Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Demóstenes Torres (DEM-GO) compara governo democrático de Lula com Ditadura Assassina e Terrorista de Médici!


Da coluna 'Painel' da Folha de S.Paulo

tiroteio

"As declarações de Lula sobre sua própria popularidade nos fazem lembrar de outro presidente popular que o Brasil já teve: Garrastazu Médici."

DO SENADOR DEMÓSTENES TORRES (DEM-GO), sobre o presidente Lula ter dito ontem na Bahia, ao avaliar seus índices de aprovação de mandato favoráveis nas pesquisas, que hoje o colega americano Barack Obama não apenas o chamaria de "o cara", mas de "o cara do cara".


Meu Comentário!

Tinha que ser um político medíocre do DEM, um partido que estará virtualmente extinto após estas eleições devido à sua total e absoluta incapacidade de conquistar os votos dos eleitores, para falar tamanha asneira.

Somente uma anta descerebrada e um arrematado estúpido pode comparar a popularidade de um Presidente da República eleito e reeleito diretamente pelo povo brasileiro, e que sempre respeitou as liberdades democráticas (como a imprensa, de manifestação, de pensamento, etc), mesmo quando foi vítima de acusações falsas e mentirosas ou quando sofria derrotas políticas.

Enquanto isso, a Ditadura Assassina e Terrorista de Garrastazu Médici prendeu milhares de pessoas ilegalmente, torturou, estuprou, esquartejou e assassinou pessoas que estavam sob a custódia do Estado brasileiro e que jamais poderiam, portanto, ter sido submetidas a tratamento tão desumano e cruel.

Sem falar que a Ditadura de Médici silenciou totalmente com a oposição, censurou a imprensa, reprimiu brutalmente os movimentos sociais (havia milhares de espiões e de informantes infiltrados nos sindicatos, universidades, etc), impediu qualquer tipo de manifestação popular contrária ao governo e prendeu inúmeras pessoas pelo simples fato de se fazer alguma crítica ao governo.

Portanto, somente um analfabeto que não faz a menor idéias das gigantescas diferenças existentes entre um regime Democrático e uma Ditadura Militar é que pode fazer uma comparação tão estúpida quanto essa que foi feita pelo Demóstenes Torres.

Pobre do estado de Goiás, que é representado no Senado por um político tão ignorante que sequer conhece a história do país em que vive e que é capaz de fazer comentários tão estúpidos quanto esses.

Link:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po3009201001.htm

Tucanos temem que 'Onda Verde' possa levar eleição paulista para o segundo turno!

Painel

RENATA LO PRETE - painel@uol.com.br

Com emoção

O novo Datafolha diminui a zona de conforto de Geraldo Alckmin para definir a eleição no domingo e adiciona temperatura à disputa pelo governo paulista. Além da queda de seis pontos na diferença entre o tucano e Aloizio Mercadante (PT), outro fator passou a ser computado na matemática das campanhas.

Como a linha que separa Alckmin do segundo turno baixou para quatro pontos, a chance de a "onda verde" impulsionar Fábio Feldman (PV) para além do 1%, numa faixa do eleitorado tradicionalmente alinhada ao ex-governador, anima o PT e aflige o PSDB.

Link:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po3009201001.htm

Nos corredores do Supremo, fala-se em impeachment de Gilmar Mendes!

Nos corredores do Supremo, fala-se em impeachment de Gilmar Mendes

1. A matéria apresentada pelo Jornal Folha de S. Paulo é de extrema gravidade. Pelo noticiado, e se verdadeiro, o ministro Gilmar Mendes e o candidato José Serra, tentaram, por manobra criminosa, retardar julgamento sobre questão fundamental, referente ao exercício ativo da cidadania: o direito que o cidadão tem de votar.

Atenção: Gilmar e Serra negam ter se falado. Em outras palavras, a matéria da Folha de S.Paulo não seria verdadeira.

Pelo que se infere da matéria, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes interrompeu o julgamento do recurso apresentado pelo PT. Pela ação proposta, considera-se inconstitucional a obrigatoriedade do título eleitoral, acrescido de um documento oficial com fotografia.

O barômetro em Brasília indica alta pressão. Pressão que subiu com o surpreendente pedido de “vista” de Mendes. E que chegou no vermelho do barômetro com a matéria da Folha. Ligado o fato “a” (adiamento) com o “b” (pedido de Serra), pode-se pensar no artigo 319 do Código Penal: crime de prevaricação.

Já se fala entre políticos, operadores do Direito e experientes juristas, caso o fato noticiado na Folha de S.Paulo tenha ocorrido e caracterizado o pedido de Serra para Gilmar “parar” o julgamento, em impeachment do ministro.

O impeachement ecoa na “rádio corredor” do Supremo. E por eles circulam ministros e assessores.

Com efeito. O julgamento da ação proposta pelo PT transcorria sem sobressaltos. Não havia nenhuma dificuldade de ordem técnica-processual. Trocando em miúdos, a matéria sob exame dos ministros não tinha complexidade jurídica. Portanto, nenhuma divergência e com dissensos acomodados e acertados.

Sete ministros já tinham votado pelo acolhimento da pretensão apresentada, ou seja, ao eleitor, sem título eleitoral, bastaria apresentar um documento oficial, com fotografia. A propósito, a ministra Ellen Gracie observou que a exigência da lei “só complica” o exercício do voto.

O que surpreendeu, causou estranheza, foi o pedido de vistas de Gilmar Mendes. Como regra, o pedido de vistas ocorre quando a matéria é de alta complexidade. Ou quando algum ministro apresenta argumento que surpreende, provocando a exigência de novo exame da questão. Isso para que quem pediu vista reflita, mude de posição ou reforce os argumentos em contrário.

Também causou estranheza um pedido de vista de matéria não complexa, quando, pela proximidade das eleições, exigia-se urgência.

Dispensável afirmar que não adianta só a decisão do Supremo. É preciso tempo para a sua repercussão. Quanto antes for divulgado, esclarecido, melhor será.

Terceiro ponto: a votação no plenário do STF se orientava no sentido de que a matéria era de relevância, pois em jogo estava o exercício da cidadania. A meta toda era, como se disse no julgamento, facilitar e não complicar o exercício da cidadania, que vai ocorrer, pelo voto, no próximo domingo, dia das eleições.

Um pedido de vista, a esta altura, numa questão simples, em que os sete ministros concluíram que a lei sobre a apresentação de dois documentos para votar veio para complicar, na realidade, dificultava esse mencionado exercício de cidadania ativa (votar).

O pedido de vista numa questão que tem repercussão, é urgente e nada complexa, provocou mal-estar.

Os ministros não querem se manifestar sobre a notícia divulgada pela Folha, uma vez que, tanto José Serra quanto Gilmar Mendes negaram. Mas vários deles acham que a apuração do fato, dado como gravíssimo, se for verdadeiro, é muito simples. Basta quebrar o sigilo telefônico.

Pano rápido. Como qualquer toga sabe, a matéria da Folha de S.Paulo é grave porque envolve, caso verdadeira, uma tentiva de manipulação que prejudica o direito de cidadania. Trata-se de um ministro do Supremo, que tem como obrigação a insenção. Serra e Mendes desmentiram. A denúncia precisa ser apurada pelo Ministério Público e, acredita-se, que a dra Cureau não vai deixar de apurar e solicitar, judicialmente, a quebra dos sigilos telefônicos de Serra e Mendes.

A única forma de se cassar um ministro do Supremo, já que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) não tem poder correcional sobre eles, é o impeachment. Ministros do Supremo só perdem o cargo por impeachment.

O único caminho, quando se trata de grave irregularidade, de crime perpetrado — e esse caso, se comprovado, pode ser caracterizado como crime —, é o impeachment.

Na historiografia judiciária brasileira nunca houve impeachment de ministro do STF. Já houve cassação pela ditadura militar, e por motivo ideológico.

Wálter Fanganiello Maierovitch

Link:


http://maierovitch.blog.terra.com.br/2010/09/30/nos-corredores-do-supremo-fala-se-em-impeachment-de-gilmar-mendes/

Jefferson chama Serra de 'autista' e diz que tucano 'mandou mal' ao expor Gilmar Mendes!

Meu Comentário!

Interessantes, esses comentários do Roberto Jefferson, que apóia a candidatura de José Serra. Jefferson não condenou o fato de Serra ter pedido a ajuda de Gilmar Mendes, mas reclamou de Serra ter feito isso publicamente.

Assim, para o ex-deputado federal e manda-chuva do PTB, caso Serra tivesse feito isso sem expor Gilmar Mendes publicamente, não teria havido problema algum.

Essa é a falsa ética da oposição demo-tucana-petebista.

Notícia:

Jefferson chama Serra de 'autista' e diz que tucano 'mandou mal' ao expor Mendes

da Folha.com

O ex-deputado federal Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, criticou nesta quinta-feira, pelo Twitter, o tucano José Serra por ele ter telefonado e "exposto" o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes.

"Serra expos o Ministro Gilmar Mendes de (sic) publico. Mandou mal", disse Jefferson. "As vezes penso que o Serra e altista [autista]. Só pensa em si próprio. Ruim, expos o Gilmar Mendes", reiterou.

Após receber uma ligação do candidato do PSDB, Mendes interrompeu o julgamento de um recurso do PT contra a obrigatoriedade de apresentação dos dois documentos na hora de votar.

Serra pediu que um assessor telefonasse para Mendes pouco antes das 14h, depois de participar de um encontro com representantes de servidores públicos em São Paulo. A solicitação foi testemunhada pela Folha.

No fim da tarde, Mendes pediu vista, adiando o julgamento. Sete ministros já haviam votado pela exigência de apresentação de apenas um documento com foto, descartando a necessidade do título de eleitor.

A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos é apontada por tucanos como um fator a favor de Serra e contra sua adversária, Dilma Rousseff (PT).

A petista tem o dobro da intenção de votos de Serra entre os eleitores com menor nível de escolaridade.

Link:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/807085-jefferson-chama-serra-de-autista-e-diz-que-tucano-mandou-mal-ao-expor-mendes.shtml

Datafolha se corrige e admite favoritismo de Dilma na reta final!

Meu Comentário!

Lembrem-se do que eu escrevi aqui no blog quando da divulgação da pesquisa anterior do Datafolha, ou seja, de que era necessário esperar por outras pesquisas que confirmassem a mudança de cenário mostrada pelo Datafolha. Como nenhum outro instituto apontou tal mudança, o Datafolha teve que se corrigir.

Depois desta campanha eleitoral, a credibilidade do Datafolha foi para a lata de lixo e para recuperá-la não será fácil, se é que isso será possível de ser feito.

Notícia:

Datafolha se corrige e admite favoritismo de Dilma na reta final - do Vermelho

O Datafolha reconheceu, ainda que sutilmente, que a candidata à Presidência Dilma Rousseff, da coligação Para o Brasil Seguir Mudando, “mantém seu favoritismo na atual disputa eleitoral”. Embora a Folha de S.Paulo divulgue que “Dilma para de cair”, o fato é que a pesquisa, para acertar seus ponteiros, registra o mesmo patamar eleitoral da semana passada. O Datafolha se corrigiu.
Dilma, aliás, não apenas parou de cair – ela cresceu um ponto percentual, enquanto seus adversários recuaram. Segundo levantamento nacional do Datafolha, encomendada pelo jornal Folha de S.Paulo e pela Rede Globo e realizada na terça e quarta-feira, com 13.195 eleitores, Dilma tem 52% dos votos válidos na projeção para o primeiro turno.

Seu principal adversário, José Serra (PSDB), caiu um ponto e tem hoje 31% dos votos válidos. Marina Silva (PV) também perdeu um ponto, e está com 15%. A soma dos adversários de Dilma é de 48% dos válidos. Ela precisa de 50% mais um voto para vencer domingo.

Foram ouvidos 13.195 eleitores em 480 municípios. O número do registro no Tribunal Superior Eleitoral é o 33119/2010. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

No suspeitíssimo levantamento do Datafolha realizado na segunda-feira – e não confirmado por nenhum outro instituto de pesquisa –, Dilma teria oscilado negativamente em todos os estratos da população. Agora, caindo na real, o Datafolha “explica” que Dilma “chegou a se recuperar no Sul, entre os eleitores de 35 a 59 anos e entre os que ganham entre dois e cinco salários mínimos (R$ 1.020 e R$ 2.550)”, além de ter oscilado “positivamente, dentro da margem de erro, em vários estratos da população, como entre eleitores com ensino fundamental e do Sudeste”.

Na simulação de segundo turno do Datafolha, a petista cresceu um ponto. Passou de 52% para 53%. O tucano manteve seus 39%. Sobre o conhecimento do número dos candidatos, 55% acertam os algarismos e 40% admitem desconhecê-los. No caso de Marina, apenas 39% citam corretamente o seu número. No de Dilma, 64%; e no de Serra, 53%.

O percentual de indecisos é de 6%, e outros 3% votarão em branco ou nulo. Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) teve 1% das intenções dos votos. Os demais candidatos, juntos, não atingiram 1%.

Da Redação, com informações da Folha de S.Paulo

Link:


http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=138231&id_secao=1

O estilo Dantas na ação entre amigos - por Luis Nassif!

O estilo Dantas na ação entre amigos - por Luis Nassif!

Serra e Gilmar poderiam alegar que nada falaram sobre a votação. Gilmar Mendes, o Ministro que conspurcou o Supremo com acusações sem prova no caso do grampo, que quase criou uma crise institucional com a falsa denúncia de grampo no Supremo, afirmou peremptoriamente que não conversaram.

O Supremo tem que mostrar dignidade, agora. Autorizar um inquérito policial onde sejam periciados os telefones de Serra e de Gilmar "meu presidente". E, confirmada a ligação, demita um Ministro que não soube honrar a toga.

Link:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-estilo-dantas-na-acao-entre-amigos

Brizola Neto: Nem todos abandonaram Serra. Gilmar ficou!

Nem todos abandonaram Serra. Gilmar ficou

A sessão de hoje do Supremo Tribunal Federal será marcada por um enorme constrangimento. Já estava evidente, pelo placar de 7 a 0 em favor da desnecessidade da apresentação de dois documentos na hora do voto que a questão era juridicamente clara.

Já foi miúdo – embora regimental – o pedido de vistas pelo Ministro Gilmar Mendes, apenas para protelar uma questão sem grande complexidade e já resolvida pelos demais juízes.

Agora, porém, com a revelação da repórter Cátia Seabra de que esse gesto veio depois de um telefonema de José Serra, Mendes está numa situação vexatória.

É sabido, há dias, que o serrismo apostava numa alta abstenção e que, nela, se incluiriam aqueles que, desinformados, não levassem o documento com foto e o título para votar, exigência da nova lei, em relação à qual eu e muitos deputados “dormimos no ponto” e deixamos passar.

O STF vai corrigir esta distorção da lei, que poderia privar centenas de milhares de brasileiros, em especial os mais humildes, do direito de voto.

Parece que incorrigíveis, mesmo, só as atitudes do ministro Gilmar Mendes e de José Serra.

Link:


http://www2.tijolaco.com/27981

Ou Gilmar Mendes abre o sigilo telefônico ou tchau! - por Renato Rovai!

Ou Gilmar Mendes abre o sigilo telefônico ou tchau

Gilmar Mendes não tem outra alternativa se quiser provar que é inocente no caso do telefonema. Tem que processar a Folha de S. Paulo e a ao mesmo tempo abrir o seu sigilo telefônico.

Se não vier a fazer essas duas coisas, ao Supremo só resta uma alternativa: cassá-lo.

O resto é conversa para boi dormir.

Comprovado que Gilmar Mendes teria aceitado sugestão de uma das partes que poderiam ser beneficiadas com o seu voto no Supremo, Gilmar cometeu corrupção passiva.

Quem diria que logo José Serra e a Folha de S. Paulo poderiam ser os algozes de Gilmar Mendes.

O mundo dá voltas.

Link:

http://www.revistaforum.com.br/blog/2010/09/30/ou-gilmar-mendes-abre-o-sigilo-telefonico-ou-tchau/



Meu Comentário!

Confirmando-se que Serra pediu para Gilmar Mendes agir no sentido de impedir que os eleitores votassem usando apenas um documento com foto, então fica demonstrado que a 'bala de prata' da eleição era, na verdade, uma tentativa de fraudar a vontade popular, não permitindo que milhões de eleitores pudessem votar.

Ligação Serra-Gilmar pode melar a eleição - por PHA!

Ligação Serra-Gilmar pode melar a eleição - por PHA!

Ele é um jenio !

A revelação espantosa de que Gilmar e Serra se falaram antes de Gilmar impedir que o Supremo decidisse a forma de votar, leva a uma interpretação inevitável.

É o Golpe !

O Golpe consistiria em:

- confundir o eleitor;

- confundir os mesários;

- confundir os juizes;

- provocar milhões de pedidos de impugnação;

- melar a eleição

Já que Serra não conseguirá ganhar a eleição, melhor não realizá-la.

É um raciocínio do nosso Putin, convertid0 à extrema direita, na companhia do DEMO e de seu Juiz, Gilmar Dantas (*).

É uma interpretação irremediável.

Antes, esse Conversa Afiada achou que José Serra queria ganhar com 6 votos: os 6 votos do Tribunal Superior Eleitoral.

Agora, ele atingiu a perfeição: ganhar a eleição com 1 voto.

Reunir Serra e Gilmar na mesma eleição só podia dar nisso.


Paulo Henrique Amorim

Link:


http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2010/09/30/ligacao-serra-gilmar-pode-melar-a-eleicao/

Vox Populi-Senado\CE: Eunício e Pimentel empatam com Tasso!

Vox Populi: Tasso, 46%, Eunício, 44%, e Pimentel, 43%

Pelo Governo, Cid Gomes (PSB) mantém 54% das intenções de voto e pode vencer no primeiro turno

Pesquisa Vox Populi divulgada na noite desta quarta-feira pelo portal iG mostra empate triplo na corrida pelo Senado no Ceará. De acordo com a sondagem, Tasso Jereissati (PSDB) tem 46% das intenções de voto, contra 44% de Eunício Oliveira (PMDB) e 43% de José Pimentel (PT). Há empate por causa das possíveis variações decorrentes da margem de erro, de 3,5 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Pelo Governo do Estado, segundo o Vox Populi, o governador e candidato à reeleição Cid Gomes (PSB) lidera e pode vencer ainda no primeiro turno, com 54% das intenções de voto, contra 19% de Lúcio Alcântara (PR) e 12% de Marcos Cals (PSDB).

A pesquisa foi realizada no dia 24 de setembro, com 800 eleitores, e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 32.967/2010 e no Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) com o número 59.370/2010.

Link:

http://www.opovo.com.br/app/eleicoes/2010/09/30/noticiaeleicoes,2047655/vox-populi-tasso-46-eunicio-44-e-pimentel-43.shtml

Após ligação de Serra, Gilmar Mendes para sessão sobre documentos para votar!

Após ligação de Serra, Gilmar Mendes para sessão sobre documentos para votar

MOACYR LOPES JUNIOR e CATIA SEABRA - da Folha.com

Após receber uma ligação do candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes interrompeu o julgamento de um recurso do PT contra a obrigatoriedade de apresentação dos dois documentos na hora de votar.

Serra pediu que um assessor telefonasse para Mendes pouco antes das 14h, depois de participar de um encontro com representantes de servidores públicos em São Paulo. A solicitação foi testemunhada pela Folha.

No fim da tarde, Mendes pediu vista, adiando o julgamento. Sete ministros já haviam votado pela exigência de apresentação de apenas um documento com foto, descartando a necessidade do título de eleitor.

A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos é apontada por tucanos como um fator a favor de Serra e contra sua adversária, Dilma Rousseff (PT).

A petista tem o dobro da intenção de votos de Serra entre os eleitores com menor nível de escolaridade.

Após pedir que o assessor ligasse para o ministro, Serra recebeu um celular das mãos de um ajudante de ordens. O funcionário o informou que o ministro do STF estava do outro lado da linha.

Ao telefone, Serra cumprimentou o interlocutor como "meu presidente". Durante a conversa, caminhou pelo auditório onde ocorria o encontro. Após desligar, brincou com os jornalistas: "O que estão xeretando?"

Depois, por meio de suas assessorias, Serra e Mendes negaram a existência da conversa.

Para tucanos, a exigência da apresentação de dois documentos pode aumentar a abstenção nas faixas de menor escolaridade.

Temendo o impacto sobre essa fatia do eleitorado, o PT entrou com a ação pedindo a derrubada da exigência.

O resultado do julgamento já está praticamente definido, mas o seu final depende agora de Mendes.

Se o Supremo não julgar a ação a tempo das eleições, no próximo domingo, continuará valendo a exigência.

À Folha, o ministro disse que pretende apresentar seu voto na sessão de hoje.

Antes da interrupção, foi consenso entro os ministros que votaram que o eleitor não pode ser proibido de votar pelo fato de não possuir ou ter perdido o título.

Votaram assim a relatora da ação, ministra Ellen Gracie, e os colegas José Antonio Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Joaquim Barbosa, Carlos Ayres Britto e Marco Aurélio Mello.

Para eles, o título, por si só, não garante que não ocorram fraudes. Argumentam ainda que os dados do eleitor já estão presentes, tanto na sessão, quanto na urna em que ele vota, sendo suficiente apenas a apresentação do documento com foto.

"A apresentação do título de eleitor não é tão indispensável quanto a do documento com fotografia", afirmou Ellen Gracie.

O ministro Marco Aurélio afirmou que ele próprio teve de confirmar se tinha consigo seu título de eleitor. "Procurei em minha residência o meu título", disse. "Felizmente, sou minimamente organizado."

A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos foi definida em setembro de 2009, quando o Congresso Nacional aprovou uma minirreforma eleitoral.

O PT resolveu entrar com a ação direta de inconstitucionalidade semana passada por temer que a nova exigência provoque aumento nas abstenções.

O advogado do PT, José Gerardo Grossi, afirmou que a exigência de dois documentos para o voto é um "excesso". "Parece que já temos um sistema suficientemente seguro para que se exija mais segurança", disse.

Link:


http://www1.folha.uol.com.br/poder/806923-apos-ligacao-de-serra-gilmar-mendes-para-sessao-sobre-documentos-para-votar.shtml

Dilma contra o aborto, a favor da vida e da família

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Lula: Enfrento o que Vargas enfrentou!


Lula: enfrento o que Vargas enfrentou

É por isso que eles odeiam tanto: o petróleo voltou a ser nosso

Aos poucos, ao longo de sua carreira de líder trabalhista, Luís Inácio Lula da Silva se reconciliou com Getúlio Vargas.

Nem sempre foi assim.

O líder metalúrgico tinha uma visão sindicalista da herança da Consolidação das Leis do Trabalho.

Lula acusava Vargas de ter fomentado o peleguismo e a burocratização dos sindicatos.

Quando Luís Inácio Lula da Silva se tornou Presidente da República, se deu conta, com as tentativas diárias de derrubá-lo, que a trajetória de Vargas tinha sido outra: lutar pelos pobres e defender o interesse nacional, sempre contra o ódio implacável da elite branca (e separatista, no caso de São Paulo) e do PiG (*).

O sacrifício de Vargas atrasou por dez anos a intervenção militar de 64.

Os responsáveis estão vivos até hoje.

Carlos Lacerda e sua versão medíocre, José Serra, a UDN de São Paulo, os filhos de Roberto Marinho, os seus aliados igualmente medíocres, como o Otavinho que nem em delírio se compararia a Assis Chateaubriand.

Vargas criou a Petrobras.

Como disse a Dilma, Lula recomprou o pedaço que o governo FHC/Serra tinha vendido da Petrobrax.

É por isso que Lula se parece tanto com Vargas.

E é por isso que o Carlos Lacerda e o Roberto Marinho odeiam tanto Vargas e Lula.

Lula fará o sucessor no primeiro turno.

Vargas é o seu maior eleitor.

Link:

http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2010/09/29/lula-enfrento-o-que-vargas-enfrentou/

Meu Comentário!

Como disse o grande Getúlio Vargas aos trabalhadores:

"Hoje estais com o governo. Amanhã sereis o Governo!".

Comercial de TV - Lula faz alerta contra boatos na campanha (30")

Bispo Edir Macedo diz que boatos são 'jogo do diabo'; Para Lula, a boataria é fruto de gente do 'submundo da política'!

Campanha de Dilma convoca Lula e Edir Macedo para conter boatos

Bispo da Igreja Universal diz que boatos são 'jogo do diabo'; para Lula, a boataria é fruto de gente do 'submundo da política'

iG São Paulo

A operação para conter a onda de boatos na internet contra a candidata do PT, Dilma Rousseff, ganhou duas forças de peso nesta quarta-feira.

Além das 27 lideranças religiosas que se reuniram com a presidenciável do PT nesta manhã, o bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), postou em seu site oficial uma mensagem de repúdio aos boatos contra a ex-ministra da Casa Civil. O PT também começou a veicular uma peça publicitária em que o presidente Lula combate a onda de boatos.

Na propaganda, Lula diz que os boatos contra Dilma também aconteceram com ele e são fruto de pessoas que saem do “submundo da política para inventar mentiras”. O comercial começou a ser veiculado no site da candidata petista e, segundo a assessoria de Dilma, também será exibido na televisão e no rádio a partir de amanhã.

“Serviço do diabo”

Além da força de Lula, a mensagem do bispo Edir Macedo diz que quem espalha boatos sem fundamento contra Dilma está “fazendo o jogo do diabo”. Segundo o bispo, “devemos observar que pessoas mal intencionadas têm procurado confundir muitos cidadãos com mentiras mal elaboradas, a fim de atrapalhar o trabalho sério de alguns candidatos. Pense nisto”, escreveu Macedo.

A mensagem de alerta para os evangélicos da IURD foi postada na tarde desta quarta-feira e dizia respeito principalmente ao boato em que Dilma teria afirmado que “nem Jesus Cristo impediria sua vitória”.

A frase, segundo Macedo e a própria campanha de Dilma, nunca foi dita pela candidata. Para Macedo, “se os cristãos fossem tão ágeis e eficientes para usar as ferramentas modernas da comunicação na pregação do Evangelho, assim como parecem ser para disseminar boatos, certamente muitas almas seriam ganhas para o Senhor Jesus”, argumentou.

Link:

http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/campanha+de+dilma+convoca+lula+e+edir+macedo+para+conter+boatos/n1237787073162.html

Com lideranças religiosas, Dilma reage às mentiras espalhadas por adversários!

Com lideranças religiosas, Dilma quer conter boataria

Coordenação de campanha acredita que boatos seriam uma ofensiva para forçar um eventual segundo turno

Andréia Sadi, iG Brasília

Para conter uma onda de boataria na rede, a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, se reuniu nesta quarta-feira (29), em Brasília, com 27 lideranças religiosas. No encontro, a petista reafirmou ser contra o aborto e repudiou o boato que se espalhou na internet nesta etapa final de campanha que credita à Dilma a afirmação de que nem Jesus Cristo tiraria a eleição da candidata.

"Quero repudiar a afirmação que colocam na minha boca de que eu disse em algum momento que ganharia as eleições. É uma campanha difamatória (..) Isso é uma falsidade, tentativa de sair do submundo da política e denegrir uma pessoa . Eu sou cristã e jamais utilizaria o nome de Cristo em vão", justificou Dilma.

A petista voltou a dizer que é “pessoalmente contra o aborto” e que não convocará um plebiscito para alterar a lei mesmo se o PT defender mudanças no sentido da legalização. "Não se trata de desautorizar (o partido). Eu não concordo. Como presidente, não tomarei esta posição", afirmou.

Nos bastidores, o comando da campanha de Dilma detectou nos últimos dias várias iniciativas na rede de depoimentos fraudados atribuídos à candidata que, segundo integrantes da campanha, seriam para indispô-la com setores religiosos. Além da frase sobre Cristo, uma nota da CNBB estaria circulando com conteúdo que pede para os eleitores não votarem em Dilma, alegando que a candidata seria a favor do aborto.

A coordenação acredita que seria uma ofensiva para forçar um eventual segundo turno e admite preocupação com a perda do eleitorado nesse segmento. Por isso, a campanha contatou emergencialmente as lideranças para uma reunião na manhã desta quinta-feira para desfazer os boatos.

Carta e apoio

A Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil Ministério de Madureira soltou agora há pouco uma carta aberta à nação brasileira, em que reitera o apoio ‘total e irreversível’ à candidata e repudia os boatos. Assinada pelo Bispo Doutor Manoel Ferreira, a carta chama de ‘cruel e mentirosa’ a boataria que permeia os meios de comunicação. A entidade representa 50% das igrejas evangélicas do Brasil.

Link:

http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/com+liderancas+religiosas+dilma+quer+conter+boataria/n1237786907739.html

Vox Populi/Band/iG: Dilma mantém 49% e tem 55,7% dos votos válidos! Serra chega a 26% e Marina continua com 12% Plinio chega a 1%!

Vox Populi/Band/iG: Serra chega a 26% e Dilma mantém 49%

Apesar do crescimento do tucano nos últimos dias, petista ainda tem 55% dos votos válidos e venceria disputa no 1º turno

Matheus Pichonelli, iG São Paulo

A candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, mantém a dianteira sobre os adversários na corrida para a sucessão e seria eleita, no próximo domingo, com 55% dos votos válidos, aponta o mais recente tracking Vox Populi/Band/iG.

Na medição do instituto, publicada nesta quarta-feira, ela aparece, pelo quarto dia consecutivo, com 49% das intenções de voto - quando são considerados os votos brancos, nulos e o índice de eleitores indecisos. O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, alcançou, pela primeira vez desde o início da medição, 26% das preferências – há 20 dias, ele tinha 21%, seu pior índice na pesquisa. Marina Silva (PV) segue com 12%, enquanto os outros candidatos, como Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) têm, juntos, 1%.

Com este cenário, Dilma mantém dez pontos de vantagem em relação à soma de todos os adversários. Para vencer no primeiro turno, a candidata precisa obter 50% dos votos mais um.

O tracking aponta também que 9% dos eleitores não sabem ou não responderam em quem pretendem votar no próximo domingo. Votos brancos e nulos somam 3%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

O melhor cenário para a candidata petista é o Nordeste, onde ela tem 64% das preferências – contra 18% de Serra e 7% de Marina. No Sudeste, onde Dilma chegava a ter 48% das intenções de voto há dez dias, o índice chega agora a 41%. É o pior desempenho da petista entre todas as regiões. Ela aparece à frente dos adversários, no entanto, em todas as áreas pesquisadas.

Serra tem o melhor cenário no Sul, onde alcança 36% dos votos. No Sudeste, Norte e Centro Oeste a candidata do PV chega a 16% das preferências, sua melhor pontuação entre as regiões.

Na pesquisa espontânea, quando o nome dos candidatos não é apresentado ao eleitor, Dilma tem 42% (um a menos do que na véspera), contra 23% de Serra e 10% de Marina (ambos têm um ponto a mais do que no dia anterior).

O tracking Vox/Band/iG conta com 2.000 entrevistas, sendo que um quarto dessa amostra é renovada diariamente. A pesquisa é registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 27.428/10.

Link:


http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/vox+populibandig+serra+chega+a+26+e+dilma+mantem+49/n1237787062547.html

Coimbra: Nem onda verde, nem queda de Dilma!

Coimbra: Nem onda verde, nem queda de Dilma

por Luiz Carlos Azenha

Marcos Coimbra, em entrevista por escrito ao Poder Online:

“Para ter segundo turno, Dilma teria de perder 8 milhões de votos em seis dias”

Uma pequena entrevista por email, do presidente do Instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, ao Poder Online, do IG:

Marina Silva está crescendo sobre votos de Dilma Rousseff?

– Não dá para dizer. Dilma cresceu tanto após o início do horário gratuito da propaganda eleitoral que roubou votos dos outros dois. Agora, esses votos estão, ao que parece, voltando para eles.

Quantos votos, de fato, Dilma precisa perder para que haja segundo turno?

– Nos dados de nosso tracking (corroborados por vários outros que temos de pesquisas desenvolvidas em paralelo), a vantagem dela para a soma dos outros estava em 12 pontos percentuais ontem. Se 6 pontos passassem dela para os outros, a eleição empataria e o prognóstico de vitória no primeiro turno seria impossível. Como cada ponto equivale a mais ou menos 1,35 milhão de eleitores, isso seria igual a 8 milhoes de eleitores (sem raciocinar com abstenções).

Marina Silva pode ultrapassar José Serra?

– É muito pouco provável, no conjunto do país. Possível em alguns lugares, como a região Norte e o DF. Talvez se consolide no Rio, onde ela já está na frente.

Qual o quadro que o senhor acha mais provável?

Vitória de Dilma no primeiro turno.

*****

Em outras conversas, ao longo do dia, Coimbra disse o mesmo a mais de um interlocutor: não há sinais de onda verde, nem de queda de Dilma Rousseff.

O próprio tracking do Vox Populi de hoje registra Dilma com 49%, Serra com 25% (subiu 1) e Marina com 12% (caiu 1).

Ou seja, faltando quatro dias para as eleições continua valendo a entrevista que Coimbra deu ao Viomundo, que está aqui. Serra e Dilma estão dentro das previsões que Coimbra fez em texto para a CartaCapital (56% a 33% dos votos válidos).

Link:

http://www.viomundo.com.br/politica/coimbra-nem-onda-verde-nem-queda-de-dilma.html

Campanha sobre “censura do PT” falsificou notícia!

Campanha sobre “censura do PT” falsificou notícia

Jornais, redes, sites e canais de TV reproduziram uma mesma matéria dias atrás sobre uma suposta declaração de José Dirceu na Bahia. Segundo a matéria, ele teria "criticado o excesso de liberdade de imprensa no Brasil". Vídeo com a fala de José Dirceu mostra que ele não só não disse isso, como afirmou exatamente o contrário. “Não existe excesso de liberdade; para quem já viveu em ditadura não existe excesso de liberdade”. Declarações falsificadas ajudaram a alimentar a campanha sobre uma suposta ameaça à liberdade de imprensa no país. Os mesmos órgãos de imprensa que participaram dessa farsa silenciam sobre dois casos concretos de censura, protagonizados pelos tucanos José Serra e Beto Richa.

Marco Aurélio Weissheimer

Os grandes jornais, rádios e redes de TVs do Brasil publicaram dias atrás uma notícia falsa e mentirosa que deu base a uma burlesca cruzada cívica contra uma suposta ameaça à liberdade de imprensa no país, partindo do PT e do governo Lula. No dia 14 de setembro, o jornal O Estado de São Paulo publicou matéria intitulada “Na BA, José Dirceu critica excesso de liberdade de imprensa no Brasil”. Um trecho da “reportagem”:

Em palestra para sindicalistas do setor petroleiro da Bahia, na noite desta segunda-feira, 13, em Salvador, o ex-ministro da Casa Civil e líder do PT José Dirceu criticou o que chamou de "excesso de liberdade" da imprensa. "O problema do Brasil é o monopólio das grandes mídias, o excesso de liberdade e do direito de expressão e da imprensa", disse.

As declarações atribuídas a José Dirceu são falsas. Mais grave ainda: ele disse exatamente o contrário: “Não existe excesso de liberdade; para quem já viveu em ditadura não existe excesso de liberdade”. (ver vídeo acima)

A mesma matéria falsa e mentirosa foi reproduzida por dezenas de outros veículos de comunicação em todo o Brasil. Algum desmentido? Algum “erramos”? Nada. Do alto de uma postura arrogante e cínica, os editores desses veículos seguiram reproduzindo a "notícia".

Um outro exemplo, no mesmo contexto da suposta ameaça à liberdade de imprensa que estaria pairando sobre a vida democrática do país. Há dois escandalosos casos concretos de censura registrados na campanha até aqui: ambos foram protagonizados por tucanos. O candidato José Serra exigiu que fossem apreendidos os arquivos de vídeo que registraram sua discussão com a jornalista Márcia Peltier, durante entrevista na CNT. O “democrata” Serra se irritou com as perguntas, ameaçou abandonar o programa e exigiu que as fitas fossem entregues à sua equipe, o que acabou acontecendo. O outro caso ocorreu agora no Paraná, onde o candidato do PSDB ao governo do Estado, Beto Richa, conseguiu proibir na Justiça a divulgação de pesquisas eleitorais.

Onde está a indignação e a ira dos jornalistas, juristas e intelectuais que denunciaram o “mal a ser evitado”? O vídeo acima mostra que as práticas da chamada grande imprensa estão ultrapassando o âmbito da manipulação editorial e ingressando na esfera do crime organizado. É um absurdo que jornalistas que se julguem sérios e que respeitem a profissão que abraçaram sejam cúmplices e/ou omissos diante desse tipo de coisa.

O PT e os partidos e organizações sociais que apóiam a candidatura de Dilma Rousseff poderiam convidar jornalistas internacionais para acompanhar o que está acontecendo no Brasil e divulgar para o resto do mundo esse tipo de prática.

Link:

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=16996

R7: Boato religioso tenta desestabilizar Dilma!

R7: Boato religioso tenta desestabilizar Dilma

Boatos tentam desestabilizar reta final da campanha de Dilma

Rumor atribui à petista a frase “nem mesmo Cristo me tira essa vitória”

Do R7

Uma falsa declaração atribuída à candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, circula na internet com o fim de desestabilizar a candidatura da petista nesta reta final da campanha, a cinco dias da eleição. De acordo com e-mails e mensagens repassadas pela web, Dilma, que lidera a disputa de acordo com todos os institutos de pesquisas, teria dito: “nem mesmo Cristo me tira essa vitória. As pesquisas comprovam o que eu estou dizendo, vou ganhar no primeiro turno”.

A declaração, no entanto, nunca existiu, de acordo com a equipe de campanha de Dilma, e se deve ao “jogo baixo” utilizado pelos seus adversários durante a campanha.

Segundo o coordenador de comunicação da campanha da petista e candidato a deputado estadual por São Paulo, Rui Falcão, ela nunca deu esta declaração.

- É uma calúnia. Dilma respeita todas as religiões e jamais usaria o nome de Cristo em vão. Ainda mais com esse tom de arrogância, que não é do temperamento dela, muito menos de soberba com os eleitores.

Diferentemente da declaração atribuída a ela, a candidata do PT tem dito, sempre que questionada, que pesquisa não ganha eleição e a definição só ocorre no dia 3 de outubro, quando os eleitores forem às urnas.

Em campanha em Curitiba (PR), em julho, a candidata negou qualquer “salto alto”.

- Ninguém pode subir no salto alto e sair por aí achando que já ganhou. Até o dia 3 de outubro, muita água vai rolar debaixo da ponte.

A declaração foi repetida em evento de campanha em Mauá, na grande São Paulo, no dia 21 de agosto.

- Eleição a gente não ganha com pesquisa. Eleição a gente ganha respeitando o voto do povo brasileiro. Peço para vocês muita atenção, muito empenho e muita garra, porque, de hoje até o dia 3, nós vamos disputar cada voto.

Link:

http://www.viomundo.com.br/politica/r7-boato-religioso-tenta-desestabilizar-dilma.html

Agência Carta Maior: A endogamia verde-lacerdista, a quatro dias da urna!

Ibope: Dilma 50% X Serra+ Marina, 40%;

Sensus: Dilma 47,5% X Serra + Marina, 37,2%

Governo Lula: aprovação recorde de 79,4%

A ENDOGAMIA VERDE-LACERDISTA, A QUATRO DIAS DA URNA - da Agência Carta Maior

O arrastão do conservadorismo jogará todas as cartas nas próximas horas na tentativa de reverter a vantagem de Dilma, na prática ou no imaginário popular.

Outros Datafolhas tentarão soprar a torcida pelo segundo turno, hipótese desautorizada nos últimos levantamentos da Sensus e do próprio Ibope.

Objetivamente, o conservadorismo nativo não tem nenhuma proposta, nenhum projeto capaz de mobilizar uma virada estatísticamente colossal, que envolveria a migração de oito milhões de votos [leia entrevista de Marcos Coimbra, do Vox Populi, no Viomundo].

Resta-lhe, porém, uma endogamia publicitária apoiada em duas frentes, cuja desfrute mútuo produz efeitos não subestimáveis; a saber:

I) soterrar os avanços sociais e econômicos dos últimos oito anos num 'mar de lama' cenográfico, anabolizado pelo dispositivo midiático até o dia da votação;

II) usar --o termo é tristemente esse-- 'usar' Marina Silva como glacê verde do udenismo lacerdista, emprestando-lhe um frescor de photoshop que a direita nunca teve neste país e Serra, naturalmente, foi incapaz de suprir.

Sim, a aliança de forças pró-Dilma também inclui remanescentes da direita e centro direita abrigados em partidos aliados.

A diferença na história é sempre quem detém a hegemonia do processo. Do lado de Dilma, em última instancia, são os sindicatos operários e os movimentos sociais que concentram uma capacidade de mobilização capaz de fazer a diferença no prato da balança política.

Quando Serra e a mídia atacam o que denominam de 'aparelhismo' do Estado e vociferam contras as 77 conferência nacionais realizadas pelo governo Lula, que mobilizaram mais de cinco milhões de pessoas no país, esse é o seu alvo , ou alguém acredita que a pauta do 'mar de lama' reflete valores éticos do jornal O Globo?

No caso de Marina Silva, cabe indagar para qual margem da disputa hegemônica estão sendo arrastados os votos dirigidos a uma suposta candidatura de 'terceira via', essa dissimulação ideológica que a crise mundial do capitalismo cuidou mais uma vez de desnudar.

Objetivamente, acima de ressentimentos e divergencias superáveis, esse é o quadro sobre o qual o ambientalismo progressista e os democratas devem refletir, a quatro dias da urna.

(Carta Maior e a hora da decisão, 29-09)

Reservas externas chegarão a US$ 300 bilhões, dizem economistas!

Reservas externas chegarão a US$ 300 bilhões, dizem economistas

Atuação do governo para tentar evitar uma valorização ainda maior do real contribui para acumulação de capital

Aline Cury Zampieri, iG São Paulo

O sucesso da maior capitalização do mundo, a oferta de ações da Petrobras, contribuirá para que as reservas internacionais atinjam brevemente a cifra dos US$ 300 bilhões, elevando a posição do Brasil na classificação mundial de detentores de moedas estrangeiras.

O relatório do Banco Central (BC) mostra que as reservas internacionais do Brasil subiram nada menos que US$ 12 bilhões em setembro, para US$ 273,8 bilhões na segunda-feira, o dado mais recente disponível.

“Acredito que as reservas cheguem em breve a US$ 300 bilhões”, diz Cristiano Souza, economista do grupo Santander Brasil. Quando atingir esse patamar, a reserva internacional brasileira será a sétima maior do mundo, atrás de China (US$ 2,4 trilhões), Japão (US$ 1 trilhão), Zona do Euro (US$ 715 bilhões), Rússia (US$ 461 bilhões), Arábia Saudita (US$ 410 bilhões) e Taiwan (US$ 372 bilhões). O Brasil superaria a Índia (US$ 287 bilhões) e Coreia do Sul (US$ 286 bilhões).

A acumulação de reservas está relacionada à entrada de capital estrangeiro para a compra de ações da Petrobras. “O BC prometeu comprar esses recursos adicionais”, diz Souza, do Santander.

Economistas dizem que, apesar de a liquidação da oferta estar marcada para esta quarta-feira, o mercado já vinha registrando ingresso de dólares acima da média nas últimas duas semanas.

“Muitos investidores entraram antes no Brasil em investimentos de renda fixa, para depois trocar pelas ações da Petrobras”, diz Arthur Carvalho, economista-chefe da Ativa Corretora. Em suas contas, US$ 10 bilhões adicionais relativos à Petrobras vão para a conta de capital do País. O volume representa um excedente de 20% em relação à conta do mês.

O economista conta que, para fazer frente a essa entrada de peso, o governo atuou fortemente para tentar diluir esse efeito. “O volume de compras de reservas internacionais do BC subiu absurdamente nas últimas semanas”, diz Carvalho.

Efeito no câmbio

Tanto o ministro da Fazenda, Guido Mantega, quanto o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, vêm dando declarações reiteradas na imprensa de que o governo agirá para conter uma alta ainda maior do real. Segundo o colunista do iG Guilherme Barros, a próxima cartada deve ser a elevação do IOF sobre capital estrangeiro após as eleições. Hoje, o IOF é de 2% sobre os investimentos que entram no país, e a intenção é dobrá-la.

Com essa atuação do governo, os economistas acreditam que o encerramento da capitalização da Petrobras não deve ter grandes efeitos na cotação do dólar até o fim deste ano. Por ter sido a maior chamada de capital da história, a operação fez com que muitos economistas traçassem cenários “antes de Petrobras e depois de Petrobras” para o câmbio em 2010. Muitos acreditavam em queda mais forte do dólar no momento de entrada dos recursos da oferta, e alta mais significativa após a enxurrada de novos recursos.

Mas a atuação do governo federal diminuiu os efeitos da entrada de dólares da operação, e as perspectivas tanto para a economia global quanto para o mercado de capitais estão fazendo com que os especialistas prevejam um cenário mais estável para o câmbio até dezembro. Já há, por exemplo, quem espere dólar a R$ 1,70 para o fim do ano, ou seja, a mesma cotação do momento. Nesta terça-feira, a moeda norte-americana fechou em queda de 0,06% sobre o real, cotada em R$ 1,7094 para venda.

Sem espaço para muita mudança

Apesar da luta do governo para evitar uma alta ainda maior do real sobre o dólar, os economistas dizem não ver muito espaço para desvalorização da moeda brasileira até dezembro. Pesquisa mensal da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) divulgada em meados de setembro já indicava uma tendência de queda nas projeções para o final do ano, de R$ 1,80 para R$ 1,78, mas algumas casas já estão prevendo menos.

O Santander projeta R$ 1,80, mas o Banco Fator já trabalha com uma faixa entre R$ 1,70 e R$ 1,75, e a Ativa Corretora espera R$ 1,70. Souza, do Santander, diz que os Bancos Centrais do mundo estão elevando a liquidez dos mercados, o que ajuda o capital a circular. Além disso, ele lembra que o dólar vem perdendo força não apenas em relação ao real, mas também sobre outras moedas, como o euro.

E esse cenário desfavorável em relação à moeda norte-americana ainda encontra um Brasil com boas expectativas de crescimento e que oferece retorno acima da média. Vale lembrar que a taxa nacional de juros, a Selic, ainda é uma das maiores do mundo, a 10,75%. “Há um apetite enorme por ativos do Brasil”, diz Carvalho. “Não acredito que essa situação mude no curto prazo.”

A melhoria do mercado de capitais local também entra nessa conta. José Francisco de Lima Gonçalves, economista-chefe do Banco Fator, ressalta que o fim da capitalização da Petrobras abrirá espaço para a emissão de ações de empresas que estão na fila da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Os estrangeiros têm levado cerca de 70% dos lançamentos iniciais de ações em Bolsa.

Outro fator de entrada de dólares será o aumento da dívida das empresas. Com o mercado internacional se recuperando da crise, as companhias encontram empréstimos de prazo mais longo e custo mais baixo, e acabam desengavetando projetos.

Link:

http://economia.ig.com.br/mercados/capitais/reservas+externas+chegarao+a+us+300+bilhoes+dizem+economistas/n1237786271565.html

Desemprego em SP é o menor para agosto desde 1992!

Desemprego em SP é o menor para agosto desde 1992

Segundo pesquisa do Dieese, taxa de desocupação no Brasil fica em 11,9% no mês, ante 12,4% em julho

AE

A taxa de desemprego no País foi de 11,9% em agosto, ante 12,4% em julho, segundo Pesquisa de Emprego e Desemprego realizada pela Fundação Seade e pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) em sete regiões metropolitanas e divulgada hoje. Em agosto de 2009, a taxa de desemprego foi de 14,4%.

A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo também caiu, passando de 12,6% em julho para 12,3% em agosto, a menor taxa para meses de agosto desde 1992. Em agosto de 2009, a taxa na região metropolitana de São Paulo foi de 14,2%.

Em Belo Horizonte, o desemprego passou de 8,3% em julho para 7,5% em agosto. Em agosto do ano passado, foi de 10,9%. Na região de metropolitana de Porto Alegre, a taxa caiu de 8,9% em julho para 8,7% em agosto. Em agosto de 2009, foi de 11,6%. No Distrito Federal, a taxa caiu de 13,7% em julho para 13,4% em agosto. Em agosto de 2009, foi de 15,5%. Em Fortaleza, o índice foi de 10,2% em julho para 9,2% em agosto. Em agosto de 2009, a taxa foi de 11,7%.

Em Recife, o desemprego caiu de 17,2% em julho para 15,9% em agosto. E em Salvador, passou de 16,9% em julho para 16,3% em agosto.

O total de desempregados nas sete regiões metropolitanas pesquisadas foi estimado em 2,625 milhões de pessoas em agosto, 104 mil a menos do que em julho. Esse número é resultante da criação de 161 mil vagas, aliada à entrada de 57 mil pessoas no mercado de trabalho.

No mesmo período, o nível de ocupação, na média nacional, teve alta de 0,8%. O total de ocupados nas sete regiões pesquisadas foi estimado em 19,438 milhões de pessoas, para uma PEA (População Economicamente Ativa) de 22,062 milhões.

Na divisão por atividade, o nível de ocupação subiu na maioria dos setores: no comércio, houve alta de 2,5% (77 mil); alta de 0,7% em serviços (70 mil); alta de 0,9% na construção civil (11 mil) e agregado de outros setores, alta de 1,1% (18 mil). Já na indústria, houve redução de 0,5% (15 mil postos).

Rendimento

Em julho, o rendimento médio real dos ocupados no País teve alta de 1,8%, chegando a R$ 1.289. Já o dos assalariados ficou em R$ 1.340, apresentando elevação de 1,5%.

O rendimento médio dos ocupados aumentou em Salvador (em 2,3%, para R$ 1.105), São Paulo (2,3%, para R$ 1.353), Porto Alegre (1,8%, para R$ 1.323), Distrito Federal (1,3%, para R$ 1.927) e Belo Horizonte (1,2%, para R$ 1.382).

Já em Recife, o rendimento teve leve alta de 0,2%, em R$ 865. Em Fortaleza, houve ligeiro decréscimo, de 0,5%, para R$ 825.

Link:

http://economia.ig.com.br/desemprego+em+sp+e+o+menor+para+agosto+desde+1992/n1237786729683.html

Comparando os resultados das pesquisas eleitorais mais recentes! Datafolha tirou 1 ponto de Dilma e a vantagem dela está no limite da margem de erro!

Abaixo, publico os resultados das mais recentes pesquisas eleitorais (entre parêntesis coloco os dados em votos válidos) e faço alguns comentários sobre os mesmos:

Pesquisa Estimulada

1) Tracking Vox Populi:

Dilma - 49% (55,7%);
Serra - 25% (28,4%);
Marina - 12% (13,6%);
Outros - 2% (2,3%);
Brancos\Nulos - 4%;
Indecisos - 8%.

2) CNI\Ibope:

Dilma - 50% (54,4%);
Serra - 27% (29,3%);
Marina - 13% (14,1%);
Outros - 2% (2,2%);
Brancos\Nulos - 4%;
Indecisos - 4%.


3)CNT\Sensus:

Dilma - 47,5% (54,7%);
Serra - 25,6% (29,5%);
Marina - 11,6% (13,3);
Outros - 2,2% (2,5%);
Brancos\Nulos - 3,6%;
Indecisos - 9,5%.

4) Datafolha:

Dilma - 46% (51,7%);
Serra - 28% (31,5%);
Marina - 14% (15,7%);
Outros - 1% (1,1%);
Brancos\Nulos - 4%;
Indecisos - 7%.

Notem que o Datafolha ainda é o único instituto que aponta a possibilidade de ocorrer um segundo turno. Os outros institutos deixam claro que, hoje, Dilma venceria a eleição no 1o. turno com cerca de 54% a 55% dos votos válidos.

Além disso, o Datafolha cometeu uma sacanagem na forma de divulgação do resultado em votos válidos e foi isso que permitiu que ele afirmasse que pode haver 2o. turno na eleição presidencial. Sem essa sacanagem o Datafolha não teria como fazer tal afirmação. Abaixo explico qual foi essa sacanagem do Datafolha:

Notem que enquanto Marina teve 15,7% e o Datafolha arredondou para 16%, no caso de Dilma, ela inverteu o procedimento, pois a candidata petista teve 51,7% e o Datafolha arredondou o resultado dela para 51% e não para 52%, como seria o correto e como o instituto procedeu no caso de Marina. Foi uma total incoerência do Datafolha, portanto.

Mesmo no caso de Serra, que obteve 31,5% em votos válidos, o Datafolha arredondou para cima, ou seja, para 32%.

Aliás, se era para reduzir o percentual de algum candidato, seria o de Serra, que teve 31,5%. A casa decimal dele foi inferior à de Dilma e de Marina (0,5 contra 0,7 delas).

Portanto, Serra deveria aparecer com 31% e não com 32% na pesquisa em votos válidos.

Até nestes pequenos detalhes se nota a desonestidade deste instituto que já foi o mais confiável do país e que hoje não tem mais nenhuma credibilidade.

Assim, o resultado correto do Datafolha em votos válidos foi:

Dilma - 52%;
Serra - 31%;
Marina - 16%;
Outros - 1%.

O problema é que se o Datafolha colocasse o resultado acima, que seria o correto, ele não poderia dizer que a eleição poderia ir para o segundo turno, pois a diferença seria de 4 pontos entre Dilma e os outros candidatos somados. E esse número estaria no limite da margem de erro da pesquisa, que é de 2 pontos para cima ou para baixo.

E meses atrás, quando Serra chegou a ter 4 pontos de vantagem sobre Dilma, o Datafolha disse que seria 'impreciso' dizer que os dois estavam tecnicamente empatados.

Se eles não estavam tecnicamente empatados naquele momento, então é impreciso dizer, agora, que Dilma e os outros se encontram empatados tecnicamente e que, portanto, a eleição pode ir para o 2o. turno.

Como se percebe, o Datafolha está cada vez pior.

Pesquisas desmentem Datafolha e apontam Dilma eleita no 1º turno!

Pesquisas desmentem Datafolha e apontam Dilma eleita no 1º turno - do Vermelho

Duas pesquisas de intenções de voto divulgadas na manhã desta quarta-feira (29) desmantelaram a versão de que as eleições presidenciais caminham, naturalmente, para o segundo turno.

De acordo com os levantamentos CNI/Ibope e CNT/Sensus, a candidata Dilma Rousseff, da coligação Para o Brasil Seguir Mudando, mantém larga liderança e deve vencer, já em 3 de outubro, a disputa contra José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV).

Conforme os números da CNI/Ibope concluída na segunda-feira, Dilma venceria a eleição no primeiro turno com 50% dos votos totais — e 55% dos votos válidos (que excluem indecisos, brancos e nulos). Serra tem 27%, enquanto Marina apresenta 13%. Outros 8% não sabem ou votarão em branco ou nulo. A pesquisa foi feita entre os dias 25 a 27 de setembro. Foram feitas 3.010 entrevistas em 191 municípios.

Mesmo num cenário em que a margem de erro for totalmente desfavorável a Dilma, a pesquisa não detecta chances de segundo turno. Em relação à pesquisa Ibope da semana passada, Dilma manteve suas intenções de voto, Serra caiu um ponto percentual e Marina cresceu um ponto. O resultado contrasta com a tendência de queda de Dilma apontada pelo Datafolha na sua estranha pesquisa feita integralmente na segunda-feira.

Na simulação de segundo turno entre a petista e o tucano, Dilma venceria a eleição com 55% dos votos, contra 32% de Serra. Em junho, Dilma tinha 45% e Serra 38%. Na hipótese de uma disputa entre Dilma e Marina Silva, Dilma teria 56% dos votos, contra 29% da verde. Em um eventual segundo turno entre Serra e Marina, o tucano venceria a eleição com 43%, contra 35% da candidata verde.

Na pesquisa espontânea, quando o eleitor responde em quem votará sem ter acesso a lista dos candidatos, Dilma lidera as intenções de voto com 44% das indicações; Serra tem 21%, Marina aparece com 10% e o presidente Lula — que não poderia se candidatar, —ainda é apontado por 1% do eleitorado. Os demais candidatos somam 1%. Brancos e nulos chegam a 7%, e outros 18% não souberam responder.

Serra é o que tem o maior índice de rejeição. Segundo o levantamento, 34% dos entrevistados disseram que não votariam nele. Nesse quesito, Marina tem 28% de rejeição e Dilma 27%. Quanto ao partido de preferência dos eleitores, o PT aparece na frente, citado por 27% dos entrevistados, seguido pelo PMDB e PSDB com 5%, cada um. Aqueles que não têm preferência por partido representam 48%.

Sensus

Um cenário eleitoral semelhante é detectado pela pesquisa CNT/Sensus. Levantamento do instituto realizado entre os dias 26 e 28 de setembro em 24 estados mostra Dilma com 47,5% de intenções de voto, ante 25,6% de Serra e 11,6% de Marina. Nos votos válidos, a vantagem de Dilma, que tem 54,7%, também é levada. Serra aparece muito atrás, com 29,5%%, seguido de Marina, que tem 13,3%.

No levantamento anterior, Dilma havia registrado 50,5% das intenções de voto, enquanto Serra tinha 26,4% das intenções de voto e Marina registrava 8,9%. A candidata do PV foi a única entre os três principais candidatos a registrar elevação na estimativa das intenções de voto. Os demais candidatos à Presidência mantiveram índices inferiores a 1%

Com esse cenário, Dilma seria eleita ainda no primeiro turno. A margem de erro — de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos — não prevê chances pontuais de segundo turno. Votos brancos e nulos somam 3,6%, ao passo que 9,5% dos entrevistados disseram estar indecisos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 33103/2010.

Da Redação, com agências

Link:

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=138147&id_secao=1

CNT/Sensus: Dilma tem 47,5% dos votos e Serra, 25,6%! Em votos válidos Dilma tem 54,7%, Serra 29,5% e Marina 13,3%!

CNT/Sensus: Dilma tem 47,5% dos votos e Serra, 25,6%

Dilma perdeu 3 pontos porcentuais em relação à pesquisa anterior, quando aparecia com 50,5%, enquanto Serra caiu 0,8 ponto

Agência Estado

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, tem 47,5% da preferência do eleitorado, segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta manhã. O candidato do PSDB, José Serra, aparece em segundo lugar, com 25,6%, e Marina Silva, do PV, tem 11,6%.

Dilma perdeu 3 pontos porcentuais em relação à pesquisa anterior, quando aparecia com 50,5%, enquanto Serra caiu 0,8 ponto, ante os 26,4% do levantamento anterior, feito entre os dias 10 e 12 deste mês. Marina Silva subiu 2,7 pontos porcentuais, passando de 8,9% para os atuais 11,6%. Com isso a diferença entre Dilma e Serra caiu 2,2 pontos porcentuais entre a pesquisa anterior e a anunciada hoje.

Considerando apenas os votos válidos (ou seja, excluindo brancos e nulos e distribuindo os indecisos proporcionalmente), Dilma teria hoje 54,7% da preferência e venceria a disputa no primeiro turno, que será disputado no próximo domingo. Serra tem 29,5% dos votos válidos. Marina Silva tem 13,3% dos votos válidos.

O percentual de votos brancos e nulos é de 3,6%. Entrevistados que não sabem ou responderam somam 9,5%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Em um eventual segundo turno, Dilma venceria com 53,9% da preferência, ante 34,5% de Serra. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 55,5% e Serra 32,9% na simulação. A pesquisa da CNT/Sensus foi feita entre os dias 26 e 28 de setembro e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 33.103/2010. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos porcentuais. Foram entrevistadas 2 mil pessoas em 136 municípios.

Link:

http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/cntsensus+dilma+tem+475+dos+votos+e+serra+256/n1237786747453.html

CNI/Ibope: Dilma tem 50%, Serra 27% e Marina 13%! Em votos válidos Dilma tem 54,4%!

CNI/Ibope: Dilma tem 50% e Serra, 27% e Marina 13%

Petista permanece com mesmo índice, tucano cai 1 ponto e Marina sobe 1

iG São Paulo

A menos de uma semana para as eleições, a sondagem feita pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) para os candidatos à Presidência da República, divulgada nesta quarta-feira (29), mostra Dilma estável e Serra com queda de 1 ponto. Já Marina Silva (PV) subiu 1 ponto. No levantamento, Dilma Rousseff (PT) obteve 50% das intenções de votos e José Serra (PSDB) 27%. Marina somou 13%.

Votos brancos e nulos correspondem a 4% e os indecisos somam 4%. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, tanto para mais como para menos.

Pelo levantamento, a candidata petista manteve o mesmo índice da pesquisa divulgada em 24 de setembro enquanto o tucano acumulou perda de 1 ponto. Dilma tinha 50% e Serra 28%. Marina, por sua vez, tinha 12% e subiu 1 ponto.

Para o 2º turno, em um embate entre Dilma e Serra, o Ibope mostra a candidata petista com 55% e o tucano com 32%. Brancos e nulos seriam a 7% e os indecisos, 5%. No levantamento anterior, em junho, Dilma tinha 45%, Serra 38%, brancos e nulos somavam 8% e não sabem e não responderam, 9%.

O Ibope ouviu 3010 pessoas entre os dias 25 e 27 deste mês, em 191municípios do país. O número de registro da pesquisa no TSE é 33162/2010.

Link:

http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/cniibope+dilma+tem+50+e+serra+27/n1237786648321.html

Novo Ibope/CNI: Dilma 50%, Serra 27%, Marina 13%. Pesquisa não confirma tendência de queda de Dilma, que mantém 55% dos votos válidos!

Do Twitter de José Roberto de Toledo, analista de pesquisas do Estadão:

Novo Ibope/CNI: Dilma 50%, Serra 27%, Marina 13%. Pesquisa não confirma tendência de queda de Dilma. Ela mantém 55% dos votos válidos.

Link:


http://twitter.com/zerotoledo

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Pesquisas do Vox Populi não confirmam dados do Datafolha, diz Marcos Coimbra!

A marcha das pesquisas, segundo Marcos Coimbra - por Luis Nassif

Marcos Coimbra, do Vox Populi, não conseguiu identificar as tendências que o Instituto Datafolha diz ter percebido no eleitorado.

O Vox Populi tem uma enorme quantidade de tracking (pesquisas rápidas diárias) e pesquisas em diversos estados.

Para o iG/Band, sua pesquisa buscar 500 novos pesquisados diariamente. Para partidos políticos, 3 mil. Faz tracking em Minas, São Paulo, Paraná, Santa Catarina.

Nenhuma de suas pesquisas apontou as tendências divulgadas pelo Datafolha.

Nele, há uma queda discreta de Dilma, Serra se estabilizando no patamar de 28% e Marina subindo.

Nas pesquisas do Vox, não se observou nenhuma tendência de queda de Dilma – que nunca fica abaixo de 49%. Em geral, oscila entre 49 ae 51%. Serra permanece na faixa de 20 a 25% - no momento está em 22%.

Se descontar os 12 a 14% de Marina, sobram de 10 a 12 pontos para Dilma vencer no primeiro turno.

A única tendência nova detectada é de um leve crescimento da Marina, mas restrito aos grandes centros do sudeste.

Coimbra explica que uma pesquisa apenas não pode se pretender identificar o todo. As análises precisam ser feitas em cima do conjunto de pesquisas de todos os institutos. Mas o Datafolha continua considerando seus dados os únicos capazes de refletir a realidade.

Coimbra lembra que nessas eleições, durante todo o tempo o Datafolha correu atrás dos demais institutos. Jamais conseguiu antecipar uma tendência sequer. Seria surpresa se conseguisse agora.

Link:

61% dos eleitores de Marina não sabem o número dela! 46% dos eleitores de Serra e 36% de Dilma também não sabem os números deles!

O relatório da pesquisa Datafolha mostrou que 61% dos eleitores de Marina, 46% dos eleitores de Serra e 36% dos eleitores de Dilma não sabem os números de seus candidatos.

Com certeza, esse nível de desconhecimento irá diminuir bastante até Domingo mas, mesmo assim, caso esses índices permaneçam elevados, principalmente no caso de Marina Silva, isso poderá acabar decidindo a eleição no 1o. turno.

http://datafolha.folha.uol.com.br/folha/datafolha/tabs/intvoto_pres_28092010.pdf

PT, em carta, convoca a militância para vencer domingo!

PT, em carta, convoca a militância para vencer domingo

do blog do Noblat

Carta de José Eduardo Dutra, presidente do PT, à militância do partido:

Companheiras e companheiros,

Chegamos à reta final de um processo eleitoral histórico, que fará de Dilma Rousseff a primeira mulher presidente do Brasil.

Com Dilma, no próximo domingo teremos a oportunidade de eleger o terceiro governo popular e democrático do Brasil.

É o momento de confirmar a opção pela mudança, que a sociedade brasileira fez ao eleger o presidente Lula pela primeira vez, em 2002.

É o momento de garantir as conquistas acumuladas nos últimos oito anos; e de avançar ainda mais na construção de um país melhor, mais desenvolvido e socialmente mais justo.

A candidatura da companheira Dilma Rousseff é a certeza de que esse projeto vai prosseguir nos próximos anos.

Ela foi construída sobre uma sólida base de apoio social ao governo do presidente Lula.

Em torno dela formou-se um amplo arco de alianças, agregando todas as forças políticas que nos ajudaram a construir o projeto de desenvolvimento com distribuição de renda e ampla inclusão social.

Dilma Rousseff representa o Brasil que se transforma, que é amado por seu povo e respeitado em todo o mundo.

Ao longo dessa campanha, Dilma defendeu este projeto nos comícios, nas ruas, nos debates, nos programas de rádio e tevê.

De nossos adversários, que não têm proposta, não têm discurso, não têm representatividade, tudo o que ouvimos foi uma campanha de mentiras, falsidade e golpes baixos.

Vamos vencê-los no voto, mais uma vez.

Vamos dar a eles mais uma lição de democracia.

Vamos confirmar nas urnas o que já se sente nas ruas, nas fábricas, nas escolas, na internet: é Dilma vitoriosa no primeiro turno das eleições.

É nessa hora, nesses últimos dias de campanha, que a militância do PT vai fazer a diferença mais uma vez.

Eu me dirijo a vocês, como presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, para convocar a militância mais aguerrida do Brasil.

Você, que tem uma estrela vermelha no peito, pegue sua bandeira, reúna os companheiros, vá para as ruas defender nossa candidata, a candidata do PT e do presidente Lula.

Distribua nossas mensagens pela rede, acione o tweeter, siga nossos blogs, combata as mentiras e os boatos que os adversários espalham.

Vamos mostrar a eles que temos o melhor projeto, a melhor candidata, a melhor aliança.

E vamos mostrar, mais uma vez, que temos algo que nenhum outro partido tem: a militância mais apaixonada desse país.

É a nossa militância que vai fazer a diferença na reta final. Vamos pras ruas, vamos para decidir. Vamos fazer História mais uma vez.

Vamos com garra e determinação, com amor pelo Brasil, com a força do PT.

Link:

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/09/28/pt-em-carta-convoca-militancia-para-vencer-domingo-328282.asp

O jogo da direita - por Emir Sader!

O jogo da direita - por Emir Sader! - na Agência Carta Maior

A direita desistiu de ganhar. Se rendeu à imensa maioria nova que se constituiu no Brasil a partir do governo Lula e de suas conseqüências sociais. Já despejou sua decepção e sua raiva no seu candidato, incapaz de manter uma dianteira que eles mesmos nunca souberam explicar, mas que os acalentava de ter o candidato mais viável. Se rendeu a direita a um candidato que não era o da sua preferência, mas o mais viável para voltar ao governo. Sofreu com a crise de identidade dessa Viúva Porcina, que foi sem nunca ter sido – foi um bom economista, sem nunca ter sido; foi grande governante, sem nunca ter sido; tinha uma trajetória exemplar como político, sem nunca ter tido.

Pelos editoriais, a linha da direita é tudo, menos o Lula, tudo contra a Dilma, candidata da continuidade do governo Lula. A preocupação das ultimas semanas é diminuir o poder do próximo governo. A FSP fala na necessidade de limitar o poder (dos outros, nunca o deles). O Globo se preocupa com a maioria no Congresso (como se o Lula não tivesse, até mesmo para buscar um terceiro mandato, não fosse democrático, ao contrario de FHC, que mudou a Constituição durante seu mandato, para ter dois).

Agora, é buscar o segundo turno, como forma de demonstrar limitações no apoio ao Lula, mais semanas de embate e tentar demonstrar que seu denuncismo ainda tem poder de influencia. Sabem que o Serra é um cadáver político. Com tudo o que fizeram com ele (como diz o meu primo Zé Simão: se parece ao Atlético Mineiro, cada vez que aparece na televisão, perde 3 pontos), não conseguem alavancá-lo.

Daí a operação Marina. Era a ministra mais criticada do governo, com suas picuinhas, que brecavam obras de infra estrutura, se tornou a queridinha da mídia, trogloditas de repente descobrem e se tornam ecologistas de ocasião. A soma dos dois, mais nanicos, mais dificuldades de gente do povão de votar para tantos candidatos (para presidente é a sexta votação) e a necessidade de levar documento com fotos, anima a oposição. Pelo menos para não levar uma goleada desmoralizante.

Já têm como seguro Senado e Câmara com grande maioria governista, maior parte de governadores a favor do governo e eleição da Dilma, no primeiro ou segundo turno, como estabelecidos. O plano agora, para salvar os dedos é:

- garantir São Paulo, Minas e o Paraná
- conseguir chegar ao segundo turno
- tentar diminuir a maioria governista no Parlamento.

Para esta ultima, a oposição busca evitar o mês de janela que se anuncia para logo depois da eleição, que sangraria mais ainda os já combalidos partidos da oposição. DEM e PPS com riscos de desaparição, PSDB tornando-se um partido médio na representação parlamentar.

Conta, para a operação final, com o monopólio privado da mídia, seu elemento forte, aquele em que são claramente majoritários. A operação Data Folha era previsível. Pode ser que mantenham uma diferença baixa ou que, para tentar segurar um pouco que seja de credibilidade, voltem a aumentá-la, depois que esse DF tenha os efeitos possíveis. O Globo, a FSP, o Estadão e a Veja, se jogam com tudo, sem pensar nas conseqüências pós-eleitorais, com uma derrota que demonstra como perderam totalmente a capacidade de influência. Tentam agora sobreviver a todo custo, contra ventos e tempestades, depois que seu candidato naufragou espetacularmente.


Postado por Emir Sader

Campanha de Serra anunciava 2o. turno antes de pesquisa Datafolha ser totalizada! - por Luis Nassif!

A dança das pesquisas - por Luis Nassif!

No QG da campanha de Dilma Rousseff, em Brasília, não se conseguiu entender a pesquisa Datafolha divulgada hoje pela Folha e pelo Estadão. Pela pesquisa, haveria possibilidade de dar segundo turno, já que a diferença entre Dilma Rousseff e a soma dos demais candidatos estaria dentro da margem de erro.

Pelo tracking da campanha, Dilma mantém diferença de 30 pontos em relação a Serra e de 17 pontos em relação ao conjunto de candidatos. Acredita-se que, em uma pesquisa ampla essa diferença poderá cair um pouco, mas não de forma significativa.

Além disso, o tracking identifica mudanças de tendência muito mais rapidamente que as pesquisas tradicionais. E, no caso do tracking da campanha de Dilma e do PT, nada disso ocorreu.

Nos bastidores do debate da TV Record, assessores de Serra já anunciava pesquisas dando segundo turno – antes que houvesse a totalização do Datafolha. E o jornal fez questão de repartir o "furo" com o Estadão.

Além disso, haverá nova pesquisa na quinta-feira, todas devidamente divulgadas pelo Jornal Nacional.

Não se descarta liminarmente a possibilidade de uma nova onda, que teria sido captada pelo Datafolha antes de todos os demais. De fato, até agora nenhum dos institutos – Ibope, Vox e Sensus – captaram esse movimento. Se o Datafolha acertar, será surpresa. Afinal, foi o último instituto a detectar o avanço de Dilma. E isso com dois meses de atraso em relação aos demais institutos.

Link:

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-danca-das-pesquisas#more

Programa de TV - Tarde - 28/09

Comando da campanha de Marina discute o segundo turno!

Terminou há pouco, em São Paulo, uma reunião do comando da campanha de Marina Silva. O pauta do encontro foi a possibilidade de segundo turno na eleição presidencial.

O PV se tocou que nunca encomendou a um instituto uma pesquisa de simulação de segundo turno com o nome de Marina e nunca pediu aos institutos que fizessem isso. Registraram o erro estratégico.

Sobre a chance de José Serra (PSDB) disputar com Dilma Rousseff (PT) o segundo turno, o staff de Marina está dividido.

A aposta é que a ala dos verdes tradicionais definiria sua posição de acordo com as conversas com o PT e com o PSDB, os empresários que apoiam Marina votariam em Serra, os ex-petistas votariam em Dilma e há ainda uma ala que defende a neutralidade.

Essa última acredita que se Marina passou a campanha dizendo que Serra e Dilma são farinha do mesmo saco e atraiu muitos eleitores com esse discurso, agora, sair da neutralidade seria queimar o patrimônio eleitoral.

Link:

http://colunistas.ig.com.br/poderonline/2010/09/28/comando-da-campanha-de-marina-discute-o-segundo-turno/

Fatia do governo no capital votante da Petrobras sobe a 64%!

Fatia do governo no capital votante da Petrobras sobe a 64%

Governo federal tinha 55,6% das ações ordinárias da empresa antes da capitalização

Aline Cury Zampieri, iG São Paulo

O governo federal elevou de 55,6% para 64% sua fatia nas ações com direito a voto (ON) da Petrobras. A conta está em documento enviado pela estatal de petróleo à Comissão de Valores Mobiliários do mercado norte-americano, a SEC. No relatório, a Petrobras diz que o governo, BNDES e Fundo Soberano compraram 1,810 bilhão de ações ordinárias e 994,9 milhões de preferenciais (sem direito a voto) na capitalização da companhia.

A oferta de ações da Petrobras somou R$ 120,360 bilhões, a maior de todos os tempos já realizada por uma empresa na história do capitalismo. O conselho de administração da estatal definiu na quinta-feira passada o preço que receberá por ação dos investidores que decidiram comprar seus papéis. As ações preferenciais, sem direito a voto mas com direito de pagamento preferencial de dividendos, serão vendidas a R$ 26,30. As ordinárias ficaram em R$ 29,65.

Segundo fontes, a demanda dos investidores pelas ações da Petrobras superou em mais de duas vezes a oferta não prioritária no processo de capitalização. Essa fatia correspondia a 20% do total da operação e inclui pessoas físicas e grandes aplicadores, como fundos de investimento que participaram do processo de formação de preço da operação.

Analistas dizem que a conclusão da oferta deve destravar a lista de lançamentos de papéis no Brasil. A fila de pedidos de emissão de ações em aberto na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) conta com 13 empresas, que esperavam a megaoperação da estatal de petróleo para ir ao mercado. Afinal, ninguém queria disputar recursos de investidores com uma das principais empresas da Bolsa, ainda mais num montante desse porte: R$ 120 bilhões.

Link:

http://economia.ig.com.br/mercados/capitais/fatia+do+governo+no+capital+votante+da+petrobras+sobe+a+64/n1237786113728.html

Tracking Vox/Band/iG: Dilma fica estável em 49%! Serra tem 25% e Marina 12%! Dilma tem 55,7% em votos válidos!

Tracking Vox/Band/iG: Dilma fica estável em 49%

Petista aparece com mesmo índice pelo terceiro dia consecutivo; Serra oscilou para 25% e Marina para 12%

iG São Paulo

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, aparece, pelo terceiro dia consecutivo, com 49% das intenções de voto no tracking Vox Populi/Band/iG publicado nesta terça-feira. José Serra (PSDB), segundo colocado, oscilou um ponto para cima e agora tem 25%. Já a presidenciável do PV, Marina Silva, que um dia antes contava com 13%, agora soma 12% - o que interrompe uma sequência de três dias consecutivos de crescimento. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais.

Apoiada pela alta popularidade do presidente Lula na região, Dilma tem o melhor desempenho entre eleitores do Nordeste: 65%. Na região, no entanto, a ex-ministra da Casa Civil já contou com até 73% das preferências. Na mesma região, Serra teria hoje 15% dos votos, de acordo com a projeção, e Marina, 7%.

Dilma ainda lidera em todas as regiões, mas encontra seu pior cenário no Sudeste, onde ela conta com 42% das intenções de voto – contra 27% de Serra e 16% de Marina. Já o candidato tucano tem mais votos no Sul (34%), contra 45% de Dilma no local.

Na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados, a petista aparece à frente, com 43% das citações (um ponto a mais que na pesquisa anterior); Serra tem 22% e Marina, 9%. O tracking Vox/Band/iG conta com 2.000 entrevistas, sendo que um quarto dessa amostra é renovada diariamente.

Link:

http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/tracking+voxbandig+dilma+fica+estavel+em+49/n1237786134437.html

Heloísa Helena despenca em Alagoas devido aos ataques contra o Presidente Lula quando era Senadora!

Cipó de aroeira

Ilimar Franco

A candidatura de Heloísa Helena (PSOL) ao Senado por Alagoas está afundando.

São fatais os vídeos, exibidos no horário eleitoral, onde ela xinga o presidente Lula quando era senadora.

Benedito de Lira (PP) é o grande beneficiário.

Link:

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/09/28/cipo-de-aroeira-328065.asp

Calma, coragem e combate! - por Brizola Neto!

Calma, coragem e combate! - por Brizola Neto!

Meus queridos amigos. Vocês, que acompanham os fatos sabem que os adversários do povo brasileiro não têm condições de travar o debate sobre a realidade. Não têm argumentos, porque o Brasil agora cresce, enquanto eles o estagnaram, porque o Brasil agora emprega, enquanto eles deixaram milhões de pessoas na angústia de não ter seu ganha-pão, o Brasil agora aumenta os salários e o consumo, enquanto eles passaram décadas mandando o povo brasileiro apertar os cintos.

No Brasil de verdade, na realidade, eles estão sem armas e sem argumentos. Sua causa é ruim, é pavorosa, é repugnante quando surge com o seu próprio rosto disforme.

Mas eles controlam o Brasil imaginário, porque controlam a mídia. E é essa a arma monstruosa que, desde o início do processo eleitoral, brandem contra os sentimentos verdadeiros do povo brasileiro.

Há seis meses, chamavam Dilma de “poste”, de alguém sem idéias, sem personalidade, sem discurso, sem capacidade sequer de se expressar.

Esta fantasia mentirosa ocupou páginas e colunas de jornais, repetida como um mantra.

Os fatos, mais que a dissiparem, reduziram-na a pó.

Há três meses, eles sustentavam uma liderança de Serra que todos sabíamos falsa. Mas a publicavam em gráficos coloridos, a repetiam na televisão, a comentavam como fosse real.

Outra quimera que se desfez quando o sentimento e a voz do povo passaram a ser ouvidos.

Agora, seguindo um roteiro previamente estabelecido, construíram duas histórias: a de “escândalos” e a de ameaças à democracia. E, com elas, passaram usar, como sempre usam, as pesquisas que controlam. Há dias, “constróem” uma aproximação na reta final e a sua “obra” se expressa nos gráficos de pesquisas, o Datafolha à frente delas.

Mas eles não têm uma causa, uma bandeira, um projeto que possam submeter ao julgamento do povo brasileiro. Seu candidato é um personagem que desperta asco nna nossa gente.

Daí erguerem o nome de Marina Silva como biombo de seus verdadeiros interesses.

É irrelevante sabermos com qual nível de conveniência ela se presta a ele e, sequer, se ela o faz com cumplicidade.

Não importa qual o resultado deste julgamento moral.

O que importa é o mundo real, e é o mundo real a nossa arma contra a avalanche de propaganda que já despejam e despejarão nestes dias, sobretudo com as pesquisas a lhes servirem de disfarces dos seus apetites.

Temos de ter calma, lucidez, coragem, objetividade e disposição para o combate.

O primeiro é saber é que eles não lutam pela vitória, mas por uma sobrevida, por um segundo turno que lhes dê condição de fugirem da verdade acachapante de que a direita tornou-se uma força desprezada pela população. Lutam por mais 30 dias em que possam cevar um “milagre” demoníaco que oculte esta verdade.

Nem mesmo eles ousam estar seguros de que o conseguirão.

Mas sabê-lo não basta, é preciso dizê-lo, dizê-lo a quantos possam nos ouvir e ler.

Temos de ser claros e diretos: se é legítimo votar em Marina Silva, também é legítimo dizer a quem o faz que este voto, mais do que a ela, serve agora à direita e a José Serra.

Esta é a verdade nua e crua e, se ela me custar algum voto em minha candidatura a deputado, paciência.

Verdades são para ser ditas, custe o que custar, do contrário serei mais um hipócrita, e de hipócritas o povo brasileiro já se encheu.

Digo claramente o que deve ser dito e é preciso que cada um de nós o faça. A quem estiver caindo no “conto da onda verde”, a quem estiver vacilando por causa da mídia e das pesquisas, a pergunta deve ser esta, e feita de forma direta:

- Então, você vai votar no Serra?

- Vou votar na Marina.

- Não, você está enganado, você vai votar no Serra.

Este é o argumento com a força cortante da verdade. E o choque, talvez, desperte a compreensão deste interlocutor ingênuo, que não percebeu o jogo sujo que se oculta por detrás de um personagem que, pela sua origem e trajetória, pode despertar solidariedade e respeito, mas que, agora, passou a ser, para a direita, a tábua de salvação, provisória que seja, do seu naufrágio.

É hora de cada um de nós – a começar por aquele que tem a empatia de enormes massas do povo brasileiro – conversarmos com cada pessoa, com cada amigo, conhecido, vizinho ou parente.

Nós fazemos parte de um milagre chamado comunicação. Nós somos, aqui, dezenas de milhares e éramos centenas faz pouco tempo. Crescemos e nos unimos com a verdade e o amor ao povo brasileiro e a esta nação.

Acreditem, meus irmãos e minhas irmãs, nesta bandeira limpa, pura, decente e humana que conduzimos. Ela merece a força de nossos braços, o desapego de nossas idéias. Merece toda a nossa energia nesta batalha que quase se finda.

Cada voz, cada mente, cada coração, agora, deve ser posto a serviço do povo brasileiro. Pois a nossa sinceridade é tanta, o nosso amor ao Brasil é tanto, a nossa fé no futuro é tanta que não há mentira capaz de superar a emoção com que podemos nos expresar.

Vamos em frente, em nome do nosso povo. Vamos em frente, e vamos vencer.

Link:

http://www2.tijolaco.com/27626

Datafolha aponta 2º turno; média ainda dá 55% de votos válidos para Dilma!

Datafolha aponta 2º turno; média ainda dá 55% de votos válidos para Dilma

por Jose Roberto de Toledo

Pesquisa Datafolha feita nesta segunda-feira aponta queda de Dilma Rousseff (PT) e real possibilidade de haver segundo turno na corrida presidencial. Segundo o instituto, ela perdeu 3 pontos entre quinta-feira e ontem. Mantido esse ritmo de queda, haveria segundo turno, uma vez que a petista, nos números do Datafolha, já entrou na margem de erro de uma vitória em turno único.

Na média das quatro sondagens mais recentes, porém, Dilma ainda ganharia no primeiro turno, com 55% dos votos válidos. Entraram no cálculo da média duas pesquisas feitas pelo Datafolha, uma do Ibope e outra do Vox Populi, todas concluídas nos últimos quatro dias. A média tem a vantagem de diluir eventuais pontos fora da curva em uma sequência de pesquisas, mas é mais lenta para detectar mudanças bruscas de tendência do eleitorado.

Na sondagem feita nesta segunda, o Datafolha aponta uma queda das intenções de voto de Dilma para 46% do total de votos, ou 51% dos válidos. Segundo o instituto, o desgaste da petista, antes limitado aos segmentos mais rico e escolarizado, alcançou o eleitorado que ganha de 2 a 5 salários mínimos. É a primeira vez nesta eleição que uma pesquisa indica uma mudança de voto que desce a pirâmide social. Até então havia sido no sentido contrário.

Em comparação ao levantamento anterior do mesmo instituto, aumentaram os eleitores sem candidato (indecisos e quem pretende votar branco ou nulo), de 8% para 11%. É como se uma parte do eleitorado de Dilma, diante das denúncias e das críticas de Lula à imprensa nas últimas semanas, tivesse ficado em dúvida e estivesse repensando seu voto.

Isso porque, entre os adversários, apenas Marina Silva (PV) se beneficiou da queda de Dilma no Datafolha. Ela foi a 14% no total de votos, ou 16% dos válidos. José Serra (PSDB) continua com 28% no total, e chegou a 32% nos válidos, nas contas do instituto. Os demais candidatos não somaram 1%, mas o instituto não informou se, juntos, atingem esse percentual (PS: o relatório, que só foi publicado no site do Datafolha há pouco, indica que a soma dos nanicos dá 1%).

A pesquisa Datafolha contrasta com o tracking diário do Vox Populi (uma média móvel de quatro dias, com amostras diárias de 500 entrevistas). O percentual de Dilma ontem, no tracking, continuava sendo de 49%, como na véspera. Serra seguia com 24%, enquanto Marina mantinha a tendência de crescimento e chegava a 13%.

O Datafolha é o único dos institutos que divulgam pesquisas sobre a eleição presidencial que faz as entrevistas em pontos de fluxo, e não na casa dos eleitores. Por conta disso, o perfil de sua amostra tende a ser um pouco diferente dos demais: capta a opinião de mais pessoas ativas, que saem à rua com frequência.

Teoricamente, esses eleitores são uma espécie de vanguarda das mudança de humor do eleitorado, que demorariam a atingir os mais caseiros. Mas essa é uma hipótese ainda a ser provada.

O movimento que poderia levar a eleição para o segundo turno poderá ser confirmado ou não nos próximos dias. Há três novas pesquisas a serem divulgadas entre hoje e quinta-feira: do Ibope (na quarta), do Sensus e outra do próprio Datafolha (quarta).

Link:


http://blogs.estadao.com.br/vox-publica/2010/09/28/datafolha-aponta-2%C2%BA-turno-media-ainda-da-55-de-votos-validos-a-dilma/

Pesquisa Datafolha precisa ser confirmada pelos demais institutos!

Pesquisa Datafolha precisa ser confirmada pelos demais institutos! - por Marcos Doniseti

"Dilma pede serenidade para os militantes!", apontou matéria da Folha.com que reproduzi aqui no blog, e que foram feitas após a divulgação da nova pesquisa Datafolha, que apontou Dilma com 51% dos votos válidos, indicando a possibilidade de realização de um segundo turno para a eleição presidencial.

Na superfície, estas declarações foram feitas, por Dilma, para acalmar os militantes dela e do PT e foi uma maneira de dizer para que eles continuem confiantes na vitória e trabalhando para que a mesma venha já no próximo domingo.

Mas, penso que ela também fez tais afirmações por um outro movito: Foi uma forma educada de Dilma dizer que os dados da pesquisa Datafolha não são inteiramente corretos. E não podemos, de fato, descartar a possibilidade de que tal pesquisa Datafolha seja uma tentativa de fortalecer as candidaturas de Serra e de Marina e de levar a eleição para o segundo turno.

Afinal, o Datafolha foi o último instituto que mostrou a liderança de Dilma nesta disputa presidencial e o mesmo demorou muito para mostrar essa realidade, que já era apontada pelos institutos Vox Populi e Sensus muito tempo antes do Datafolha reconhecer este fato. E isso afetou e muito a credibilidade do instituto que pertence à Folha de S.Paulo, jornal que atuou de maneira a beneficiar Serra e a prejudicar Dilma, se comportando. A ficha falsa de Dilma, publicada pela Folha ainda em 2009, que o diga...

Além disso, já escrevi inúmeros artigos aqui no blog apontando as falhas de metologia do Datafolha que, entre outras coisas, não faz nenhuma entrevista na área rural e somente entrevista quem possui telefone fixo ou celular. Inclusive, em artigo que escrevi aqui há alguns meses mostrei que o Datafolha tira cerca de 2,5 pontos de Dilma pelo simples fato de que não faz pesquisas na área rural do país, onde vive 15% do eleitorado brasileiro e onde a vantagem de Dilma sobre os demais candidatos é muito maior do que na área urbana.

Vejam que mesmo em disputas estaduais, o Datafolha aponta resultados discrepantes em relação aos outros institutos. Em São Paulo, por exemplo, o Datafolha é o que dá a maior vantagem para Alckmin na disputa pelo governo de SP. Em Minas Gerais, o Datafolha foi o instituto que mais demorou para mostrar o forte crescimento de Anastasia.

Por tudo isso, enquanto outros institutos não apontarem a possibilidade concreta de ocorrer um segundo turno na eleição presidencial, este blogueiro continuará desconfiando dos dados do Datafolha.

Aliás, vejam que mesmo o José Roberto de Toledo, blogueiro do Estadão e analista de pesquisas, apontou que, na média das pesquisas, Dilma ainda tem 55% dos votos válidos.

Assim, acredito que, nesta reta final da campanha eleitoral, o resultado da média das pesquisas deveria ser bastante divulgada, pois caso alguma pesquisa esteja apontando um resultado discrepante, isso será contrabalançado pelas demais pesquisas, que estarão mais próximas daquele que deverá ser o resultado final da eleição.

Portanto, vamos aguardar as próximas pesquisas para conferir se, de fato, estamos tão próximos, assim, de um eventual segundo turno na eleição presidencial, ou se tudo não passou de mais uma pesquisa fajuta do instituto Datafolha, cuja credibilidade já ficou bastante arranhada nesta disputa presidencial.

Dilma diz que não é possível prever se haverá 2o. turno e pede serenidade e determinação para os militantes!

Após Datafolha, Dilma faz apelo para militância não perder 'o rumo nem o prumo'

RANIER BRAGON e MÁRCIO FALCÃO - da Folha.com

No dia em que o Datafolha apontou aumento da possibilidade de segundo turno nas eleições presidenciais, a candidata do PT, Dilma Rousseff, disse que é impossível dizer hoje se haverá ou não a continuidade da disputa após o domingo e fez um apelo aos seus apoiadores para ter "serenidade" e "determinação" nessa reta final.

"Queria fazer um apelo à militância para não esmorecer, ir para as ruas e disputar voto a voto. Peço três coisas: primeiro, serenidade, porque a gente está no rumo certo, ninguém precisa perder o rumo nem o prumo, temos que continuar tendo uma atitude serena diante de todo esse processo, manter o nível, não brigar, não ter baixaria", afirmou a candidata, pedindo também "determinação" e "amor no coração" aos seus apoiadores.

Acompanhe a Folha Poder no Twitter
Conheça nossa página no Facebook

Dilma visitou na manhã desta terça-feira a rodoviária da região central de Brasília, um dos principais pontos de aglomeração popular da cidade. A campanha petista cercou parte da área pública para que ela falasse aos repórteres sem aglomeração, o que é a situação mais comum nos eventos de campanha na rua.

A petista repetiu por diversas vezes a palavra "serenidade" na entrevista que concedeu e afirmou que é preciso "não gastar todas as emoções" e esperar também as outras pesquisas que serão divulgadas nesta semana, até o domingo.

"Estamos em um momento da eleição em que é normal que haja subidas e descidas. (...) Ninguém hoje tem condições de antecipar nada [sobre eventual segundo turno]. Qualquer um de nós vai ter que esperar a urna fechar, passei a eleição inteira dizendo isso, tem que ter respeito com o eleitor, esperar fechar a urna e contar os votos."

De acordo com pesquisa Datafolha divulgada hoje pela Folha, a diferença entre Dilma e todos os seus concorrentes caiu de 14 para 2 pontos percentuais nas duas últimas semanas. Para vencer no primeiro turno, o candidato tem que ter mais da metade dos votos válidos.

Dilma também disse considerar normal o crescimento de Marina Silva (PV) nas pesquisas, mas voltou a afirmar que ninguém tem condições de antecipar nada. Ela se recusou a responder se prefere a candidata do PV ou José Serra (PSDB) em um eventual segundo turno. "Só se eu for completamente louca eu respondo uma pergunta dessas".

Dizendo considerar "muito importante" o debate na TV Globo, na quinta, Dilma disse ainda que está preparada para a possibilidade de virar o principal alvo dos adversários no evento, mas que irá manter a linha "propositiva". "Acho que é o que a população deseja".

PASTELÃO

A campanha petista quase deixou a presidenciável em uma saia-justa. A imprensa foi informada de que o ato seria realizado em uma pastelaria que pertence a uma aliada política de Joaquim Roriz (PSC), que desistiu da candidatura ao governo do Distrito Federal por causa da Lei da Ficha Limpa.

A campanha marcou a concentração na Pastelaria Viçosa, tradicional na cidade. De última hora, o local foi trocado para outra pastelaria, cerca de 50 metros distante. A viçosa pertence a Patrícia Viçosa, candidata a deputada distrital pelo PSC e aliada de Roriz. O PSC nacionalmente compõe a coligação de Dilma, mas Roriz declarou voto em Serra.

Um dos dirigentes do PT local, Chico Vigilante, brincou com a situação. "Ainda bem que vocês sabem das coisas. A dona de lá é da aliança do Roriz. O pessoal daqui é amigo nosso", disse o petista. A assessoria de Dilma negou o ajuste de última hora e afirmou que o local indicado inicialmente era apenas um ponto de referência.

Link:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/805875-apos-datafolha-dilma-faz-apelo-para-militancia-nao-perder-o-rumo-nem-o-prumo.shtml