Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sábado, 11 de maio de 2013

IGP-M aponta queda da inflação para 0,03% no início de Maio!

Índice que reajusta contratos de aluguel cai para 0,03% na primeira prévia do mês

10/05/2013 - 8h39 - Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro – A primeira prévia de maio do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel, registrou uma inflação de 0,03%. O resultado aponta para uma queda em relação ao mês de abril, que registrou taxa de 0,42% na primeira prévia. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), em 12 meses, o IGP-M acumula alta de 6,24%.
Os três subíndices que compõem o IGP-M apresentaram decréscimos na primeira prévia de maio. O destaque ficou com os preços no atacado, medidos pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo, que tiveram uma queda de 0,17% em maio. Em abril, havia sido registrado um aumento de 0,38% nos preços.
Entre os itens que contribuíram para a deflação (queda de preços) do atacado estão os alimentos in natura(-3,8%), combustíveis e lubrificantes (-0,32%) e matérias-primas como laranjas (-16,06%), aves (-7,93%) e cana-de-açúcar (-2,34%).
O Índice de Preços ao Consumidor caiu de 0,43% em abril para 0,31% em maio. A principal contribuição partiu dos alimentos, cuja taxa de inflação passou de 0,84% para 0,07% no período. Mais cinco classes de despesa tiveram queda na taxa: transportes, habitação, comunicação, despesas diversas e educação.
O Índice Nacional de Custo da Construção teve a queda mais moderada entre os três subíndices, ao passar de uma taxa de 0,67% em abril para 0,66% em maio.
Edição: Juliana Andrade
Link:

Nenhum comentário: