Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 25 de novembro de 2012

A Grande Mídia defende Cachoeira e Policarpo Jr.!


Artigos mostram contradições da mídia no caso Cachoeira - por Zé Dirceu, do seu blog, 24/11/2012


Vem em muito boa hora o artigo do jornalista Pedro Rogério Couto Moreira que faz reflexões sobre o poder da imprensa e a responsabilidade dos jornalistas. Luís Nassif e Mino Carta também tratam do poder da imprensa e da campanha contra o relatório final da CPI do Cachoeira.

No Observatório da Imprensa, Pedro Rogério – profissional experiente e com passagens por alguns dos principais veículos de comunicação do país – aborda diretamente as ligações do jornalismo com o esquema Cachoeira.

Ele cita o caso do jornalista Policarpo Júnior, da Veja, que se recusa a “esclarecer o motivo de ter sido escolhido por Cachoeira, um dos atuais Mariscot, para ser o depositário das bombásticas informações do fora da lei”. Policarpo é um dos investigados pela CPI do Cachoeira.

“Não entendo o motivo da enxurrada de artigos de proteção ao jornalista alçado ao posto, quiçá não almejado, de queridinho do fora da lei”, acrescenta Pedro Rogério.

“Ora, o que se quer saber é muito simples: por que o Cachoeira escolheu o jornalista de Veja, e não outros bambambãs de O Globo, da Folha, do Estadão, da TV Globo, do Correio Braziliense ou de qualquer outro veículo?”

Luís Nassif também trata da CPI e diz que o relatório final da comissão mostra um cenário mais perigoso do que o escândalo do The Sun – que se envolveu com baixos e médios escalões da polícia para atentar contra o direito à privacidade de cidadãos ingleses.

Nassif diz que a CPI revelou “ligações diretas entre jornalistas e o crime organizado”. Segundo ele, “o relatório mostra, com abundância de detalhes, como Policarpo era acionado para derrubar autoridades e servidores públicos que incomodassem Carlinhos Cachoeira, atacar concorrentes do marginal e como encomendava dossiês a ele, muitos obtidos por métodos criminosos”.

E, em editorial na CartaCapital, Mino Carta critica "a tradicional ladainha" sobre o "assalto à liberdade de imprensa" feita pela grande mídia, para tentar abafar o caso Policarpo Júnior

“Situações similares em outros países provocaram a expulsão de jornalistas não somente de suas redações, mas também, e sobretudo, das próprias entidades da categoria. Por ter formulado acusações falsas, um diretor de redação italiano pagou recentemente pela culpa do seu jornal e foi condenado a alguns anos de reclusão. No Reino Unido, Rupert Murdoch teve de sair do país por ter praticado façanhas muito parecidas com aquelas cometidas pela Veja de Policarpo Jr”, afirma Mino.


Link:

http://www.zedirceu.com.br//index.php?option=com_content&task=blogcategory&id=1&Itemid=106

Divulgação de documentos sobre Rubens Paiva é um importante momento para o país!


Divulgação de documentos sobre Rubens Paiva é um importante momento para o país - por Zé Dirceu, do seu blog
Publicado em 24-Nov-2012
ImageA Comissão da Verdade vai receber na próxima terça-feira os documentos que, entre outras coisas, comprovam a prisão do ex-deputado federal Rubens Paiva, que foi torturado e morto no Departamento de Operações e Informações – Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi) do Rio de Janeiro, em janeiro de 1971,como revelou o jornal Zero Hora nesta semana.

Todos nós já sabíamos que a versão do Exército de que Rubens Paiva nunca chegou à prisão não tinha nenhum cabimento. Mas, agora, é importante que isso seja registrado de forma oficial, que seja de conhecimento público, que esteja reconhecido nas páginas de nossa história.

Os integrantes da Comissão da Verdade vão receber em Porto Alegre os documentos do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro. Os papéis revelam assassinatos, arbitrariedades e atentados a bomba.

Os documentos estavam com o coronel da reserva do Exército Júlio Miguel Molinas Dias, 78, morto a tiros no dia 1º, supostamente por assaltantes. Ele foi comandante do DOI-Codi fluminense. São cerca de cem folhas que serão entregues à comissão. Eles também podem ajudar a elucidar o atentado ao Riocentro, em 1981.

É com grande expectativa que aguardamos a divulgação desses documentos.

(Foto: Marcelo Camargo/ABr)

Link:

http://www.zedirceu.com.br/index.php?option=com_content&task=view&&id=16883&Itemid=2

PT: relatório da CPI do Cachoeira é “sereno, coerente e contundente”!


PT: relatório da CPI do Cachoeira é “sereno, coerente e contundente” - do blog do Zé Dirceu
Publicado em 24-Nov-2012
E a Grande Mídia defende essa turma aí...


O PT divulgou nota ontem, 6ª feira, rebatendo as declarações do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), que tentaram desqualificar o relatório final da CPI do Cachoeira. Para o partido, Perillo “apenas revela uma tentativa desesperada de salvar seu mandato e seu governo, em razão dos vínculos estreitos e perigosos mantidos com a organização criminosa chefiada por Cachoeira”.



Veja a íntegra da nota:

NOTA DA BANCADA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES NA CÂMARA DOS DEPUTADOS SOBRE AS RELAÇÕES PERIGOSAS DO GOVERNADOR MARCONI PERILLO COM O “EMPRESÁRIO” CARLOS CACHOEIRA

A nota oficial do governador Marconi Perillo em que tenta desqualificar o relatório final da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que investigou o senhor Carlos Cachoeira apenas revela uma tentativa desesperada de salvar seu mandato e seu governo, em razão dos vínculos estreitos e perigosos mantidos com a organização criminosa chefiada por Cachoeira.
Diferentemente do que afirma o chefe do Executivo goiano, trata-se de um relatório sereno, coerente e contundente na demonstração de que o governador e a alta cúpula de seu governo estavam à mercê dos desígnios de uma organização criminosa incrustrada no estado de Goiás.

O relatório demonstra com riqueza de detalhes, substanciado em provas amealhadas pela Polícia Federal durante vários meses de investigação e em documentos em poder da CPMI, que o governador Marconi Perillo havia firmado, já durante a campanha que o levou ao governo de Goiás, uma verdadeira parceria política e econômica com a sociedade Delta/Carlos Cachoeira naquele estado.
A participação do governador Perillo na CPMI, longe de significar um gesto de lisura ou compromisso ético, foi, ao contrário, uma manobra preparada para tentar afastar suas vinculações com Carlos Cachoeira, como se viu em toda a farsa criada em torno da venda de sua casa para o criminoso.
A investigação realizada pela CPMI apontou com clareza que o governador efetivamente beneficiava o grupo Delta/Cachoeira, nomeava para cargos estratégicos em seu governo pessoas indicadas pelo chefe da organização criminosa e, em troca, recebia recursos financeiros e outros favores da quadrilha.
O trabalho sério da relatoria mostrou para todo o Brasil, e principalmente para a sociedade goiana, que, além do próprio governador, vários secretários, procuradores de Estado e auxiliares diretos do governo de Goiás também haviam aderido à organização criminosa, em troca de vantagens financeiras diversas.
Diferentemente do que afirma o senhor Perillo, o relatório faz uma investigação ampla da empresa Delta para além da região Centro-Oeste e aponta todos os indícios, inclusive com a identificação de mais de 116 empresas, de irregularidades que poderão ser aprofundadas pelo Ministério Público e pela própria Polícia Federal.

Não há revanchismo, perseguição ou espírito de vingança por parte do relator. O relatório final da CPMI retrata uma situação que já se mostrava pública. Caberá agora ao governador explicar à sociedade brasileira o motivo que levou seu governo ser partilhado e, em grande parte, conduzido efetivamente pelo chefe de uma das maiores organizações criminosas já estruturadas no país.
Com a palavra, o governador Marconi Perillo.

Deputado Jilmar Tatto (PT-SP)
Líder da Bancada do PT na Câmara

Link:

Grande Mídia defende Carlinhos Cachoeira!


Guimarães: Mídia moralista defende quadrilha de Cachoeira - do Vermelho


Os ataques midiáticos ao relatório da CPI do Cachoeira e a soltura deste pela Justiça justamente quando as provas de seus crimes engolfam o governador de Goiás, Marconi Perillo, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e o editor de Veja Policarpo Júnior, desnudam a farsa do julgamento do mensalão e a tese ridícula de que aquele tribunal de exceção teria inaugurado uma nova era em que poderosos também seriam submetidos à lei.

Por Eduardo Guimarães, Blog da Cidadania



A indignação da mídia tucana e de sua militância com a corrupção – na América Latina, há “partidos” da mídia que têm até militância –, portanto, fica absolutamente caracterizada como produto de um descaramento que esbofeteia o Brasil. É tudo tão escancarado que é impossível que alguém de boa fé não esteja notando como a indignação com a corrupção no PT dá lugar à defesa apaixonada de um grupo político que aprisionou Goiás naquele que, agora sim, é o maior escândalo de corrupção já visto no país, pois atinge a casa dos bilhões de reais.

A cúpula da quadrilha que aprisionou Goiás, segundo o relatório da CPI, era formada, basicamente, por Cachoeira, Demóstenes, Perillo, Gurgel e Policarpo. O que pesa contra esses quatro é estupefaciente e dispensará a Justiça do uso da famigerada teoria do “domínio do fato” devido à vastidão de provas materiais que pesam contra eles.

Sobre Cachoeira e Demóstenes nem é preciso dizer nada, mas sobre Perillo e Gurgel lembremo-nos de que os “atos de ofício” que comprovam atos criminosos são intermináveis. Perillo se envolveu em negócios imobiliários com Cachoeira, nomeou quem ele pediu – há gravações da PF mostrando que o bicheiro determinava os nomes de quem queria pôr no governo e as nomeações aconteciam –, mas as atividades criminosas da quadrilha jamais foram alvo de ações do governo goiano e, por fim, o procurador-geral da República, sabendo de tudo que acontecia, e ao contrário do que fez com o PT e seus aliados, engavetou tudo.

A esta altura, a imprensa deveria estar cobrando a CPI para que fizesse um relatório duro condenando um esquema imenso, muito maior do que o do mensalão (do PT) em todos os sentidos, tanto em número de integrantes da quadrilha como em valores desviados. E tudo com o concurso do chefe do Ministério Público Federal. Entretanto, ao contrário da corrupção que possa haver no PT, a do PSDB, do DEM e do MPF gerou defesa desabrida dos corruptos pelos moralistas de plantão.

Então vamos combinar: se um escândalo dessa magnitude for abafado, se o relatório da CPI aliviar para Perillo, Gurgel e Policarpo ou se o relatório for desfigurado e o Ministério Público e a Justiça não fizerem nada, acabou o Brasil. Estará comprovado que estamos vivendo em um Estado ditatorial que persegue um grupo político enquanto protege outro – e quando se alude a Estado não se está falando do Poder Executivo, mas do Judiciário e do Legislativo.

Como acreditar em um país em que crimes escancarados, atrevidos (para usar termo da moda) e incomensuráveis são praticados à larga e, após serem descobertos, seus autores são poupados devido ao grupo político que integram? Como acreditar em um país em que a Justiça, a imprensa e o próprio Legislativo tratam a corrupção de um lado com rigor irrefreável e a de outro com tolerância total?

Quando se fala em CPI do Cachoeira, fala-se em Goiás. Essa história da empreiteira Delta e dos governadores de Brasília e do Rio de Janeiro é cortina de fumaça para desviar o foco da transformação daquele Estado em parque de diversões de corruptos locais.

A empreiteira Delta provavelmente tem muita sujeira contra si, mas essa investigação precisa de sua própria CPI. E contra Agnelo Queiróz e Sergio Cabral até agora não surgiu uma mísera prova, um mísero indício crível. Nem com todo “domínio do fato” do mundo se torna possível acusá-los.

Contra Agnelo, pesa apenas uma única e isolada menção da quadrilha a um codinome que seria o do governador, menção que não se confirmou se foi a ele mesmo, e nada mais. Contra Cabral, pesa ainda menos porque não há menção alguma da quadrilha a ele. Tudo o que há é uma filmagem de um jantar do governador do Rio com o dono da Delta, Fernando Cavendish, em Paris, apesar de as relações desse personagem envolverem nomes como José Serra, Gilberto Kassab e muitos outros oposicionistas ao governo federal.

Que se faça a CPI da Delta, então. Mas a do Cachoeira é sobre Goiás e as autoridades que acobertaram e até ajudaram a quadrilha do bicheiro a transformar aquele Estado, repito, em parque de diversões de um grupo criminoso que movimentou bilhões de dinheiro público.

A Justiça que está para prender José Dirceu sem que contra ele pese um grama do que pesa contra Perillo pôs em liberdade um mafioso como Cachoeira. Essa é a “nova era” que o julgamento do mensalão (do PT) inaugurou?

Este país só não virou uma piada completa, ainda, porque a Justiça tratar acusados de corrupção de acordo com a filiação partidária de cada um não tem graça nenhuma. Portanto, se essa CPI não fizer a denúncia que tem que fazer contra Perillo, Gurgel e Policarpo – e, claro, por tabela contra os empregadores deste último – terá acabado a ilusão de que vivemos em uma democracia. O último a sair, portanto, que apague a luz.

Fugi do convescote da direita no STF
Após a visita que fiz ao gabinete do ministro Ricardo Lewandowski consegui entrar no plenário do STF, onde ocorreu a posse do novo presidente daquela Corte, o ministro Joaquim Barbosa.

O que vi ali foi a fina flor da fauna demo-tucano midiática. Merval Pereira e um grupo de distintos senhores se exibiam em frente a um exército de cinegrafistas e fotógrafos que se postou diante da bancada dos ministros que ali dariam posse a Joaquim Barbosa.

Pelo auditório, flanavam o indefectível Merval Pereira (Globo), Renata Lo Prete (Folha de SP), Heraldo Pereira (Globo) e outros expoentes da mídia demo-tucano-judiciária. Na verdade, o PIG praticamente ocupava todos os espaços.


Um fato curioso: encontrei o jornalista Kennedy Alencar e decidi cumprimentá-lo, à diferença do que fiz com o resto do PIG ali presente. Surpreendi-me por ele me conhecer…

Após algumas palavras, brinquei com ele: “Cuidado que o Serra está por aí”. Comentário de Kennedy: “Vixe!”.

O engraçado é que, segundo soube, os jornalistas do PIG disputaram a tapa o convite para a posse de Joaquim Barbosa e eu, que tive acesso à cerimônia, vendo que nada tinha a fazer ali, virei as costas e fui-me embora.

Tinha que editar o vídeo da mensagem de Lewandowski à blogosfera e sabia que estava em uma festa de um partido político que reúne mídia, partidos de oposição e a cúpula do Judiciário. Então esnobei o STF e me mandei.

Detalhe: não havia um só jornalista da imprensa alternativa. O PIG dominou a posse de Barbosa. Esse é o poder que resta ao PIG: sua relação promíscua com o Judiciário.

Fonte: Blog da Cidadania

(título original Mídia moralista sai em defesa da quadrilha de Perillo e Cachoeira alterado por redaçãoVermelho).


Link:

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=199652&id_secao=6


Íntegra do relatório final da CPI do Cachoeira:

http://www.viomundo.com.br/politica/cpi-do-cachoeira-integra-do-relatorio-final.html

sábado, 24 de novembro de 2012

Ibope/2014: Dilma 71,6%, Marina 13,6%, Aécio 11,1% e Campos 3,7%! - por Marcos Doniseti!

Ibope/2014: Dilma 71,6%, Marina 13,6%, Aécio 11,1% e Campos 3,7%! - por Marcos Doniseti!


Lula e os seus 'postes': Dilma e Haddad. 

Segundo pesquisa Ibope realizada entre os dias 12 e 14 de Novembro, se a eleição presidencial fosse hoje a atual presidenta Dilma Rousseff seria reeleita e já no 1o. turno.


Em votos válidos, o resultado da pesquisa Ibope foi o seguinte: 

Dilma Rousseff 71,6%;
Marina Silva com 13,6%;
Aécio Neves com 11,1%; 
Eduardo Campos com 3,7%.


Na pesquisa espontânea, Dilma chega a ficar na frente do ex-presidente Lula. Os resultados foram os seguintes: 

Dilma 26%
Lula 19%
Serra 4%
Aécio 3%
Marina 2%!

Em um eventual segundo turno, os resultados seriam os seguintes:

Dilma 78,6%;
Marina 21,4%.

Dilma 82,7%;
Aécio  17,3%;

Dilma 89,9%;
Campos 10,1%.

Isso mostra que o julgamento da AP 470 não alterou em absolutamente nada a preferência popular e a atual presidenta tem tudo para se reeleger, com extrema facilidade, e já no 1o. turno, em 2014.

E o fato de que Dilma está à frente até do presidente Lula, também demonstra que a história de que ela não passaria de um 'poste' foi, definitivamente, jogada na lata de lixo, de onde nunca deveria ter saído, aliás. 

Essa tese de que Dilma seria apenas um 'poste' nunca passou de uma asneira monumental e foi elaborada por um bando de desinformados que trabalham para uma Grande Mídia reacionária e que se intitulam 'analistas políticos'. Foram os mesmos que disseram que, com o julgamento da AP 470, o PT iria desaparecer do cenário político nacional. 

No fim das contas, aconteceu exatamente o contrário do que previam os 'analistas políticos' da Grande Mídia, com o PT terminando a eleição como o partido mais votado e fortalecendo a sua posição no estado de São Paulo, onde venceu em 6 das 7 maiores cidades, incluindo a capital paulista. 

Assim, o crescimento do PT em SP enfraqueceu fortemente o governador Alckmin, criando condições para que possa vir a derrotá-lo daqui a dois anos. 

Outro dado importante que a pesquisa mostra é que Eduardo Campos pode ter se fortalecido com o bom resultado alcançado pelo PSB nas eleições municipais, mas isso significa que ele será um candidato forte à presidência da República daqui a dois anos. 

Na verdade, a pesquisa mostra que Eduardo Campos ainda é um candidato 'nanico'. E ele não tem muito espaço para crescer, pois Marina e Aécio já atraem os votos oposicionistas, enquanto que Dilma fica com os votos governistas, de quem aprova o seu governo e a sua atuação. E como Eduardo Campos apóia o governo Dilma, as suas intenções de voto também são de origem governista. 

Marina Silva e Aécio Neves, por sua vez, tem apenas 24,7% dos votos válidos. Assim, os dois candidatos oposicionistas tem apenas um quarto do eleitorado. 

Se levarmos em consideração que a presidenta Dilma tem 77% de aprovação pessoal, então os quase 25% das intenções de voto de Marina e Aécio estão mais do que justificados. 

E como a economia continuará crescendo (a previsão mais pessimista para 2013 é de uma expansão de 3% para o PIB brasileiro), a inflação está sob controle, a taxa de desemprego continua em queda e o poder de compra dos salários dos trabalhadores aumenta todos os anos, o cenário econômico e social do país aponta para, no mínimo, a manutenção da popularidade da presidenta Dilma até 2014. 

Com isso, dificilmente teremos uma reversão deste cenário apontado por esta pesquisa do Ibope e Dilma é a favorita disparada para vencer a eleição presidencial de 2014 e já no primeiro turno. 


Valeu, Lula!

Valeu, Dilma!

Links:

Pesquisa Ibope de Novembro de 2012:

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,dilma-supera-lula-em-pesquisa-ibope-sobre-a-eleicao-presidencial-de-2014,964719,0.htm

Pesquisa Ibope de Novembro de 2012:

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/86177/Ibope-coloca-Dilma-%C3%A0-frente-de-Lula-para-2014.htm


Eleição presidencial de 2014: Um possível cenário

http://guerrilheirodoanoitecer.blogspot.com.br/2012/11/a-eleicao-presidencial-de-2014-um.html

Ciro Gomes diz que não há motivo para o PSB lançar candidato à Presidente em 2014:

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,ciro-gomes-diz-que-nao-ha-razao-para-o-psb-lancar-candidato-em-2014,963762,0.htm

Mantega: câmbio em torno de R$ 2 "veio para ficar'"!


Mantega: câmbio em torno de R$ 2 "veio para ficar"

23/11/2012 - 16h10 - Marli Moreira -Repórter da Agência Brasil
Guido Mantega: Economista sério e respeitado, que colocou a economia do país no rumo do crescimento com distribuição de renda e estabilidade econômica, algo inédito no país. 

São Paulo – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, considerou hoje (23) “razoável” o atual nível do câmbio, com a oscilação do dólar em torno de R$ 2 ou um pouco acima disso. Segundo Mantega, o dólar nesta faixa “veio para ficar”. Ele falou a um grupo de líderes empresariais na 32ª Reunião do Fórum Nacional da Indústria, na sede do escritório regional da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em São Paulo.
Mantega ressaltou que, mesmo com a demanda mais baixa no mercado mundial, por causa da crise econômica europeia, as exportações de manufaturados vêm melhorando, enquanto as importações diminuem. Ele observou que as exportações brasileiras também têm sido afetadas pelo fraco desempenho da economia de parceiros comerciais como a Argentina, que “deu uma travada”. De acordo com o ministro, em negociações bilaterais, o governo brasileiro está empenhado em ajudar a reverter esse comportamento do país vizinho.
Outra consequência da valorização do dólar é que a busca de empréstimos externos fica mais cara, levando o setor a explorar mais as operações de crédito no mercado interno, disse ele. Por enquanto, o “o crédito continua um pouco retraído”. Mas, com a inflação sob controle, isso “abre condições para maior crescimento da economia”.
Para este fim de ano, o ministro espera um bom desempenho do mercado interno, por que houve aumento da massa salarial, com os reajustes obtidos por várias categorias, e o poder de compra vai aumentar com a entrada dos recursos extras do décimo terceiro salário. Segundo Mantega, se for confirmado o crescimento previsto de 1,2% no Produto Interno Bruto (PIB) do quarto trimestre, a economia deverá crescer pelo menos 1,7% no começo do ano. Ele estima crescimento em torno de 4% para 2013 e destaca que todos os setores empresariais brasileiros estão confiantes na possibilidade de uma evolução favorável dos negócios.
Sobre o cenário externo, Mantega disse que o mais provável é que permaneça no próximo ano quadro desfavorável de 2012, em razão, sobretudo, da queda de demanda na Europa. Quanto aos Estados Unidos, ainda existe expectativa de retomada do aquecimento econômico, acrescentou.
Para o ministro, o setor empresarial precisa mudar de estratégia empresarial para aumentar os ganhos. Ele recomendou “uma desintoxicação do juro alto”, alegando que os empresários estavam "viciados" em uma rentabilidade obtida por meios de juros elevados e, agora, com a nova política monetária, terão de migrar os investimentos para ativos mais voltados para a área produtiva.
A prioridade passou a ser o investimento, e o ideal é dobrar o volume proporcionalmente ao PIB, ressaltou. De 2007 a 2010, a média dos investimentos ficou em 10% ao ano. "Em 2013, trabalhamos para um investimento de 8%.” Mantega lembrou a necessidade de melhoria em infraestrutura para baratear o escoamento de mercadorias, e chamou a atenção para os investimentos feitos em rodovias e ferrovias e na concessão de aeroportos. Ele informou que, nos próximos dias, será lançado um programa dirigido ao sistema portuário.
Quanto ao custo da energia, o ministro defendeu a política de redução tarifária, que, segundo ele, dará ao país maior competitividade. Pelos cálculos apresentado pelo presidente da CNI, Robson Andrade, no caso da indústria, o setor pode ser beneficiado com uma diminuição em torno de 20% no custo de produção.
Edição: Nádia Franco
Link:

Meu Comentário!
Resumindo: Adeus, câmbio flutuante. E viva o câmbio administrado. 

CNI: produção industrial cresce em outubro, mas emprego fica estável!


CNI: produção industrial cresce em outubro, mas emprego fica estável

23/11/2012 - 12h09 - Mariana Branco - Repórter da Agência Brasil
A produção industrial brasileira teve um crescimento expressivo em Outubro, disse a CNI.

Brasília - A produção da indústria brasileira cresceu em outubro, segundo consulta a empresários feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O indicador de evolução da produção passou de 47,1 pontos em setembro para 54,9 pontos em outubro. 
A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) cresceu 3 pontos e atingiu 46,8 pontos, aproximando-se da linha divisória dos 50 pontos, o que indica redução da ociosidade do setor. Os dados fazem parte da Sondagem Industrial da CNI. De acordo com a metodologia da pesquisa, valores acima de 50 pontos indicam evolução positiva das variáveis envolvidas.
Na avaliação da entidade, o crescimento da produção se deve ao ajuste dos estoques do setor, que caíram. O indicador de estoques efetivos em relação ao planejado alcançou 50,5 pontos, resultado considerado positivo. 
Mas, apesar do aumento da produção em outubro, o emprego industrial ficou estável pelo terceiro mês consecutivo, em 50,2 pontos. Na avaliação de Marcelo Ávila, economista da CNI, o motivo para isso e para a UCI abaixo da linha dos 50 pontos é que "a recuperação atividade industrial ocorre de forma lenta”.
A expectativa dos empresários para os próximos seis meses é que haverá queda na atividade. Eles preveem retração em razão da sazonalidade. No final do ano, costuma haver recuo na produção, que está elevada em outubro em função da aproximação do Natal e do Ano-Novo. O indicador de expectativa em relação à demanda para os próximos seis meses caiu de 56,9 pontos para 55,7 pontos.
A pesquisa foi feita entre os dias 1º e 14 de outubro com 1.796 empresas de todo o país. Dessas, 628 são pequenas, 690 são médias e 478 são de grande porte.
Edição: Juliana Andrade

Link:

'Veja' e Cachoeira: Tudo a Ver! - da CartaCapital!


Tudo ao contrário - da CartaCapital



O diretor da sucursal de Veja em Brasília, Policarpo Jr., e o contraventor Carlinhos Cachoeira, que acaba de ser condenado por formação de quadrilha e tráfico de influência, mantiveram uma longa relação baseada na troca de favores. Verdade factual.
Cunha. O indômito relator pede o indiciamento de Policarpo Jr., mas já começa a fraquejar. Foto: Monique Renne/D. A Press
Há provas irrefutáveis de que Cachoeira executou grampos a pedido de Policarpo Jr. e organizou a operação para monitorar os movimentos de José Dirceu, cujos resultados geraram uma capa da semanal da Abril. Provado está também que o ex-senador Demóstenes Torres ganhou as célebres páginas amarelas de Veja, prontas a apresentá-lo como um varão de Plutarco, em atenção a uma solicitação de Cachoeira. Investigações da Polícia Federal revelaram que, durante a feliz parceria, o profissional e o contraventor mantiveram mais de 200 conversações pelo telefone.
Situações similares em outros países provocaram a expulsão de jornalistas não somente de suas redações, mas também, e sobretudo, das próprias entidades da categoria. Por ter formulado acusações falsas, um diretor de redação italiano pagou recentemente pela culpa do seu jornal e foi condenado a alguns anos de reclusão. No Reino Unido, Rupert Murdoch teve de sair do país por ter praticado façanhas muito parecidas com aquelas cometidas pela Veja de Policarpo Jr.
No Brasil, causa surpresa, se não espanto, o fato de que o deputado Odair Cunha, relator da CPI do Cachoeira, peça o indiciamento do diretor da sucursal abriliana entre o de outros cidadãos sob suspeita, encabeçados pelo governador Marconi Perillo. Solicita também investigação a respeito do procurador-geral da República Roberto Gurgel. Ao todo, 46 nomes, e muitos jornalistas, embora sem a ressonância de Policarpo Jr. Donde já me apresso a preparar meu coração e meus ouvidos para a tradicional ladainha, a denunciar o assalto à liberdade de imprensa. Como é do conhecimento até do mundo mineral esta, nas nossas latitudes, corresponde à liberdade dos barões midiáticos e dos seus sabujos de agirem como bem entendem. Manipulam, omitem, mentem.
Quando a verdade factual dos comportamentos de Policarpo Jr., e portanto da Veja e da Abril, veio à tona faz meses, até um Marinho se moveu do Rio no rumo de Brasília para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer, a fim de alertá-lo sobre os riscos que a mídia da casa-grande sofreria caso o parceiro de Cachoeira fosse chamado a depor na CPI. Logo, uma figura graúda da Abril seguiu-lhe os passos para reproduzir o alerta. Se havia um plano de convocar Policarpo Jr., este abortou. Temer sabe mexer seus pauzinhos.
De todo modo, a mídia está de prontidão. Alinhados, como sempre do mesmo lado, os jornalões agora acusam o relator da CPI de ter cedido às pressões do seu partido, o PT, que dúvida! Ora, ora, acabamos de viver, nós, de uma forma ou de outra privilegiados, as consequências do processo do chamado “mensalão”. Vimos o Supremo Tribunal Federal, representante do terceiro poder da nossa democracia, perpetrar desatinos jurídicos sem conta, ao usar, inclusive, uma interpretação inaplicável nas circunstâncias. Tratou-se de um julgamento eminentemente político. Nele o STF curvou-se às pressões da mídia em vez de atentar para os sentimentos da maioria da população, desinteressada do êxito da demanda. Nesta edição leiam, a propósito, a instrutiva coluna de Marcos Coimbra.
Não pretendo afirmar, com isso, que o PT no poder não se portou como os demais partidos. Chegou ao cúmulo de imitar os tucanos dos tempos da Presidência de Fernando Henrique Cardoso. Sim, portou-se e imitou, mas a maioria dos brasileiros está mais atenta aos resultados dos governos Lula e Dilma. Para a mídia, entretanto, só pesam os interesses da casa-grande, e a determinação apoia-se com firmeza inaudita na desfaçatez e na prepotência, de sorte a me arriscar a um vaticínio: o pedido de indiciamento de Policarpo Jr., este no mínimo, vai naufragar no oblívio. Donde, as raposas podem sossegar.
Há coisas que não entendo. Consta que a história é escrita pelos vencedores, no entanto, na hora de vazar as informações básicas a respeito do seu relatório, o valente Odair Cunha, que, aliás, começou a fraquejar no dia seguinte à divulgação do relatório, entregou o ouro ao Jornal Nacional da Globo. O qual, está claro, nada falou a respeito de Policarpo Jr. No fundo, até os senhores do poder petista, salvo exceções, gostam de aparecer no vídeo global ou nas páginas amarelas de Veja.
Observem: houvesse eleições presidenciais hoje, Dilma Rousseff esmagaria qualquer competidor da oposição. E Lula ganhou anteontem a parada paulistana ao levar Haddad à prefeitura contra o cada vez mais preparado José Serra. Não consigo escapar ao costumeiro diálogo com os meus botões. Será que, neste singular, insólito, quem sabe único país chamado Brasil, os vencedores atuam como perdedores e vice-versa?

Link:

Norte, Nordeste e Centro-Oeste aumentam participação no PIB nacional!


Norte, Nordeste e Centro-Oeste aumentam participação no PIB nacional


23/11/2012 - 10h30 - Isabela Vieira - Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro - Consideradas as regiões mais pobres do país, o Norte o Nordeste aumentaram a contribuição no Produto Interno Bruto (PIB, que é a soma de todos os bens e serviços do país ), entre 2002 e 2010. No Norte, a participação subiu de 4,7% para 5,3% (aumento de 0,6 ponto percentual) e, no Nordeste, de 13% para 13,5% (alta de 0,5 ponto percentual).

Os dados fazem parte da pesquisa Contas Regionais do Brasil 2010, divulgada hoje (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o estudo, no Centro-Oeste, também houve aumento da contribuição, de 8,8%, em 2002, para 9,3%, em 2010 (elevação de 0,5 ponto percentual).
No mesmo período, diminuíram a participação no Produto Interno Bruto o Sul (de 16,9% para 16,5%, queda de 0,4 ponto percentual) e o Sudeste (56,7% para 55,4%, redução de 1,3 ponto percentual).
Segundo a pesquisa, oito estados continuam concentrando 77,8% das riqueza do país e São Paulo continua responsável pela maior contribuição, com 33,1% do PIB. Entre os estados, Roraima deu a menor contribuição para o cálculo, 0,2%.

De acordo com o IBGE, no Norte do país, o aumento refletiu a valorização dos preços internacionais do minério de ferro exportado pelo Pará, que puxou o crescimento da economia da região, além do aquecimento da indústria no Amazonas e da agropecuária em Rondônia.

Na Região Nordeste, o Maranhão, com o menor PIB per capita do país (R$ 6.888,60), consolidou-se como maior produtor de soja do Brasil, influenciando o resultado da região. Também teve impacto no aumento da participação do Nordeste no PIB o avanço do setor de serviços no Ceará, principalmente o comércio.
A contribuição do Centro-Oeste no PIB está relacionada ao agronegócio e aos altos salários em Brasília. O Distrito Federal contribuiu com renda mais alta por pessoa no país, R$ 58.489,46.
Ao divulgar os dados, o IBGE informou que os indicadores do PIB regional serão atualizados em breve com base na revisão do Sistema de Contas Nacionais, que está em curso.
Edição: Juliana Andrade // A matéria foi ampliada às 11h03

Link:


FGV estima crescimento do PIB entre 3% e 3,5% em 2013!


FGV estima crescimento do PIB entre 3% e 3,5% em 2013


Por: Akemi Nitahara, da Agência Brasil, 
Publicado em 24/11/2012

Indústria da construção naval renasceu no Brasil no governo Lula, contribuindo para o crescimento do país. 

Rio de Janeiro – O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013 deve ficar entre 3% e 3,5%, segundo projeção do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre), que divulgou hoje (23) os resultados das projeções do modelo macroeconômico durante o Seminário Perspectivas da Economia Brasileira para 2013. Os dados completos serão publicados no Boletim Macro, de dezembro.
A estimativa é inferior à do Ministério da Fazenda, de crescimento do PIB em 4% no próximo ano. De acordo com a coordenadora técnica do Boletim Macro, Silvia Matos, o crescimento da economia em 2013 vai ser melhor que o de 2012, já que o crescimento deste ano deve ficar em torno de 1,5%. Mesmo com a retomada econômica no fim do ano, Silvia considera a perspectiva ruim na comparação com demais países da América Latina.
“Está todo mundo criticando o cenário internacional, mas quando a gente olha outros países da América Latina, por exemplo o Chile, que acabou de divulgar os dados, o investimento chegou a 28% do PIB, eles estão com um superinvestimento. Quer dizer, tem algum problema no Brasil, eu acho que a gente está desconectado um pouco, pelo menos de alguns países.”
Para a pesquisadora, o governo sempre vai buscar um “vilão” para justificar o baixo crescimento da economia, como o cenário internacional adverso. Segundo ela, “é mais fácil a população e o mercado como um todo” informarem “que o Brasil está crescendo menos”de 4%.
De acordo com dados do Ibre, de 2003 a 2010, a média de crescimento do PIB foi 4%. De 2011 a 2013, a projeção é 2,4% de crescimento médio. A expectativa do instituto para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é 5,7% para o próximo ano.
Para a taxa de investimento, a projeção do Ibre é o ano fechar em 18,5% do PIB, contra 19,5% no ano passado. A coordenadora ressalta que a situação com crescimento baixo e inflação mais alta leva à retração no investimento e falta de qualidade nos serviços prestados pelo Estado. “Você tem uma demanda represada que está cada vez mais latente, porque há muito tempo que a gente não investe em infraestrutura.”

Link:

Perillo pode ter recebido R$ 400 mil de empresa fantasma de Cachoeira!

Perillo pode ter recebido R$ 400 mil de empresa fantasma de Cachoeira - da Rede Brasil Atual, 24/11/2012


Triangulação de recursos entre bicheiro, dono de laboratório e governador tucano de Goiás está no relatório final da CPI


Por: Eduardo Militão, do Congresso em Foco

Brasília - O dono do laboratório Teuto, Walterci de Melo, doou R$ 400 mil para a campanha eleitoral do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), exatamente um dia depois de receber o mesmo valor da conta de uma empresa fantasma do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. 

É o que mostra cruzamento da prestação de contas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com a movimentação financeira da G&C Construções e Incorporações, obtida pela CPI do Cachoeira.
Tudo poderia ser mera coincidência não fosse Walterci um amigo de Cachoeira, que aparece conversando com ele em muitos dos grampos feitos nas investigações da Operação Monte Carlo, da Polícia Federal. 

O empresário do ramo farmacêutico é, por exemplo, uma das pessoas que aparece em grampos, juntamente com o também empresário Marcelo Limírio, discutindo com Cachoeira a possibilidade de criar em Goiânia um heliporto numa parceria público-privada com o governo do estado. 

Em grampos telefônicos captados pela Polícia Federal, ele disse que Perillo dava aval ao negócio. O diretor da Agência Goiana de Transportes e Obras Públicas (Agetop), Jayme Rincón, ex-tesoureiro da campanha de Perillo, afirma que tal parceria, apesar dos grampos, não existe.
Para o relator da CPI do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), não se trata de uma coincidência. No seu relatório, que será lido e votado na próxima semana pelos demais integrantes da comissão de inquérito, a coincidência esconde uma doação oculta de Cachoeira para Perillo. Já  para Jayme Rincón, tudo é mesmo uma mera coincidência, e a conclusão de Odair Cunha uma precipitação. “O deputado Odair Cunha está viajando na maionese”, disse ele ao Congresso em Foco.
O fato é que no dia 11 de novembro de 2010, pouco depois do segundo turno das eleições, Walterci transferiu eletronicamente R$ 400 mil para a conta da campanha de Perillo. O tucano acabara de ser eleito governador do estado derrotando o ex-senador Íris Rezende (PMDB). 

Um dia depois, o dono do laboratório farmacêutico Teuto recebeu transferência bancária de idênticos R$ 400 mil da empresa fantasma G&C Construções e Incorporações, novo nome da Adércio & Rafael Construções e Incorporações. A firma é mais uma empresa de fachada de Cachoeira e fez o pagamento na conta que Walterci mantinha então no banco HSBC.
“Houve uma clara triangulação do grupo criminoso, no sentido de ocultar os verdadeiros doadores dos valores que alimentaram parte da campanha eleitoral do Governador Marconi Perillo”, conclui Odair Cunha em seu relatório à CPI. 

O deputado julgou que isso significa captação ilegal de recursos para campanha, o que, em tese, renderia a cassação do mandato do governador. Por isso, Odair recomenda o envio do relatório ao Ministério Público e ao Tribunal Regional Eleitoral para que os órgãos tomem providências.
Link:

Transpetro lança o navio petroleiro Zumbi dos Palmares!


Navio Zumbi dos Palmares vai transportar até 1 milhão de barris de petróleo

Embarcação construída no programa de reativação da indústria naval brasileira é lançada ao mar pela Petrobras
Por: Nielmar de Oliveira, da Agência Brasil
Publicado em 24/11/2012

'
Zumbi dos Palmares é o novo navio da Transpetro, resultado da reconstrução da  indústria brasileira de construção naval iniciada no governo Lula com o Promef.
Rio de Janeiro - A Transpetro, braço logístico da Petrobras para a área de transporte, lançou ontem (23) o segundo navio encomendado no âmbito do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef). A embarcação, batizada de Zumbi dos Palmares, foi construída pelo Estaleiro Atlântico Sul, na Região Nordeste.
O navio lançado ao mar nesta sexta é do tipo suezmax – com calado capaz de navegar no Canal de Suez – e tem capacidade para transportar 1 milhão de barris de petróleo, o equivalente a quase metade da produção diária nacional.
O lançamento ao mar é o penúltimo marco na construção de um navio, antes da entrega ao armador para operação. Após o lançamento, a embarcação passa pelos acabamentos finais no estaleiro e pela prova de mar, que verifica o seu desempenho em uma viagem de curta distância.
Outro navio será lançado ao mar na próxima terça-feira (27). Construído pelo Estaleiro Mauá (RJ), o navio Anita Garibaldi é primeiro de uma série de quatro petroleiros panamax (com calado para navegar no Canal do Panamá).
O Promef integra o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e tem o objetivo de modernizar a frota da Transpetro e, indiretamente, levar ao incremento da indústria naval brasileira. No âmbito do programa, foram encomendados a estaleiros 49 navios navios de grande porte, com investimento de R$ 10,8 bilhões.
Desse total, 19 estão sendo construídos no estado do Rio de Janeiro, pelos estaleiros Mauá, Eisa e Superpesa; e 30 em Pernambuco, pelos estaleiros Atlântico Sul e Promar. Atualmente, a Transpetro tem 58 navios. Com o programa, a expectativa é a de que a frota da companhia chegue a mais de 110 navios em 2016.
Mais de 15 mil empregos diretos foram criados nos estaleiros do país desde a criação do programa, e estima-se que serão abertas mais 40 mil vagas diretas e 160 mil indiretas nos próximos anos, apenas com a construção de navios para a Petrobras.
Segundo a Transpetro, atualmente, três embarcações do Promef estão em operação: os navios de produtos Celso Furtado e Sérgio Buarque de Holanda, entregues pelo Estaleiro Mauá (RJ), e o petroleiro da classe suezmax João Cândido, pelo Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Pernambuco.
Link:

Boris Casoy é condenado por ofensa a gari durante telejornal!

Boris Casoy é condenado por ofensa a gari durante telejornal - da Rede Brasil Atual, 24/11/2012


Jornalista e emissora Band terão de pagar R$ 21 mil por comentário 'preconceituoso' feito no Jornal da Noite em 2009

São Paulo - O jornalista Boris Casoy e a TV Bandeirantes terão de pagar R$ 21 mil de indenização ao gari Francisco Gabriel de Lima, por danos morais, segundo informou hoje (24) o portal de notícias Uol. A condenação foi definida pela 8ª Câmara de Direito Privado de São Paulo.
Em áudio vazado ao fim do Jornal da Band, na noite de 31 de dezembro de 2009, Casoy fez comentários considerados ofensivos sobre a profissão de gari. Após Lima aparecer em uma vinheta desejando feliz natal, e quando o jornal já havia sido encerrado, uma falha técnica da emissora transmitiu em cadeia nacional o comentário do jornalista.
"Que merda: dois lixeiros desejando felicidades do alto da suas vassouras. O mais baixo na escala do trabalho", disse ele.

Com a repercussão negativa do caso, Casoy se retratou publicamente, afirmando que tinha dito uma frase infeliz. ”Peço profundas desculpas aos garis e a todos os telespectadores".

Francisco Lima, porém, decidiu acionar a Justiça.  Ele contou em juízo que jornalistas da Band pediram a ele para desejar felicitações de ano novo TV, mas não imaginava que sua participação lhe renderia “preconceito e discriminação”.

Para o gari, a retratação de Casoy foi “burocrática e pouco conveniente”, sem demonstrar arrependimento. O TJ de São Paulo também considerou que as desculpas de Casoy foram insuficientes para reparar o dano.

A emissora ainda pode reverter a condenação, recorrendo ao Superior Tribunal de Justiça.
Link:

Quem são e o que fazem os “jornalistas de Cachoeira"!


Quem são e o que fazem os “jornalistas de Cachoeira" - por Najla Passos, da Carta Maior


Investigações da PF e da CPI mostraram as conexões entre Carlinhos Cachoeira e Policarpo Jr, da 'Veja'. 

Imprensa e oposição atacam, em uníssono, o parecer do relator da CPMI do Cachoeira que pede o indiciamento de cinco jornalistas e sugere ao Ministério Público Federal que prossiga com as investições sobre outros sete. As alegações centrais são que a medida fere a liberdade de imprensa ou refletem o desejo de vingança do PT com seus algozes no mensalão. Uma leitura do relatório revela uma outra realidade. E uma realidade estarrecedora sobre os meandros da imprensa brasileira. A reportagem é de Najla Passos.