Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Comércio varejista cresceu 6,4% em 2012!


Varejo cresceu menos em 2012 do que nos dois anos anteriores

08/01/2013 - 11h39 - Marli Moreira - Repórter da Agência Brasil

Mesmo em meio à pior crise mundial desde a Grande Depressão dos anos 1930, o comércio varejista brasileiro cresceu 6,4% em 2012. Mas, para a patética Grande Mídia tupiniquim, essa é uma péssima notícia. 
São Paulo - O consumo no comércio varejista de todo o país aumentou 6,4% durante todo o ano de 2012, taxa inferior à registrada nos dois anos anteriores, segundo o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio. Em 2010, as vendas cresceram 9,6% e, em 2011, 7,8%. Considerando apenas o mês de dezembro de 2012, período de maior movimento nas lojas, houve alta de 2,8%.
O resultado acumulado ficou próximo do registrado em 2009, ano posterior ao da crise financeira internacional, com efeitos sobre o desempenho dos negócios. Ainda assim, naquele ano, o movimento no comércio foi 6,1% superior ao de 2008.
Ao longo de 2012, houve maior demanda nos segmentos de material de construção (7,6%) e de móveis, eletrônicos e informática (7,7%). Nesses dois segmentos, as atividades foram estimuladas por incentivos fiscais, a exemplo do setor de veículos, motos e peças, cujas vendas cresceram 4,7%. O aumento só não foi maior por causa do elevado nível de inadimplência, justificaram os analistas da Serasa.
De acordo com a empresa de consultoria, a boa oferta de emprego e renda impulsionou o crescimento de 4,1% das compras feitas nos supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas. Segundo os analistas, por causa do aumento da inflação no setor alimentício verificada em 2012, a alta da atividade varejista do segmento não foi mais significativa.
Nos setores de tecidos, vestuário, calçados e acessórios, as vendas aumentaram em ritmo mais lento do que nos demais (3%). No caso de combustíveis e lubrificantes, houve expansão de 1,8%.
Edição: Juliana Andrade
Link:

Nenhum comentário: