Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Militares dos EUA que urinaram em afegãos e queimaram Alcorão não serão presos!

Militares dos EUA que urinaram em afegãos e queimaram Alcorão não serão presos - do Opera Mundi

Autoridades norte-americanas decidiram que os oficiais vão enfrentar somente medidas administrativas
 

Autoridades militares dos Estados Unidos decidiram nesta segunda-feira (27/08) punir com medidas administrativas nove membros das Forças Armadas por dois episódios de abusos no Afeganistão no início do ano, que provocaram a ira da sociedade e do governo do país.

Em um dos casos, tropas norte-americanas queimaram cerca de duas mil cópias do alcorão em uma base militar aérea e no outro, quatro fuzileiros navais aparecem em um vídeo urinando em cima de três supostos insurgentes mortos (veja vídeo abaixo). Enquanto a incineração dos livros sagrados levou centenas de afegãos às ruas por diversos dias, a divulgação do filme pela internet chocou pessoas e organizações por direitos humanos em diversos países.


Apesar de serem processos separados, os militares divulgaram suas decisões no mesmo dia a partir de dois relatórios investigativos. Ambas as punições não incluem acusações criminais nem tempo de prisão como havia requerido Hamid Karzai, presidente do Afeganistão, e podem enfurecer a população afegã.

Quatro oficiais do Exército norte-americano e dois soldados alistados receberam cartas de repreensão por enviar caixas com cópias do alcorão de uma biblioteca e de uma penitenciária de guerra para um centro de incineração na base da Bagram, em fevereiro deste ano. Os militares acreditavam que os detidos estavam se comunicando por meio de notas nos livros a fim de planejar um ataque terrorista, o que foi confirmado por um grupo de intérpretes do Exército.

As investigações concluíram que os militares não agiram com “má intenção” de difamar a religião islâmica, mas por ignorância. Segundo o documento, divulgado nesta segunda (27/08), os oficiais norte-americanos foram punidos por não seguirem os procedimentos corretos no caso.

Agência Efe

Afegãos saíram às ruas para protestar contra queima do livro segrado do Islã por soldados norte-americanos
 
A Marinha puniu administrativamente três oficiais de baixa patente envolvidos no vídeo e informou nesta segunda (27/08), de acordo com o jornal norte-americano New York Times, que podem ser rebaixados, ter seus salários reduzidos e receber restrições de acesso a algumas partes de bases militares.

O relatório sobre o caso não foi divulgado, mas autoridades militares afirmaram que o filme foi realizado em julho de 2011 por membros do terceiro Batalhão e segundo Regimento da Marinha na vila de Sandala, conforme relatou o jornal norte-americano Washington Post.

"Nós transmitimos nossas condolências ao governo e ao povo afegão", disse o coronel Thomas W. Collins, porta-voz da coalizão militar internacional no Afeganistão. "Foram dois erros terríveis", acrescentou. De acordo com o New York Times, as autoridades norte-americanas temem que as decisões não sejam bem recebidas pela sociedade afegã que pode realizar mais protestos.

Washington Post acrescentou que alguns analistas acreditam que depois dos episódios, aumentaram os atentados contra tropas da OTAN no país.


Link:

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/23989/militares+dos+eua+que+urinaram+em+afegaos+e+queimaram+alcorao+nao+serao+presos.shtml

Nenhum comentário: