quebrado para Lula administrar, depois que saiu do governo, o ex-Presidente não parou mais de deitar falação a respeito de tudo quanto é atitude ou políticas do governo Lula, como se ele estivesse em condições de querer ensinar alguma coisa, visto que fez uma administração absolutamente medíocre, eivada de irregularidades e que deixou uma 'Herança Maldita' para o sucessor.

Agora, FHC reclamou que o Presidente está fazendo uma propaganda de otimismo para combater os efeitos do colapso das políticas neoliberais praticadas no mundo todo nas últimas décadas, inclusive pelo seu desastroso governo.

Oras, o ex-Presidente queria que o Presidente Lula fizesse o que? que espalhasse pessimismo pelo país afora, dizendo para as pessoas que o mundo irá desmoronar, que está tudo indo para o abismo?

Fala sério, vai, FHC.

O Presidente Lula está fazendo exatamente o que deveria, que é manter o otimismo e tomar as medidas necessárias para se combater a crise, como a redução de impostos e dos juros, aumento da oferta de crédito, aumentos reais para o salário mínimo, elevação dos investimentos públicos, redução dos compulsórios, entre outras ações necessárias para a superação de uma crise que não é brasileira, mas da qual o Brasil sofre os efeitos por estar integrado à economia global.

Por que não te calas, FHC?

Parabéns a todas as mulheres pelo seu dia!


Quero dar os parabéns a todas as mulheres pelo Dia Internacional da Mulher, que é comemorado hoje, dia 8 de Março.

Esta data é uma grande homenagem a todas as mulheres que lutaram, ao longo da história, para que elas desfrutassem dos mesmos direitos já reconhecidos aos homens, como o direito de voto, por exemplo. Este, tal como todos os direitos que as mulheres conquistaram, foi resultado de muita luta, que durou muito tempo e que, na verdade, ainda está muito distante de acabar.

Ainda existe muita discriminação contra as mulheres pelo mundo afora. Uma remuneração menor, mesmo quando faz o mesmo trabalho que o homem, por exemplo, ainda é uma realidade presente no Brasil e em muitos outros países. Violências contra as mulheres, com os criminosos ficando impunes, é outra triste e trágica realidade ainda presente no Brasil e no mundo.

Tais violações aos direitos das mulheres somente irão acabar com a continuidade desta luta, que não poderá terminar nunca, senão tais realidades jamais serão transformadas.

Portanto, vamos à luta, companheiras!!

Lungaretti, como sempre, 'matou a pau' em comentário sobre a 'Folha' e a 'Ditabranda'!


A 'Folha S.Paulo', através do seu Diretor de Redação, Otávio Frias Filho, reconheceu que foi um erro o uso do termo 'ditabranda' para se referir à Ditadura Militar brasileira.

Mas, o mesmo reafirmou o que o jornal já havia dito, ou seja, de que a ditadura brasileira teria sido menos brutal do que a de países como Argentina e Chile, por exemplo, e que os professores Maria Victória Benevides e Fabio Konder Comparato teriam adotado uma postura 'cínica' em relação à Ditadura Militar brasileira, pois dariam apoio à 'ditadura cubana' (o que aliás, é mentira).

Eu iria escrever um texto comentando essa reincidência da 'Folha', mas o jornalista e escritor Celso Lungaretti já o fez, em seu blog (o 'Náufrago da Utopia'), e de uma forma tão brilhante que não preciso dizer mais nada.

Assim, reproduzo abaixo, na íntegra, o texto do Celso Lungaretti, que foi um dos que compareceram ao Ato de protesto contra a 'Folha' no Sábado de manhã, em frente à sede do jornal.

Texto:

Domingo, Março 08, 2009

"DITABRANDA": A FOLHA ADMITE QUE ERROU... E REINCIDE

O diretor de Redação da Folha de S. Paulo, Otavio Frias Filho, deu a mão à palmatória, diante da rejeição unânime dos conceitos do seu jornal por parte dos melhores cidadãos: "O uso da expressão 'ditabranda' em editorial de 17 de fevereiro passado foi um erro. O termo tem uma conotação leviana que não se presta à gravidade do assunto. Todas as ditaduras são igualmente abomináveis".

Esta foi a autocrítica arrancada de um jornal arrogante, que dificilmente concede direito pleno de resposta e de apresentação do outro lado aos atingidos por sua desinformação premeditada ou involuntária. A maior mobilização da coletividade contra as falácias da mídia nos últimos anos não foi em vão. Estabeleceu um novo marco na luta da cidadania por seus direitos.

Depois de abrir mão do mais indefensável, Frias Filho ainda tentou, tergiversando, preservar o fulcro da tese do seu editorialista: "Do ponto de vista histórico, porém, é um fato que a ditadura militar brasileira, com toda a sua truculência, foi menos repressiva que as congêneres argentina, uruguaia e chilena - ou que a ditadura cubana, de esquerda".

O fato é que, sendo todas as ditaduras igualmente abomináveis, o empenho em estabelecer graduações na intensidade da repressão denuncia consciência culpada e o propósito de atenuar a truculência de uma delas. Para uma empresa cujo colaboracionismo com a ditadura militar já é fato amplamente estabelecido, equivale a uma distorção da verdade histórica em causa própria.

Ditaduras não são mais ou menos repressivas. Para manter o poder que usurparam, recorrem à força bruta, tanta quanta necessária e, às vezes, além da necessária -- como foi o caso da nada branda ditadura brasileira ao dizimar os militantes da luta armada a partir de 1971, quando já estavam inapelavelmente derrotados.

Prisioneiros rendidos, torturados, executados e que não tiveram sequer sepultamento cristão, pois os restos mortais foram escondidos como as provas de crimes costumam ser. E alguém ousa, ainda hoje, colocar panos quentes sobre atos tão hediondos! Quem é o cínico, afinal?

Também não havia motivo nenhum para tocar neste assunto doloroso se o objetivo do editorial era apenas o de atacar e denegrir Hugo Chávez, minimizando a vitória que obteve em plebiscito. Foi uma forçação de barra por parte de quem está empenhado em mistificar e confundir as novas gerações.

A Folha e seus pistoleiros, digo articulistas, de aluguel omite tendenciosamente que a resistência aos golpes e ao terrorismo de estado foi bem maior na Argentina, Uruguai e Chile, países com mais tradição de lutas populares, daí a violência e os banhos de sangue a que os tiranos tiveram de recorrer para não serem derrubados.

Se no Brasil o poder foi usurpado facilmente pelos militares, ao contrário do Chile, em que tiveram até de bombardear o Palácio do Governo; se no Brasil o mesmo golpe resultou num totalitarismo contínuo de 21 anos sob o controle das Forças Armadas, ao contrário da Argentina, em que tiranos desalojaram tiranos para fincar nova tirania, ENTÃO UMA REPRESSÃO QUE TIROU A VIDA DE 400 A 500 RESISTENTES E TORTUROU DEZENAS DE MILHARES DE BRASILEIROS FOI, ISTO SIM, EXAGERADA!

A comparação correta seria com a ditadura de Getúlio Vargas, p. ex. Mas, os reacionários e as viúvas da ditadura não a fazem porque lhes seria amplamente desfavorável. Omitem que, pelos padrões brasileiros, foi o período mais escabroso em cinco séculos de História.

Finalmente, a desculpa esfarrapada de Frias Filho para o ataque aos professores Fábio Konder Comparato e Maria Vitória Benevides foi a seguinte:

"A nota publicada juntamente com as mensagens dos professores Comparato e Benevides na edição de 20 de fevereiro reagiu com rispidez a uma imprecação ríspida: que os responsáveis pelo editorial fossem forçados, 'de joelhos', a uma autocrítica em praça pública.

"Para se arvorar em tutores do comportamento democrático alheio, falta a esses democratas de fachada mostrar que repudiam, com o mesmo furor inquisitorial, os métodos das ditaduras de esquerda com as quais simpatizam."

Nada a acrescentar ao que eu afirmei logo no primeiro momento:

"Quanto a Comparato e Benevides, o que faltou (...) foi (...) base para a acusação contra eles assacada: nenhum brasileiro pode ser taxado de cínico e mentiroso por defender os direitos humanos em seu próprio país e não se manifestar a respeito do que acontece em outros países, a menos que participe ou tenha participado de entidades cuja missão seja exercer a vigilância em âmbito internacional.

"Então, ao misturar alhos com bugalhos, a Folha (...) cometeu os crimes de difamação e calúnia. É disto que teria de se retratar."

Não o fez nem o fará, a menos que sob vara dos tribunais.

Mas, a mobilização dos humilhados e ofendidos -- nós -- já a obrigou a entregar os anéis para tentar salvar os dedos.

Da próxima vez será pior -- garantimos.

O alerta está dado.