Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 30 de dezembro de 2012

Bolívia nacionaliza empresas espanholas de distribuição de eletricidade!

Bolívia nacionaliza empresas espanholas de distribuição de eletricidade - do Opera Mundi

De acordo com o presidente Evo Morales, há uma grande brecha entre as tarifas urbanas e rurais cobradas


O presidente boliviano, Evo Morales, decretou no sábado (29/12) a nacionalização de duas empresas de distribuição de eletricidade da espanhola Iberdrola por causa da diferença de preços cobrados entre a zona urbana e a rural. Mais de 700 polícias e militares guardam as instalações da Electropaz e da Elfeo, da espanhola Iberdrola, nas filiais nas regiões de La Paz e Oruro.

"Nos vimos obrigados a tomar essa medida para que as tarifas de serviço elétrico sejam equitativas nos departamentos de La Paz e Oruro e a qualidade do serviço elétrico seja uniforme na área rural e na urbana", afirmou Morales. Acompanhando do vice-presidente Álvaro García Linera e do ministro de Hidrocarbonesto e Energia, Juan José Sosa, o presidente bolivianos disse que a decisão "garante o direito humanitario (à eletricidade) aos cidadãos que vivem na área rural".

O presidente citou o caso de La Paz, onde a tarifa elétrica urbana em média é de 0,63 boliviano (US$ 0,09) por quilowatts/hora, enquanto na área rural é de 1,59 boliviano (US$ 0,23).


As empresas desapropriadas são duas das principais distribuidoras de eletricidade do país - Electropaz, em La Paz, e Elfeo, em Oruro -, a firma de serviços Edeser e a gestora de investimentos Compañía Administradora de Empresas. A Iberdrola, através de sua filial Iberbolivia, possui 89,5% das ações na Electropaz e 92,8% na Elfeo. Segundo o decreto, a estatal ENDE (Empresa Nacional de Empresa Nacional de Electricidad) assumirá o controle das quatro empresas.

La Paz garantiu uma justa remuneração. "Não vamos atuar de maneira arbitrária", afirmou García Linera, ao tomar posse acompanhado pela polícia, de um dos escritórios da Electropaz, a filial da Iberdrola em La Paz. O vice-presidente sustentou que é um "direito soberano" da Bolívia nacionalizar os serviços básicos, visando uma distribuição igualitária.

De acordo com ele, a estatal ALI (Empresa Nacional de Eletricidade) contratará uma empresa independente para analisar "o patrimônio, as dívidas, os ativos" das filiais desapropriadas, e que a partir desses dados será negociada a compensação. "Confiamos que nos próximos meses, mediante o diálogo e mediante relatórios técnicos precisos e de caráter independente, encontremos uma saída negociada com a antiga dona da Electropaz", comentou.

* Com informações da ABI (Agência Boliviana de Informação) e Agência Efe


Link:

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/26309/bolivia+nacionaliza+empresas+espanholas+de+distribuicao+de+eletricidade+.shtml

Nenhum comentário: