Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Luciano Coutinho, os 'campeões nacionais' do BNDES e o complexo de vira-latas! - por Marcos Doniseti!

Luciano Coutinho, os 'campeões nacionais' do BNDES e o complexo de vira-latas! - por Marcos Doniseti! 


Até o início dos anos 1960. a Coréia do Sul era um dos países mais pobres do mundo. Daí, ela criou os Chaebols, investiu em educação, ciência e tecnologia, fez reforma agrária, distribuiu renda e se tornou um dos 25 países mais ricos do mundo. 
O blog do Azenha, "Viomundo', reproduziu texto de pessoa que está muito mal informada sobre a questão das empresas criadas ou fortalecidas pelo BNDES, na gestão de Luciano Coutinho, com o objetivo de criar empresas de capital nacional que sejam competitivas globalmente, o que é fundamental para o desenvolvimento econômico e social do Brasil. 

Todos os governos, de todos os países desenvolvidos, usam de políticas de estímulo e apoio ESTATAIS para criar grandes conglomerados, privados, estatais ou semi-estatais, que sejam capazes de competir globalmente. 

Ou como o autor do texto pensa que surgiram os gigantescos Chaebols da Coréia do Sul (Hyundai, Samsung, LG, etc)? Por vontade de Buda é que não foi, isso eu posso garantir. Tais empresas, que foram criadas e estimuladas pelos governos do país, foram fundamentais para transformar a Coréia do Sul num dos 25 países mais ricos do mundo. E olha que, até o início dos anos 1960, ela era um das 15 nações mais pobres do planeta. 

Portanto, não foi à toa que a Coréia do Sul conseguiu se tornar um dos países mais ricos do mundo. Isso não foi fruto de vontade divina ou qualquer bobagem desse tipo, mas de medidas que visavam fortalecer a economia do país por meio de criação de empresas que fossem capazes de competir globalmente.

Além disso, a Coréia do Sul investiu fortemente em educação e em ciência e tecnologia. Seu povo se tornou um dos mais bem educados do mundo. 

Aliás, neste aspecto (a criação dos Chaebols), a Coréia do Sul sequer foi original, pois ela, na verdade, copiou essa política do Japão, que criou os famosos Zaibatsus, após a chamada "Restauração Meiji". 

Será 'mera coincidência' que, muito em função disso, Japão e Coréia do Sul tenham se tornado duas das nações mais ricas do mundo? Claro que não. 

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, inclusive, conhece profundamente a política de criação dos Chaebols sul-coreanos (que, se não fossem pelos estímulos estatais nem existiriam), pois estudou muito sobre os mesmos. 

E os EUA foram outro país rico que sempre usaram da política aeroespacial (NASA) e de gastos militares para fortalecer e criar grandes conglomerados privados de capital nacional competitivos globalmente, ou seja, seus 'campeões nacionais', como a Boeing, Lockheed Martin, etc. 


O apoio forte e decidido do Estado sul-coreano foi fundamental para criar e fortalecer  empresas como a Samsung. 
Afinal, de onde o autor do texto pensa que a Boeing tira recursos para sobreviver? Da venda de armas para o governo ianque, cara-pálida! 

Vocês pensam que a GE vive de fabricar lâmpadas e máquinas de costura? Brincou, né? Ela, que é dona da NBC (um dos maiores conglomerados midiáticos dos EUA e do mundo), é a maior fabricante de armas dos EUA. 

Uma das maiores bobagens ditas em tal texto é referente aos R$ 18 bilhões que o BNDES aplicou nestas empresas nacionais, como se este fosse um valor gigantesco. Isso é uma bobagem monumental. Esse valor representa ridículos 0,4% do PIB brasileiro. 

É em função dessa mentalidade de vira-lata, expressa pelo autor nesse texto patético, que o Brasil não consegue desenvolver todo o seu potencial, pois basta um governo fazer aquilo que é a sua obrigação, ou seja, tomar medidas que promovam o fortalecimento da economia nacional, para que o país possa se desenvolver e oferecer uma qualidade de vida digna para a sua população, que já aparecem os derrotistas, que não conseguem abandonar o famoso complexo de vira-latas, para comentar sobre assuntos dos quais não conhecem coisa alguma e fazer um chororô estúpido e sem sentido. 

Mas, se mantivermos a rota estabelecida, de desenvolver empresas brasileiras capazes de competir globalmente, teremos uma economia muito mais forte e sólida do que a atual. Somente assim será possível melhorar consideravelmente as condições de vida dos brasileiros. 

O resto é trololó de quem não faz a menor ideia do que está dizendo. 

Link:

Carlos Tautz e os 'perdedores nacionais':

http://www.viomundo.com.br/denuncias/carlos-tautz-o-bndes-e-nos-os-perdedores-nacionais.html#comment-441762

Política de campeões nacionais cumpriu o seu papel, diz Luciano Coutinho:

http://exame.abril.com.br/economia/noticias/bndes-abandona-politica-de-criar-campeoes-nacionais

Investimentos da Vale em Siderurgia:

http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/os-4-projetos-que-a-vale-ja-tem-para-siderurgia

Investimentos da Vale em Fertilizantes poderão chegar a US$ 15 bilhões até 2020:

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,vale-planeja-investimentos-de--us-15-bi-em-fertilizantes-ate-2020-,778425,0.htm

Investimentos da Petrobras em Fertilizantes chega a US$ 5,7 bilhões entre 2012 e 2016: 

http://www.petronoticias.com.br/archives/13139

http://www.valor.com.br/empresas/2799564/petrobras-dara-prioridade-fertilizantes-em-area-de-gas-e-energia

Nenhum comentário: