Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sábado, 29 de agosto de 2009

69% dos eleitores se mostram dispostos a votar em candidato apoiado pelo Presidente Lula!!!


Pesquisa recente do instituto Vox Populi para consumo interno do PT trouxe as seguintes conclusões:

As intenções de voto em Dilma Rousseff empacaram nas últimas pesquisas. Mas o cenário não lhe é exatamente desfavorável. Uma pesquisa do Vox Populi feita para o PT traz duas informações relevantes para mostrar que ela tem chance na corrida para 2010. A primeira é que quase 50% dos eleitores ainda não sabem que Dilma é a candidata de Lula. A segunda: 25% dos brasileiros dizem que votariam num candidato indicado pelo presidente. E outros 44% responderam "talvez" quando perguntados sobre o assunto.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Lula vence facilmente enquete do UOL!!


Enquete do portal UOL mostra o Presidente Lula disparado na frente quando comparado com os outros ex-Presidentes da República vivos.

A enquete é a seguinte:

Se tivesse que votar em um dos últimos cinco presidentes do Brasil hoje, em qual você votaria?


Luiz Inácio Lula da Silva (70,62%)
José Sarney (9,57%)
Itamar Franco (5,92%)
Fernando Collor (5,59%)
Fernando Henrique Cardoso (5,08%)
Nenhum (3,22%)

É interessante notar que FHC perde até de Sarney, Itamar e de Collor, ficando em último lugar.

Link:


http://noticias.uol.com.br/enquetes/enquete.jhtm?id=6931#r

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Relação de sujeiras de Senadores e líderes do PSDB/DEM!!


Abaixo, publico algumas notícias que mostram o quanto os senadores de oposição ao governo Lula, do PSDB/DEM e até de alguns partidos governistas que fazem oposição ao governo Lula, como são o caso de Cristóvam Buarque e de Pedro Simon, tem muito a explicar para a Justiça e para o povo brasileiro:

1) A "ética" de Cristovam Buarque e sua cara-de-pau sem limites

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2009/08/etica-de-cristovam-buarque-e-sua-cara.html

2) Álvaro Dias oculta do TSE R$ 6 milhões na declaração de bens

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2009/08/alvaro-dias-esconde-do-tse-r-6-milhoes.html

3) Kátia Abreu omitiu 3000 cabeças de gado na declaração de bens

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2009/07/katia-abreu-nao-declarou-rebanho-de.html

4) Folha atirou em Tião e acertou em Arthur Virgílio

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2009/08/folha-atirou-em-tiao-e-acertou-em.html

5) ARTHUR VIRGÍLIO (PSDB) PAGAVA SEU PROFESSOR DE JIU-JITSU COM DINHEIRO PÚBLICO

http://democraciapolitica.blogspot.com/2009/06/arthur-virgilio-psdb-pagava-seu.html

6) Os seis pecados de Arthur Virgílio (PSDB)

http://politicaetica.com/2009/07/09/os-seis-pecados-de-arthur-virgilio/

7) Sérgio Guerra, senador do PSDB, omitiu haras em declaração de bens para a Receita Federal

http://cloacanews.blogspot.com/2009/07/sonegacao-tucana-presidente-do-psdb.html

8) Kátia Abreu, senadora do DEM-TO, ameaça ONG que combate o trabalho escravo no Brasil

http://www.nocaso.org/?p=293

9) Por que Pedro Simon facilita a blindagem da corrupção do RS?

http://www.viomundo.com.br/denuncias/por-que-pedro-simon-facilita-a-blindagem-da-corrupcao-do-rs/

10) Marconi Perillo, senador do PSDB-GO, é denunciado ao STF por formação de quadrilha, caixa 2, uso d máquina pública na campanha eleitoral, ocultação de provas...

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u400391.shtml

11) MPF pede afastamento e indisponibilidade dos bens de Yeda Crusius (PSDB)

http://noticias.uol.com.br/politica/2009/08/05/ult5773u1903.jhtm

domingo, 23 de agosto de 2009

Sarney e o 'Centrão' do Congresso Nacional!!


O Luiz C. Azenha, em seu blog, publicou um texto comentando a aliança entre o governo Lula e o PMDB, e também indica o texto do Rodrigo Vianna a respeito desta aliança política e que já foi comentado por mim neste blog.

Agora, vou comentar o que o Azenha escreveu.

Essa aliança entre o Presidente da Republica e o PMDB também ocorreu no governo FHC.

Vejam que Renan Calheiros foi ministro da Justiça de FHC. E quem foi Presidente do Senado, durante o governo e com o apoio deste? ACM, Jáder Barbalho e José Sarney (estes 2 últimos são do PMDB).

Jango foi derrubado em 1964 justamente quando decidiu abandonar as políticas moderadas do início do seu mandato e abraçou as políticas e discursos mais radicais, que eram defendidos por Leonel Brizola.

O resultado disso foi que o centrista PSD (o PMDB daquela época) abandonou Jango e aderiu ao Golpe(até JK apoiou o Golpe, por incrível que pareça).

Com isso, Jango ficou impossibilitado de organizar uma resistência real e efetiva ao Golpe Militar.

Creio que é também por isso que Lula não abandona o PMDB, da mesma forma que FHC não o abandonou e nem Serra ou Kassab fazem isso, já que em SP o PMDB apóia tanto o governo de Serra como o de Kassab (cuja vice-prefeita, Alda Marcoantônio, é do PMDB paulista, que é totalmente controlado por Orestes Quércia).

Mas, o Quércia apoiar Serra e Kassab pode, segundo o PIG. Já o Sarney apoiar o Lula, isso é um absurdo, para essa mesma mídia hipócrita, golpista, elitista e totalmente incoerente.

Link:

http://www.viomundo.com.br/opiniao/ja-temos-centro-realismo-e-o-sarney/

Por que a crise política veio para ficar??


"Sem a reconstrução do sonho, o próximo governo será uma crise permanente, o jogo político uma guerra sem quartel, seja Serra, seja Dilma, seja Ciro o eleito.". por Luis Nassif

Essa 'crise permanente', essa 'guerra sem quartel', citada por Nassif, me parece não ser novidade na história brasileira. Ela não começou agora. Creio que começou com Cabral, mesmo...

O Brasil vive uma época de crise? Sem dúvida alguma. E épocas de crise são, essencialmente, períodos de grandes mudanças. E são nestes momentos que os conflitos políticos e sociais se tornam cada vez mais intensos, acirrados e violentos e não menos.

Logo, não vejo como poderemos ter uma redução na intensidade dos conflitos políticos e sociais no Brasil nos próximos anos, como deseja o Nassif. A tendência é que tais conflitos se tornem ainda mais acirrados.

Até porque, aqueles setores da sociedade que estão se enfraquecendo (caso da Grande Mídia, que perde espaço para a Internet e seus milhares de blogs, sites e fontes de informação as mais variadas possíveis) e de partidos políticos conservadores e tradicionais (exemplo: nas últimas eleições municipais de 2008 o PSDB/DEM/PPS elegeram 550 prefeitos a menos do que em 2004) se recusam a aceitar a sua decadência e, daí, partem para o 'tudo ou nada', procurando destruir com aqueles setores da sociedade que visam transformar o país e construir uma nação mais justa, democrática e igualitária.

É como dizia Gramsci: em épocas de crise, o velho está morrendo, mas o novo ainda não nasceu.

Tais conflitos expressam, a meu ver, as dores do parto de uma nova nação, de um novo país, de uma nova sociedade, com mais participação popular, mais crítica, mais exigente, sem dúvida alguma, mas que, ao mesmo tempo, se recusará a abrir mão daquilo que já conquistou, da mesma forma que os trabalhadores brasileiros lutaram bravamente para garantir os direitos sociais e trabalhistas da 'Era Vargas', mesmo quando FHC disse que pretendia enterrar com a mesma.

As elites tradicionais do país não aceitam, de fato, que as mudanças se desenvolvam de maneira a que elas não possam ter o controle da situação.

Tais elites não têm como barrar as mudanças, e elas sabem disso, mas elas querem ter o controle da máquina do Estado para que tais transformações se processem de forma a beneficiá-las, de maneira lenta e vagarosa e não de forma a que percam crescentes parcelas de poder e de prestígio, que é o que está acontecendo neste momento.

O fato é que o governo Lula, mesmo tendo feito um governo de coalizão e promovido reformas moderadas em seu mandato, acabou gerando resultados bastante significativos, em termos econômicos e sociais, tal o conservadorismo e as desigualdades imensas, entre as classes e entre as regiões do país que existiam anteriormente.

Tais mudanças, mesmo moderadas, são, assim, percebidas como bastante significativas por grande parte das populações mais pobres e miseráveis do país e é isso que gera a tal 'veneração' por Lula de que o Nassif fala.

Esta não é uma ‘veneração’ irracional, mas é baseada na melhoria concreta das condições de vida destas populações mais pobres e miseráveis do país que foi proporcionada pelo governo Lula através das políticas de inclusão social, geração de milhões de novos empregos formais, do aumento real do salário mínimo, da expansão dos sistemas de previdência e assistência social e do crescimento econômico que tivemos em seu governo.

O fato concreto é que as políticas de inclusão social do governo Lula, que foram consideravelmente ampliadas em relação aos modestos esforços levados adiante no governo FHC (tanto em termos de valor investido como no número de pessoas beneficiadas pela mesma) melhoraram, sim, as condições de vida dos mais pobres e dos miseráveis do país. E estes reconhecem isso reelegendo Lula e se dispondo a votar em uma candidata que dará continuidade aos programas e projetos do governo atual.

Assim, Lula acumula um imenso capital político e popular em função de ter promovido tais mudanças e é por este motivo que nenhuma Lina Vieira, ou Sarney, ou 'mensalão', ou inexistentes epidemias de 'febre amarela', ou a 'gripe suína' conseguem desgastar a imagem imensamente positiva de Lula junto à população.

E as mudanças iniciadas por Lula provocam na oposição elitista e golpista do país, o mesmo tipo de reação que a adoção da legislação trabalhista e previdenciária por Getúlio Vargas. E isso acontece porque tais elites sabem, muito bem, que se as mudanças continuarem se processando com a velocidade e o rumo atuais, estas elites ficarão cada vez mais enfraquecidas, tanto política, como econômica ou socialmente.

Estas elites tentam impedir que as transformações, mesmo que moderadas, que Lula promoveu, tenham continuidade e sejam aprofundadas por um governo que leve adiante às políticas implementadas pelo governo Lula.

E é por isso que vemos todas estas crises sendo fabricadas e amplificadas o tempo inteiro e essa tentativa cada vez mais desesperada de destruir com a candidatura, que está cada vez mais forte, da ministra Dilma Rousseff.

Tais 'crises', que são fabricadas na cara-dura, são os gritos desesperados de elites retrógradas e reacionárias (e profundamente anti-democráticas e golpistas) que estão perdendo poder e prestígio e que querem, de qualquer maneira, retomar o controle da situação e barrar as mudanças que possam vir a prejudicá-las. Ou então, ainda, na impossibilidade disto, as elites tentarão controlar a velocidade e a intensidade com que tais mudanças se processam, fortalecendo assim a sua posição na sociedade e mantendo 'tudo como dantes, no quartel de Abrantes'..

Se estudarmos a história política brasileira do período 1945-1964, o único período democrático-liberal que tivemos na história do país desde Cabral, antes do atual momento histórico que vivenciamos, veremos que o mesmo também foi repleto de sucessivas crises políticas.


Senão, vejamos:

1) Golpe de Estado contra Vargas em 1945;

2) Pregação golpista de Carlos Lacerda contra Vargas em 1950, tentando impedir a candidatura, a vitória e a posse deste na Presidência da República;

3) Tentativa de Golpe de Estado para impedir a posse de JK, em 1955, e que foi barrada pelo contra-golpe do Marechal Lott;

4) Novas tentativas de Golpe contra JK, com as revoltas militares de Jacareacanga e Aragarças;

5) Tentativa de Golpe para impedir a posse de Jango na Presidência da República, em 1961;

6) Golpe de Estado contra Jango, em 1964 e implantação de Ditadura Militar que durou 21 anos.

Tudo isso demonstra, claramente, que teremos, nos próximos anos, crescentes e cada vez mais acirrados conflitos políticos e sociais no Brasil.

Quem for inteligente que trate de se preparar para isso.

Senão...

Luis Nassif: Como nascem as crises políticas no Brasil!!!


O economista Luis Nassif aponta, neste domingo (23), a grande ligação entre o senador José Agripino (obs: foto acima) e a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira como indício da pesada campanha deflagrada pelo jornal paulistano Folha de S.Paulo contra a chefe da Casa Civil do governo Lula, Dilma Roussef.

"José Agripino foi o principal articulador, dentro do DEM, da ofensiva contra o senador José Sarney e, depois, contra Dilma Rousseff, em cima do episódio Lina", comenta Nassif.

Leia abaixo o artigo na íntegra:


Em Observação

1. O papel de José Agripino.

A grande ligação de Lina Vieira é com seu conterrâneo José Agripino, senador pelo Rio Grande do Norte. A prefeita de Natal é do PV, mas criatura de Agripino. Aliás, a prefeitura é das poucas bases do DEM no nordeste. E é de lá que sai o contrato de publicidade com a família de Lina Vieira. José Agripino foi o principal articulador, dentro do DEM, da ofensiva contra o senador José Sarney e, depois, contra Dilma Rousseff, em cima do episódio Lina.

2. A matéria da Folha, que deflagrou essa crise.

É de, 9 de agosto, domingo. Para sair domingo, possivelmente foi preparada entre 5 e 7 de agosto.

3. Reunião com Serra.

No dia 3 de agosto o Twitter do senador Agripino dá conta de uma relevante reunião em São Paulo, com o governador José Serra. Relevante por ter juntado o líder do PSDB no Senado, Sérgio Guerra, mais seu braço-direito para ações no Parlamento, Alberto Goldmann, mais os DEM Rodrigo Maia e ACM Neto (clique aqui).



A respeito da reunião, a Folha disse o seguinte, com Serra fazendo questão de enfatizar que não estava nas articulações barra-pesadas. É de uma sutileza ímpar:

Na noite de segunda-feira, o impacto da crise esteve na pauta da reunião de Serra com tucanos e democratas.
A avaliação dos participantes foi a de que Lula se dedica à contenção da crise, em vez de se lançar na campanha da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. A retração de Lula alivia a pressão sobre Serra para que se declare candidato agora.
(…) Serra, no entanto, desconversou quando o líder do DEM no Senado, Agripino Maia (RN), sugeriu que levantasse munição para a CPI da Petrobras. Segundo um participante, o governador paulista disse que essa não era sua área de atuação durante o governo FHC.


4. Dois dias depois, a Folha dá início às pesquisas que conduzem à manchete do dia 9.

São apenas indícios, que necessitam ser aprofundados. Mas bons indícios, convenhamos, sobre como começam todas as crises políticas brasileiras dos últimos 18 meses.


http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=6&id_noticia=114211

Cuidado com a 'Gripe da Mídia'!!!


O Paulo Henrique Amorim, no "Conversa Afiada', publicou o seguinte comentário:


O Conversa Afiada publica comentário do amigo navegante José Carlos:

José Carlos Lelis Costa
Enviado em 23/08/2009 às 9:04

Gripe da Mídia

Sintomas:

* Febre de 40º provocada pelo aumento da popularidade do Presidente Lula;
* Dor de cotovelo intensa do Governo Lula;
* Demonização diária de Lula e do PT;
* Calafrios frequentes com o avanço econômico e social do Brasil;
* Crise artificial constante;
* Cansaço do Movimento Cansei;
* Audiência baixa e em queda continua;
* Catarrada nas conquistas do povo;
* Arrepios com novas pesquisas eleitorais – Serra ladeira abaixo;
* Ardor nos olhos dos telespectadores;
* Arrepios com o aumento da audiência da Record;
* Medo constante da concorrência.

Previna-se da Gripe da Mídia:

* Desligue a TV ou mude de canal quando anunciarem uma nova crise artificial, principalmente no horário do Jornal Nacional, especialmente no comentário de Mirian Leitão.

* Evite ouvir entrevistas com os “moralistas” FHC, Serra, Aécio Neves, Cristovão Buarque, Roberto Freire, Flávio Arns, Gabeira, Arthur Vigílio, Tarso Jereissati, Yeda Crusius, Pedro Simon. etc.


http://www.paulohenriqueamorim.com.br/?p=16699

FILHA DE LINA É SÓCIA DE FILHA DE SENADORA DO DEM!!


O blog 'O TERROR DO NORDESTE' mostra que as relações de Lina Vieira, seu marido, Alexandre Firmino, com o PSDB e o DEM, são muito mais fortes e íntimas do que se pensava inicialmente.

Vejam o que o blog da nossa querida região Nordeste brasileira publicou:

FILHA DE LINA É SÓCIA DE FILHA DE SENADORA DO DEM

Ai tem truta. Ah! se tem.

Drº Firmino, marido da Drª Lima, foi ministro de FHC. Drº Firmino responde, inclusive, por improbidade administrativa no STF, por se juntar a Roseana Sarney para fazer malfeitorias na época que o boca de sovaco desgovernou o Brasil.

A empresa de publicidade de Drº Firmino já fez campanha eleitoral para Agripino Mala e Vilma Maia, atual governadora de Rio Grande do Norte, que também é prima de Agripino Mala.

Por fim, descobriu-se que Renatinha, filha da doce Lina, é sócia da senadora do DEMO Rosalba Ciarlini(DEM-RN), aquela mesma Suplente do Conselho de Ética do Senado que usou verba pública (R$ 160 mil reais)para pagar viagens de turismo para ela, e seu maridão.

FILHA DE LINA É SÓCIA DE FILHA DE SENADORA DO DEM

Não é só Alexandre Firmino, marido de Lina Vieira, que tem ligações com a oposição.

Renata, filha da ex-secretária da Receita, é sócia de Larissa Ciarlini, filha da senadora Rosalba Ciarlini, do DEM.

Elas são donas da marca Lore, especializada em jóias.

Ah, tá!

Blog do Ailtom

Links:

http://www.ailtonmedeiros.com.br/filha-de-lina-e-socia-de-filha-de-senadora-do-dem/2009/08/21/

http://wwwterrordonordeste.blogspot.com/2009/08/filha-de-lina-e-socia-de-filha-de_1504.html

Stephen Kanitz mostra porque 2010 será 'O ANO' para o Brasil!!!


A Análise da Semana: 2010 Será "O ANO"

Da mesma forma que 2009 não foi o desastre que a maioria previa, 2010 será muito melhor do que os 3% que muitos estão prevendo.

1. 2010 será um ano eleitoral.

2. 2010 será o ano em que os 44% de Brasileiros que postergaram suas compras devido ao pânico gerado no primeiro trimestre de 2009, e que se manteve no segundo, passarão a voltar a comprar.

Isto gerará vendas duplicadas. Os 44% que deveriam ter trocado de carro e eletrodomésticos em 2009 o farão em 2010, dobrando as receitas e vendas do ano com aqueles que planejavam comprar somente em 2010.

3. As empresas que postergaram seus investimentos em 2009, porque achavam que "o ano estava perdido", voltarão a investir em 2010, em dobro.

4. Empresas que demitiram em 2009, devido ao pânico, terão de recontratar todo mundo e mais uns tantos. Bom para os "head-hunters". Salários em 2010 (novamente) estarão em alta.

5. Os países "desenvolvidos", que deveriam voltar a crescer somente em 2015, o famoso L, estarão crescendo já em 2009 e 2010.

6. No final de 2010 já se sentirá os reflexos dos preparativos da Copa de 2014.

7. Muitos estão esquecendo que os juros caíram praticamente 50%, e isto será um propulsor do envidamento familiar, que no Brasil é extremamente baixo.
Um crescimento de 50% na dívida pessoal, multiplicado por uma queda de 50% no juro, significa MENOS despesas de juros pessoais.

8. Como previmos aqui em Março, o Plano Habitacional do Lula seria um sucesso, pelo fato de gerar "uma prestação que cabe no bolso", manchete do Estado de São Paulo, raramente pró Lula.

As medidas administrativas, as economias de prazo, seguro, cartório, de fato tornaram a prestação da casa própria mais barata, sem subsídios nem benesses. "Crescimento das vendas pode chegar a 100% no segundo trimestre", afirma o Estadão, imaginem o ano inteiro de 2010.

9. Com juro de 2,5% real depois do imposto de renda, projetos de negócio que rendem 8% ano podem ser tirados das prateleiras. Coisas simples, como simplesmente embrulhar balas e exportá-las. Açúcar o Brasil tem de sobra.

Mas com os juros estratosféricos da Era Neo-Clássica de FHC, somente projetos com retorno acima de 25% eram viáveis, projetos com muita tecnologia, subsídios e sorte.
Se você tem uma idéia, não muito brilhante, mas que dê retorno de 8% ao ano, é hora de tirá-la da prateleira. Nunca você teve uma oportunidade destas.

10. 2010 será o ano da retomada das exportações, algo já que se inciou no segundo semestre de 2009.

O perigo é 2011. Pela falta de investimentos em 2009, a inflação poderá voltar por falta de capacidade produtiva, e os juros de um dígito terão de voltar a serem de dois dígitos. Uma ducha de água fria em tudo que dissemos acima. Pelo menos BQDC avisou deste perigo desde o início.


http://brasil.melhores.com.br/2009/08/2010-ser%C3%A1-o-ano.html

sábado, 22 de agosto de 2009

Governo Serra sobe imposto de energia e tarifa pode subir!!!


Vale a pena ler essa matéria do site do 'Estadão' e que dispensa maiores comentários (confira acima a foto de Serra no exato instante em que ele mirava o bolso dos paulistas, para se apoderar de uma fatia maior do dinheiro da população):

Conta de luz pode subir com mudança de imposto em SP

Diretor da Aneel admite possibilidade de reajuste, mas decreto estadual já está sendo questionado no STF

Felipe Recondo e Leonardo Goy, BRASÍLIA


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) espera, para os próximos meses, uma romaria de distribuidoras de eletricidade em busca de autorização para aumentar suas tarifas. A razão é o decreto paulista que instituiu a chamada substituição tributária. As empresas argumentam que seus custos subiram por causa da medida e querem autorização para compensar esse efeito.

Ontem, o diretor-geral da agência, Nelson Hubner, admitiu que há grande possibilidade de os pedidos de reajuste serem aceitos. "Elas têm grande chance de ter êxito nesse questionamento. Temos de reconhecer."

O Decreto 54.177, assinado pelo governador José Serra (PSDB), obriga as companhias a recolher o valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nas operações das comercializadoras no mercado livre de energia.

A Associação Brasileira dos Agentes Comercializadores de Energia Elétrica (Abraceel) até já recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o decreto. A ação direta de inconstitucionalidade 4281 está sob a relatoria da ministra Ellen Gracie e questiona, principalmente, os danos que o decreto deve provocar sobre a livre concorrência no mercado de energia.

Segundo as empresas, a medida pressiona de duas formas. Primeiro, porque terão um custo financeiro ao serem obrigadas a recolher o tributo. Terão, também, de arcar com o imposto mesmo que o consumidor não pague o ICMS referente à compra de energia.

Em segundo, o faturamento da empresa será artificialmente inflado, porque o dinheiro referente ao tributo entrará na contabilidade, mesmo que a distribuidora não tenha recebido para isso. Com faturamento maior, o recolhimento de PIS/Cofins também pode subir.

Esse custo será cobrado da Aneel e repassado pelas distribuidoras para pequenos e grandes consumidores. De outro lado, as comercializadoras de energia, que têm como único atrativo a disputa para oferecer o menor preço, projetam prejuízos para a concorrência, também por causa do decreto. A mudança de tributação obrigará as empresas a revelar os preços cobrados dos clientes.

Sem segredo comercial, empresas maiores, algumas vinculadas a distribuidoras, podem impor preços reduzidos e quebrar outras comercializadoras. Ou o mercado pode buscar um valor médio a ser cobrado dos contribuintes, o que também prejudicaria a concorrência.

O presidente da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), Luiz Carlos Guimarães, classificou como "transtorno" a substituição tributária paulista no setor elétrico. "Não faz sentido, estão nos empurrando uma obrigação que não nos diz respeito", disse, lembrando que, nas vendas do mercado livre, a energia é comprada pelos grandes consumidores das usinas, sem intermediação. No livre mercado, esse papel é exercido pelos comercializadores.

A Aneel pediu para participar do processo e argumentará que o decreto criou uma sistemática distinta de cobrança do imposto: a substituição tributária paralela. É normal encontrar setores em que determinado ponto da cadeia é escolhido pelo Fisco para recolher determinado tributo. Isso facilita o combate à sonegação e aumenta a arrecadação. Mas nesse caso, pondera a Aneel, o decreto escolheu as distribuidoras para recolher, e elas não participam da cadeia de negócios do mercado livre (que envolve geradora, comercializadora e grandes consumidores).

Para o diretor de Relações Institucionais da Abraceel, Maurício Corrêa, a substituição tributária é prevista em lei, desde que o setor que recolhe o tributo seja da mesma cadeia de negócios. E não é o caso. "A distribuidora atua no mercado regulado, não tem relação com o mercado livre. Foi criada uma substituição tributária lateral."

A Aneel também afirma que o decreto interfere na regulação do sistema. Isso porque a nova sistemática deve gerar revisão dos preços da energia, o que só pode ser feito pela Aneel.

Corrêa ressaltou que todas as entidades do setor elétrico estão unidas contra a substituição tributária paulista - caso raro em um setor em que sobram disputas. "Todos os segmentos dos setor se solidarizaram, com nossa ação junto ao Supremo."

Procurada pelo Estado, a Secretaria da Fazenda de São Paulo disse que se manifestaria hoje sobre as críticas.


http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20090821/not_imp422240,0.php

Golpe em Honduras começou quando o país aderiu à ALBA! Ditadura reprime o povo, que continua luta pela volta da Democracia ao país!


O site Adital (link abaixo) publicou uma entrevista com membros da 'Ofraneh' (Organização Fraternal Negra Hondurenha) em que os mesmos disseram que ‘O golpe começou com a adesão de Honduras à Alba’!!

Reproduzo abaixo o conteúdo da entrevista:


Adital -
Hoje (21) completam 55 dias do golpe de Estado que depôs e expulsou de Honduras o presidente Manuel Zelaya e impôs o então presidente do Congresso Nacional, Roberto Micheletti, como mandatário provisório do país.

Nas ruas, a população e organizações populares se mantêm em protestos, principalmente na capital Tegucigalpa e na cidade industrial de San Pedro Sula. A atuação de organizações nacionais e locais estimula a atuação dos hondurenhos e dá visibilidade à resistência internacionalmente. Prova disso são as diversas missões e organismos que visitam semanalmente o país em conflito.

A ADITAL entrevistou, por e-mail, a Organização Fraternal Negra Hondurenha (OFRANEH), uma das entidades que compõem a Frente Nacional contra o Golpe de Estado. Para ela, o golpe já vinha sendo arquitetado há pelo menos dois anos, quando o país aderiu à ALBA (Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América).

A entidade reforçou que o governo provisório "encobre os fatos se utilizando de eufemismos". Também denunciou que "os advogados próximos à Sra. [Hillary] Clinton [secretária de Estado dos Estados Unidos] serve como representantes do lobby dos financistas hondurenhos do golpe ante o Congresso dos EUA".

Adital - Depois de 55 dias do golpe de Estado, a situação no país segue mais preocupante, com grandes violações aos direitos humanos, perseguições e repressões. Quais as expectativas dos movimentos organizados?

Ofraneh - A Frente Nacional de Resistência Contra o Golpe de Estado aglutina diversas organizações populares que confiam na restituição de Manuel Zelaya como presidente constitucional de Honduras, ademais que, dentro de nossa agenda, encontra-se a refundação do país por meio de uma assembleia constituinte e a elaboração de uma constituição que substitua a do ano 1982, a qual foi elaborada no período quando John Negroponte se desempenhava como embaixador dos Estados Unidos e a guerra fria se encontrava em seu clímax.

Adital- A postura mais firme dos Estados Unidos em relação ao Golpe e ao governo de fato segue sendo uma das demandas tanto dos movimentos como da Frente de Resistência. O próprio Manuel Zelaya iniciou uma cruzada diplomática a vários países solicitando mais apoio nesse sentido. O senhor crê na possibilidade dos Estados Unidos adotarem uma postura mais firme? No que isso implicaria, quais seriam os impactos?

Ofraneh - Aparentemente o Departamento de Estado reclama uma restituição de Zelaya ao poder, ao mesmo tempo, o círculo de advogados próximos à Sra Clinton serve como representantes do lobby de financistas hondurenhos do golpe ante o Congresso dos Estados Unidos. Especificamente no caso de Lanny Davis, contratado para esses ofícios pelos empresários golpistas, e o Sr. Bennet Ratcliff, que fez abertamente o papel como encarregado de tomar decisões em nome do governo de fato, na primeira rodada de negociações em San José, convocada pelo Presidente Arias.

Como mostra a ambiguidade por parte da Administração Obama sobre o golpe, encontram-se as declarações de Barack onde acusa de hipocrisia aos que exigem a intervenção dos Estados Unidos para enfrentar o golpe, quando o acontecimento foi friamente calculado por agentes do Pentágono.

O golpe se iniciou há uns dois anos, com a adesão de Honduras à Alba e, posteriormente, a posição assumida por Zelaya referente à base aérea de Palmerola (Soto cano) que pretendeu transformá-la em um aeroporto civil, exacerbando os interesses militares na região.

Adital - No entanto, as pessoas seguem nas ruas, em resistência. Como está a situação da repressão e das detenções ilegais?

Ofraneh - A repressão às marchas de repúdio é permanente. No entanto, o movimento popular não se desanima em sua luta permanente pela restituição da ordem democrática. Anistia Internacional apresentou na terça-feira (18) seu relatório sobre as violações dos direitos humanos em Honduras, onde pormenoriza os múltiplos casos de abusos que ocorreram.

Adital - O governo de fato, através da imprensa local, tem passado a ideia de normalidade e tranquilidade. Mas se sabe que há paralisações e manifestações diárias. Há como fazer um panorama de como está caminhando a vida em Honduras?

Ofraneh - Assim como a grande maioria dos meios de comunicação locais se apresentaram na gestação do golpe precedente à destituição de Zelaya, continuam na atualidade com sua posição de encobrir os fatos, utilizando eufemismos para maquiar o golpe de estado e encobrindo as agressões da parte dos militares e policiais à população civil.

A crise econômica mundial mais a paralisação da economia local como consequência das marchas de repúdio ao regime de fato colocam Honduras em um abismo econômico sem precedentes.

É óbvio que o regime já teria deixado de existir se os Estados Unidos tivessem freado o comércio entre os dois países. Apesar de uma suposta suspensão da ajuda econômica humanitária, prosseguem os desembolsos do chamado Fundo do Milênio, tal como apontam as mesmas fontes do governo dos Estados Unidos.

Links:


http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?lang=PT&cod=40639



http://www.hondurasgolpeada.net/

Dono do Ibope mente na cara-dura em entrevista para Noblat!!!


Vejam o que o dono do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, disse ao Ricardo Noblat, em entrevista publicada no blog deste:


"Noblat: Mas por trás do apoio ao PMDB e ao senador Sarney não está exatamente um projeto de poder do PT?

Montenegro: É um projeto de poder do presidente Lula. O desempenho eleitoral do PT depois do mensalão foi um vexame. Em 2006, com exceção da Bahia, o partido só venceu em estados inexpressivos. Nas eleições municipais de 2008, entre as 100 maiores cidades, perdeu em quase todas.".


Esse Montenegro ou é muito mal informado ou é um mentiroso descarado.

Vamos aos fatos, portanto:

1) O PT foi o partido que mais cresceu nas eleições municipais de 2008, tendo eleito 558 prefeitos (contra 400 em 2004), e se tornou o 3o. maior partido em número de prefeituras administradas no Brasil inteiro, ficando atrás apenas do PMDB, com 1207 prefeituras, e do PSDB, com 788 prefeituras.

2) Enquanto isso, o DEM, o PSDB e o PPS perderam, somados, cerca de 550 prefeituras no país inteiro, quando se compara com os resultados das eleições municipais de 2004.

3) Além disso, no G-79 (ou seja, nas 26 capitais mais as 53 cidades com mais de 150 mil eleitores) o PT foi o maior vitorioso, vencendo em 21 cidades, contra 13 do PSDB.

4) E em número de votos, o PT foi o partido mais votado no 2o. turno das eleições municipais de 2008, com mais de 5,1 milhões de votos, contra 4,4 milhões de votos do PMDB, o 2o. colocado e 1,5 milhões de votos do PSDB.



Links:


http://oglobo.globo.com/pais/noblat/



http://4.bp.blogspot.com/_Nj7k-NFjuzA/SQULHduz0_I/AAAAAAAAB5A/XbCoN5F4tJ4/s1600-h/partidos_2o_turno.jpg


http://g1.globo.com/Eleicoes2008/0,,MUL837881-15693,00.html

Marina Silva denuncia mentira de jornal 'O Gloebbels', também conhecido como o 'O Globo'!!


O jornal carioca 'O Gloebbels', digo 'O Globo', publicou, em manchete de primeira página, que a ex-ministra e Senadora Marina Silva teria criticado a política social do governo Lula.

Mas, foi a própria Marina quem, em pronunciamento no Senado, desmentiu a manchete e elogiou a política social do governo Lula, que aumentou de R$ 8 Bilhões para R$ 30 Bilhões os gastos sociais do governo federal.

Depois desta, 'O Globo' deveria mandar embora o responsável por tamanho 'erro' de informação.

E o fato de Marina Silva ter desmentido o jornal carioca, que faz parte da imprensa reacionária, elitista e golpista tupiniquim, mostra que ela continua sendo uma política série e coerente.

Petrobras dá show novamente e descobre nova reserva de petróleo!!


Vejam que notícia importante, e que não deverá ter destaque algum na 'Folha', 'Veja', 'Estadão' ou 'Globo', ou seja, na Grande Imprensa reacionária, elitista, anti-Brasil e golpista tupiniquim que vive torcendo para que o governo Lula fracasse e para que o país afunde numa crise terrível:


Petrobras pode ter encontrado nova fronteira exploratória


"A descoberta de um novo reservatório de petróleo leve na Bacia de Campos, anunciado anteontem pela Petrobras, pode significar a abertura de nova fronteira exploratória no País, na opinião de especialistas. Para eles, as novas reservas de Aruanã e a alta do preço do petróleo justificam o bom desempenho das ações da estatal no dia seguinte ao anúncio.
As ordinárias (ON) subiram 2,04% e as preferenciais (PN), 1,75%.

Com concessões na mesma região, a OGX foi a reboque, fechando em alta de 3,87%. As duas empresas foram beneficiadas também pela alta do preço do petróleo, para US$ 73,89

“Na prática, a Petrobras está obtendo sucesso agora com esse tipo de rocha carbonática, que pode resultar numa nova série de outras descobertas na área”, comentou o analista do Banco do Brasil Investimentos, Nelson Rodrigues de Mattos.

Recorde

A companhia lembrou, em nota, na quinta-feira, que já havia realizado duas descobertas parecidas na região. Em um poço, a estatal bateu o recorde mundial de produção em rochas carbonáticas - semelhantes às do pré-sal -, com a marca de 43,5 mil barris por dia. A Petrobras afirmou ter encontrado 280 milhões barris de petróleo de boa qualidade em Aruanã. Nas descobertas anteriores, estima ter encontrado outros 695 milhões de barris. “Essa descoberta se soma a outras recentes, que mostram a grande eficiência da empresa em manter níveis elevados de sucesso na exploração”, comentou a analista Mônica Araújo, da corretora Ativa, completando que espera novos anúncios de descobertas em breve.

Para os especialistas, a maior vantagem da nova frente exploratória é já contar com a infraestrutura de escoamento. “A Petrobras pode desenvolver a área em, no máximo, três anos. Basta deslocar uma unidade que esteja subutilizada perto do local e tenha características semelhantes”, disse Mônica. Essa estratégia já foi adotada em Cachalote, no pré-sal da Bacia de Campos, que receberá a plataforma que estava em Golfinho (ES).".

http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2009/08/22/petrobras+pode+ter+nova+fronteira+exploratoria+8035921.html

Rodrigo Vianna explica o cenário político brasileiro de forma brilhante!


Rodrigo Vianna escreveu um post brilhante em seu blog. Ficou tão bom que resolvi reproduzí-lo, na íntegra, aqui no blog. Então, vamos lá:


"Os leitores mais novos devem me achar um "tiozinho" meio chato - por causa dessa mania de falar em UDN e Getúlio Vargas, como metáforas para pensar em Lula e na oposição demo-tucana.

Mas vou correr o risco, e insistir no tema.

Inspirei-me num belíssimo comentário do leitor Fernando Trindade a meu último texto - sobre Marina, Gil e a hipocrisia da nova UDN - http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/gil-pra-marina-no-pv-ob-observando-hipocritas

Fernando disse:

"(...) sem alianças Lula não teria sequer concluído o primeiro mandato. Esse foi o grande problema no pré-64 que levou ao golpe, o rompimento da aliança do PTB com o PSD. No Brasil, gostemos ou não, o centro fisiológico (que não é necessariamente corrupto, aliás) é o fiel da balança. Nos idos de 1963, quando o PSD passou para o lado da UDN, a esquerda ficou isolada e tivemos a tragédia do golpe. E o objetivo do PIG e seus aliados é exatamente descolar o centro fisiológico do Governo Lula para isolá-lo e derrotá-lo."

Além de resumir bem a correlação de forças que levou ao golpe de 64 (não esqueçamos, claro, o peso da Guerra Fria e da CIA no episódio), o comentário fez-me concluir o seguinte: no Brasil continuam a existir só três partidos - UDN, PSD e PTB *.

No pré-64, PTB e PSD jogavam juntos. A UDN, isolada (mas dominante nos grandes jornais, como hoje), só chegou ao poder em 61 - quando capturou Janio Quadros e pensou que governaria com ele. Janio tinha outros planos. Numa noite de agosto, tomou um porre maior do que o habitual, e renunciou.

O poder voltou ao eixo PSD-PTB com Jango (lembremos que o eleitor, naquela época, podia votar no presidente de uma chapa, e no vice de outra; na eleição, Jango não era vice de Janio, mas teve mais votos, e virou o vice-presidente eleito).

Pois bem. Parte do sucesso do golpe de 64, como resume bem o Fernando Trindade, explica-se pelo fato de a UDN ter conseguido atrair parte do PSD para o barco do golpismo.

Avancemos 30, 40 anos na história...

No período recente, pós-ditadura, a neo-UDN mostrou-se mais competente nas alianças. A UDN (PSDB-PFL) conseguiu atrair o PSD (PMDB) para o governo FHC. O PTB (PT e as esquerdas) ficou isolado.

Em 2002, o PTB (PT e as esquerdas) atraíram o PSD (PMDB e outros pequenos partidos centristas). Foi o que garantiu a vitória e o suporte ao governo Lula. As vestais da ultra-esquerda não tinham entendido isso ainda?

Pois bem: toda a estratégia serrista agora consiste em quebrar essa aliança. Por isso o "escândalo Sarney". Por isso vale pancada na Petrobrás (a nova UDN, como a antiga, não gosta muito do Brasil; avha "nacionalismo" um troço meio antiquado).

Sarney, no pré-64, era UDN. Hoje, está no neo-PSD (PMDB).

Serra, que no pré-64 estava mais próximo do PTB, hoje comanda a neo-UDN.

Lula sabe que precisa da velha dobradinha PTB-PSD pra ganhar em 2010. À nova UDN restará bater às portas da mídia, como os corvos de Carlos Lacerda no pré-64 batiam às portas dos quartéis.

Hoje, a quartelada pode vir da imprensa! É ali que a UDN tucana tem força.

Lula e o PT precisam se livrar dos restos de UDN que ainda se prendem ao partido.

O PT precisa terminar sua transição, assumindo-se como um partido social-democrata à brasileira. Ou seja: o PT precisa assumir que é um PTB getulista, renovado.

Alguns, na extrema-esquerda, não gostam disso.

Eu não me importo. Primeiro, por razões pessoais: sempre fui um brizolista/trabalhista - "obrigado" a votar no PT por morar em São Paulo. Segundo, por razões políticas: olho a correlação de forças e não vejo outra saída no Brasil.

Outros, com estômago frágil, sentem-se enjoados por ver o PT perto de Sarney. O Brasil exige estômago forte!

Até porque a UDN - como sempre - está babando de raiva.

Se o PSD correr pro lado deles, o PTB será esmagado.

Se estiverem juntos (e ainda mais com a economia crescendo), PTB e PSD serão imbatíveis em 2010, como sempre!

JK e Vargas sabiam disso. Lula também sabe.

---

* evidentemente que, do ponto de vista histórico - e historigráfico - não faz sentido dizer que UDN, PSD e PTB são os únicos partidos do Brasil. Trata-se de "licença jornalística". Simples exercício interpretativo, baseado em nossa história recente.".

http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/udn-psd-e-ptb-com-outros-nomes-eles-sobrevivem-e-disputam-o-poder-no-brasil


Meu Comentário:

Além da comparação muito pertinente feita pelo Rodrigo Vianna em seu blog, há uma outra semelhança entre a atual situação política brasileira e a do período pré-Golpe de 64, que é a campanha midiática permanente por parte dos grandes veículos de comunicação (Veja, Folha, Globo, Estadão) contra o governo Lula. Isso também aconteceu contra o governo de Getúlio Vargas, JK e, mais ainda, contra o governo de João Goulart.

Jango foi transformado numa espécie de 'Lênin tupiniquim' pelo PIG da época, de tanto que diziam que ele era comunista, subversivo e que queria implantar o comunismo no Brasil. Tudo mentira, é claro! Jango era um líder nacionalista e reformista. Comunista, não!!!

Mas, a Grande Mídia reacionária e golpista daquela época (a mesma de hoje, com 'O Globo', 'Estadão', etc, atacando Jango o tempo inteiro) insistiu tanto nisso, martelando tal tese o tempo inteiro, que boa parte da opinião pública (principalmente das classes médias e alta) passou a acreditar nessa baboseira.

Até mesmo muitos militares das Forças Armadas, principalmente os de média e alta patente, também se convenceram de que Jango era comunista e apoiaram, na sua maior parte, ao Golpe Militar de 1964.

É como diz o Paulo Henrique Amorim: as elites tupiniquins não aceitam um Presidente da República, seja ele qual for, que não faça exclusivamente o que elas desejam.

Quando Getúlio Vargas criou a legislação trabalhista, ele foi violentamente atacado pelos grandes industriais e pelas elites da época, da mesma maneira que, hoje, atacam Lula pelo fato de criar ou universalizar programas de inclusão social.

Mas, creio que este será o grande legado de Lula, a inclusão social, da mesma forma que a legislação trabalhista foi a grande herança de Vargas.

Não é à toa que eles são os 2 maiores Presidentes da história do Brasil.

Pedro Simon apóia Yeda Crusius!


É inacreditável a demonstração de incoerência e de hipocrisia políticas por parte do senador gaúcho, do PMDB, Pedro Simon, pois enquanto ele faz discursos exigindo a saída de Sarney da Presidência do Senado, ele defende e apóia o governo da tucana Yeda Crusius.

E vejam que, no caso de Yeda, a situação é muito mais grave do que a de Sarney, pois a governadora tucana já foi denunciada pelo Ministério Público Federal, inclusive por formação de quadrilha e por desvio de dinheiro público.

Mas, para o Senador Pedro Simon, isso não é importante, certo? o que interessa é afastar Sarney da Presidência do Senado a fim de que a oposição passe a controlar o mesmo, pois o Vice-Presidente do Senado é Marconi Perillo, do PSDB de Goiás, e assim, tucanos, demos e demais oposicionistas usariam o Senado para desestabilizar o governo Lula, enfraquecer a candidatura de Dilma Rousseff e, assim, abrir caminho para a vitória de José Serra à Presidência da República em 2010.

É lamentável que o senador Pedro Simon demonstre tamanha incoerência política, ainda mais ele, que tanto fala em ética e em moralidade.

Será que isso ocorre porque o filho de Simon é ocupante de cargo no governo de Yeda e que o PMDB controla importantes órgãos públicos do governo do Rio Grande do Sul, como o Banrisul?

Com a palavra, o Senador Pedro Simon, já que ele gosta tanto de falar, não é mesmo?


http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u610668.shtml


http://www.fabiocampana.com.br/2009/08/filho-de-pedro-simon-tem-sinecura-no-governo-de-yeda-crusius/

http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/yeda-serra-e-um-gatinho-chamado-pedro-simon

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Como o Datafolha se transformou em DataFraude!!!


A mais recente pesquisa do instituto Datafolha foi manipulada de maneira a beneficiar, de maneira descarada, ao candidato tucano, José Serra, e prejudicar a provável candidata do PT, Dilma Rousseff.

Como se deu tal manipulação?

Simples: o Datafolha alterou, drasticamente, o percentual de eleitores de cada região do país que deveria ter pesquisado.

A mais recente pesquisa do IBGE mostrou que a divisão da população brasileira, por regiões, é a seguinte (aproximadamente):

Sudeste - 41%
Nordeste - 28%
Sul - 15%
Norte/Centro-Oeste - 16%

Total - 100%

No entanto, a pesquisa Datafolha entrevistou os eleitores, por região do país, com base em uma proporção totalmente diferente, que foi a seguinte:

Sudeste - 63,7%
Nordeste - 18%
Sul - 9,3%
Norte/Centro-Oeste - 9%.

Total - 100%

Com isso, a região Sudeste ficou super-representada no resultado final da pesquisa Datafolha, enquanto que as demais regiões ficaram sub-representadas na mesma pesquisa.

E como a própria pesquisa Datafolha demonstrou, o candidato José Serra obteve o seu melhor resultado na pesquisa justamente na região... Sudeste. No Sudeste, Serra atinge 44% das intenções de voto, contra 13% de Dilma. Assim, no Sudeste, Serra abre uma vantagem de 31 p.p. sobre Dilma.

Enquanto isso, no Nordeste, Serra alcança apenas 31%, ou seja, 13 p.p. a menos do que no Sudeste. E Dilma, no mesmo Nordeste, obtém 18% na pesquisa Datafolha. Logo, na região nordestina, a vantagem de Serra sobre Dilma cai para 13 p.p.

Já no Norte/Centro-Oeste, Serra alcança os 32% e Dilma obtém 19%, mostrando uma diferença de apenas 12 p.p. em favor do candidato tucano.

E no Sul do país, Serra atinge os 37% e Dilma fica com 19%, uma diferença de 18 p.p. em favor do candidato do PSDB.

Assim, fica claro que a pesquisa Datafolha teve o seu resultado final fortemente alterado, em benefício do candidato José Serra, pela forma com que o instituto modificou a proporção de eleitores de cada região do país.

Enquanto o Sudeste teve 63,7% de eleitores entrevistados (sendo que o correto seria algo em torno de 41%) as demais regiões do país tiveram apenas 36,3% de eleitores entrevistados pelo Datafolha, sendo que o correto seria algo em torno de 59%.

E em qual região Serra obtém os seus melhores índices de intenção de voto? no Sudeste, que teve um aumento brutal na proporção de eleitores pesquisados pelo Datafolha, passando de 41% do total para quase 64% do total de entrevistados.

Assim, o percentual que Serra obteve na pesquisa Datafolha, de 37%, seria bem diferente, em alguns pontos percentuais menor, caso a proporção de eleitores, por região do país, tivesse sido respeitada pelo Datafolha.

E como Dilma obteve resultados melhores nas demais regiões do país, quando comparado com o Sudeste, o percentual que ela alcançou na pesquisa Datafolha, foi reduzido em vários ponto percentuais, em função desta manipulação que o instituto fez nesta pesquisa.

Portanto, seria perfeitamente correto dizer que o instituto Datafolha promoveu uma fraude descarada nesta pesquisa para a eleição presidencial de 2010 e de maneira a beneficiar, escandalosamente, o candidato tucano José Serra.

E foi desta maneira que o Datafolha virou o DataFraude.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Pesquisa do IPESPE mostra a força do Governo Lula para 2010!


Pesquisa para a eleição presidencial divulgada nesta quarta-feira, feita em Julho pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), que pertence a Antônio Lavareda, especialista em pesquisas eleitorais que costuma trabalhar para o PSDB e o DEM, mostra a força de candidatos identificados com o Governo Lula e os limites da candidatura de José Serra, bem como de qualquer outro candidato de oposição à Presidência da República em 2010.

Afinal, Dilma Rousseff é ministra do governo Lula e é do PT. Marina Silva é Senadora do PT e foi ministra do Meio Ambiente do governo Lula por vários anos, sendo totalmente identificada com o governo federal, portanto, e Ciro é do PSB, sendo que foi já foi ministro no primeiro mandato de Lula e pertence ao PSB, partido que está junto com o governo Lula desde 2003. Portanto, todos eles são candidatos que apóiam o governo Lula e são de partidos que fazem parte da base de sustentação do governo federal.

Então, pode se concluir que a pesquisa mostra, antes de mais nada, a força das candidaturas identificadas com o governo Lula.

Vejam os cenários pesquisados (entre parêntesis eu coloquei o percentual de votos válidos)


1) Cenário 1:

José Serra (PSDB) 28% (34,6%);
Ciro Gomes (PSB) 16% (19,8%);
Dilma (PT) 14% (17,3%);
Heloísa Helena (PSOL) 13% (16%);
Marina Silva (PT) 10% (12,3%).

Se fizermos a soma dos 3 candidatos pró-Lula (Ciro, Dilma e Marina) dá um total de 40%, contra 28% de Serra. E os votos de Heloísa Helena são de Esquerda e, num eventual 2o. turno, iriam quase todos para o candidato apoiado por Lula (Ciro, Dilma ou Marina), tal como já ocorreu na eleição presidencial de 2006, quando os votos dados à HH no 1o. turno migraram para a candidatura do Presidente Lula no 2o. turno.

Assim, somando-se o percentual de votos de Ciro, Dilma, Marina e HH dá um total de 53% (65,4% em votos válidos). Esse percentual, aliás, é praticamente idêntico ao de eleitores que se dispõe a votar num candidatura presidencial apoiada pelo Presidente Lula segundo as mais recentes pesquisas presidenciais divulgadas pelo Datafolha e CNT/Sensus.

É perfeitamente possível concluir, portanto, que se qualquer um destes 4 candidatos (Ciro, Dilma, Marina e HH) fosse para um 2o, turno contra Serra e tivesse o apoio do Presidente Lula, o mesmo seria o vencedor das eleições com cerca de 65% dos votos válidos. Aliás, nas 2 oportunidades em que se elegeu Presidente da República, Lula obteve cerca de 60,5% dos votos, não muito longe, portanto, do percentual de votos válidos destes 4 candidatos presidenciais, todos eles pertencentes a partidos de Esquerda ou de Centro-Esquerda.

2) Cenário 2:

Serra (PSDB) 30% (37,5%);
Ciro (PSB) 22% (27,5%);
Dilma (PT) 14% (17,5%);
Marina Silva (PT) 14% (17,5%).

Na soma, os candidatos pró-governo Lula tem 50% das intenções de voto, contra 30% do candidato da oposição PSDB/DEM/PPS. Em votos válidos, o resultado seria: candidatos pró-governo Lula com 62,5%, contra 37,5% de Serra.

3) Cenário 3:

Serra (PSDB) - 37% (48,1%);
Marina (PT)- 24% (31,1%)
Dilma (PT)- 16% (20,8%)

Em votos válidos, temos:

Candidatas pró-Lula - 40% (51,9%);
Serra - 37% (48,1%).

Este é o único cenário em que a disputa ficaria equilibrada. Porém, é bom levar em consideração que tanto Marina Silva, como Dilma Rousseff, não são totalmente conhecidas pelo eleitorado e mostra também que se uma delas fosse para o 2o. turno com o apoio do PT e dos partidos que apóiam o governo Lula, ambas teriam grandes possibilidades de vencer a eleição presidencial de 2010.

4) Cenário 4:

Marina (PT) 27% (38%);
Aécio (PSDB) 25% (35,2%);
Dilma (PT) 19% (26,8%).

Assim, neste último cenário, as candidaturas pró-Governo Lula chegam a 46% (64,8% dos votos válidos), contra apenas 25% (35,2% dos votos válidos) do candidato da oposição, Aécio Neves (PSDB).

Essa pesquisa mostra, portanto, que qualquer candidato (a) identificado (a) com o governo Lula tem grandes possibilidades de vencer a eleição presidencial de 2010.


Link:

http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/08/13/pesquisa+da+dilma+atras+de+marina+em+dois+cenarios+7849921.html

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

A candidatura Dilma, Marina Silva e a eleição presidencial de 2010!!


Marina Silva tem uma biografia política mais do que respeitável, sem dúvida alguma. E diferentemente de uma Heloísa Helena, ela não está saindo do PT falando mal do partido, nem dos seus dirigentes ou militantes. Ela sai com o partido inteiro pedindo para que permaneça no mesmo, mostrando que é altamente respeitada por todos dentro do PT. Não me lembro de ninguém pedindo para que a HH permanecesse no PT (a não ser o Eduardo Suplicy, é claro, que é tão caridodo quanto a Madre Teresa de Calcutá).

Marina está saindo do PT porque entende que terá mais chances de apresentar suas propostas, de nítido conteúdo ambientalista, para o povo brasileiro em um outro partido, pois hoje o governo Lula está, claramente, voltado para um projeto de desenvolvimento econômico nacional e cobra dos países ricos a maior parte da responsabilidade por combater os efeitos do aquecimento global.

Sinceramente? Marina Silva deveria se naturalizar norte-americana ou chinesa e tentar se candidatar à Presidente destes países, já que eles são os maiores poluidores do planeta hoje. Estes dois, sozinhos, dão uma contribuição muito maior para destruir o meio ambiente do que o Brasil.

Mas, creio que ela está enganada se pensa que o partido que dará sustentação a um projeto ambientalista mais agressivo é o PV, que é uma sublegenda do PSDB e do DEM em todo o país.

Marina terá, no máximo, uns 3 ou 4% dos votos se for candidata à Presidência. Na verdade, creio que ela vai disputar os votos que seriam dados ou para Heloísa Helena ou para Ciro Gomes.

Votos da Dilma, Marina não terá quase nenhum.

A questão ambiental é importante, sem dúvida alguma, mas vá explicar isso para alguém que está priorizando a luta pela sobrevivência, para ter uma vida melhor.

Dilma ainda irá crescer muito nas pesquisas, pois ela é desconhecida para a maioria absoluta do eleitorado, que ainda sequer sabe que ela será candidata à Presidência e que terá o apoio de Lula. Quando tudo isso ficar claro para a população, Dilma irá disparar nas pesquisas.

Lula, que de bobo não tem nada, irá fazer de tudo para transformar a eleição de 2010 num plebiscito sobre o seu governo. E como este é considerado ótimo/bom por 70% da população, caso a eleição se torne plebiscitária, Dilma ganhará no 1o. turno e facilmente.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Para entender a língua que os tucanos falam! - por Marcos Doniseti!


Para entender a língua que os tucanos falam - por Marcos Doniseti

Durante a campanha eleitoral de 2006, o ex-Presidente FHC disse que os brasileiros precisam aprender a falar a mesma língua que ele, que os seus amigos acadêmicos e os tucanos em geral falam.

Então, decidi dar a minha contribuição para que isso aconteça e vou ajudar a explicar, para o povo brasileiro, qual é o significado das inúmeras e inteligentes expressões utilizadas pela tucanada.

Lá vai:

1) Democracia – sistema de governo em que o povo elege os governantes, mas desde que os mesmos não sejam de Esquerda, Populistas e nem Progressistas, pois daí já seria uma Ditadura;

2) Ditadura – sistema de governo fortemente autoritário e repressivo, e que é comandado exclusivamente por Líderes Esquerdistas e Comunistas, como o Hugo Chávez, pois como é do conhecimento de todos que conhecem profundamente a História da Humanidade, nunca existiu nenhuma Ditadura de Direita.

Assim, Hitler, Mussolini, Pinochet, Somoza, Médici, eram todos notórios comunistas que comiam criancinhas no café da manhã e eram todos adeptos do Marxismo Revolucionário e Ateu;

3) Populismo – governo que procura insistentemente enganar e iludir a população, com promessas fáceis e mirabolantes, principalmente aos mais pobres, investindo maciçamente na área social, procurando eliminar a fome, a miséria e o analfabetismo que, como é sabido por todos, são algumas das mais importantes conquistas da Civilização humana.

Tais governos também insistem em querer distribuir melhor as riquezas produzidas, permitindo que a população desfrute de uma condição de vida melhor... Pode um absurdo desses??? Assim, onde é que nós iremos parar? Chama logo o Bush para acabar com essa pouca vergonha!!!

4) Povo – grupo de pessoas que fala inglês, mora nos Jardins, viaja todos os anos para a Europa e os EUA, compra carro novo quase todos os anos, assina a imparcial, proba e honesta revista ‘Veja’, são fãs de Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo, Miriam Leitão, Carlos Alberto Sardenberg e Arnaldo Jabor, são adeptos do Capitalismo Neoliberal e que votam no PSDB. Os que não se enquadram em tais critérios não fazem parte do povo, encontrando-se num estágio ainda inicial de progresso intelectual, ou seja, são uns caipiras burros, estúpidos e analfabetos;

5) Mídia – veículos de comunicação que agem como se fossem partidos políticos e que comandam a oposição a todo e qualquer governo Populista, de Esquerda ou Progressista e que são os verdadeiros e únicos intérpretes da vontade popular.

Assim, cabe ao povo reproduzir, da forma mais fiel possível, tudo o que a Mídia diz. Com isso, o povo não precisa pensar, pois a Mídia já se encarrega de fazer isso pelo povo, que não sabe onde é o seu lugar. A Mídia está aí, justamente, para ensinar!;

6) Esquerdistas, Populistas e Nacionalistas – grupos políticos e sociais constituídos de pessoas altamente suspeitas e desqualificadas, que não tem o menor preparo para votar e nem para participar do processo eleitoral, sendo um bando de notórios analfabetos. Entre os seus principais integrantes, estão: operários, estudantes, intelectuais, camponeses, trabalhadores rurais, funcionários públicos, donas de casa, enfim, uma verdadeira ralé!!!

7) Socialismo – um odioso, corrupto, nefasto e imoral sistema social e econômico em que se procura atender as necessidades básicas da população, como acesso à alimentação, educação e saúde públicas e gratuitas, empregos, lazer, saneamento básico, moradia e transporte coletivo de qualidade para todos, com a população tendo acesso às riquezas produzidas pelo país.

Como é sabido por todos, não existe nenhum sistema mais repulsivo e repugnante do que este, que é obra daqueles malditos socialistas, comunistas, populistas, nacionalistas, esquerdistas, ah, que raiva que eu tenho dessa ralé!!! Acho que vou ter um troço....aaahhhhhhhhhhhhhhhhhh

8) Capitalismo Neoliberal – Um maravilhoso, fantástico, sensacional e esplêndido tipo de sociedade em que apenas uma minoria da população consegue desfrutar de condições minimamente satisfatórias de vida, tendo acesso à educação e saúde de qualidade, carros importados, viagens anuais para a Disney, jantar em restaurantes caros todas as semanas, enfim, tudo o que a vida oferece do bom e do melhor.

Existe algo mais justo, democrático, moderno, lindo e maravilhoso do que isso? É claro que não, seus comunistas, populistas e esquerdistas de merda!!!

Como seria um governo do PSDB na Presidência da República???


No blog do Azenha, um leitor perguntou como seria um eventual governo de José Serra na Presidência da República.

Bem, acredito que, entre outras iniciativas, teríamos o seguinte:

1) Desemprego em massa para os trabalhadores brasileiros. Afinal, no governo FHC, o número de desempregados no Brasil aumentou em 120%!!;

2) Agora, emprego para a tucanada iria sobrar. Afinal, somente no governo do estado de SP temos mais de 20 mil cargos de confiança. Na prefeitura de SP são quase 12 mil;

3) Ah, também iríamos recorrer ao FMI umas duzentas vezes;

4) Os juros iriam para 45% ao ano;

5) As estatais restantes seriam doadas para empresários aliados do PSDB, como o Daniel Dantas, e até para irmãos de líderes tucanos (vide a Telemar, que foi comprada pelo Carlos Jereissatti, irmão do Tasso);

6) Iríamos mandar soldados brasileiros para lutar no Iraque e no Afeganistão;

7) A economia brasileira afundaria numa crise terrível quando qualquer paisinho como uma Tailândia da vida entrasse em crise;

8) Os movimentos sociais seriam tratados como se fossem formados por criminosos;

9) O governo Serra mandaria assinar a 'Folha', 'Veja', 'Estadão' e 'O Globo' e mandaria distribuir em todas as repartições públicas federais;

10) A Sabesp iria fazer propaganda na África;

11) Todos os programas sociais seriam extintos;

12) A legislação trabalhista e a Lei Áurea seriam abolidas com o objetivo de reduzir os custos trabalhistas;

13) A cotação do dólar iria para uns R$ 5;

14) Para encerrar com glória, Arthur Virgílio seria Presidente do Senado...

Até quando a Direita irá dominar o Congresso Nacional? - por Marcos Doniseti!


Até quando a Direita irá dominar o Congresso Nacional? - por Marcos Doniseti!
As forças mais democráticas, progressistas e populares do país ainda não se deram conta de que o poder político, no Brasil, foi transferido, com a nova Constituição de 1988, de fato, para o Congresso Nacional.

E este Congresso é controlado pelas forças mais retrógradas e reacionárias da sociedade brasileira, que fazem de tudo para barrar a implementação de políticas públicas que sejam prejudiciais aos seus interesses e que beneficiem a maioria da população. Aliás, é por isso que tais elites criticaram intensamente Getúlio Vargas quando este criou a legislação trabalhista e é por este mesmo motivo que atacam Lula por este ter criado e ampliado o alcance de inúmeros programas de inclusão social.

Desta maneira, todos os Presidentes da Repúblicas tornam-se, na prática, reféns do Congresso Nacional e como este é dominado pelas forças políticas e sociais mais conservadoras (cerca de 80% dos parlamentares são eleitos por partidos conservadores, como PSDB, DEM, PMDB, PP, PTB, PR...) todos os Presidentes da República são obrigados, gostem ou não disso, a fazer governos de coalizão que incluem um grande número de partidos políticos, pois necessitam fazer isso para ter maioria no Congresso Nacional a fim de aprovar os projetos de interesse do governo. Sem o apoio desta maioria no Congresso Nacional, Presidente algum consegue governar.

Assim, as Esquerdas e as forças democráticas e progressistas brasileiras são muito fracas justamente naquela instituição, que é o Congresso Nacional, onde se decide todos os assuntos.

Afinal, tudo que o governo (Poder Executivo) quer fazer, precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional para começar a vigorar. O Orçamento da União, a nomeação de diretores e do presidente do Banco Central, projetos de lei, emendas constitucionais, medidas provisórias, aumento do salário mínimo, enfim, tudo precisa ser aprovado pelos congressistas.



Então, de fato, é o Congresso Nacional que, de fato, detém a maior parte do poder político no Brasil e não o Presidente da República, como a maioria da população pensa.

O problema é que essa fragilidade das forças mais progressistas no Congresso Nacional tem raízes históricas e também decorre da própria incapacidade destas forças para conseguir se enraizar junto à população e obter o apoio desta para as suas idéias.

Infelizmente, todos os políticos destes partidos mais conservadores foram eleitos diretamente pelo povo: Sarney, Collor, Renan Calheiros, Agripino Maia, Arthur Virgílio, Tasso Jereissatti, Heráclito Fortes, Efraim Morais, foram todos eleitos diretamente pelo povo.

Então, isso significa que o povo é culpado por esta situação?

Não. Isso é bobagem! A culpa é de quem, durante 500 anos, não ofereceu a este povo condições educacionais, políticas, culturais, sociais, econômicas que lhe permitissem ser organizado, esclarecido e independente o suficiente para poder votar com inteligência, de acordo com os seus próprios interesses, e não elegesse e reelegesse continuamente tais políticos, que tanto mal fazem ao país.

E quando este povo tentou se mobilizar e se organizar com esta finalidade, defender seus próprios interesses, acabou massacrado. Aí estão o Quilombo dos Palmares, a Cabanagem, a Guerra de Canudos, a Guerra do Contestado, os massacres contra trabalhadores (urbanos e rurais), a criminalização e repressão aos movimentos sociais organizados que não me deixam mentir.



Até mesmo quando alguns governantes tomaram medidas para mudar esta situação, promovendo reformas a fim de se democratizar, de fato, a sociedade brasileira, tais governantes acabaram sabotados e derrubados do poder. Exemplo disso foi o que ocorreu com o então Presidente da República, pelo PTB, João Goulart, o Jango.

Entre 1961-1964, quando o governo João Goulart iniciou um programa intensivo de alfabetização de adultos, comandado por Paulo Freire, quis conceder o direito de voto para os analfabetos e estender os direitos trabalhistas para os trabalhadores rurais, as Elites podres, golpistas, reacionárias deste país (latifundiários, banqueiros, Grande Mídia, industriais, classes médias abastadas, Igreja conservadora, multinacionais, e todos com o decisivo apoio do governo dos EUA) organizaram um Golpe de Estado e o derrubaram da Presidência da República.



E com a implantação da Ditadura Militar, os privilégios e poder imenso de que as Elites tupiniquins sempre desfrutaram foram aumentados, reforçando ainda mais o seu poder na sociedade.

Um exemplo disso é o setor da Mídia, que reúne TV, rádio, Internet, jornais, revistas, etc.

Foi durante a Ditadura Militar que se consolidou, no Brasil, um modelo em que a Grande Mídia brasileira passou a ser controlada por um pequeno número de famílias (Marinho, Civitta, Frias de Oliveira, Sirotsky, Abravanel, Saad) que decidem como as notícias serão divulgadas, quais os fatos que terão espaço em seus veículos de comunicação e quais os interesses que eles irão defender. E estes grandes empresários são capitalistas, que visam seus próprios interesses e os dos seus aliados, membros da mesma classe social da qual eles fazem parte, e não os da população brasileira.

Além disso, não é à toa que muitos dos proprietários destes veículos de comunicação (rádios, TVs, jornais) sejam as forças políticas dominantes em seus respectivos estados, como são os casos de José Sarney (no Maranhão) e de Fernando Collor (Alagoas), a família ACM (Bahia) entre muitos outros políticos que são os principais empresários de mídia em sua 'terra natal'.



Assim, com esse modelo de concentração de poder e de riqueza nas mãos de uma pequena parcela da população brasileira (ou seja, nas mãos de suas elites capitalistas retrógradas e reacionárias) é perfeitamente compreensível porque a imensa maioria dos políticos eleitos pertençam a estes mesmos grupos sociais que são integrantes destas elites e que os partidos que representam os interesses das mesmas (ou seja, o PSDB, DEM,PP, PTB, PR) acabem por controlar o Congresso Nacional e o sistema político brasileiro em geral.

E isso também explica porque tais elites tem uma imensa influência no Poder Judiciário e também controlam a imensa maioria das prefeituras, dos governos estaduais, das Assembléias Legislativas e das Câmaras de Vereadores.

Portanto, não será fácil derrubar, ou mesmo enfraquecer, o poder destas elites, cujos tentáculos são imensos e se espalham por toda a sociedade e pelo Estado brasileiros.

Para isso, se faz necessário a realização tanto de uma Reforma Política (que proíba as coligações para eleições legislativas e o financiamento privado de campanhas eleitorais e adote o financiamento público) quanto de se promover um processo de Democratização da Mídia brasileira (através de uma 'Ley de Medios').



Tais reformas são fundamentais para que se possa criar uma sociedade mais justa, mais democrática, mais igualitária, no Brasil, e um Estado que esteja a serviço dos interesses da imensa maioria da população.

Esta será uma tarefa muito difícil, mas isso é algo que não se pode deixar de lado, senão jamais veremos qualquer mudança mais significativa acontecer no país em benefício dessa mesma população.

Portanto, a luta continua!!

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Por que só 'Fora, Sarney''?? E os outros?


Hoje, o blog do Nassif publicou o comentário de uma leitora, chamada Elaine, e como considerei o mesmo como sendo muito pertinente, eu irei reproduzí-lo aqui no blog:


"Dia 15/08/2009 a oposição, orkuteiros e sites como o (Terra) e midia estão organizando um Movimento FORA SARNEY em 14 cidades.

Porém como é do conhecimento de todos, hoje temos 81 senadores, e todos sem exceção com algum desvio ético, corrupto, moral, sendo assim, este 'Movimento Fora Sarney' se torna incompreensível. Afinal, por que só o Sarney?

Me diz uma coisa: E o Arthur Virgílio: R$ 800.000,00 para a mãe, viagem para Europa, funcionário fantasma morando na Europa recebendo salários e horas extras, funcionario Personal Trainner, tudo pago por nós. NADA DE 'FORA, VIRGÍLIO?' Este corrupto pode ficar?

O Heráclito Fortes(DEM), durante anos, empregou a filha do FHC, a qual nunca foi trabalhar, a mesma recebeu salários e horas extras. O Heráclito também pode ficar? NADA DE 'FORA, HERÁCLITO?'.

O Alvaro Dias(PSDB) sonegou R$ 6.000.000,00 para a Receita Federal? Também pode ficar? NADA DE 'FORA, ÁLVARO?'

O Sérgio Guerra (PSDB) sonegou um haras. Também pode ficar? NADA DE 'FORA, SÉRGIIO GUERRA?'.

O Demóstenes do grampo falso do DEM, tb pode ficar? NADA DE 'FORA, DEMÓSTENES'?

O Efraim Morais(DEM), cheio de acusações de desvio de dinheiro de empresas terceirizadas. Também pode ficar? NADA DE 'FORA, EFRAIM?'.

O Marconi Perillo (PSDB) é acusado de vários crimes, dentre eles: formação de quadrilha. Também pode ficar? NADA DE 'FORA, MARCONI?'.

E nós que queremos e desejamos uma Reforma Politica para todos, não esta seletiva que a imprensa deseja, vamos ficar assistindo este Movimento todo, tirarem o Sarney, e permitir que os demais tomates podres continuem no cesto?

Ficando quietos, estamos acatando a oposição, a mídia tirar o Sarney e permanecer com os demais corruptos ali dentro??

Está correto isso? Não vamos mudar nada? Vamos ficar satisfeitos somente com a saida do Sarney?".


Obs: O que posso dizer sobre este comentário? Perfeito!!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

IPEA mostra redução da pobreza e da desigualdade no Brasil em plena crise global!!!



Quatro milhões de brasileiros deixaram a linha de pobreza entre o ano de 2002 e 2009, segundo estudo divulgado nesta terça-feira pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea). A pesquisa constatou, também, que a crise financeira mundial, que se agravou em setembro passado, não prejudicou o ritmo de redução da pobreza no Brasil.

Em março de 2002, a taxa era de 42,5%, e neste ano a taxa passou para 31,1%, segundo o Comunicado da Presidência do Ipea, que se baseia na Pesquisa Mensal de Emprego (PME), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados são colhidos nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Belo Horizonte e Porto Alegre.

O Ipea constatou que a crise não afetou a pobreza comparando a média nos períodos de outubro de 2007 a junho de 2008 e de outubro de 2008 a junho de 2009. Na primeira data, a taxa de pobreza era de 31,9%. Já no período mais recente, o índice recuou para 31%, mesmo tendo sido esta a fase mais aguda da crise financeira internacional, quando houve forte corte nos níveis de emprego no Brasil. Neste período, o estudo mostra que 503 mil pessoas deixaram a pobreza.

O Ipea avalia que a crise impos restrições à economia brasileira, mas a atual conjuntura tem "algo de novo" se comparado a outras crises. "Ao contrário dos períodos de 1982/83, 1989/90 e de 1998/99, quando a inflexão econômica implicava aumento da pobreza nas regiões metropolitanas, não se observa crescimento na taxa de pobreza desde o último trimestre de 2008."

Desigualdade

No mesmo período, o Ipea notou também uma queda na desigualdade de renda no Brasil. O índice de Gini alcançou seu menor patamar em junho de 2009 nas seis principais regiões metropolitanas brasileiras e ficou em 0,493. O índice vai de 0 a 1, sendo que quanto mais próximo de 1, maior a desigualdade.

Entre janeiro (0,514) e junho de 2009, o índice de Gini caiu 4,1%, a mais alta queda registrada desde o ano de 2002, mostrou o Ipea. De março de 2002 (0,534) até junho de 2009, o índice Gini caiu 7,6%. "Se for considerado o mês de mais alta medida de desigualdade, que foi dezembro de 2002 (0,545), a queda do índice de Gini até junho de 2009 chega a 9,5%", diz o comunidado do Ipea.


http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2009/08/04/4+milhoes+de+brasileiros+deixaram+a+pobreza+desde+2002+diz+ipea+7673942.html

Afinal, o que deu errado com as previsões catastróficas sobre o futuro do Brasil??? - Marcos Doniseti!

Afinal, o que deu errado com as previsões catastróficas sobre o futuro do Brasil??? - Marcos Doniseti!

Como é facilmente percebido pelos leitores deste blog, a economia brasileira está em claro processo de recuperação. Isso já é do conhecimento até do 'mundo mineral', como diz o Mino Carta.

A produção industrial brasileira em 2009 cresceu 7,9% em relação a Dezembro. As vendas no comércio varejista brasileiro aumentaram 4% no acumulado do ano. A renda média do trabalhador brasileiro cresceu 4% no acumulado deste ano, também. A taxa de desemprego de Junho deste ano (8,1%) foi quase igual à de Junho de 2008 (7,9%). A confiança do empresariado e do consumidor voltou a subir. O Superávit comercial é quase 20% do que o do mesmo período de 2008.

Tudo isso demonstra, claramente, que o pior momento da crise já passou. A retomada do processo de crescimento da economia brasileira já começou e deverá se intensificar ainda mais em 2010, quando boa parte das medidas tomadas em 2009 estarão surtindo efeito sobre a economia real, principalmente a forte redução da taxa Selic, que caiu de 13,75% para 8,75% ao ano em apenas 1 semestre.

No entanto, quando o Brasil começou a sentir os efeitos da crise financeira e econômica global, no último trimestre de 2008, as previsões feitas por economistas e analistas em geral para a economia brasileira em 2009, 2010, enfim, para os próximos anos, eram absolutamente catastróficas.

Vou começar a pesquisar na Internet, e a publicá-los aqui no blog, textos que mostram quais foram estas previsões catastróficas para o Brasil e, daí, os leitores poderão ter uma ideia melhor sobre quem fez tais previsões e quais foram elas.

Assim, os leitores do blog poderão ter uma ideia de quem estava fazendo uma análise séria dos fatos ou quem, simplesmente, estava torcendo contra para que tudo desmoronasse, que o Brasil afundasse e que o governo Lula fosse destruído.

No ano passado, li no blog do Azenha uma entrevista com o professor Nildo Ouriques, na qual ele previa que, entre outras, teríamos a implosão do modelo econômico que vigorou no governo Lula. Ouriques dizia que as reservas internacionais do país iriam virar pó, que a dívida pública iria explodir, que os gastos públicos teriam que ser brutalmente arrochados para poder pagar a dívida interna, que a cotação do dólar iria para a estratosfera e assim por diante.

E nada isso aconteceu!

Vejam abaixo trechos destas previsões:


"NO: Não estamos absolutamente blindados à crise. Assisti a uma conferência do Reinaldo e é muito clara a análise dele. E esse dado da falta de cobertura das empresas – o Reinaldo não tocou no ponto, mas tenho certeza de que aceitaria tal hipótese – vai forçar a burguesia brasileira a trair a nação e perpetrar um ataque especulativo.

Essa desvalorização do real, de 53%, se deve àquela sobrevalorização cambial acumulada. Agora vem outra que é para cobrir as despesas. A burguesia e o empresariado brasileiro têm a nação apenas como mercadoria para traficar no mercado mundial. Eles não vão vacilar em impor a todos nós um processo ainda mais terrível.

CC: Nós já estamos sob um ataque especulativo?

NO: Ainda não. Já estamos num processo acentuado de desvalorização cambial, mas iremos sofrer esse ataque contra a moeda, destinado a endividar o país e a passar o prejuízo para a grande maioria da população através de uma política de austeridade completa, com cortes significativos em saúde, segurança, educação, ciência e tecnologia, cultura etc. Por fim, vão colocar o orçamento exclusivamente a serviço do pagamento da dívida interna e das novas obrigações do endividamento externo, que nessas circunstâncias inexoravelmente voltará.

CC: Nesse sentido, todas essas serão medidas inócuas?

NO: São absolutamente insuficientes, estão perdendo tempo e está se constituindo uma grande irresponsabilidade do governo. Uma irresponsabilidade que tem lógica.

Não quero aqui fazer uma leitura liberal. O capital produtivo exportador, os banqueiros e o latifúndio estão ganhando dinheiro com tal política, e isso é o fundamental. Completamente dentro da lógica do modelo.


Abaixo, posto o link da entrevista dele:

http://www.correiocidadania.com.br/content/view/2739/

Assim, entre as principais previsões furadas do Professor Nildo Ouriques, temos:


1) Maxidesvalorização do Real: Não aconteceu e, hoje, o dólar está cotado a R$ 1,83 e já acumulou uma desvalorização de 27% em relação à cotação de R$ 2,53 que o mesmo atingiu no auge dos efeitos da crise global sobre o Brasil;

2) Reservas internacionais irão virar pó: Outra previsão furada. Na verdade, hoje, as reservas internacionais estão num nível superior ao de antes da crise atingir o Brasil com mais intensidade, o que se deu no 4o. trimestre de 2008, chegando a US$ 209,5 Bilhões;

3) Cortes drásticos nos investimentos públicos: Na verdade, aconteceu exatamente o contrário do que o prof. Ouriques previu.

O governo Lula aumentou fortemente os investimentos públicos, principalmente em obras de infra-estrutura e também elevou o valor do salário mínimo acima da inflação, reajustou o valor do Bolsa-Família e tais medidas tem um forte impacto nos gastos sociais públicos, pois 18 milhões de aposentados e pensionistas do INSS recebem 1 salário mínimo mensal e temos mais de 11 milhões de famílias cadastradas no Bolsa-Família;

4) Explosão da dívida pública: Isso não aconteceu!! A dívida pública representava 36% do PIB no final de 2008 e, agora, está em 43,1% do PIB, muito abaixo dos 55,5% do PIB do final de 2002.

Além disso, a retomada do crescimento econômico, combinado com a redução da taxa Selic, irão promover um novo processo de redução da relação dívida/PIB nos próximos meses, principalmente em 2010. Com isso, o Brasil deverá terminar 2010 com uma relação dívida/PIB muito próxima daquela que tínhamos no final de 2008.

E a significativa redução da taxa Selic que tivemos em 2009 irá resultar numa queda muito forte nos gastos com pagamento de juros da dívida pública.

Assim, em vez de cortar os investimentos públicos para pagar a dívida pública, o governo Lula está fazendo exatamente o contrário, ou seja, cortando os gastos com o pagamento da dívida pública para aumentar os investimentos públicos em infra-estrutura e na área social.

5) Medidas insuficientes para combater a crise: Como se percebe pelo noticiário destes últimos meses, as medidas tomadas pelo governo federal (redução da taxa Selic, diminuição de impostos, lançamento do programa habitacional 'Minha Casa, Minha Vida', redução dos compulsórios, aumentos dos investimentos públicos, redução do superávit primário, entre outras) foram mais do que suficientes para impedir que o Brasil afundasse, tal como o prof. Ouriques previa, e a economia brasileira já voltou a crescer.

E já temos previsões feitas por instituições financeiras privadas nacionais de que em 2010 o PIB brasileiro poderá crescer até 5%.

Portanto, tudo isso demonstra o erro brutal de avaliação cometido pelo Prof. Ouriques, no final de 2008, quando afirmava que a economia brasileira estava indo para o buraco.

Será que o ilustre professor irá, agora, reconhecer que errou em sua avaliação e explicar os motivos deste erro???