Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 26 de abril de 2009

Democracia Direta Já!!


Muitas pessoas estão, e com razão, totalmente indignadas com os inúmeros privilégios e irregularidades cometidas pelos 'representantes do povo', os Senadores e os Deputados pelo Brasil afora.

A solução para esse problema é a Democracia Direta!

Como isso funcionaria?

Simples:

Existiria um site na Internet, o 'Congresso Virtual', no qual ficariam para votação dos eleitores de todo o Brasil, todos os projetos de lei, emendas constitucionais, medidas provisórias, etc.

Teríamos um prazo de votação para cada um destes projetos. Dentro deste prazo, qualquer eleitor poderia entrar lá e votar.

Encerrado o prazo de votação, apuram-se os votos e pronto. Daí, se o projeto for aprovado ele passa a vigorar.

Quem iria elaborar os projetos? qualquer pessoa ou entidade da sociedade civil organizada, oras!

Assim, os projetos seriam elaborados pela população, votados pela população e aprovados ou rejeitados pela população.

Mais democrático do que isso é impossível!!

E com isso não teríamos mais necessidade de Senadores, Deputados ou Vereadores.

Cada pessoa teria um título de eleitor com número, nome, foto, impressão digital e senha pessoal e intransferível.

E para que todos pudessem votar, o Governo instalaria 'Telecentros' com acesso à Internet banda larga em todas as cidades do país. Quanto maior a população da cidade, mais 'Telecentros' ela teria.

É bom esclarecer que os Parlamentos foram criados para que pessoas não tivessem que se deslocar do seu local de moradia até a sede do governo a fim de defender os seus interesses, pois as pessoas moravam a centenas ou até milhares de kilometros de distancia da sede do Governo. E as pessoas não tinham como abandonar tudo (trabalho, família, etc), viajar por várias semanas ou até meses seguidos, para ir até a sede do Governo defender os seus interesses.

Então, para suprir essa dificuldade, é que se criaram os Parlamentos.

Na época, eles representaram um grande avanço, sendo uma grande e importante conquista na defesa dos direitos e dos interesses da população.

Mas, hoje, isso já não ocorre mais. A chamada 'Democracia Representativa' está falida e totalmente desmoralizada e não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro. A maneira pela qual se financia as bilionárias campanhas eleitorais nos dias atuais acaba por, inevitavelmente, corromper todo o processo político.

A origem da maior parte do dinheiro que financia as campanhas eleitorais e, sabidamente, ilegal. E mesmo quando é legal, ele é originário de interesses econômicos muito poderosos e particulares (Bancos, Empreiteiras, Latifundiários, Multinacionais, Mídia) e que, posteriormente, acabam exercendo uma influência desmedida nas decisões do governo e dos parlamentares eleitos.

Em função disso, o processo eleitoral já está corrompido na sua origem. E enquanto a 'Democracia Representativa' perdurar, isso continuará.

Mas, hoje, com as modernas tecnologias de informática e de telecomunicações não há mais necessidade alguma da existência de Parlamentos e de representantes que tomem as decisões em nosso nome. Podemos votar, quando quisermos, em qualquer local do país ou do mundo, e de qualquer lugar, diretamente nos projetos de nosso interesse.

Para implantar isso, é fácil.

Basta querer.

Além disso, não teremos mais que gastar bilhões de Reais anualmente com políticos parasitar, incompetentes e medíocres, como ocorre hoje, e o dinheiro economizado poderia ser investido em Saúde, Educação, Transportes Coletivos, Saneamento Básico, etc.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Ignore a Mídia!


IGNORE A MÍDIA!


ELA MENTE PARA VOCÊ O TEMPO TODO!


A MÍDIA DISSE QUE TINHAMOS UMA EPIDEMIA DE FEBRE AMARELA NO BRASIL EM 2008 E ISSO ERA UMA MENTIRA!


A MÍDIA DIZIA QUE OBAMA ERA COMUNISTA E TERRORISTA E ELE É UM DOS GOVERNANTES MAIS POPULARES DO MUNDO!


A MÍDIA AFIRMAVA QUE SE LULA SE TORNASSE PRESIDENTE O BRASIL IRIA AFUNDAR E ACONTECEU EXATAMENTE O CONTRÁRIO! HOJE O BRASIL É UM PAÍS MUITO MAIS FORTE E É O QUE ESTÁ SENTINDO MENOS OS EFEITOS DA CRISE GLOBAL!


A MÍDIA BRASILEIRA APOIOU O GOLPE MILITAR DE 1964 E A DITADURA MILITAR. A 'FOLHA' ATÉ USAVA AS SUAS VANS PARA TRANSPORTAR PRISIONEIROS POLÍTICOS PARA SEREM TORTURADOS NOS PORÕES DA DITADURA!


A EDITORA ABRIL, DONA DA 'VEJA', É SÓCIA DA NASPERS, QUE FOI UMA DAS EMPRESAS DA ÁFRICA DO SUL QUE MAIS APOIOU AO REGIME RACISTA E NAZISTA DO APARTHEID!


A MÍDIA BRASILEIRA ATACA O DELEGADO PROTÓGENES E DEFENDE OS INTERESSES DO DANIEL DANTAS, BANQUEIRO BANDIDO CONDENADO A 10 ANOS DE PRISÃO POR CORRUPÇÃO!


POR TUDO ISSO E MUITO MAIS: IGNOREM A MÍDIA, POIS ELA MENTE PARA VOCÊ O TEMPO INTEIRO!


IGNOREM A MÍDIA!!

PPS faz Terrorismo com a Poupança e mente na cara-dura!


Propaganda política-eleitoreira do PPS está mentindo na cara-dura para a população, dizendo que o governo Lula irá confiscar o dinheiro da caderneta de poupança.

Isso é uma MENTIRA DESLAVADA desse partideco de aluguel, que tem como objetivo enganar e aterrorizar a população brasileira, para que haja uma corrida aos bancos, tenhamos uma grave crise financeira e, daí, os bancos comecem a quebrar, o que jogaria a economia brasileira numa crise tão grave quanto a que está acontecendo nos EUA e nos demais países ricos.

Tal atitude é de uma irresponsabilidade total, completa e absoluta por parte do PPS, sendo que isso não contribuirá em nada para combater os efeitos da crise global, cuja origem é a falência das políticas Neoliberais adotadas pelos países ricos nas últimas décadas.

Todos os mais recentes indicadores comprovam que o Brasil é um dos países menos afetados pela crise global, justamente porque a origem da crise não é o Brasil, mas os países ricos e porque a economia brasileira se tornou muito mais sólida e consistente nos últimos anos.

Assim, o PPS em vez de apresentar propostas para combater os efeitos da crise global, prefere apelar para o Terrorismo Midiático, procurando enganar e levar o pânico para toda a população, para criar uma crise de gigantescas proporções no país e, assim, poder vencer as eleições de 2010.

Em nome de interesses eleitorais mesquinhos e desonestos, o PPS tenta jogar o país numa grave crise, adotando a mesma política de Goebbels, ministro da Propaganda de Adolf Hitler, que dizia que se uma mentira fosse repetida mil vezes ela se transformaria numa verdade.

A Justiça Eleitoral não pode adotar uma postura omissa e deve punir o PPS com a perda do tempo do partido para fazer propaganda eleitoral no rádio e na TV.


Abaixo as Mentiras e o Terrorismo do PPS!

terça-feira, 21 de abril de 2009

Texto excelente de Eric Hobsbawm!


Socialismo fracassou, capitalismo quebrou: o que vem a seguir?

A prova de uma política progressista não é privada, mas sim pública. A prioridade não é o aumento do lucro e do consumo, mas sim a ampliação das oportunidades e, como diz Amartya Sen, das capacidades de todos por meio da ação coletiva. Isso significa iniciativa pública não baseada na busca de lucro. Decisões públicas dirigidas a melhorias sociais coletivas com as quais todos sairiam ganhando. Esta é a base de uma política progressista, não a maximização do crescimento econômico e da riqueza pessoal. A análise é do historiador britânico Eric Hobsbawm

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=15937

Por que os Bancos lucram tanto no Brasil??


No Brasil, os bancos lucram tanto porque não há concorrência entre eles. Os 7 maiores bancos do país concentram 90% do mercado, algo que não acontece na Europa ou nos EUA, onde temos milhares de bancos concorrendo entre si.

Além disso, o governo Lula reduziu sensivelmente os juros básicos, de 25% ao ano para 11,25% ao ano e já se prevê uma queda para cerca de 9% até o começo de 2010. Logo, ele não pode ser considerado como culpado dos lucros dos bancos. Em 2003, o Estado brasileiro gastava 9,3% do PIB com o pagamento de juros da dívida pública e em 2008 esse percentual caiu para 5,6% do PIB, acumulando uma queda de cerca de 40%. A participação do pagamento dos juros da dívida pública em relação ao Orçamento e ao PIB é cada vez menor, portanto.

E boa parte desse aumento de lucro se deu porque o volume de crédito na economia brasileira cresceu de 22% do PIB para 40% do PIB no governo Lula. Com isso, os bancos lucram mais, é claro. É como uma empresa que reduz os preços dos seus produtos e, com isso, consegue vender mais, aumentar o seu faturamento e os seus lucros, pois ela passa a lucrar não mais em cima do preço, mas da escala de produção. Com os bancos ocorre o mesmo. No Brasil, eles passaram a emprestar muito mais nos últimos anos e, com isso, os seus lucros passaram vir mais do volume de crédito oferecido do que dos juros.

Além disso, se os bancos começarem a ter prejuízos eles irão falir e daí o Estado terá que injetar centenas de bilhões de Reais para salvar os recursos dos clientes, tendo que desviar recursos de outros setores (investimentos em infra-estrutura, pagamento do salário mínimo, programas sociais, educação, saúde) para ajudar um sistema financeiro falido.

Vejam que é exatamente isso que está acontecendo na Europa e nos EUA, com os governos gastando trilhões de dólares para salvar bancos falidos.

Então, é melhor que os bancos lucrem do que quebrem. Porém, é claro que tais lucros devem ser obtidos com base na atividade principal dos bancos, que é o de fornecer crédito para a economia poder crescer e não com base em juros altos. Cabe ao Estado brasileiro impor limites a àtuação dos bancos e estimular a concorrência entre eles. Uma maneira de se fazer isso é usando os bancos públicos para concorrer com o setor privado, tomando clientela do mesmo e, com isso, forçando-os a reduziu os seus juros e tarifas que cobram pelos serviços que prestam.


domingo, 19 de abril de 2009

Corinthians joga melhor novamente e elimina o São Paulo!


Jogando melhor novamente do que o São Paulo, o Corinthians eliminou o rival na semi-final do Paulistão 2009, vencendo a partida por 2 X 0. Assim, o Timão venceu o tricolor paulista por duas vezes seguidas, tal como ocorreu na Final do Paulistão 2003, quando conquistou o seu último campeonato paulista.

A vitória corintiana foi definida em 2 minutos do segundo tempo, aos 10 e aos 12 minutos, quando marcou 2 gols que desnortearam com o São Paulo, liquidando com as pretensões do adversário. Douglas e Ronaldo, os 2 melhores jogadores da partida, fizeram os gols para o Timão.

Com isso, o Corinthians conquistou o direito de disputar a final contra o Santos tendo a vantagem de jogar por dois resultados iguais e de fazer a segunda partida em casa.

O Corinthians de Mano Menezes mostra, assim, que está incluída, novamente, entre os grandes times do futebol brasileiro e se mantiver a base atual já pode ser considerado como um dos favoritos para a conquista da Série A do Brasileirão deste ano. Afinal, não é todo dia que o São Paulo perde 2 jogos seguidos para o mesmo time em apenas uma semana, não é mesmo?

E mais uma vez o artilheiro e campeão mundial Ronaldo calou a boca do dirigente são-paulino que disse, durante a semana passada, que ele era um 'ex-jogador em atividade'. Ronaldo participou dos 2 lances de gols do Corinthians no jogo de hoje e teve uma excelente atuação, sendo decisivo para a vitória do Timão.

Semi-finais do Campeonato Paulista 2009!!


O Santos é o time mais sortudo do Mundo! Explico: enfrentou o Palmeiras quando este se encontrava numa fase ruim e por vários motivos:

1) O Palmeiras não tem um banco de reservas à altura dos titulares. A diferença entre titulares e reservas é abissal. Sai Cleiton Xavier, um bom jogador,não pôde jogar ontem, pois estava suspenso, e entra quem em seu lugar? Evandro, que não jogou nada!… Assim não dá! E o Ortigoza está mais para Coalhada, mesmo, em termos de qualidade do seu futebo;

2) A zaga do Palmeiras é uma piada… Até o Juventus da Rua Javari, que caiu para a série A-3 do Paulista, infelizmente, deve ter uma zaga melhor do que a da porcada do Palestra Itália;

3) O Santos subiu de produção na hora certa e o Vágner Mancini comprovou que é um excelente técnico, botando ordem na casa Quando ele chegou ao Santos os jogadores estavam se estapeando, brigando entre eles. Agora, o grupo está unido e embalou. Pode até não ser Campeão, mas com certeza o Santos não fará campanhas tão ridículas quanto as do ano passado. O Santos voltou a ser, de verdade, um time de futebol.

4) E é muito provável que teremos uma final alvinegra no Paulistão deste ano. O São Paulo somente ganhará do Timão se este jogar muito mal e a arbitragem der uma grande ajuda para o tricolor do Morumbi. Senão, o Timão já é o finalista.

Ainda mais depois que o cartola patético do São Paulo foi mexer com o Ronaldo. Note que o Ronaldo não deu resposta alguma para a patética provocação do cartola são-paulino. Sabe porque? Porque o Ronaldo irá dar a resposta dentro do campo.

Acredito que o Timão irá ganhar por 3 X 1, isso se a arbitragem não voltar ajudar o São Paulo, tal como ocorreu no jogo da semana passada (quando Miranda fez um gol impedido e ainda cometeu falta escandalosa no lance) , no jogo contra o Defensor (com um gol impedido de Borges), contra o São Caetano (foram 2 gols impedidos do São Paulo), contra o Botafogo de Ribeirão Preto (o juiz anulou um gol legítimo do tricolor de Ribeirão Preto quando o mesmo jogava melhor e a partida estava empatada em 1 X 1), contra o Goiás na última rodada do Brasileirão (com aquele gol em que o Borges estava impedido de maneira escandalosa) e por aí vai…

Além disso, este é um jogo de fase final de campeonato e o São Paulo ganhou pela última vez do Timão neste tipo de situação no Campeonato Paulista do ano 2000, há longos 9 anos atrás. Depois, o Timão faturou todas em cima do tricolor do Morumbi: semi-final da Copa do Brasil de 2002, Final do Rio-São Paulo de 2002, Final do Paulistão de 2003 (2 vitórias do Timão por 3 X 2).

Além disso, o Corinthians têm um retrospecto bastante favorável, contra o São Paulo, em jogos disputados no Morumbi e o tricolor paulista irá jogar desfalcado de Rogério Ceni, Zé Luíz, Arouca e André Dias. E futebol por futebol, o Timão jogou muito mais na última partida, disputada no Pacaembu e na qual Cristian fez o gol da vitória.

Assim, entendo que, por tudo isso, o Timão é o favorito no jogo de hoje. E o Ronaldo fará 2 gols.

sábado, 18 de abril de 2009

O governo Obama e as relações com Cuba! - por Marcos Doniseti!


O governo Obama e as relações com Cuba! - por Marcos Doniseti!

O jornalista Luiz Carlos Azenha escreveu, em seu blog, que o 'Bloqueio' dos EUA contra Cuba fracassou. E estou de pleno acordo com o que ele disse. E o fracasso se deu porque o 'Bloqueio' não conseguiu atingir o seu objetivo, que era derrubar o governo revolucionário liderado por Fidel Castro. Este, sobreviveu a inúmeros Presidentes estadunidenses, como Kennedy, Lyndon Johnson, Nixon, Ford, Carter, Reagan, Bush pai, Clinton e Bush Jr.

E o 'Bloqueio' a Cuba além de não ter conseguido atingir o seu objetivo, ou seja, de inviabilizar a manutenção no poder do governo revolucionário liderado por Fidel Castro, sempre foi de uma total e absoluta hipocrisia, pois enquanto os EUA bloqueavam totalmente ao regime Socialista cubano, os governos ianques mantinham relações econômicas, políticas, diplomáticas, comerciais, esportivas, etc, normais com outros países também Socialistas, como era o caso da URSS, Polônia, Hungria, Romênia, China e, mais recentemente, até com o Vietnã.

Isso mostra que os motivos do 'Bloqueio' não eram ideológicos, mas atendiam a outros interesses, muitos deles internos, dos próprios EUA, e também de política externa. A questão é que o exemplo cubano, de proclamar a sua independência política, econômica, comercial, diplomática, em relação aos EUA, não podia, na visão dos governos ianques, prosperar de forma alguma pela América Latina e pelo então Terceiro Mundo.

Era fundamental, na visão dos EUA, 'cortar o mal pela raiz' e impedir que outros países, principalmente latino-americanos, seguissem o exemplo cubano. E foi por isso que os EUA iniciaram uma política de agressões crescentes ao governo revolucionário cubano, promovendo o 'Bloqueio' econômico, político, comercial, etc, total à ilha caribenha, que seguira um caminho que não era o da total e absoluta submissão aos EUA, tal como ocorria, em grande parte, em muitos países da América Latina.

Atentados terroristas, assassinatos, sabotagens contra a economia cubana, a invasão da Baía dos Porcos, tudo isso demonstrava que os EUA estavam dispostos a tudo para destruir com o regime revolucionário cubano que, no início, tinha um caráter muito mais nacionalista e reformista.

A opção pelo Socialismo foi algo que resultou, justamente, desta política de agressões covardes e criminosas perpetradas pelos governos imperialistas dos EUA contra a pequena ilha caribenha e o seu povo, que ousavam seguir o caminho da independência e da soberania nacional.

Assim, para os EUA, era essencial manter a América Latina como o 'seu quintal' e fazer com que os governos da região se submetessem às ordens e políticas determinadas por Washington.

E foi justamente por isso que, nos anos seguintes, tivemos inúmeros Golpes de Estado apoiados, organizados e financiados pelos EUA em toda a América Latina, em países como Argentina, Brasil, Chile, Uruguai, Peru, Paraguai, Bolívia. As ditaduras militares se espalharam por toda a América Latina, sendo totalmente apoiadas e sustentadas pelo 'Ouro de Washington'.

Além disso, e como qualquer pessoa bem informada sobre a Revolução Cubana sabe, a política agressiva dos EUA contra o governo liderado por Fidel acabou por unir todo o povo cubano em torno do seu governo revolucionário.

Tempos atrás assisti a um documentário em que um ex-assessor do governo John Kennedy disse que, na Conferência de Punta del Este de 1962, ele se encontrou com Che Guevara e o mesmo agradeceu ao governo dos EUA por ter promovido a Invasão da Baía dos Porcos, pois tal iniciativo do governo dos EUA havia unido o povo cubano em torno do governo revolucionário. E o próprio então assessor de Kennedy admitiu que Che estava com a razão.

Portanto, a política do 'Bloqueio' fracassou completamente quanto à sua finalidade política, de derrubar o governo revolucionário cubano. E sem falar que tal política jogou Cuba nos braços da URSS, pois esta passou a ser o grande mercado consumidor do açúcar cubano e se tornou o grande fornecedor de petróleo e de armas para o governo da ilha caribenha.

E embora as guerrilhas que se espalharam pela América Latina nos anos 60/70, principalmente, tenham sido derrotadas, o fato é que após o colapso e total fracasso do Neoliberalimo na região, o governo dos EUA viu assistir à emergência de inúmeros governos de orientação Esquerdista em toda a América Latina, processo este que se iniciou com a eleição de Hugo Chávez como Presidente da Venezuela em 1998 e que depois chegou ao Brasil (com as vitórias de Lula em 2002 e em 2006), Chile (vitórias dos candidatos Socialistas Ricardo Lagos e Michele Bachelet), Bolívia (vitória de Evo Morales), Equador (vitória de Rafael Correa), Uruguai (vitória de Tabaré Vásquez), Paraguai (vitória de Fernando Lugo), Nicarágua (vitória de Daniel Ortega), Guatemala (vitória de Alvaro Colom) e, agora, até em El Salvador, com a vitória, pela primeira, de um candidato da FMLN, Maurício Funes, apoiado principalmente pelo governo Lula, sendo que Funes é, inclusive, casado com uma brasileira que representa o PT na América Central e que teve em João Santana como o seu marqueteiro. Santana também foi o marqueteiro de Lula na vitoriosa campanha presidencial de 2006.

Assim, embora a Revolução Cubana tenha, durante muito tempo, ficaso isolada, sendo até expulsa da OEA por pressão dos EUA, hoje o exemplo cubano de independência, soberania e construção de uma sociedade mais justa e igualitária acabou dando inúmeros frutos.

Afinal, pode-se destruir com uma flor, mas não se pode impedir que venha a Primavera.

E como dizia o Eterno Comandante Che Guevara: Hasta La Victoria, Siempre!

Estudo comprova avanços sociais da Venezuela no governo de Hugo Chávez!


Publico abaixo trechos de um estudo recente, publicado em Fevereiro deste ano, e que comprova os inúmeros avanços econômicos e sociais ocorridos na Venezuela durante o governo de Hugo Chávez. Após o mesmo, postei o link que dá acesso ao estudo em questão.


El gobierno de Chávez después de 10 años: Evolución de la economía e indicadores sociales • 3

Resumen ejecutivo

En este informe se evalúan brevemente algunos de los indicadores económicos y sociales más importantes durante los diez años del gobierno de Chávez, así como también la expansión económica actual. Asimismo, en el informe se analiza la situación actual y los desafíos que Venezuela enfrenta.

Algunos avances destacables:
��
La expansión económica actual comenzó cuando el gobierno obtuvo el control de la empresa nacional de petróleo en el primer trimestre de 2003. Desde entonces, el PIB real (corregido por la inflación) se ha incrementado por casi el doble, al crecer en un 94,7 por ciento en 5,25 años, lo que equivale a un ritmo anual de 13,5 por ciento.
��
La mayor parte de este crecimiento se ha dado en el sector no petrolero de la economía y además, el sector privado ha crecido a un mayor ritmo que el sector público.
��
Durante la expansión económica actual, la tasa de pobreza se ha reducido en más de la mitad, desde un 54 por ciento de hogares en pobreza en el primer semestre de 2003 hasta el 26 por ciento a finales del año 2008. La pobreza extrema ha disminuido aún más, en un 72 por ciento. Estos índices de pobreza están basados solamente en el ingreso en efectivo de las personas y por ende, no toman en cuenta el mayor acceso a los servicios de salud o educación.
��
A lo largo de toda la década, el porcentaje de hogares en condiciones de pobreza se ha reducido en un 39 por ciento y el que se encuentra en extrema pobreza por más de la mitad.
��
La desigualdad, medida a través del índice de Gini, también ha disminuido sustancialmente. El índice ha caído hasta el 41 por ciento en 2008, desde 48,1 por ciento en 2003 y desde 47 por ciento en 1999. Esto representa una caída importante en la desigualdad.
��
El gasto social real (corregido por la inflación) por persona se ha incrementado por más de tres veces entre 1998 y 2006.
��
Entre 1998 y 2006, la mortalidad infantil disminuyó por más de un tercio. El número de doctores de atención primaria en el sector público se multiplicó por 12 veces entre 1999 y 2007, brindando así servicios de atención médica a millones de venezolanos que antes no tenían acceso a estos servicios.
��
Se han dado grandes avances en la educación, particularmente en la educación superior, con un incremento en los índices de escolarización en ese sector de más del doble entre los años escolares de 1999-2000 y 2007-2008.
��
El mercado laboral también ha registrado importantes mejoras durante la última década. El desempleo ha caído desde un 11,3 por ciento hasta el 7,8 por ciento. Durante la expansión actual se ha reducido en más de la mitad. Otros indicadores del mercado laboral también han registrado avances sustanciales.
Center for Economic and Policy Research • 4
��
Durante la última década, el número de beneficiarios del sistema de seguridad social aumentó por más del doble.
��
A lo largo de la década, la deuda pública total del gobierno ha disminuido desde 30,7 a 14,3 por ciento del PIB. La deuda pública externa se ha reducido en un mayor porcentaje, desde 25,6 a 9,8 por ciento del PIB.
��
La inflación se encuentra a un nivel similar que hace 10 años, finalizando el año pasado en 31,4 por ciento. Sin embargo, la inflación (medida en promedios trimestrales) registró un descenso durante el último semestre y probablemente continúe esa tendencia este año dadas las fuertes presiones deflacionarias a nivel mundial.

La situación actual y los desafíos:

El desafío más importante de Venezuela a corto plazo es, al igual que para muchos otros países, la recesión económica mundial, la cual afecta a la economía del país primordialmente a través de los precios del petróleo, que han caído en alrededor de un 70 por ciento desde su punto más alto en julio del año pasado. A un precio por debajo de 45 dólares por barril para el petróleo venezolano, Venezuela comenzaría a registrar niveles deficitarios en su cuenta corriente. Sin embargo, dado que Venezuela tiene aproximadamente unos 82 mil millones de dólares en reservas, el país podría financiar un modesto déficit en cuenta corriente por algún tiempo – por ejemplo, aún si el precio del petróleo se mantuviese a los bajos niveles a los que se encuentra en la actualidad durante los próximos dos años.

Pero analistas y los mercados de futuros no predicen que los precios del petróleo permanezcan a los niveles actuales por mucho tiempo: los mercados de futuros colocan el precio del petróleo en 60 dólares por barril para diciembre de 2010.

Siendo improbable que tenga limitaciones por la balanza de pagos, el principal desafío para Venezuela en un futuro cercano será el de diseñar un programa de estímulo fiscal adecuado. A mediano plazo, el país querrá también ajustar su tipo de cambio hasta lograr un nivel más competitivo para diversificar su economía y disminuir así su dependencia del petróleo. Sin embargo, debido a un nivel amplio de reservas, es improbable que el gobierno sufra una devaluación forzada en el futuro previsible.


http://www.cepr.net/documents/publications/venezuela-2009-02_spanish.pdf

domingo, 12 de abril de 2009

Brasil e China iniciam retomada do crescimento!


A julgar por duas notícias divulgadas hoje, o Brasil e a China podem ser os primeiros países a iniciar um processo de retomada do crescimento econômico. Postei as duas notícias no blog do Nassif e ele abriu um tópico sobre as mesmas. Aliás, Nassif é o jornalista que demonstra ter maior respeito pelos seus leitores e é o mais democrático de todos, também. Nota 10 para o Nassif!

E as duas notícias são:

Indústria dá sinais de recuperação


Mercado interno impulsiona fábricas e a produção começa a indicar que o pior da crise pode ter ficado para trás

Márcia De Chiara

indústria brasileira começa a dar sinais de recuperação no primeiro trimestre deste ano, após queda generalizada nos pedidos recebidos em dezembro. Um mapeamento feito com base na Sondagem da Indústria de Transformação da Fundação Getúlio Vargas (FGV) revela que a retomada da demanda está concentrada na produção de bens cujo consumo depende da renda do trabalhador, como alimentos, e da indústria automobilística, que teve o corte de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) renovado.

Em dezembro, no ápice da crise, todos os 14 setores pesquisados pelo estudo feito a pedido do Estado registraram queda na demanda global em relação a setembro. A demanda global inclui os pedidos para mercado interno e externo. Já em março, sete setores saíram do terreno negativo na demanda global na comparação com dezembro, observa o responsável pela área técnica da sondagem, Jorge Ferreira Braga.


http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20090412/not_imp353411,0.php


China registra crescimento industrial de 8,3% em março

Empréstimos em yuan atingiram novo recorde em março, indicando melhora do crédito para economia doméstica


PEQUIM - A economia da China voltou a dar sinais de crescimento em muitos setores em março, embora ainda esteja encontrando dificuldades com a queda na demanda global em função da crise, afirmou o primeiro ministro da China, Wen Jiabao, neste sábado, 11, depois do cancelamento da cúpula asiática na Tailândia.

Segundo ele, a produção industrial chinesa cresceu 8,3% em março em relação ao mesmo período do ano passado. O crescimento do primeiro bimestre de 2009 em relação ao mesmo período de 2008 foi de 3,8%. O crescimento do primeiro trimestre ficou em 5% em relação ao ano anterior, informou Jiabao. Apesar de significativo, o crescimento industrial de março é menor que o registrado em fevereiro, que ficou em 11%.

http://www.estadao.com.br/economia/not_eco353286,0.htm



Obs: O mais interessante de tudo é que a recuperação se inicia justamente em 2 países que sempre foram duramente atacados pelos Neoliberais, pois os seus governos não seguiam à risca as recomendações defendidas pelos adeptos do livre-mercado. A China, por exemplo, ainda controla o processo de entrada e saída de capitais e mantém a sua moeda artificialmente desvalorizada, a fim de beneficiar as exportações.

E o governo Lula aumentou de forma considerável os investimentos públicos em infra-estrutura e na área social, duas práticas também condenadas pelos Neoliberais, que dizem que o mercado resolve tudo sozinho. A manutenção pelo Estado brasileiro de bancos e instituições públicas (como o Banco do Brasil, o BNDES, a CEF, a Embrapa, a Petrobras) também está sendo fundamental neste momento de total falência do Neoliberalismo e das políticas de Livre-Mercado no mundo todo.

Logo, são justamente os dois países que mantiveram a capacidade do Estado de continuar intervindo na economia e na área social os que estão se recuperando em primeiro lugar. Já naqueles países onde as políticas neoliberais foram aplicadas de forma muito mais intensa a recuperação irá demorar muito mais.

Deve ser 'mera coincidencia', não é mesmo?





sábado, 11 de abril de 2009

Governo Lula reduziu fortemente a dívida pública e o gastos com juros!


Vivo lendo números totalmente equivocados a respeito da dívida pública pela Internet afora. Atualmente, ela é de R$ 1,38 Trilhão, sendo que ela foi feita, basicamente, antes do governo Lula. Quando Lula tomou posse ela já estava em R$ 880 Bilhões e representava 55,5% do PIB. Hoje, a dívida pública representa 36% do PIB. Assim, tivemos uma queda significativa na relação dívida/PIB durante o governo Lula, portanto.


Além disso, os gastos com juros da dívida pública caíram de 9,3% do PIB, em 2003, para 5,6% do PIB em 2008 , uma queda de quase 40%, portanto. Como em 2008 o PIB brasileiro foi pouco superior a R$ 2,9 Trilhões e o pagamento de juros da dívida pública foi de R$ 162 Bilhões, basta fazer as contas e notar que o pagamento de juros absorve uma parcela cada vez menor do PIB a cada ano que passa.

Mas, é claro que os economistas em geral, tanto à Esquerda, como à Direita, não reconhecem tais avanços e muitos continuam batendo nesta tecla e defendem, mesmo que de maneira velada, o calote no pagamento da dívida pública, algo que traria consequências fortemente negativas para a economia do país.

Já o déficit público nominal (que inclui as despesas públicas com pagamento de juros da dívida pública) caiu de 4% do PIB, em 2002, para 1,5% do PIB em 2008.


E os gastos sociais públicos já representam 18% do PIB brasileiro, mais do que o triplo do que se gasta com o pagamento dos juros da dívida pública, portanto.

A participação da renda do trabalho na renda nacional, segundo o economista Márcio Pochmann, voltou a aumentar durante o governo Lula, algo que não acontecia desde 1990, ou seja, há quase 20 anos.

O salário mínimo acumulou um aumento real de 46% no governo Lula.

O grau de formalização do mercado de trabalho também cresceu consideravelmente. Como resultado disso, cresceu a arrecadação da Previdência Social, o que permitiu equilibrar o Orçamento da mesma. Aliás, o tal 'déficit da Previdência' é uma mentira deslavada, pois tal déficit somente ocorre quando de inclui no Orçamento da Previdência Social despesas que são típicas da Assistência Social. E o Orçamento da Seguridade Social (que inclui Previdência Social, Assistência Social e Saúde) também apresenta até um pequeno superávit.

Como resultado de todos estes avanços ocorridos no Brasil nos últimos anos, o país foi o último país a entrar em crise, apenas no último trimestre de 2008 (nos EUA ela começou em meados de 2007) e será o primeiro a sair da mesma. Indicadores da produção industrial relativos ao primeiro trimestre deste ano já demonstram isso claramente.

E em meio a pior crise econômica e financeira global dos últimos 100 anos, o Brasil está mantendo a inflação baixa, a cotação do dólar já está em queda, a Bolsa de Valores já iniciou um processo de recuperação e, basicamente, os setores mais afetados pela crise são aqueles que dependem do mercado externo, pois a crise atingiu em cheio as maiores economias do mundo e seus mercados consumidores desabaram.

Enquanto isso, os setores da economia que dependem do mercado interno continuam crescendo.

Assim, o Brasil sairá desta crise muito antes da imensa maioria dos países e será um dos menos afetados pela mesma.

Henrique Meirelles e a recuperação econômica do Brasil no Governo Lula!


Afinal, qual foi o papel do presidente do BC, Henrique Meirelles, na recuperação da economia brasileira que tivemos no Governo Lula? A meu ver, ele não teve papel algum nesta tarefa. Ele apenas manteve os juros num patamar suficiente para impedir que a inflação fugisse do controle e isso qualquer imbecil faz.

A recuperação da economia brasileira deve-se, basicamente, a radical mudança da política de comércio exterior promovida pelo governo Lula, que direcionou a mesma para os mercados emergentes (China, India, Rússia, América Latina, Oriente Médio, África, Leste Europeu). É por isso que, hoje, a América Latina é a região do planeta que mais importa do Brasil e que a participação dos EUA caiu para apenas 15% do total exportado pelo Brasil.

Há poucos anos, os EUA representavam 1/3 de todas as nossas exportações. Imaginem se isso tivesse se mantido inalterado durante o governo Lula com toda esse Depressão econômica que, agora, atinge a economia dos EUA? O Brasil estaria, hoje, sofrendo de uma forma muito mais intensa os efeitos da crise global.

E foi essa radical mudança na política de comércio exterior que permitiu ao Brasil acumular um superávit comercial de US$ 215 Bilhões no governo Lula (contra um déficit comercial acumulado de US$ 8,7 Bilhões no governo FHC). E é por isso que, hoje, temos reservas internacionais líquidas de US$ 200 Bilhões. E são tais reservas que dão segurança e tranquilidade ao país em meio à pior crise econômica global dos últimos 100 anos.

Aliás, o acúmulo destas reservas pelo governo Lula foi duramente criticada tanto pela Esquerda radical, como pela Direita tucanalha-demoníaca. Os imbecis, tanto da Esquerda como da Direita radicais, diziam que o governo Lula estava trocando 'dívida com juros baixos', a externa, por 'dívida com juros altos', a interna, ignorando o caráter estabilizador das reservas internacionais quando estourasse alguma eventual crise. E o acúmulo destas reservas somente foi possível devido ao superávit comercial acumulado durante os 6 primeiros anos de governo Lula. E tal superávit é resultado direto das mudanças que Lula implementou na política de comércio exterior.

E qual foi a participação de Henrique Meirelles nesta história toda? Nenhuma. Afinal, o BC brasileiro têm apenas a função de manter a estabilidade da moeda e de fiscalizar o sistema financeiro. Mais nada! A política de comércio exterior não é da alçada do Banco Central e nem, portanto, de Henrique Meirelles. Tal mudança foi resultado de uma política de governo. Logo, o responsável pela mesma foi o Presidente Lula, que têm todos os méritos neste aspecto, portanto.



Lula recebe Centrais Sindicais e diz que combaterá crise setor por setor!


O Presidente Lula recebeu, nesta semana, os representantes das Centrais Sindicais brasileiras e afirmou para os mesmos que irá combater os efeitos da crise global 'setor por setor'.

Em resposta às reivindicações das Centrais Sindicais, tivemos a seguinte reação do Presidente Lula:

"Lula não apenas concordou como a análise das centrais como também orientou os ministros a agilizar as próximas reuniões. Conforme relato de sindicalistas presentes à audiência desta quarta-feira, o presidente afirmou que o Brasil está mais bem preparado que em momentos anteriores para enfrentar uma crise de tamanha envergadura. “Alguns setores já estão melhorando e, em março, houve mais contratações do que demissões no mercado formal”.".


Assim, novas reuniões com as Centrais Sindicais serão realizadas a fim de se avaliar o andamento da crise e os resultados das medidas adotadas pelo governo para combatê-la.

Agora, me respondam: quando é que um Presidente da República, anterior à Lula, recebia os representantes das Centrais Sindicais, dialogava com os mesmos, ouvia as suas reivindicações e, ainda, concordava com elas?

Nos tempos trágicos do governo FHC as Centrais Sindicais e os movimentos sociais eram tratados como integrantes de movimentos criminosos.

Agora, felizmente, temos um Presidente que dialoga com os movimentos sociais, ouve as suas revindicações e os trata com o devido respeito, algo que nunca aconteceu, por exemplo, nos 8 anos catastróficos de governo FHC.


http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=54007



Hobsbawm diz que Lula é o verdadeiro introdutor da Democracia no Brasil!!


O site 'Vermelho' publicou uma excelente entrevista concedida originalmente pelo historiador britânico Eric Hobsbawm ao jornal argentino 'Página 12'.

Abaixo, publico um trecho muito interessante da mesma.



"- Então as coisas parecem ser como você pensa, professor. E, como em outros lugares do mundo, o pensamento da extrema direita aparece, por exemplo, com a crispação sobre a segurança e a insegurança das ruas.


- Sim, a América Latina é interessante. Tenho essa intuição. Pense num país maior, o Brasil. Lula manteve algumas idéias de estabilidade econômica de Fernando Henrique Cardoso, mas ampliou enormemente os serviços sociais e a distribuição. Alguns dizem que não é suficiente...


- E você, o que diz?


- Que não é suficiente. Mas que Lula fez, fez. E é muito significativo. Lula é o verdadeiro introdutor da democracia no Brasil. E ninguém o havia feito nunca na história desse país. Por isso hoje tem 70% de popularidade, apesar dos problemas prévios às últimas eleições. Porque no Brasil há muitos pobres e ninguém jamais fez tantas coisas concretas por eles, desenvolvendo ao mesmo tempo a indústria e a exportação de produtos manufaturados. A desigualdade ainda assim segue sendo horrorosa. Mas ainda faltam muitos anos para mudar as cosias. Muitos.


http://www.vermelho.org.br/base.asp?texto=53413



sexta-feira, 10 de abril de 2009

TV Record detona ''Ditabranda" da 'Folha' em reportagem imperdível!!


A Rede Record simplesmente arrasou numa reportagem absolutamente brilhante a respeito da 'Folha de S.Paulo' que, recentemente, disse que a Ditadura Militar brasileira foi uma 'ditabranda'.

Para quem quiser assistir à reportagem na íntegra, então clique no link abaixo.


Link:


http://www.youtube.com/watch?v=1fsPfr6TvUQ

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Meu comentário no blog do Azenha sobre a 'encruzilhada do Governo Lula'!!


Eu iria comentar os principais pontos do texto do Azenha, mas o 'trombeta' já disse quase tudo o que eu iria escrever.

Discordo apenas, em relação ao que o 'trombeta' escreveu, quanto ao fato do Governo Vargas ter superado o de Lula. Temos que relativizar tal comparação, pois as grandes realizações de Getúlio se deram na época do Estado Novo, ou seja, sob uma Ditadura brutal, algo que não aconteceu no governo Lula, que governou o país sob um ambiente totalmente democrático.

E no único período em que Vargas governou de forma democrática ele sequer conseguiu terminar o seu mandato, tendo sido derrubado em 1954 por um Golpe de Estado.

Jango foi outro Presidente que adotou medidas importantes (criação da Eletrobras, do Estatuto do Trabalhador Rural, etc) e que também foi derrubado por um Golpe de Estado.

E JK foi um Presidente desenvolvimentista, mas com uma orientação política bem menos progressista do que as de Vargas e Jango.

Assim, os únicos Presidentes que, antes de Lula, tentaram mudar o país acabaram derrubados por Golpes de Estado.

Se Lula conseguir terminar os seus 8 anos de governo sem ser derrubado e tendo promovido reformas moderadas, porém significativas, já terá superado Vargas e Jango e poderá ser considerado, tranquilamente, o melhor Presidente da História do Brasil.

Afinal, mudar um país governando de forma ditatorial, isso eu também faço. Quero ver fazer isso mantendo-se e respeitando-se o sistema democrático.

A equivocada 'fulanização' da política e o brilhante comentário do 'trombeta'!


O jornalista Luiz Carlos Azenha publicou um texto bastante instigante em seu blog, que é 'O governo Lula diante da encruzilhada', na qual faz uma série de comentários a respeito dos limites das mudanças promovidas pelo governo do líder petista.

Azenha critica o fato de que o governo Lula não fez maiores mudanças em áreas como a das comunicações, setor no qual os grandes grupos empresariais mantém o seu domínio, embora a audiência de uma 'Rede Globo' esteja despencando nos último anos e a Internet esteja se disseminando pelo Brasil afora, crescendo a taxas anuais de dois dígitos.

Creio que Azenha, um jornalista que respeito muito, comete um equívoco em seu comentário, que também é repetido por muitas outras pessoas, que é o de promovar uma certa 'fulanização' do debate político. O que é isso? é atribuir a uma única pessoa um poder gigantesco, imenso, de mudar e de transformar a realidade e que, na verdade, ela não possui.

Azenha parece esquecer que vivemos, hoje, ainda bem, num país democrático, onde temos a divisão dos poderes, pluripartidarismo, liberdade de imprensa, e onde existem claros e nítidos limites para o poder do Presidente da República.

Ainda mais que o Brasil possui uma Constituição que limitou enormemente os poderes do Presidente da República. A Constituição de 1988 é, claramente, Parlamentarista e transferiu ao Congresso Nacional inúmeros poderes, como o de aprovar ou rejeitar o Orçamento da União, de aprovar ou rejeitar qualquer medida provisória, projeto de lei, emenda constitucional ou qualquer outro projeto que tramite na casa. Até mesmo o presidente e os diretores do Banco Central precisam ser aprovados pelo Senado para que possam ser nomeados. O Presidente da República faz apenas a indicação dos seus nomes, mas é o Senado quem decide se eles irão ocupar tais cargos ou não.

E muitos parlamentares seguem as orientações de determinadas lideranças do país. Assim, os governadores de estado, por exemplo, controlam o voto de inúmeros deputados e senadores. Se os governadores dos estados mais importantes se unirem eles terão condições de, virtualmente, paralisar o Congresso Nacional. Aliás, os partidos de oposição ao governo Lula usam deste recurso com grande frequência, impedindo que o Congresso vote qualquer coisa durante vários meses seguidos.

Em 2006, chegou-se ao absurdo do Congresso ter se recusado a votar o Orçamento da União e isso foi feito pelo PSDB/PFL/PPS apenas com o objetivo de impedir que o governo Lula fizesse investimentos públicos que trariam, supostamente, benefícios eleitorais aos mesmos.

Também temos bancadas inteiras que defendem os interesses de interesses específicos da sociedade, como a 'bancada ruralista', a 'bancada dos bancos', a 'bancada dos empreiteiros', a 'bancada dos planos de saúde privados' e assim por diante.

Além disso, o sistema partidário brasileiro é caótico e ultra-fragmentado, existindo cerca de 37 partidos políticos registrados no país e metade deles possui representação no Congresso Nacional.

Assim, qualquer pessoa que se eleja Presidente da República terá que, obrigatoriamente, negociar com as mais variadas forças políticas do país para aprovar qualquer projeto de seu interesse no Congresso Nacional.

O Brasil, hoje, é um país muito diferente daquele que é representado pela figura acima, na qual um 'Coroné' vigiava o eleitor para que o mesmo votasse no candidato indicado por ele. Ainda encontraremos situações deste tipo pela país afora, mas temos muito mais independência e autonomia para tomar as nossas decisões hoje do que acontecia, digamos, há 100 anos atrás.

E mesmo com tudo isso eu ainda sou obrigado a ler comentários como os do Azenha, que atribuem tudo que tem de errado no país a uma única pessoa, ou seja, ao Presidente da República.

Isso é uma visão totalmente equivocada da política, pois ignora os inúmeros conflitos existentes na sociedade, bem como as leis do país que limitam os poderes do Presidente da República, a força limitada dos movimentos sociais em nosso país, a fragmentação política-partidária existente, a força dos governadores de estado, a força do poder econômico que exerce um poder imenso no Congresso Nacional, na sociedade brasileira e que controla a mídia do país.

Enfim, creio que isso de atribuir, como faz Azenha de forma equivocada, tanto poder a uma única pessoa, o Presidente da República, é um equívoco.

O Brasil é um país democrático e, portanto, todas as mudanças são negociadas, o que faz com que elas se processem de forma muito mais lenta, embora de forma mais consistente e duradoura, pois quando uma idéia ou política se consolida numa sociedade democrática é muito difícil desmontá-la ou destruí-la, jogando-a na lata de lixo da História.

Vejam que o ex-Presidente FHC disse que queria enterrar a "Era Vargas". Felizmente ele não conseguiu e é justamente por isso que o Brasil é, hoje, o país menos afetado pela crise global, pois é graças à atuação de instituições públicas como o BNDES, a Petrobras, o Banco do Brasil, a CEF, entre outras, que o país está resistindo muito mais à crise do que países que privatizaram quase que totalmente as suas economias, reduzindo drasticamente a intervenção estatal nas mesmas.

Assim, é devido à herança da 'Era Vargas' que o Brasil consegue resistir com muito mais força à pior crise econômica em mais de 100 anos, enquanto que países como os EUA afundam na pior Depressão Econômica desde a década de 1930.


De todos os comentários postados no blog do Azenha a respeito do texto em questão, creio que o melhor foi de um internauta que se denomina 'trombeta', e que escreveu o seguinte:



"Caro Azenha, a sua análise é instigadora, portanto boa!

1) Onde está a militância do PT? cuidando da própria vida. Hoje na casa dos 40/50 anos mas teve razoável renovação.

2) Qual partido político não trabalha para continuar no poder?
se alguém souber essa resposta me diga!

3) Concordo, Lula é um conciliador.
Quem veio primeiro, o ovo ou a galinha? quem influencia quem? um presidente com discurso forte ou o povo na rua exigindo ousadia à esquerda do presidente? fico com a segunda opção.

4) Lula faz o jogo da elite? eu diria que Lula trabalha com a co-relação de forças que temos para o momento, ainda assim fez mais do que todos os outros somados com exceção de Getúlio Vargas.

5) Stédile? a perspectiva de Stédile é revolucionária, ele quer transformar a sociedade na marra, esse tempo já passou, seria bom mas o período das revoluções ficaram para trás.

6) Meireles? Meireles é o símbolo do acordo com a banca, para eles se sentirem mais seguros num capitalismo administrado por um sindicalista esquerdista, como dia Bam-bam faz parte.

7) A minha observação à sua análise e de outros é o simplismo como solução, então numa sentada vamos dar um pé bem no meio da bunda do Meireles, tirar da cartola uma mídia novinha em folha só com jornalistas competentes e bem intecionados como Azenha, Rodrigo Vianna, Nassif e cia.

8) O fato é que as transformações sociais dentro de um ambiente democrático não tem a rapidez que a freguesia exige."

Disse tudo, o tal de 'trombeta'.


Link com o texto do Azenha:



http://www.viomundo.com.br/opiniao/o-governo-lula-diante-da-encruzilhada/

sexta-feira, 3 de abril de 2009

'Che': Um filme imperdível!


Fui assistir, nesta quarta-feira, à primeira parte do filme 'Che'. Nesta, é mostrada a participação do líder revolucionário argentino-cubano na Revolução Cubana. Ao mesmo tempo, são mostradas cenas do discurso e da participação de Che na Assembléia Geral da ONU e em entrevistas feitas nos EUA na mesma época.


O filme deixa a clara a transformação do Che médico e guerrilheiro inexperiente num líder e comandante guerrilheiro capaz e respeitado por todos, a cuja autoridade ninguém contesta.


'Che' também mostra, de forma clara, que a Revolução Cubana não foi um movimento de caráter socialista, mas de natureza Nacionalista e Reformista. Fica nítido que a principal influência teórica e intelectual sobre Fidel e a maioria dos líderes revolucionários não era Marx, Engels e nem Lênin, mas José Martí, intelectual e político cubano que liderou a luta pela independência do país na guerra contra a Espanha em 1898.


Também temos momentos de humor, como aquele em que uma camponesa cubana, na Sierra Maestra, procura por Che porque ele estava dando atendimento médico à população e ela diz para Che que o procurou porque nunca havia visto um médico na vida.


O filme, nesta primeira parte, é totalmente centralizado na participação de Che na guerrilha cubana e mostra o quanto ele se transformou neste processo. De um guerrilheiro que, num primeiro momento, hesitava em impor a sua autoridade, por ser argentino ou ainda inexperiente, ou uma soma dos dois motivos, ele se transforma num líder guerrilheiro e comandante de autoridade incontestável, seguro de si e que até chega a agir em desacordo com as ordens que recebe de Fidel Castro, como quando este lhe disse para não participar dos combates e não ficar na linha de fogo, ordem esta que Che desrespeitou totalmente, participando intensamente de uma das principais batalhas da Revolução Cubana, que foi a de Santa Clara.
Também é imperdível a pequena, porém significativa, participação do personagem Camilo Cienfuegos, um dos principais líderes da Revolução Cubana, que era marcado por uma fina e inteligente ironia, fazendo piadas com tudo e com todos, inclusive com o próprio Che. Cienfuegos representava a faceta mais bem humorada da Revolução Cubana e era um piadista incorrigível.
Enquanto isso, o filme mostra que Fidel era claramente o líder pragmático, que fazia acordos políticos duvidosos, fato pelo qual ele foi questionado pelo Che, pois este temia que a Revolução acabasse sob o comando das pessoas erradas, ao que Fidel retrucou que isto nunca aconteceria, como de fato não aconteceu.


Enfim, 'Che' é imperdível, vale a pena conferir, sem dúvida alguma, e torço para que a 2a. parte seja exibida o quanto antes nos cinemas brasileiros.



Quem quiser ver o trailer do filme, clique no link abaixo:


http://cinema.uol.com.br/ultnot/multi/2009/03/26/04023160C0C18326.jhtm?trailer-do-filme-che-04023160C0C18326

Governo Lula já investiu R$ 475 Bilhões (17% do PIB) contra os efeitos da crise global!


O governo Lula já injetou R$ 475 Bilhões na economia nacional, com a finalidade de combater os efeitos da crise global. Esse valor representa cerca de 17% do PIB brasileiro. Isso mostra que o discurso da oposição de culpar o governo federal pela crise é totalmente falso, desonesto e mentiroso!


Primeiro, porque a crise não começou no Brasil, mas nos EUA e nos países ricos e, depois, se espalhou pelo mundo. Como disse o presidente Lula, esta crise é culpa dos 'brancos de olhos azuis'.


Depois, porque o Brasil é um dos países que está sendo menos afetado pela crise global. E ainda vimos o governo federal tomar inúmeras medidas (redução de compulsórios, de impostos, aumento dos investimentos públicos, entre outros) a fim de combater os efeitos da crise global. E tais medidas já atingem o valor de R$ 475 Bilhões.
Então, é bom a oposição virar o disco, mudar o discurso, pois a tentativa de colar em Lula a responsabilidade pelos efeitos da crise global sobre a economia e a sociedade brasileiras não irá convencer ninguém.
Além disso, o Brasil ainda não esgotou o estoque de medidas que pode tomar para combater os efeitos da crise global. Os juros ainda têm espaço para ser reduzidos e o recente pacote habitacional irá surtir efeitos benéficos em termos de investimentos, crescimento econômico e geração de empregos.
Portanto, tudo aponta para o fato de que o Brasil será o primeiro ou um dos primeiros países do mundo a superar os efeitos da crise global, além de ser um dos menos afetados pela mesma.

'Lula é o Cara', diz Obama!


Por essa o Presidente Lula não esperava: na reunião do G-20, numa conversa informal, quando se aproximou de Obama e do primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, Obama apontou para Lula e disse "Esse é o Cara. Adoro esse cara. Ele é o político mais popular da Terra'.


Depois dessa, creio que o ex-presidente FHC deve estar querendo morrer, é claro, visto que ele sempre tentou ser tão reconhecido e respeitado quanto Lula, mas nunca conseguiu esse feito.


E o mais importante é que Lula conseguiu isso sem baixar a cabeça para os interesses dos países ricos, como fazia FHC, mas defendendo, com unhas e dentes, os interesses brasileiros. Porém, Lula o faz com base em argumentos sólidos e consistentes e, por isso, é tão respeitado e levado à sério.


Não é à toa, portanto, que Lula conseguiu se projetar tanto internacionalmente.


Abaixo, temos o link com o vídeo mostrando o exato momento em que Obama fez tais afirmações: