Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Governo de Honduras é golpista e não interino, dizem especialistas!!


28/09/2009 - 19h44

Governo de Honduras é golpista e não interino, dizem especialistas

Maurício Savarese

Do UOL Notícias

Em São Paulo

A falta de devido processo legal, a inexistência de apoio da comunidade internacional e a origem em um levante para remover um chefe de Estado legitimamente eleito só permitem chamar o governo de Honduras de golpista, não de interino, afirmam especialistas consultados pelo UOL Notícias. A atual administração do país centro-americano acusa o presidente deposto, Manuel Zelaya, de tentar violar a Constituição para buscar a renovação de seu mandato presidencial.
Que medidas o Brasil deveria adotar em relação ao presidente deposto?
Deixe aqui sua opinião

A administração liderada por Roberto Micheletti afirma que Zelaya está sujeito a ser preso se deixar a Embaixada do Brasil por ter violado a 4ª Cláusula da Constituição hondurenha, segundo a qual tentativas de mudar a Carta implicam perda imediata do cargo público. Os golpistas acusam o presidente deposto de abuso de poder e de traição à pátria.

Para os analistas, ainda que Zelaya tenha tentado promover um referendo para mudar a Constituição hondurenha, nada nela prevê que o mandatário seria expulso do país, o que reforça os contornos de golpe de Estado na ação promovida pelo grupo de Micheletti. Além disso, dizem eles, pesa contra o regime de Tegucigalpa a ausência de reconhecimento não apenas por outros países, mas também pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Organização dos Estados Americanos (OEA).

Os especialistas ouvidos foram unânimes ao considerar que chamar o governo de Micheletti de interino seria uma concessão a uma gestão com traços autoritários - inclusive com suspensão de direitos constitucionais e censura à imprensa - e que carece de respaldo globalmente. Nenhum governo do mundo até o momento reconheceu o regime estabelecido em Tegucigalpa após a deposição de Zelaya, que desde a semana passada está abrigado na Embaixada do Brasil na capital do país.

Veja a cronologia da crise

Desde que foi eleito, em 2005, Manuel Zelaya se aproximou cada vez mais dos governos de esquerda da América Latina, promovendo políticas sociais no país. Ao mesmo tempo, seus críticos argumentam que Zelaya teria se tornado um fantoche do líder venezuelano Hugo Chávez e acabou sendo deposto porque estava promovendo uma tentativa ilegal de reformar a constituição

Acompanhe a cronologia da crise hondurenha
"Honduras faz parte da Convenção Americana dos Direitos Humanos e ali está claro que em todo processo legal deve haver direito ao contraditório. Mesmo uma pessoa acusada de um crime tem o direito de defesa. Isso não foi observado e diante de uma suposta violação decidiu-se simplesmente tirar o presidente do país e instituir outro regime. Isso permite dizer que há lá um governo golpista", afirmou Pedro Dallari, professor de Direito Internacional da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).

Especialista em questões latino-americanas, o venezuelano Rafael Villa diz que a administração de Micheletti não pode ser chamada de ditadura porque mal acabou de se instalar no poder, mas afirma que se trata de um governo golpista, que também pode ser chamado de regime de fato. "A linha divisória entre governo de fato e governo golpista não existe. Ambos emergem fora das regras estabelecidas e que dão legitimidade. Ambos supõem governo fora de legalidade e carentes de legitimidade. É esse o caso de Honduras", afirmou.

Exemplos internacionais

O professor da USP diz que a falta de reconhecimento internacional é um grande elemento que reforça o caráter golpista do grupo hondurenho. Ele lembrou a situação do Haiti, que afastou o então presidente Jean-Bertrand Aristide em meio a uma revolta popular e o isolou na África do Sul, em 2004. Depois de chegar ao continente africano, ele alegou que não tinha renunciado e que os Estados Unidos o tinham sequestrado.

"No caso do Haiti houve uma espécie de acordo entre países da comunidade internacional, um reconhecimento da situação de fato que se deu contra Aristide. Enquanto no caso do governo golpista de Honduras, em maior ou menor intensidade há apenas condenação. Tanto é que o governo golpista está desamparado nessa crise e está tomando medidas que reforçam esse caráter, como impedir a entrada de diplomatas da Organização dos Estados Americanos (OEA). Não é possível chamar de interino um governo que não aceita organizações internacionais", disse.

Para Gilberto Sarfati, professor das Faculdades Rio Branco e da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o momento decisivo para o regime de Micheletti ganhar a alcunha de golpista é o sequestro de Zelaya e sua retirada do país. "Qualquer legitimidade foi perdida aí. Se o presidente estava aprontando e havia uma previsão institucional de que poderia perder o cargo se tentasse violar a Carta Magna, poderia haver alguma legitimação. Mas o que aconteceu não foi isso, foi uma remoção forçosa do poder. Isso só pode ter o nome de golpe de Estado", afirmou.

Além disso, diz o professor, se a Constituição hondurenha previsse todos esses passos - incluindo a expulsão de Zelaya do país - haveria mais justificativa para o afastamento de Zelaya do poder. Como isso não existe no texto, a ordem institucional de Honduras foi rompida.

"Na Turquia a Constituição prevê que se um partido muçulmano chegar ao poder e quiser aplicar algo da sharia [lei islâmica] pode ser removido. Isso aconteceu em 1997, os militares governaram um ano até chegarem as eleições. O movimento que aos nossos olhos ocidentais se assemelha a um golpe foi considerado legítimo, porque a ordem institucional foi mantida. Não foi o caso de Honduras", completou.


http://noticias.uol.com.br/ultnot/internacional/2009/09/28/ult1859u1540.jhtm

Constituição de Honduras permite realização de consultas populares!!!


Eis o quinto artigo. Esse artigo talvez seja o mais interesssante e
relevante à situação.

ARTICULO 5.- El gobierno debe sustentarse en el principio de la
democracia participativa del cual se deriva la integración nacional,
que implica participación de todos los sectores políticos en la
administración pública, a fin de asegurar y fortalecer el progreso de
Honduras basado en la estabilidad política y en la conciliación
nacional.

A efecto de fortalecer y hacer funcionar la democracia participativa
se instituyen como mecanismos de consulta a los ciudadanos el
referéndum y el plebiscito para asuntos de importancia fundamental en
la vida nacional.

Una ley especial aprobada por dos terceras partes de la totalidad de
los diputados del Congreso Nacional, determinará los procedimientos,
requisitos y demás aspectos necesarios para el ejercicio de las
consultas populares. El referéndum se convocará sobre una Ley
Ordinaria o una norma constitucional o su reforma aprobadas para su
ratificación o desaprobación por la ciudadanía.

El plebiscito se convocará solicitando de los ciudadanos un
pronunciamiento sobre aspectos constitucionales, legislativos o
administrativos, sobre los cuales los Poderes Constituidos no han
tomado ninguna decisión previa.

Por iniciativa de por los menos diez (10) Diputados del Congreso
Nacional, del Presidente de la República en resolución del Consejo de
Secretarios de Estado o del seis por ciento (6%) de los ciudadanos,
inscritos en el Censo Nacional Electoral, habilitados para ejercer el
sufragio, mediante sus firmas y huellas dactilares debidamente
comprobadas por el Tribuna Supremo Electoral, el Congreso Nacional
conocerá y discutirá dichas peticiones, y si las aprobara con el voto
afirmativo de las dos terceras partes de la totalidad de sus miembros;
aprobará un Decreto que determinará los extremos de la consulta,
ordenando al Tribunal Supremo Electoral, convocar, organizar y dirigir
las consultas a los ciudadanos señaladas en los párrafos anteriores.

El ejercicio del sufragio en las consultas ciudadanas es
obligatoria. No será objeto de referendum o plebiscito los proyectos
orientados a reformar el Artículo 374 de esta Constitución.

Asimismo no podrán utilizarse las referidas consultas para asuntos
relacionados con cuestiones tributarias, crédito público, amnistías,
moneda nacional, presupuestos, tratados y convenciones internacionales
y conquistas sociales.

Corresponde al Tribunal Supremo Electoral, informar en un plazo no
mayor a diez (10) días al Congreso Nacionial los resultados de dichas
consultas. El resultado de las consultas ciudadanas será de
onbligatorio cumplimiento:

a) Si participan por lo menos el cincuenta y uno por ciento (51%) de
los ciudadanos inscritos en el Censo Nacional Electoral al momento de
practicarse la consulta; y,

b) Si el voto afirmativo logra la mayoría de votos válidos.

Si el resultado de la votación no es afirmativo, la consulta sobre los
mismos temas no podrá realizarse en el siguiente período de Gobierno
de la República. El Congreso Nacional ordenará la puesta en vigencia
de las normas que resulten como consecuencia de la consulta mediante
procedimiento constitucional de vigencia de la ley. No procede el veto
presidencial en los casos de consulta por medio de referéndum o
plebiscito. En consecuencia, el Presidente de la República ordenará la
promulgación de las normas aprobadas.

http://lists.indymedia.org/pipermail/www-pt/2009-August/0804-a1.html


http://cgi.stanford.edu/group/wais/cgi-bin/?tag=honduras-constitution

domingo, 27 de setembro de 2009

Ditadura Militar de Honduras não é reconhecida por ninguém! - Parte 2!


União Europeia ameaça Honduras com mais sanções

União Europeia aumenta pressão sobre governo interino de Honduras e ameaça com mais sanções caso não seja encontrada em breve saída para a crise política no país centro-americano.

Os ministros das Relações Exteriores da União Europeia (UE) anunciaram em encontro em Bruxelas nesta terça-feira (15/09) que irão reduzir os contatos políticos com os responsáveis pelo golpe de Estado em Honduras até que a crise no país seja resolvida de forma pacífica. Segundo os ministros, a medida atinge todos os políticos hondurenhos que impedirem uma solução negociada.

Em julho último, a Comissão Europeia havia decidido suspender a ajuda concedida a título de apoio ao desenvolvimento do país centro-americano. As sanções deverão continuar em vigor, anunciaram os ministros europeus do Exterior. Eles destacam também que o governo golpista e o presidente deposto devem retornar à mesa de negociações.

Plano de mediação costarriquenho

Em declaração, a União Europeia denunciou violações dos direitos humanos e repressão do governo golpista a manifestações pacíficas. Ao mesmo tempo, sugeriu ao governo interino de Roberto Micheletti que aceite o plano de mediação do presidente da Costa Rica, Oscar Arias.

http://www.dw-world.de/dw/article/0,,4694940,00.html

A questão não é 'Zelaya X Micheletti', mas Democracia X Ditadura!!!


Algumas pessoas, defensoras do Golpe de Estado em Honduras, estão querendo 'fulanizar' o debate a respeito do assunto, fazendo críticas ao Presidente deposto, Manuel Zelaya.

Mas, o fato é que Zelaya foi eleito Presidente de Honduras de forma legítima, diretamente pelo povo. Enquanto isso, o Roberto Micheletti Golpista, que não teve um voto popular sequer e, mesmo assim, é o atual Ditador de Honduras.

Assim, a verdadeira questão não é ‘Zelaya X Micheletti’, mas Democracia X Ditadura.

Se o Golpe em Honduras for, mesmo, vitorioso, a Democracia estará ameaçada em toda a América Latina. E quando um Golpe deste tipo acontecer aqui no Brasil não digam que não foram avisados.

Afinal, a onda de Ditaduras Militares que se espalhou pela América Latina nas décadas de 1960/1970 também começou num pequeno e pobre país da América Central, que foi a Guatemala, quando a CIA organizou um Golpe de Estado, em 1954, que derrubou um governo democraticamente eleito, o do Coronel Jacobo Arbenz, que também fazia reformas políticas, econômicas e sociais em benefício dos mais pobres, tal como ocorreu no governo de Manuel Zelaya que, entre outras medidas, aumentou o salário mínimo em 65% em menos de 4 anos de mandato.

Roberto Micheletti, Ditador de Honduras, é ligado ao 'Cartel de Cali'!!


Como se não fosse o suficiente, agora se descobriu que o Ditador de Honduras, Roberto Micheletti (foto), é ligado ao 'Cartel de Cali'.

Veja a notícia:


Honduras: golpista Micheletti tem ligação com
narcotráfico, revela lista de oficial da Segurança

O nome do golpista hondurenho Roberto Micheletti aparece vinculado com o Cartel de Cali, rede colombiana de narcotráfico, em lista de narcotraficantes redigida por um alto oficial do Ministério da Defesa e Segurança Pública de Honduras, revelou o jornalista franco-canadense Jean-Guy Allard, em reportagem publicada pelo site CubaDebate.

O documento, assinado pelo coronel de infantaria René Adalberto Paz Alfaro e levando o timbre do ministério, assinala no número SN-FF. AA. 060, Roberto Michelleti Bain – com erro ortográfico em Micheletti – com a “Conexão” Cartel de Cali e, sob a menção “Lugar”, a palavra “Yoro”.

Micheletti começou sua carreira política nos anos 80, no departamento de Yoro, onde nasceu em 1948. Estudou comércio nos Estados Unidos e depois montou a Empresa de Transporte TUTSA, em seu município natal, esquema que lhe serviu para se eleger deputado.

A aparição do nome de Micheletti nessa lista de narcotraficantes supõe que também consta nos fichários da DEA, a agência norte-americana antidroga, assinalou o jornalista, que também escreve na revista eletrônica CounterPunch.

Entrevistado pela Rádio Pacífica, em 10 de julho passado, o dirigente dos direitos humanos em Honduras, Andrés Pavón, afirmou que o general Vázquez Velázquez, chefe do Estado Maior hondurenho [aquele que era membro de uma quadrilha de assaltantes de carros em 1993. Ver matéria do HP, no número 2782], tem também ligação com o narcotráfico.

“Ele é um homem da comunidade de inteligência da América Latina, próxima às estruturas da DEA e da CIA, cúmplice de operações de narcotráfico”, explicou em conversa telefônica com o jornalista Fernando Velázquez, divulgada pela Rádio Mundial da Venezuela.


http://hondurasenlucha.blogspot.com/2009/09/micheletti-vinculado-al-cartel-de-cali.html

Golpistas defendem desrespeito às Leis de Honduras!!!


Travei um debate com um membro do blog do Nassif, chamado 'NRA", que é um defensor do Golpe de Estado em Honduras. Ele pregou, abertamente, o desrespeito às Leis hondurenhas e o Golpe criminoso e ilegal que ocorreu no país.

Abaixo publico o conteúdo do debate.

1) NRA disse “Porém, tal referendo foi considerado ilegal e proibido pelas altas cortes judiciárias de Honduras.”.

R – Foi considerado ilegal com base em qual lei?

Pelo que li a Constituição hondurenha atual NÃO PROÍBE a convocação de Referendos.

Veja isso:

ARTICULO 5.- El gobierno debe sustentarse en el principio de la democracia participativa del cual se deriva la integración nacional, que implica participación de todos los sectores políticos en la administración pública, a fin de asegurar y fortalecer el progreso de Honduras basado en la estabilidad política y en la CONCILIACIÓN nacional.
.
El PLEBICITO se convocará solicitando de los ciudadanos un pronunciamiento sobre aspectos constitucionales, legislativos o administrativos, sobre los cuales los Poderes Constituidos no han tomado ninguna decisión previa.
.
El ejercicio del sufragio en las consultas ciudadanas es obligatoria. NO SERÁ OBJETO de REFERENDUM o plebiscito los proyectos orientados a reformar el Artículo 374 de esta Constitución


Veja que não não existe, na Constituição hondurenha atual, nenhuma proibição quanto à convocação de Referendos.

Portanto, a proibição do Referendo pela Justiça hondurenha foi uma decisão sem base legal. Isso comprova que a Justiça hondurenha também participou do Golpe de Estado que derrubou o Presidente legitimamente eleito de Honduras, que é Manuel Zelaya, goste-se ou não disto.

E tanto foi um Golpe de Estado que NENHUMA instituição ou governo de qualquer país reconhece a legitimidade do governo golpista hondurenho.

Nem a ONU, nem a OEA, nem a UNASUL, nem a União Européia… NINGUÉM reconhece a legitimidade do atual governo ditatorial hondurenho.


2) "Meu caro, não nos cabe julgar se a proibição foi legal ou ilegal". por NRA

R - Cabe, sim. Eu sou um democrata e estou muito preocupado com a possibilidade de que Golpes como os de Honduras se reproduzam por toda a América Latina.

Você parece esquecer que o que aconteceu em Honduras poderá, também, um dia, acontecer no Brasil.

E somente daí que você irá se manifestar?

Ou você irá apoiar Golpes de Estado aqui no Brasil, também?

Não há nenhuma lei em Honduras que proíba a convocação de qualquer Plebiscito ou Referendo, fato este que você está querendo desprezar a fim de justificar um Golpe totalmente criminoso e ilegal.

Tanto isso é verdade que NENHUMA instituição ou governo de qualquer país do mundo reconheceu o governo ilegítimo e ditatorial de Honduras. Nem a ONU, nem a OEA, nem a UNASUL, nem a UE, nem o FMI.

3) "Aqui no Brasil, muitas vezes consideramos ilegais as decisões de nossa justiça, desde a primeira instância até o STF, no entanto você não vê nenhum governante nosso desobedecer tais decisões" por NRA

R - Assim, segundo você, quando o Poder Judiciário não aplica as leis, não devemos reclamar, certo? Devemos ficar passivos, acomodados, e aceitar que as leis sejam permanentemente desrespeitadas e que a Justiça continue se omitindo? A função do Poder Judiciário é fazer com que as leis sejam aplicadas e a Justiça hondurenha não fez isso, pois está mancomunada com os Golpistas. E a partir disso esta Justiça torna-se, ela mesma, ilegítima e sem base legal para agir.

4) "Em Honduras, o tal referendo foi considerado ilegal e proibido pelo Ministério Público e Suprema Corte.". por NRA

R - Como se viu, tal decisão foi flagrantemente ILEGAL, pois não há NENHUMA lei em Honduras que proíba a realização de qualquer Plebiscito ou Referendo. A realização deles está prevista na Constituição.

Ao impedir a realização do Referendo, a Suprema Corte jogou a Constituição hondurenha no lixo e deu autorização para que o Golpe acontecesse. Isso mostra que a Justiça hondurenha é totalmente criminosa e corrupta e totalmente desprovida de legitimidade. Portanto, suas decisões não merecem ser respeitadas por ninguém, pois desrespeitam as mesmas Leis que ela deveria fazer respeitar. É uma Justiça podre!!!

5) "Houve uma clara afronta do Zelaya a essas decisões.". por NRA

R - Decisões que foram totalmente ilegais e criminosas, fato este que você faz questão de esquecer.

6) "Enfim, os golpistas não são mocinhos. E Zelaya também não é.". por NRA

R - Isso não é filme de bang-bang para se falar em mocinhos e bandidos. A questão é: as leis devem ser respeitadas ou não? o Estado Democrático de Direito deve ser respeitado ou não? A Democracia é para valer ou é só para enganar os trouxas?

Você, ao apoiar um Golpe flagrantemente ilegal e criminoso mostra o seu total descompromisso com a construção de uma sociedade democrática e onde vigore o Estado Democrático de Direito.

Ditadura Militar de Honduras não é reconhecida por ninguém!


Nenhuma organização internacional e nenhum país reconheceu, até o momento, a legitimidade da Ditadura Militar hondurenha. Vejam as notícias abaixo, que comprovam esse fato:

1) Não há como fazer eleições em Honduras, diz secretário-geral da ONU

O secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Ban Ki-moon, suspendeu a assistência técnica ao tribunal eleitoral de Honduras, dizendo que os tumultos dos últimos dias mostram que não há condições para realização da eleição presidencial marcada para novembro. Manifestações foram reprimidas com violência após o retorno de surpresa ao país do presidente deposto, Manuel Zelaya, que está desde segunda-feira na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u628342.shtml

2) OEA suspende Honduras por deposição de presidente

A Organização dos Estados Americanos (OEA) decidiu, por unanimidade, suspender Honduras da entidade.

A medida foi anunciada um dia antes da anunciada volta a Honduras do presidente deposto Manuel Zelaya, que chegará à capital Tegucigalpa neste domingo acompanhado da líder da Argentina, Christina Kirchner, e do presidente do Equador, Rafael Corrêa.

A suspensão do país da OEA ocorreu diante da recusa do país centro-americano de reconduzir Zelaya à presidência, mesmo após uma tentativa de negociação por parte do secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, que esteve em Honduras no sábado

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/07/090705_honduras_suspende_pu.shtml

Marx, Stalin, o 'Socialismo Real' e o fim da URSS!!

Marx, Stalin, o 'Socialismo Real' e o fim da URSS! - por Marcos Doniseti!


Afinal, o que provocou o fim da URSS?

Entendo que o problema fundamental da URSS e dos demais países que adotaram o chamado ‘Socialismo Real’ é que Marx defendia a implantação do Socialismo em sociedades industrialmente avançadas, tecnologicamente sofisticadas, urbanizadas, com classes operárias numerosas e organizadas politicamente, bem como dotadas de um alto nível educacional e cultural e em países já com uma longa tradição de lutas sociais pelas liberdades e pela democracia,nas quais funcionavam instituições parlamentares e liberais, incluindo Parlamentos, imprensa, sindicatos, entre outras.

Este era o caso, por exemplo, de países como a França e a Grã-Bretanha.

Mas, o fato é que o Socialismo triunfou apenas em países pobres, atrasados, subdesenvolvidos, com pouca ou nenhuma indústria, quase inexistência de uma classe operária, em nações que eram formada por camponeses miseráveis e analfabetos e sem nenhuma tradição de liberdade ou de democracia.

A Rússia, por exemplo, era uma Autocracia milenar onde nunca havia existido qualquer resquício de democracia ou de respeito às liberdades ou direitos da população e no qual os governantes e as classes dominantes sempre agiram de forma violenta e brutal contra qualquer um que protestasse contra esse estado de coisas. O povo era tratado à base de sarrafadas e as coisas funcionavam assim desde tempos imemoriais.

O Stalinismo, por isso mesmo, tem muito pouco a ver com a idéia de Socialismo, de fato, sendo mais um tipo de ‘Czarismo modernizado’, adaptado às condições do século XX e fazendo uso dos conhecimentos e das técnicas existentes neste.

O próprio Stalin admitiu isso numa conversa que teve com a sua mãe, quanto esta já estava bem idosa e doente, à beira da morte. Em determinado momento ela perguntou ‘Meu filho, afinal, qual é o seu trabalho?’ Stalin respondeu ‘Sou Secretário Geral do Partido Comunista da URSS’… é claro que a mãe de Stalin não entendeu nada… Ele percebeu e perguntou ‘Mãe, a Sra. se lembra dos Czares?’… ela disse ‘Claro que me lembro, meu filho! Porque?’ Stalin responde ‘É que eu sou um tipo de Czar’ (obs: esse diálogo foi retirado do livro 'Um Stalin Desconhecido', dos irmãos Roy e Zhores Medvedev).

Através deste ‘Czarismo modernizado’ Stalin modernizou, a ferro e sangue, o velho Império Russo, eliminando o analfabetismo, industrializando o país, urbanizando-o, aumentando substancialmente a expectativa de vida da população, mas não teve como oferecer um padrão de vida que sequer se aproximasse aos dos países capitalistas mais desenvolvidos.

Até porque, a URSS não tinha colônias ou semi-colônias das quais pudesse extrair grandes lucros ou das quais pudesses saquear as suas riquezas, como acontecia, e ainda hoje ocorre, com os países capitalistas avançados, que exploram (há séculos...) os países da Ásia, América Latina e África.

E as deficiências e limitações do regime stalinista são bastante conhecidos e também já foram muito criticados, inclusive por intelectuais e líderes marxistas: a ditadura de partido único, a burocracia excessiva, a ineficiência da economia, os desperdícios, a corrupção, a falta de liberdades fundamentais (de expressão, manifestação, pensamento, etc) inviabilizaram um processo de modernização e de reforma do sistema stalinista (pois qualquer mudança no mesmo implicava e resultava na sua dissolução) a tempo de salvá-lo da derrocada e quando Gorbatchev tentou levar isso adiante já era tarde demais.

Deu no que deu…

O fim da URSS e a atual Crise Global do Capitalismo! - por Marcos Doniseti!

O fim da URSS e a atual Crise Global do Capitalismo! - por Marcos Doniseti


(Texto atualizado no dia 07/06/2012)


O leitor Filipe Rodrigues fez o seguinte comentário no blog do Nassif:


"Quem se beneficiou da revolução de 1917 não foi o povo russo, más a Europa Ocidental. Para minar a influência comunista surge o fenômeno do populismo, políticos conservadores (De Gaulle, Roosevelt, Vargas, Perón e etc)que passam a fazer políticas públicas de inclusão social (Estado bem-estar social).".


Sobre o mesmo, eu escrevi a seguinte resposta:


R - Concordo contigo. O medo da expansão do Comunismo pelo mundo afora é que levou as burguesias dos países capitalistas mais avançados (EUA, França, Alemanha, Grã-Bretanha), a fazer importantes concessões para as classes trabalhadoras, que passaram a desfrutar de inúmeros direitos sociais, trabalhistas e previdenciários.


Neste aspecto, o Welfare State é um filho indireto da Revolução Russa e assemelhadas. Sem estas, o Estado de Bem-Estar Social não teria sido construído ou então não teria atingido tamanho desenvolvimento. 


Aliás, bastou ficar claro que a URSS não tinha mais como competir com as economias capitalistas mais avançadas, o que se deu a partir dos anos 1970, que as burguesias iniciaram uma ofensiva global contra todas as conquistas dos trabalhadores pelo mundo afora, arrochando salários, eliminando direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, a fim de intensificar o processo de exploração da força de trabalho. 


Com isso, tivemos o início da ofensiva Neoliberal e em todo o mundo, principalmente depois que Reagan e Thatcher passaram a governar os EUA e a Grã-Bretanha. 


Porém, isso levou a um brutal aumento da concentração de renda em todo o mundo, com as desigualdades sociais crescendo rapidamente. 


E daí o Capitalismo passou a intensificar o processo de exploração da força de trabalho em todo o mundo, aproveitando-se do fato de que países como China, Índia e os antigos países socialistas do Leste Europeu entraram no jogo da economia capitalista globalizada. 


E isso jogou no chão os ganhos e os benefícios dos trabalhadores do mundo todo, principalmente dos países ricos, que passaram a ter o seu poder de compra fortemente arrochado. 


Com isso, o Capitalismo, para poder continuar se expandindo, apelou para um brutal processo de especulação financeira e de mega-endividamento (tanto de empresas, como dos consumidores). E foi justamente o colapso deste processo que gerou a atual crise global. 


Assim, pode-se perfeitamente relacionar o fim da URSS e do 'Socialismo Real' com a crise que o Capitalismo enfrenta atualmente.


Tal crise deixa bem claro que é preciso existir algum tipo de alternativa ao Capitalismo (não importa o nome que tal alternativa tenha... geralmente chama-se a alternativa de Socialismo mesmo) para que o mesmo não caia num brutal processo de exploração da força de trabalho e de concentração de renda nas mãos de um número cada vez menor de pessoas e de empresas e não se crie, assim, um mundo cada vez mais desigual, injusto e violento e nos quais as crises se sucedam umas às outras numa velocidade cada vez maior, que é exatamente o cenário atual da economia mundial. 

Álvaro Uribe, o hipócrita!!


O Ditador da Colômbia, Álvaro Uribe, declarou que teme que uma corrida nuclear comece na América do Sul devido aos recentes acordos assinados por Hugo Chávez com a Rússia e o Irã no setor.

Mas, a maior ameaça à estabilidade e segurança da América do Sul é justamente a Ditadura Militar colombiana. Para demonstrar isso, vamos aos fatos:

1) A Colômbia gasta quase 4% do PIB com orçamento militar. Para efeito de comparação, a Argentina gasta apenas 1,1% do PIB. O orçamento militar colombiano é o maior da América do Sul como % do PIB;

2) Enquanto a Venezuela tem efetivos militares de 70 mil soldados, a Colômbia tem um efetivo 3 vezes maior, com quase 210 mil soldados;

3) A Colômbia acabou de entregar 7 bases militares localizadas em seu território para uso dos EUA e sempre que os EUA tem bases militares numa região eles a utilizam para atacar os países vizinhos... o Iraque que o diga!!!;

4) O único país sul-americano que atacou militarmente um país vizinho recentemente foi... a Colômbia, é claro, quando a mesma invadiu o território do Equador;

5) A Colômbia é uma Ditadura Militar, na qual são assassinados mais de 300 pessoas todos os anos pelos grupos paramilitares de extrema-direita e pelas Forças Armadas. As vítimas são integrantes de sindicatos, ONGs, movimentos de direitos humanos, camponeses, enfim, pessoas do povo;

6) Hugo Chávez comprou armas da Rússia para poder se defender de um eventual ataque militar conjunto dos EUA e da Colômbia. Afinal, foi o governo Bush que apoiou um Golpe de Estado contra Chávez em Abril de 2002, que também apoiou um Golpe de Estado contra o presidente da Bolívia, Evo Morales, em 2008 e que, agora, apoiaram o Golpe de Estado contra o governo legítimo e constitucional de Manuel Zelaya em Honduras. O embaixador dos EUA em Honduras foi um dos articuladores do Golpe Militar no país. Tudo isso demonstra que os EUA e a Colômbia é que são as verdadeiras ameaças à América Latina;

7) Uribe está mudando a Constituição pela 2a. vez (a primeira vez foi em 2005) para poder se reeleger mais uma vez à Presidência da República. Em ambas as oportunidades tivemos denúncias envolvendo a compra de votos dos parlamentares pelo governo colombiano para que os mesmos aprovassem a mudança da Constituição.

Mas, o interessante é que os fascistas golpistas latino-americanos e a Grande Mídia Golpista da região nada dizem a respeito!

Link:

Leia a íntegra do decreto assinado pelo Presidente Manuel Zelaya convocando o Referendo em Honduras!


Ontem, eu postei um texto aqui dizendo que o pretexto usado pelos Golpistas hondurenhos para derrubar Manuel Zelaya da Presidência de Honduras era totalmente falso e mentiroso. Os golpistas diziam que Zelaya queria aprovar a reeleição em proveito próprio e eu afirmei que isso era mentira e que, na verdade, Zelaya havia sido derrubado para impedir a realização de um Referendo no qual o povo hondurenho iria decidir se desejava ou não a eleição de uma Assembléia Constituinte que elaborasse uma nova Constituição para o país.

E hoje vi, no blog do Nassif, um leitor postar o link com a íntegra deste decreto de Zelaya convocando o Referendo.

Abaixo, publico o conteúdo do mesmo:


HONDURAS: Decreto Ejecutivo del Presidente Manuel Zelaya para consultarle al pueblo sobre la Cuarta Urna

Escrito por Administrador

Lunes, 30 de Marzo de 2009 20:09 - Actualizado Lunes, 30 de Marzo de 2009 20:12
Decreto Ejecutivo PCM 05-2009

El Presidente de la República, En consejo de Ministros:
Considerando:

Que en Honduras, como un estado de derecho, la Soberanía corresponde al pueblo del cual emana.

Todos los poderes del Estado, con la finalidad de asegurarse a sus habitantes del goce de la justicia, la libertad, la cultura y el bienestar económico y social.

CONSIDERANDO:

Que la Sociedad hondureña ha experimentado cambios sustanciales y significativos en los últimos 27 años, cambios que demandan un Nuevo marco Constitucional para adecuarlo a la realidad nacional como una legítima aspiración de la sociedad.

CONSIDERANDO:

Que es deber del Poder Ejecutivo contribuir al fortalecimiento y consolidación de la democracia; así como atender, en su condición de administrador general del Estado, los asuntos de interés nacional y promover soluciones que garanticen la gobernabilidad democrática, con amplia participación ciudadana.

1 / 4

HONDURAS: Decreto Ejecutivo del Presidente Manuel Zelaya para consultarle al pueblo sobre la Cuarta Urna

Escrito por Administrador

Lunes, 30 de Marzo de 2009 20:09 - Actualizado Lunes, 30 de Marzo de 2009 20:12

CONSIDERANDO:

Que como una forma de practicar la democracia participativa, es procedente realizar una amplia consulta popular para determinar, de forma legítima, si la Sociedad hondureña está de acuerdo con la convocatoria a una Asamblea Nacional Constituyente, que dicte y apruebe una nueva Constitución Política.

CONSIDERANDO:

Que la Constitución vigente no prevé un procedimiento para convocar a una Asamblea
Nacional Constituyente; por ello, el Poder Ejecutivo, como una forma de practicar la
democracia participativa, apela al mecanismo de la consulta popular para determinar si la sociedad hondureña demanda una nueva Constitución.

CONSIDERANDO:

Que el Instituto Nacional de Estadística (INE), de acuerdo a su ley, tienen como primer objetivo, asegurar la producción de estadísticas confiables y oportunas, necesarias para el permanente conocimiento de la Realidad Nacional, la planificación del desarrollo y la eficiente gestión en la toma de decisiones del sector público, para lo cual puede ejecutar o coordinar la generación de datos.

POR TANTO

En aplicación de los artículos de la Constitución de la República, de la ley del INE; de la ley de Administración Pública y del Reglamento de Organización y Funcionamiento y competencia del Poder Ejecutivo.

2 / 4

HONDURAS: Decreto Ejecutivo del Presidente Manuel Zelaya para consultarle al pueblo sobre la Cuarta Urna

Escrito por Administrador

Lunes, 30 de Marzo de 2009 20:09 - Actualizado Lunes, 30 de Marzo de 2009 20:12

DECRETA

Articulo 1.Realizar de conformidad con la ley, una amplia consulta popular en todo el territorio nacional, para la que la ciudadanía hondureña pueda expresar libremente, su acuerdo o no, con la convocatoria a una Asamblea Nacional Constituyente, que dicte y apruebe una nueva Constitución Política.
Articulo 2. Esta Consulta estará a cargo del Instituto Nacional de Estadística (INE), como órgano encargado de la producción de estadísticas confiables y oportunas, necesarias para el permanente conocimiento de la realidad nacional, la Planificación nacional y la eficiente gestión en la toma de decisiones en el sector público, para lo cual puede ejecutar y organizar la generación de datos.
La consulta deberá llevarse a cabo, a más tardar, el último domingo del mes de junio del año 2009 y planteara la siguiente pregunta: ¿ESTA USTED DE ACUERDO QUE EN LAS
ELECCIONES GENERALES DE NOVIEMBRE 2009, SE INSTALE UNA CUARTA URNA
PARA DECIDIR SOBRE LA CONVOCATORIA A UNA ASAMBLEA NACIONAL
CONSTITUYENTE QUE APRUEBE UNA NUEVA CONSTITUCION POLITICA?

Todas las instituciones y órganos del Poder Ejecutivo, están en la obligación de brindar colaboración oportuna y adecuada al INE, para el cumplimiento de esta tarea.
Asimismo, se convoca a la Sociedad Civil organizada para que participe y vigile la legitimidad y trasparencia de esta consulta popular.
Articulo 3.El resultado positivo de esta consulta popular; servirá de legítimo fundamento para que el Poder Ejecutivo remita al Congreso Nacional, un proyecto de ley especial para colocar la cuarta urna en las elecciones generales de noviembre 2009.

Articulo 4.El presente decreto es de ejecución inmediata y deberá publicarse en el diario oficial La Gaceta.

3 / 4

HONDURAS: Decreto Ejecutivo del Presidente Manuel Zelaya para consultarle al pueblo sobre la Cuarta Urna

Escrito por Administrador

Lunes, 30 de Marzo de 2009 20:09 - Actualizado Lunes, 30 de Marzo de 2009 20:12
Dado en Casa Presidencial, en la ciudad de Tegucigalpa, Municipio del Distrito Central, a los 23 días del mes de marzo 2009.

COMUNIQUESE:

JOSE MANUEL ZELAYA ROSALES
Presidente Constitucional de la República.
Firmas de todos los ministros de Estado
4


http://www.elsoca.org/index.php?view=article&catid=64:honduras&id=501:honduras-decreto-ejecutivo-del-presidente-manuel-zelaya-para-consultarle-al-pueblo-sobre-la-cuarta-urna&format=pdf&option=com_content&Itemid=11

sábado, 26 de setembro de 2009

Não houve legalidade alguma no Golpe de Estado em Honduras!


"Não tem ninguém muito certo nessa história. O Brasil aceitou que sua embaixada fosse usada por um debilóide legalmente deposto por uma Suprema Corte fajuta."

Esse foi o comentário de um leitor do blog do Nassif no tópico a respeito da questão hondurenha. E essa mentira, de que Manuel Zelaya teria sido deposto legalmente, vem sendo repetida pela Grande Mídia Golpista de toda a América Latina e por muitas pessoas mal informadas a respeito do assunto. Então, vamos aos fatos, tal como eles ocorreram, ok?

Não houve legalidade alguma na deposição de Zelaya e por vários motivos:

1) Não tivemos eleição para escolher outro Presidente, pois o mandato de Zelaya ainda não acabou. Ele ainda é, portanto, o Presidente legítimo de Honduras, fato este que já foi reconhecido por toda a comunidade internacional, incluindo até o FMI;

2) Zelaya não sofreu nenhum processo de Impeachment, e no qual tivesse amplo direito de defesa, sendo derrubado por um típico Golpe Militar;

3) Zelaya não desrespeitou lei alguma e não há, portanto, qualquer ato ilegal da sua parte e que pudesse ser usado como pretexto para o Golpe. E se ele o tivesse feito, o correto seria processá-lo de acordo com os mecanismos legais, permtindo que ele tivesse amplo direito de defesa. É assim que funciona nas Democracias. E nada disso aconteceu;

4) Zelaya apenas convocou um Referendo no qual o povo hondurenho iria dizer se queria ou não a realização de uma eleição para uma Assembléia Constituinte que elaborasse uma nova Constituição para o país. O Golpe de Estado aconteceu para impedir que o Referendo fosse realizado;

5) Todos os golpistas procuram apresentar os seus atos como estando de acordo com a Lei. Com o Golpe Militar de 1964, no Brasil, não foi diferente. Os militares brasileiros até conseguiram, graças ao então presidente do Senado brasileiro (comprometido com os Golpistas), Auro de Moura Andrade, que ele declarasse a vacância do cargo, dizendo que o Presidente João Goulart havia abandonado o país sem comunicar o Congresso, o que era mentira, pois Goulart se encontrava em território brasileiro quando o Golpe ocorreu e, nos dias seguintes, ele ainda tentou articular uma resistência ao Golpe.

Assim, todos os Golpistas mentem a respeito dos Golpes criminosos e ilegais que cometem e sempre tentam dar uma 'aura' (com trocadilho...) de legalidade aos mesmos;

6) Outros presidentes latino-americanos aprovaram a reeleição em proveito próprio (FHC, Menem, Uribe, Fujimori) e os mesmos grupos políticos e sociais latino-americanos que os apoiaram quando fizeram isso, agora defendem o Golpe contra Zelaya, dizendo (falsamente) que este queria aprovar a reeleição em proveito próprio. Isso é uma mentira deslavada!

Zelaya apenas convocou um Referendo para que o povo hondurenho decidisse se queria ou não a eleição de uma Assembléia Constituinte que elaborasse uma nova Constituição para o país.

O Golpe, portanto, não foi contra Zelaya, apenas, mas contra o povo hondurenho. O Golpe foi feito para impedir a realização do Referendo e não permitir que o povo hondurenho decidisse sobre o seu futuro e o do seu país.

Não há nada que deixe as elites corruptas, entreguistas, retrógradas e reacionárias da América Latina mais horrorizadas do que o povo se mobilizar e se organizar para decidir sobre o seu próprio futuro. E quando os povos e governantes latino-americanos percebem que isso está acontecendo tentam de tudo para impedir que o processo continue. Foi por isso que tivemos tantos Golpes de Estado e Ditaduras Militares na América Latina nas últimas décadas.

E foi por isso que tivemos o Golpe de Estado criminoso e ilegal em Honduras.

Fora, Golpistas!!!

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Golpe de Estado em Honduras foi contra o povo e não apenas contra Manuel Zelaya!!


Vejam que absurdo essa suposta 'interpretação jurídica' do Golpe de Estado que ocorreu em Honduras e que foi publicada no site 'Consultor Jurídico':

"De acordo com a Constituição de Honduras, o mandato presidencial tem o prazo máximo de quatro anos (artigo 237), vedada expressamente a reeleição. Aquele que violar essa cláusula, ou propuser-lhe a reforma, perderá o cargo imediatamente, tornando-se inabilitado por dez anos para o exercício de toda função pública".

http://www.conjur.com.br/2009-set-22/apoio-zelaya-despreza-processo-constitucional-hondurenho-deposicao


Bem, abaixo publico a minha réplica a essa afirmação falsa e mentirosa:


Dizer que não houve Golpe de Estado em Honduras é uma mentira deslavada, pois ignora os seguintes pontos:

1) Manuel Zelaya foi eleito Presidente de Honduras diretamente pelo povo. É o Presidente legítimo e constitucional do país. Até o FMI já reconheceu isso (sem falar da ONU, da OEA...);

2) Depois da eleição de Zelaya não tivemos outra eleição presidencial no país;

3) Não tivemos nenhum processo de Impeachment contra Zelaya, no qual o legítimo Presidente hondurenho pudesse desfrutar de amplo direito de defesa, tal como ocorre em qualquer país democrático.

Países democráticos da América Latina, como Brasil (no caso de Fernando Collor) e Venezuela (Carlos A. Peres), já afastaram Presidentes da República através de processos de Impeachment que respeitaram as leis de seus respectivos países, algo que não aconteceu em Honduras.

Zelaya não foi submetido a nenhum julgamento e nem teve qualquer chance de usar de um amplo direito de defesa para se defender dos ataques dos quais foi vítima. Foi derrubado e pronto;

4) É mentira dizer que Zelaya queria mudar a Constituição para poder se reeleger! Zelaya convocou um referendo popular para que a população hondurenha decidisse se queria ou não a eleição de uma Assembléia Constituinte, que iria elaborar uma nova Constituição para o país. O Golpe Militar aconteceu para impedir a realização do Referendo.

E mesmo que o referendo aprovasse a proposta de eleger uma Assembléia Constituinte, que esta elaborasse uma nova Constituição e que na mesma constasse que o Presidente da República pudesse se reeleger, Zelaya não teria como se beneficiar desta mudança pois o seu mandato está no fim e não haveria sequer tempo para que ele pudesse se candidatar, neste momento, à reeleição.

Assim, o povo hondurenho é que iria decidir a respeito da elaboração ou não de uma nova Constituiçao para o país e não Zelaya.

Portanto, o Golpe de Estado foi contra o povo hondurenho e não apenas contra Zelaya, Presidente legitimamente eleito de Honduras.

O Golpe foi feito para impedir que o povo hondurenho tomasse uma decisão soberana a respeito do futuro do seu país;

5) Numa Democracia 'Todo Poder Emana do Povo'. Se o povo deseja uma nova Constituição para o país, então a vontade popular deve ser respeitada, pois é assim que funcionam as Democracias, goste-se ou não do fato;

6) Não havia nenhuma garantia de que a Assembléia Constituinte eleita diretamente pelo povo hondurenho fosse implantar o direito à reeleição do Presidente da República, até porque tal Assembléia Constituinte sequer chegou a ser eleita, pois o referendo que poderia permitir a sua eleição não foi realizado, devido ao Golpe de Estado;

7) Na América Latina, quem mudou a Constituição em proveito próprio, a fim de poder se reeleger, foram Presidentes notoriamente direitistas e conservadores e que eram adorados pela Grande Mídia Golpista da América Latina, a mesma que está apoiando ostensivamente o Golpe de Estado contra o Presidente legítimo e constitucional de Honduras, que é Manuel Zelaya.

Foram Presidentes como FHC, Menem, Fujimori e Álvaro Uribe os que alteraram a Constituição de seus respectivos países para que pudessem se reeleger. Aliás, Uribe já está promovendo a sua segunda mudança na Constituição colombiana, agora, em 2009, sendo que a primeira alteração foi feita em 2005.

E contraditoriamente, tais Presidentes jamais contaram com a mínima antipatia dos grandes veículos de comunicação latino-americanos e das forças políticas que, agora, defendem o Golpe de Estado que derrubou Manuel Zelaya porque ele, supostamente, queria se reeleger (o que já provei, aqui, que é uma afirmação totalmente falsa e mentirosa).

As Grandes Mídias latino-americanas, na verdade, apoiaram totalmente tais mudanças constitucionais feitas por Presidentes direitistas e conservadores.

Portanto, todos os argumentos usados em defesa do Golpe de Estado em Honduras são falsos e mentirosos e não há absolutamente nada na Constituição hondurenha que permitisse que se fizesse com Zelaya o que se fez.

Radio Globo de Honduras mostra a verdade sobre a Ditadura Militar hondurenha!


Uma das principais fontes de informação sobre a realidade de Honduras, pobre país centro-americano que foi vítima de um Golpe Militar que derrubou um Presidente democraticamente eleito, Manuel Zelaya, é a Radio Globo de Honduras, que divulga informações atualizadas e verdadeiras sobre o país.

Há também mais alguns links que se pode acessar a fim de saber o que está acontecendo em Honduras neste momento.

Links:

http://radioglobohonduras.es.tl/


http://www.latribuna.hn/web2.0/?p=43545

http://contraelgolpedeestadohn.blogspot.com/

PT e PMDB formarão chapa Dilma/Temer para eleição presidencial de 2010!


Segundo o jornalista Kennedy Alencar, já está garantida a formalização da aliança PT/PMDB, que formará a chapa Dilma/Michel Temer, para a eleição presidencial de 2010. Esta, terá um caminhão de tempo no horário eleitoral gratuito, pois o PMDB foi o partido mais votado nas eleições para a Câmara dos Deputados em 2006 e o PT foi o segundo mais votado.

Assim, Dilma terá tempo de sobra para mostrar as inúmeras realizações do governo Lula, em todas as áreas, apresentar as suas propostas, mostrar as obras, projetos e programas que irá implantar e irá, também, se tornar nacionalmente conhecida.

Vejam que bastou o PSB e o PV ocuparem espaço em rede nacional de rádio e TV para que Ciro e Marina subissem nas pesquisas.

Imaginem o que não irá acontecer com Dilma quando a campanha no rádio e na TV começar???

Por isso, reafirmo que Dilma será eleita Presidente em 2010 e no 1o. turno.



Charge acima explica, e muito bem, quais são os objetivos da Ditadura Militar que se instalou em Honduras.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Como 40% dos eleitores rejeitam Dilma, se apenas 32% dizem conhecê-la???


Vejam que brutal contradição da pesquisa Ibope divulgada pela CNI hoje:

1) Conhecimento (dos candidatos) pelos eleitores

A pesquisa Ibope também mediu o nível de conhecimento dos candidatos à presidência. Serra é o mais conhecido. Marina a menos.

* 32% conhecem Dilma.

2) Índice de Rejeição:

40% não votariam em Dilma Rousseff.


Como Dilma pode ter 40% de rejeição, se apenas 32% dos eleitores dizem conhecê-la???

Alguém do Ibope pode explicar isso???

Ciro Gomes detona entrevistadores do PIG na BAND!!


Entrem no link abaixo e vejam Ciro Gomes destruir com os jornalistas do PIG na BAND. É imperdível:


http://tudo-em-cima.blogspot.com/2009/09/mata-cobra-e-mostra-o-pau-vejam-ciro.html

domingo, 20 de setembro de 2009

'Palavras Cruzadas Tucanas'são imperdíveis!


Faça as 'Palavras Cruzadas Tucanas'! O blog do PHA publicou e fez o maior sucesso. E você ainda demonstra o quanto é bem informado e se diverte muito!

Link:


http://cruzadastucanas.fateback.com/Cruzadas_Tucanas_1.html

Clóvis Rossi mente na cara-dura sobre a queda da desigualdade no Brasil! - por Marcos Doniseti!

Clóvis Rossi mente na cara-dura sobre a queda da desigualdade no Brasil! - por Marcos Doniseti

O jornalista Clóvis Rossi contestou os dados sobre a queda da desigualdade no Brasil, mostrado pelas pesquisas mais recentes do IBGE

Em um trecho do texto do Clóvis Rossi a respeito da distribuição de renda no Brasil (o li no blog do Noblat - link abaixo) ele diz o seguinte:

“Desconheço números recentes para medir a desigualdade não apenas entre salários mas no conjunto das rendas. De todo modo, o já citado Pochmann…”.


Oras, o próprio Marcio Pochmann (que o Rossi cita e que, portanto, não é nenhum desconhecido para ele) comprovou que, desde 2005, a participação da renda do trabalho na renda nacional está aumentando.

Vejam isso:

“Segundo o estudo, de 1990 a 1996, o rendimento do trabalho perdeu participação relativa no total da renda do país (-15,2%). Depois, de 1996 a 2001, registrou-se crescimento de 5,4% da parcela do rendimento do trabalho na renda nacional. De 2001 a 2004, houve nova queda, de -3,1%. Numa quarta fase, a partir de 2005, houve uma expansão de 4% da parcela do rendimento do trabalho na renda do país.”.



http://www.socialismo.org.br/portal/emprego-salario/132-noticia/623-estudo-mostra-que-so-em-2011-a-participacao-dos-salarios-na-renda-nacional-volta-ao-nivel-de-1990-


Assim, não é apenas a renda do trabalho (medida pelo índice de Gini) que está sendo melhor distribuída.

A participação da renda do trabalho na renda nacional está aumentando desde 2005, segundo estudos feitos pelos próprio Pochmann (o mesmo Pochmann que o Clóvis Rossi cita em seu texto).

Logo, se a renda do trabalho está sendo melhor distribuída e se a sua participação na renda nacional está crescendo, então é perfeitamente lógico concluir que as desigualdades sociais e de renda estão diminuindo, sim, no Brasil.

É muito estranho que Rossi diga o seguinte “Desconheço números recentes para medir a desigualdade não apenas entre salários mas no conjunto das rendas”.

Oras, afirmo categoricamente que Rossi falou uma grande lorota (para não dizer uma mentira) pois eu (em menos de 2 minutos de pesquisa no Google) consegui localizar o texto acima e que cita o estudo feito pelo Pochmann que mostra que a participação da renda do trabalho na renda nacional está aumentando desde 2005 e que desde então tal participação cresceu em 4%.

Será que o Clóvis Rossi não sabe usar o Google, não?

E como é que ele pode comentar um assunto tão importante como a da distribuição da renda se não conhece ‘números recentes’ sobre o mesmo?? Será que era tão difícil, assim, pesquisar sobre os tais ‘números recentes’? Se eu, que sequer jornalista sou, encontrei os tais números recentes, então o que impediria Rossi de fazer o mesmo?

Será que Rossi, depois de décadas de atuação como jornalista, ainda não aprendeu sequer a fazer uma pesquisa para obter números recentes a respeito de um assunto tão importante?

Lamentável!!

Realmente, o que o Clóvis Rossi decaiu como jornalista é impressionante!


http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2009/09/20/a-lenda-continua-viva-224840.asp

A situação da dívida pública no governo Lula!


Abaixo, publico alguns dados a respeito da evolução da dívida pública durante o governo Lula. Tais dados foram postados por mim no blog do Azenha num tópico sobre o assunto:

1) A relação dívida/PIB (que mede a dívida pública líquida como proporção do PIB do país) subiu de 30% do PIB, em 1994, para 55,5% do PIB em 2002. Em 2008, ela fechou em 36% do PIB, acumulando uma queda de quase 20 p.p. durante o governo Lula;

2) A dívida externa representava 45% do PIB em 2002. Hoje, representa apenas 9,2% do PIB;

3) Os gastos com pagamento dos juros da dívida pública (interna e externa) foram de 9,3% do PIB em 2003 e caíram para 5,6% do PIB em 2008;

4) O déficit público nominal caiu de 4% do PIB, em 2002, para 1,9% do PIB em 2008;

5) Os gastos previdenciários brasileiros já atingiram os 11,7% do PIB, mais do que o dobro do que se gasta com o pagamento de juros da dívida pública.

Links:

http://www.previsc.com.br/previsc/noticias_previdencia_det.php?cd=316


http://oglobo.globo.com/economia/mat/2009/01/28/apos-tombo-de-6-pontos-em-2008-relacao-divida-pib-de-cair-35-754181598.asp

Pesquisa CNT/Sensus mostra eleição presidencial em estágio inicial!


Muitos comentários estão sendo feitos a respeito das pesquisas eleitorais para Presidente da República.

Mas, o fato é que pesquisas feitas um ano antes da eleição não tem valor algum. Mostram apenas uma 'fotografia do momento'. Nada além disso. Serra, Ciro e HH aparecem bem posicionados porque já foram candidatos à Presidente e são conhecidos nacionalmente.

E Dilma nunca disputou uma eleição, é desconhecida da maioria absoluta do eleitorado e sequer lançou sua candidatura à Presidente. E a quase totalidade do eleitorado desconhece que Dilma terá o apoio de Lula.

É ingenuidade acreditar que o eleitorado irá optar por uma candidata que desconhece. É por isso, segundo a pesquisa CNT/Sensus, 56% dos eleitores dizem que poderão votar numa candidatura apoiada por Lula, mas que precisam conhecer melhor o candidato. Isso é mais do que óbvio, pois o eleitor não irá votar em quem desconhece, certo?

E 20,8% são bem mais enfáticos, pois dizem que SOMENTE votarão num candidato apoiado pelo Presidente.

Além disso, qualquer um sabe que voto consolidado é apenas aquele que o eleitor manifesta de forma espontânea. Os resultados aos quais deveriam estar se dando destaque são os da pesquisa espontânea, pois estas é que mostram a verdadeira intenção de voto dos condidatos neste momento. E nesta o Presidente Lula aparece com 21,2%, contra 7,7% de Serra e 4,8% de Dilma. Assim, o cenário é totalmente favorável a uma candidatura governista, pois 26% dos eleitores se dizem dispostos, de forma espontânea, a votar em Lula ou em Dilma.

E não se esqueçam... Antes do início do horário eleitoral gratuito, Kassab tinha 8% das preferências, contra cerca de 40% de Marta. E quem é o prefeito de São Paulo hoje?

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Como a Mídia divulgaria a história do 'Chapeuzinho Vermelho' e do 'Lobo Mau'!!


O leitor William, do blog do Nassif, postou um comentário mostrando como a Mídia brasileira divulgaria a história do 'Chapeuzinho Vermelho' e do 'Lobo Mau'. Vale a pena conferir:


"William disse: 16/09/2009 às 10:18 Não sei se é velha, mas é muito divertida:

COMO A IMPRENSA TRABALHA UMA NOTÍCIA

A história de Chapeuzinho Vermelho na imprensa e cada versão.

JORNAL NACIONAL
William Bonner: ‘ Boa noite.. Uma menina chegou a ser devorada por um
Lobo na noite de ontem… ‘ .
Fátima Bernardes: ‘ … mas a atuação de um caçador evitou uma tragédia
‘ .

PROGRAMA DA HEBE
(Hebe Camargo): …. que gracinha gente.. Vocês não vão acreditar,
mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo,
não é mesmo? ‘

BRASIL URGENTE
Datena: ‘ … Onde é que a gente vai parar? Cadê as Autoridades?
Cadê as autoridades? !
A menina ia para a casa da vovozinha a pé! Não tem transporte público!
Não tem transporte público!
E foi devorada viva… Um lobo, um lobo safado. Põe na tela!!
Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não. ‘

REVISTA VEJA
Lula sabia das intenções do lobo.

REVISTA CLÁUDIA
Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos
no caminho.

REVISTA NOVA
Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama.

FOLHA DE S. PAULO
Legenda da foto: ‘ Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu
salvador ‘ . Na matéria, box com um zoólogo explicando os hábitos dos
lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapeuzinho foi devorada
e depois salva pelo lenhador.

O ESTADO DE S. PAULO
Lobo que devorou Chapeuzinho seria filiado ao PT.

O GLOBO
Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT que matou um lobo pra
salvar menor de idade carente.

MEIA HORA
Lobo Mal comeu a Chapeuzinho Vermelho (literalmente)

O DIA
Sangue e tragédia na casa da vovó.

O POVO
Lobo mastiga as tripas da chapeuzinho e lenhador destrói tripas do lobo
para retirar a garota (foto ao lado da barriga do lobo com as tripas
pra fora).

REVISTA CARAS
(Ensaio fotográfico com Chapeuzinho na semana seguinte)
Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: Até ser
devorada,eu não dava valor para muitas coisas da vida. Hoje sou outra
pessoa.

PLAYBOY (Ensaio fotográfico no mês seguinte)
Veja o que só o lobo viu.

REVISTA ISTO É
Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.

G MAGAZINE (Ensaio fotográfico com lenhador)
Lenhador mostra o machado.

SUPER INTERESSANTE
Lobo mau! Mito ou verdade?

DISCOVERY CHANNEL
Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e
sobreviver.".


Link:

http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/09/16/fora-de-pauta-268/comment-page-2/#comment-747566



Comparando os pedágios do PT e os do PSDB!


O leitor do blog do Nassif chamado 'ocator' publicou um excelente texto comparando o preço dos pedágios das rodovias que o governo do estado de SP, do PSDB, transferiu para as concessionárias privadas e as que o governo federal, do PT, passou para as concessionárias privadas. O texto ficou tão bom que decidi publicá-lo neste modesto blog. Então, vamos lá:


"16/09/2009 às 9:12

A MÁFIA DOS PEDÁGIOS DO PT

Autor: ocator (do blog do Nassif - link abaixo)

É incrível como o PIG (e sua caixa de ressonância a “classe média ilustrada”, aquela que não aceita mais desaforo) consegue ser arbitrário e sem medo do ridículo.

Para isto basta imaginar o seguinte: o governo federal é do PSDB depois de 8 anos de governo PT, e que o Estadual tem sido durante os últimos 15 anos, do PT.

A imprensa teria feito o maior estardalhaço (e com razão) depois da privatização da Fernão Dias, o que significou a licitação de quase 700 quilômetros (estrada que precisava de grandes reparos, que deviam ser feitos pela concessionária licitada e que não poderia começar a cobrar até que estes foram feitos), a um valor total de R$11,00.

Teriam dito: “e agora PT, como explica o valor abusivo e extorsivo das tarifas dos pedágios em SP? Esta licitação deixa claro que a cobrança, no mínimo estranha, das tarifas que os paulistanos pagam por circular pelas estradas do seu Estado, precisam ser investigadas”.

E a “classe média ilustrada” xingaria aos funcionários encarregados das cobranças nas praças de pedágio e iniciariam um movimento “Cansei” contra os mesmos que durante os oito anos de governo federal aumentaram a carga tributária em 50%, colocando em algum lugar na cidade um “pedagiometro” para que soubéssemos o quanto estamos sendo explorados por um governo incompetente e corrupto.

Viajei este fim de semana para Mococa (a 250 quilômetros de SP), paguei aproximadamente R$70,00 (ida e volta) de pedágio. Nas estradas estavam sendo anunciadas obras de recapeamento com altos valores pagos pelo governo do Estado de SP (devemos concluir que o Estado paga as obras e a concessionária fica com os lucros, ou simplesmente, é propaganda enganosa por mostrar um investimento que não é feito por ele?). SE FOSSE COM O PREÇO DA LICITAÇÃO FEDERAL TERIA PAGO, IDA E VOLTA, MENOS DE R$8.00. (Sem considerar que evitei o pedágio de Alphaville. Para ir até BH com a tarifa deste pedágio teria que pagar aproximadamente R$700!!!!

Domingo, às 17 horas, desci para Santos. Paguei R$17,80 por 60 quilômetros. Fui obrigado a descer por uma estrada antiga e perigosa, a uma velocidade máxima autorizada de 50 quilômetros por hora. Dirão, é que tinha muito carro subindo; se tinha é porque desceram e pagaram (ou seja lucraram com o maior movimento). É óbvio, que na hora de descer por essa estradinha estreita e perigosa, o preço deveria ser proporcional ao incomodo e qualidade da única alternativa, e não “deixa assim mesmo” como pensa a Concessionária e seu suspeito parceiro o Estado de SP. COM OS VALORES DA LICITAÇÃO FEDERAL TERIA PAGADO, IDA E VOLTA, MENOS DE R$2.00.

Mas o governo Federal é do PT, então o PIG ignora esta licitação tão favorável. E como o Estadual é do PSDB, é melhor ignorar o tremendo abuso dos pedágios em SP. E quando alguém reclamar, a indignada “classe média ilustrada”, dirá, cheia e compreensão e tolerância, “mas as estradas são muito boas”. E rapidamente apontaram para Brasília para continuar a olharem espantados o incrível aumento da corrupção e o sufocamento tributário com que o governo incompetente do PT, mais empenhado em dar esmola que trabalho, humilha às pessoas informadas e de raciocínio bom.". por ocator

Link:

http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/09/16/fora-de-pauta-268/comment-page-2/#comments

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Um menino de 10 anos contra os Gorilas golpistas de Honduras!

Vejam que vídeo fantástico, esse, de um garoto de apenas 10 anos idade baixando o sarrafo nos golpistas reacionários e direitistas de Honduras. É impressionante como o menino é bem articulado. Vale a pena conferir o vídeo.

Link:

http://www.youtube.com/watch?v=FF5BVTE39Mc

domingo, 13 de setembro de 2009

'Estadão' enterra tese de que governo Lula é neoliberal!


Matéria publicada hoje, no site do 'Estadão', comprova algo que digo há muito tempo, mas que alguns extremistas (tanto de Esquerda, como de Direita) se recusam a reconhecer, ou seja, de que o governo Lula não é neoliberal coisa nenhuma.

Senão, vejam isso:


"Após pré-sal, governo avança em mineração e eletricidade

Governo amplia seu controle sobre a economia, com o aumento da regulação ou criação de mais estatais

Lu Aiko Otta - O Estado de S. Paulo

BRASÍLIA - Depois do pré-sal, o governo se prepara para intervir pesadamente em outro setor: o de mineração. Está pronto o esboço de um novo código mineral, que prevê a criação de uma agência reguladora. Ela ficará encarregada, por exemplo, de cobrar bônus de outorga quando uma mina for entregue para exploração. Hoje, até uma pessoa física sem qualquer experiência pode ganhar um alvará para explorar minério, pagando cerca de R$ 100. "É praticamente um pacote de cigarros", comparou o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. A ideia é elevar fortemente esse valor.

Novos desenhos institucionais prevendo mais presença do Estado no petróleo e na mineração não são episódios isolados. O governo tem aumentado sua presença em outros setores, como eletricidade, fertilizantes, crédito bancário e transportes.

Em alguns casos, a presença se dá na forma de um planejamento mais dirigido. Em outros, o Estado aparece mesmo como operador. No curto prazo, além da mineração, a intervenção será mais sentida nos setores elétrico e de transportes rodoviários. Para economistas, como Nathan Blanche, em entrevista ao repórter Leandro Modé, o aumento da intervenção estatal na economia é um retrocesso.

Mineração

A agência reguladora da mineração vai estabelecer que as mineradoras iniciem sua produção dentro um período inferior a cinco anos. Hoje, não há prazo, o que abre espaço a que empresas e pessoas físicas obtenham alvarás de exploração de minas apenas para vendê-las.

O ministro deixou claro o desejo de impor novas regras sobre os alvarás já expedidos, que hoje estão em mãos de empresas, muitas delas estrangeiras, e pessoas físicas. "Vamos ampliar o controle. Vamos tentar regular o que já foi concedido. Do ponto de vista legal, não sei como vai ser. Estamos estudando." As regras para concessão de novos alvarás ficarão mais rígidas. Pessoas físicas não poderão mais obtê-los.

Empresas passarão por uma análise de capacidade antes de conseguir o documento. Há a hipótese de as áreas de mineração serem leiloadas, em vez de entregues, como é hoje. Outro ponto é o aumento da tributação e dos royalties cobrados na mineração. "Nós, pessoas físicas, pagamos 30% de impostos. O setor de petróleo paga 60%. A mineração, 12%", comparou.

Enquanto os royalties sobre o petróleo são de 10%, na mineração são cobrados 2%. O governo deseja elevar essa cobrança e destinar os recursos ao Fundo Social - que será formado com o dinheiro do pré-sal para investir em áreas prioritárias. A definição da alíquota depende de estudos comparativos com outros países. Uma referência citada pelo ministro é a Austrália. Lá, os royalties variam de 2,5% a 7,5%. O esboço de proposta do código está pronto. "Não saio deste ministério nem demitido enquanto não resolver isso."

Tal como foi feito com as reservas do pré-sal, o governo congelou a concessão de novas áreas para mineração, tarefa hoje desempenhada pela estatal Serviços Geológicos do Brasil (CPRM). "A CPRM está proibida de fazer novos leilões", disse. "Vamos segurar tudo até que seja aprovado o novo código." Lobão disse que a CPRM é "a Petrobrás da mineração". A CPRM, porém, não explora minérios. Faz apenas pesquisa.

Para o presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), Paulo Camillo Penna, se o código de mineração fosse devidamente aplicado, não haveria tantos atrasos na exploração de jazidas. Para ele, a falta de estrutura do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), que demora para aprovar os planos de produção das empresas, causa mais atrasos do que casos de empresas que "sentam em cima" das autorizações para especular.

No setor elétrico, Lobão pretende anunciar em breve uma solução para a renovação das concessões de usinas de geração e linhas de transmissão que vencem em 2015. Para renová-las, como é desejo das empresas, é preciso mudar a lei. Se cumprir a legislação, o governo terá de retomar as concessões e licitá-las novamente.".


http://www.estadao.com.br/noticias/economia,apos-pre-sal-governo-avanca-em-mineracao-e-eletricidade,433920,0.htm



Obs: Assim, pergunto: se o governo Lula está aumentando a intervenção do Estado na economia, então como o seu governo pode ser considerado 'neoliberal' se os neoliberais pregam exatamente o contrário, ou seja, a redução da intervenção estatal na economia e na sociedade em geral???

sábado, 12 de setembro de 2009

As pesquisas e a eleição presidencial de 2010!


Novas pesquisas para a eleição presidencial de 2010 foram divulgadas recentemente. Porém, entendo que nenhuma delas vale um mísero tostão furado. E por um motivo muito simples: ainda estamos há mais de um ano da realização do 1o. turno da eleição de 2010. Qualquer pesquisa feita com tanta antecedência é muito precoce.

O caso da eleição para a prefeitura de São Paulo em 2008 ilustra isso muito bem, pois antes do horário eleitoral gratuiro começar Marta liderava as pesquisas com cerca de 40%, Alckmin vinha logo atrás com cerca de 32% e Kassab aparecia bem distante, com apenas cerca de 8%. Mas, Kassab terminou o 1o. turno em 1o. lugar e Alckmin nem foi para o 2o. turno. E Marta acabou derrotada no 2o. turno até com certa facilidade por Kassab, que foi reeleito com 60% dos votos válidos.

As pesquisas indicam, no máximo, um cenário de momento e que serve mais para mostrar o grau de lembrança que os eleitores tem dos candidatos.

Assim, as intenções de voto em Serra, em Ciro Gomes e em Heloísa Helena refletem mais a lembrança que os eleitores tem destes nomes que disputaram inúmeras eleições nos últimos anos e que são conhecidos do eleitorado em geral.

E no caso de Dilma, suas intenções de voto refletem, parcialmente, a sua identificação com o governo Lula, pelo menos para aqueles eleitores que a conhecem, que sabem da sua ligação com o Presidente e que sabem que ela será apoiada por Lula para a sucessão presidencial de 2010.

Mas, o fato é que Dilma ainda é um nome desconhecido para quase todo o eleitorado do país, pois nunca disputou uma eleição e é a primeira vez em que o seu nome irá figurar numa campanha.

Assim, gostaria de reforçar algumas afirmações que venho fazendo já há algum tempo.

Há vários meses já que venho dizendo que Serra não será candidato à Presidência da República e que Aécio sairá candidato. Porque digo isso? porque Serra não irá querer sofrer mais uma derrota numa eleição para a Presidência, tal como já ocorreu em 2002. Ele fará de tudo para viabilizar a sua candidatura, mas quando perceber que não terá como vencer, ele desistirá em favor de Aécio.

Mas, isso de Aécio ser jovem demais, com cara de 'mauricinho', ter vida de 'playboy', enfim, dse possuir a imagem de um 'novo Collor', creio que será mais um imenso obstáculo do que algo positivo para a sua candidatura.

Afinal, depois do desastre que foi o governo Collor e do retumbante sucesso do governo Lula, tudo de que o Brasil não precisa é de um 'novo Collor'.

O que o povo brasileiro irá querer, em 2010, é eleger um governante que dê continuidade aos programas, projetos e obras do governo Lula e somente um (a) candidato (a) apoiado (a) pelo próprio Lula é que dará segurança ao eleitorado de que isso será feito.

Assim, reafirmo o que digo há muito tempo: qualquer que seja o (a) candidato (a) apoiado (a) por Lula o (a) mesmo (a) será o (a) vencedor (a) da eleição presidencial do ano que vem.

Em 2010, o povo brasileiro não irá desejar nenhuma mudança de rumo, mas continuidade.

E quem irá representar a continuidade será Dilma. Ela somente não disparou na liderança das pesquisas, até o momento, por 3 motivos:

1) Dilma ainda não se lançou candidata à Presidência;

2) O eleitorado não sabe quem é Dilma, até porque ela nunca disputou uma eleição;

3) O eleitorado ainda não sabe que Dilma terá o apoio do Presidente Lula para a sua sucessão.

Quando tudo isso ficar claro para os eleitores, Dilma subirá feito um foguete nas pesquisas e vencerá a eleição no 1o. turno.

Quem viver, verá.

Retratos verdadeiros da Ditadura colombiana! - 6a. Parte!



Plano Colômbia: O motor da ditadura de Uribe e do imperialismo

Disfarçado de combate ao narcotráfico dos cartéis colombianos e da América do Sul, o chamado Plano Colômbia esconde na verdade um plano financiado pelos EUA de implementação do terror de Estado contra a população e todos os setores contrários ao governo Álvaro Uribe

8 de março de 2008

Através da repressão, do assassinato, da perseguição e do massacre, militares e paramilitares conquistam as áreas mais ricas em reservas naturais para as empresas norte-americanas e impõem uma ditadura fascista em todo o país disfarçada de Estado democrático de direito.

Todos os anos os EUA enviam para a Colômbia cerca de US$ 700 milhões para injetar no aparato militar e manter o país como um enclave imperialista no subcontinente.

Em vigor desde agosto de 2000, o Plano Colômbia é responsável direto pela morte de 14 pessoas em média por dia. Segundo documentos levantados pela Anistia Internacional, pela Human Rights Watch e pelo próprio Departamento de Washington na América Latina, só no primeiro mês de 2001 ao menos 200 civis foram mortos em 27 massacres.

Desde 1999, 78% destes massacres são realizados por grupos paramilitares, como a AUC (Autodefesas Unidas da Colômbia), um dos beneficiados pelo Plano Colômbia.
Trata-se da mesma política de "guerra ao terrorismo", criada pelos EUA após os atentados de 11 de setembro, adaptada para a América Latina. Os investimentos de Washington resultaram no aumento da violência contra civis e especialmente contra camponeses e indígenas.

Desde que o programa foi implementado, mais de 1.300 sindicalistas foram assassinados. Militares e paramilitares recebem altos investimentos e dominam cada vez mais o país, principalmente as regiões ricas em petróleo e outros recursos naturais - não por acaso que na fronteira com o Equador está uma das maiores reservas petrolíferas.

Um dos recursos pelo qual os militares e paramilitares mais se interessam é o narcotráfico, no qual controlam todos os laboratórios de refino de cocaína. A imprensa brasileira, vendida ao imperialismo, classifica os guerrilheiros da FARC como “quadrilha de traficantes de cocaína e seqüestradores de vítimas inocentes” (O Estado de S. Paulo, 5/3/08).

Tal designação serve como uma luva para o governo que classificam como “democrático”, de Uribe, bastando apenas acrescentar os qualificativos de assassino e torturador.

Os trabalhadores rurais no interior do país vivem sob estado de guerra civil. Cerca de dois milhões de pessoas abandonaram suas casas e foram para outros lugares, sendo que 75% destes refugiados são em geral mulheres e crianças. Muitos se deslocam para o Equador, Bolívia ou Brasil.

Parte dos camponeses e indígenas são expulsos pelo exército ou paramilitares. Estas áreas concentram 95% da biodiversidade do país. Empresas norte-americanas e o Banco Mundial investem em grandes projetos hidroelétricos, petrolíferos e exploração de minério.

A região mais rica em petróleo está localizada em Puntamayo, no Sul do país. E é justamente neste local onde o Plano Colômbia foi experimentado pela primeira vez.

Além do petróleo, os recursos hídricos têm um interesse vital para o maior consumidor de água do mundo.

A tarefa dos paramilitares - treinados nos EUA e financiados com o dinheiro de multinacionais que operam no país, assessorados por mercenários de “empresas privadas de segurança” - é perseguir, assassinar ou expulsar camponeses e indígenas que estejam mobilizando a população local contra os interesses do imperialismo. As terras que são abandonadas são logo em seguida ocupadas por latifundiários e os chamados “barões da droga”.

Enquanto o país aumenta sua taxa de desemprego, muitos camponeses aderem à luta armada e entram para a guerrilha.

Recentemente, o presidente George W. Bush anunciou que irá estender o Plano Colômbia na luta contra “ameaças a segurança nacional”, o que pode ser interpretado como desde a proibição de partidos de oposição até a invasão militar da Venezuela.
Na verdade, Bush quer mesmo é oficializar sua estratégia, pois o Plano Colômbia foi formado somente para a defesa de um enclave na região.

O governo colombiano já consumiu mais de US$ 4 bilhões desde o inicio do programa e os EUA pretendem investir muito mais se as operações forem aplicadas para a repressão de manifestações até a militarização da América do Sul.

Fica evidente a intenção do imperialismo de usar o Plano Colômbia como meio de agressão aos vizinhos da Colômbia. A ditadura de Uribe seria, então, um modelo para os países da região, alternativo ao nacionalismo de Chávez, Correa e Morales e, acima de tudo, para conter a mobilização operária e camponesa no continente.


http://www.pco.org.br/conoticias/ler_materia.php?mat=3973

Retratos verdadeiros da Ditadura colombiana! - 5a. Parte!


Colômbia aprova referendo para terceiro mandato de Uribe

O Parlamento da Colômbia aprovou nesta terça-feira o controvertido projeto de referendo que pode permitir ao presidente colombiano, Álvaro Uribe, candidatar-se a um terceiro mandato presidencial consecutivo em 2010.

Em uma sessão que teve mais de 13 horas de duração, a lei foi aprovada com 85 votos a favor e 4 contra, em meio a denúncias de compra de votos e de supostas irregularidades na arrecadação dos fundos para a promoção do projeto de referendo.

A oposição, liderada pelo Partido Liberal, se retirou do Parlamento no momento da votação.

Em duas sessões anteriores, realizadas na semana passada, a iniciativa foi barrada porque alguns deputados alegaram estar "impedidos" de votar por serem foco de investigações da Suprema Corte de Justiça.

A maioria da bancada uribista está sendo investigada pelo Supremo por aceitar "compensações" do governo para votar a favor da emenda constitucional que permitiu a primeira reeleição de Uribe, em 2006.

O "impedimento" foi votado e negado pela maioria dos parlamentares, que decidiram levar adiante o projeto nesta terça-feira.

A crise entre os parlamentares oficialistas se agravou na véspera da votação desta terça-feira, quando o Ministério Público da Colômbia ordenou a prisão de três congressistas - dois dos quais votariam a favor do referendo - por suposto envolvimento com grupos paramilitares.

Pressão governista

Assim como ocorreu nas duas sessões anteriores, o ministro de Interior, Fábio Valencia Cossio, circulou pelo plenário "com lista na mão", conforme denunciou a oposição, para garantir a participação da bancada uribista a favor do referendo.

A oposição argumenta que o projeto de reeleição atenta contra o sistema democrático e conta com pelo menos nove "vícios de inconstitucionalidade".

"A possibilidade de um terceiro mandato é terrível", disse o deputado Guillermo Rivera, do Partido Liberal. "É terrível para a democracia colombiana que uma pessoa se perpetue no poder", acrescentou.

Com a possibilidade de se reeleger, a candidatura de Uribe, que conta com índices de aprovação de até 70%, se torna quase "imbatível", na opinião de parlamentares.

Apesar da aprovação no Congresso, o uribismo ainda corre contra o tempo. O projeto de referendo será levado à Corte Constitucional, que determinará em um prazo de 120 dias a legalidade da proposta.

Em seguida, o projeto deve passar à Procuradoria Geral, que terá um mês para dar luz verde à convocatória para um referendo, em que os colombianos decidirão se estão a favor ou contra a segunda reeleição de Uribe.

Para que o referendo seja válido, pelo menos 7,5 milhões de pessoas, 25% do registro eleitoral, devem votar.

Esses trâmites devem ser realizados antes do mês de janeiro, data limite para que os candidatos apresentem suas candidaturas.

Acusações

Na semana passada, a oposição chegou a acusar o governo de utilizar recursos públicos para a compra de votos dos parlamentares com o fim de garantir a aprovação do projeto.

De acordo com o líder do Partido Liberal, Rafael Pardo, o governo destinou mais de 220 bilhões de pesos (cerca de US$ 110 milhões) "para a compra de votos no Congresso para permitir um terceiro mandato presidencial", disse.

Segundo o parlamentar, que é pré-candidato presidencial, o dinheiro foi destinado à reconstrução de 52 sedes de prefeituras em diferentes regiões do país, quando inicialmente havia sido orçado para projetos de segurança.

O governo, por sua vez, negou as acusações. Se as denúncias forem confirmadas, seria o segundo escândalo por compra de votos para garantir a reeleição de Uribe.

No ano passado, o caso conhecido como "yidispolítica" revelou casos de corrupção que teriam permitido a aprovação do projeto para a primeira reeleição de Uribe em 2006.

Em julho de 2008, a parlamentar Yidis Medina admitiu ter vendido seu voto em troca de "favores" a "altos funcionários do governo”, o que teria sido determinante para aprovação do primeiro projeto de reeleição.

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/09/090902_colombia_uribe_reeleicao_rw.shtml

Retratos verdadeiros da Ditadura colombiana! - 4a. Parte!


América Latina

Colômbia (mais) militarizada

Dafne Melo, Luís Brasilino

O SEGUNDO SEMESTRE começou quente na América Latina. Após o golpe de Estado em Honduras, foi a vez da Colômbia de Álvaro Uribe atrair as atenções após anunciar a instalação de sete bases militares estadunidenses em seu território. Entretanto, enquanto no primeiro país uma possível ingerência dos Estados Unidos é fonte de insatisfação dentro e fora de Honduras, no segundo caso ela encontrou o apoio de alguns e o silêncio de outros.

O rechaço veio apenas da parte dos presidentes Evo Morales (Bolívia), Rafael Correa (Equador) e, principalmente, Hugo Chávez (Venezuela). O peruano Alan García apoiou o colega colombiano, enquanto outros líderes – Fernando Lugo (Paraguai), Tabaré Vázquez (Uruguai), Cristina Kirchner (Argentina) e Luiz Inácio Lula da Silva – mantiveram-se diplomáticos, insistindo no diálogo. No dia 10, o assunto ainda não entrou na pauta da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), em reunião realizada em Quito (Equador). Porém um encontro especial, no fim deste mês, em Buenos Aires (Argentina), deverá ocorrer somente para tratar do tema.

O acordo entre os Estados Unidos e a Colômbia é de fato preocupante, afirma o cientista político Luiz Alberto Moniz Bandeira. Ao todo, os Estados Unidos deverão utilizar sete bases (construirão três e usarão quatro já existentes). Ainda que afirmem que será usado para operações militares de combate ao narcotráfico e para reabastecer aviões de carga, é certo que o verdadeiro objetivo é manter a vigilância no território. Até mesmo os documentos oficiais do governo estadunidense confirmam essa tese, defendendo a autonomia dos voos que partem da Colômbia e o aumento de verbas para ações militares “não especificadas”. A seguir, leia a entrevista, concedida por correio eletrônico, com Moniz Bandeira.

Brasil de Fato – A instalação das bases pode iniciar uma corrida armamentista na região?

Luiz Alberto Moniz Bandeira – A presença de bases militares dos Estados Unidos na América do Sul não é novidade. Já houve na Bolívia, no Peru ainda funciona o Joint Peruvian Riverine Training Center, na região de Ayacucho – epicentro da guerra contra o grupo Sendero Luminoso (1980-2000). O primeiro contingente de 70 soldados da Task Force New Horizons começou a operar em maio de 2008 sob o pretexto de realizar tarefas humanitárias. Esse número foi para 350 entre 1° de junho e 31 de agosto. Em outubro, pilotos, tripulantes da U.S. Army CH-47D “Chinook” e soldados da Task Force New Horizons fortemente armados estavam a dar apoio, com helicópteros pesados, a mais de 990 militares americanos, operando nessa região (575 km a sudeste de Lima), onde os EUA negociavam com as Forças Armadas do Peru a instalação de uma base militar, no contexto dos entendimentos para firmar o tratado de livre comércio (TLC), celebrado em dezembro de 2007.

O interesse dos EUA em instalar uma base em Ayacucho, uma zona equidistante das áreas dominadas pelas Farc, na Colômbia, e dos conflitos sociais na Bolívia, é facilitar a mobilização de seus contingentes em toda região da América do Sul. Os Estados Unidos contam ainda com uma base naval em Iquitos, norte do Peru, em uma região estratégica da Amazônia, na qual dispõem de equipamento fluvial, como lanchas de combate. Há outras bases em Santa Lucía e sobre o rio Nanaí. No Equador, existe a base aérea de Manta, que agora vai ser fechada e transferida para Palanquero, em Puerto Salgar, 120 milhas ao norte de Bogotá.

O que essa investida na Colômbia traz de novo?

M.Bandeira - O que é novo e preocupante é a inusitada ampliação. Essa base aérea, em Puerto Salgar, pode albergar mais e 2 mil homens, possui uma série de radares, além de cassinos, restaurantes, supermercados, hospital e teatro. E a pista do aeroporto, a mais longa da Colômbia, tem 3.500 metros de longitude, 600 metros maior que a de Manta, e permite a partida simultânea de até três aviões. Assim, terão um ponto de apoio, no centro da Colômbia, ainda melhor que Manta, com a instalação de três bases militares nas localidades de Malambo (costa do Caribe), Palanquero (próxima a Bogotá) e Apiay (Amazônia), na região fronteiriça com o Brasil.

Com a instalação dessas bases ganha força o argumento de que a Colômbia pode virar a “Israel” da América Latina”?

M.Bandeira = Não se pode comparar a Colômbia com Israel. As condições econômicas, políticas e culturais são muito distintas. Mas, de fato, a ajuda militar concedida pelos Estados Unidos à Colômbia, desde 2004, deve alcançar, este ano, 2009, o montante de 3,3 bilhões de dólares. Aliás, desde o lançamento do Plano Colômbia, no ano 2000, o Exército colombiano recebeu 4,35 bilhões de dólares e tornou-se o maior e o mais bem equipado, relativamente, da América do Sul.

Com população de 44 milhões de habitantes, a Colômbia possui um contingente militar de cerca de 208.600 efetivos, enquanto o Brasil, com 8,5 milhões de quilômetros quadrados e mais de 190 milhões de habitantes, tem um contingente de somente 287.870; e a Argentina, com 40 milhões de habitantes e um território de 2,7 milhões de quilômetros quadrados, tem um efetivo de apenas 71.655. A Colômbia, com um PIB de 320,4 bilhões (estimativa de acordo com a paridade do poder de compra, em dólar) destina 3,8% aos gastos militares, enquanto o Brasil, cujo PIB é de 2 trilhões, gasta apenas um 1,5%; a Argentina, com PIB 523,7 bilhões, gasta apenas 1,1%.

Em 2005, o Congresso estipulou para a região uma ajuda econômica de 9,2 milhões de dólares e cerca de outros 859,6 milhões para assistência militar. Para combater as guerrilhas, os soldados e policiais cometeram crescente número de assassinatos, abusos de direitos humanos e, durante o período de cinco anos, que terminou em junho de 2006, o número de execuções extrajudiciais aumentou em mais de 50%, com relação ao período anterior.

Link:

http://alainet.org/active/32378