Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

terça-feira, 17 de julho de 2012

Após fiasco de empresa de segurança, exército britânico é chamado às pressas para as Olimpíadas!

Após fiasco de empresa de segurança, exército britânico é chamado às pressas para as Olimpíadas - do Opera Mundi

Falha alimenta a paranoia de ataques terroristas durante a Olimpíada e põe a administração Cameron em xeque
 

A apenas 10 dias do início dos Jogos Olímpicos de Londres, o clima na cidade é de apreensão. A paranoia de um ataque terrorista ao megaevento ganhou ainda mais força depois do fiasco da empresa de segurança G4S, que falhou em cumprir o contrato com o governo britânico. Restou ao exército mobilizar tropas em férias e repatriar soldados que estavam no Afeganistão para tapar buracos.

Roberto Almeida/Opera Mundi

Homem observa navio de guerra atracado no Tâmisa, em Greenwich, a poucos quilômetros do Parque Olímpico

A G4S, empresa líder mundial em segurança privada, responsável por seis presídios britânicos e dois centros de imigração, assinou um contrato de 250 milhões de libras esterlinas (cerca de 750 milhões de reais) para garantir a segurança da Olimpíada, mas não deu conta do recado. A empresa não conseguiu recrutar 12 mil trabalhadores a pedido do comitê olímpico local, sob orientação do premiê conservador David Cameron.

Como resultado, o exército britânico, que já havia mobilizado 17 mil oficiais para a Olimpíada, precisou chamar outros dois mil para cobrir as falhas da G4S, causando a ira do Ministério da Defesa. Para piorar a situação, os jornais britânicos apontam nesta terça-feira (17) que centenas de policiais de todo o país foram recrutados para ajudar na operação.

São dezenas de casos em que funcionários da G4S simplesmente não apareceram para trabalhar em locais de jogos e hotéis de delegações. Enquanto isso, os atletas começaram a chegar, alterando o ritmo da cidade, que espera pelo menos um milhão de turistas durante a Olimpíada.

“Somos gratos pelo apoio militar extra. Não subestimamos o impacto nas tropas e em suas famílias e expressamos nosso agradecimento a essas pessoas”, escreveu a G4S, em nota. A empresa deve perder 50 milhões de libras esterlinas do contrato (cerca de 155 milhões de reais) e viu seu valor de mercado despencar em 400 milhões de libras (em torno de 1,3 bilhão de reais).

“Estamos profundamente desapontados por não conseguirmos cumprir nosso contrato com o comitê olímpico local e que tenha sido preciso chamar mais tropas. Em parceria com o comitê e o exército, estamos trabalhando 24 horas para resolver a situação”, disse Nick Buckles, presidente da G4S. Buckles está na corda-bamba.

Ele passará nesta terça-feira por uma sabatina no Parlamento britânico, considerada crucial para manter-se no cargo. A empresa que comanda tem números gigantescos. A G4S emprega 657 mil pessoas em 125 países e seu faturamento mundial é de 7,5 bilhões de libras ao ano (23 bilhões de reais).

Link:

 http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/23067/apos+fiasco+de+empresa+de+seguranca+exercito+britanico+e+chamado+as+pressas+para+as+olimpiadas.shtml

Nenhum comentário: