Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 27 de outubro de 2013

Os Black Blocs e a ruína da esquerda! - por Diogo Costa

A ruína da esquerda - por Diogo Costa, da sua página no

Facebook

As SA, tropas de assalto do Partido Nazista alemão, faziam as mesmas coisas. E também os Fascistas de Mussolini. Qualquer semelhança com os Black Blocs não é mera coincidência, ok?

Alguém já teve o 'imenso prazer' de visitar páginas do Black Bloc? O ódio visceral dessa gente contra todos os partidos de esquerda (e em especial contra o PT) é digno de estudos psiquiátricos. Me obrigo a repetir pela milésima vez (como o faço desde junho), esse coletivo anarcoprimitivista tem como objetivo principal a destruição do Estado. Todo anarquista que se preze propugna pela destruição do Estado. Ocorre que a hipotética destruição do Estado não elimina a luta de classes. O Estado sempre existiu, seja na Roma antiga ou na Grécia dos grandes filósofos.

O Estado sempre esteve presente, em diferentes formas, e acompanhou os diferentes modos de produção existentes até hoje. Quais sejam, o modo de produção escravista, asiático (servidão), feudal e capitalista. Não existe essa fantasia anarquista de 'destruição do Estado'.

Se existisse, voltaríamos ao tempo do comunismo primitivo, ou seja, ao tempo das cavernas e da pedra lascada!

É aí que começam e tornam-se irreconciliáveis as posições de anarquistas, em relação aos socialistas e comunistas. E é aí que começam as divergências tidas e havidas entre Marx e Bakunin, que culminaram com a expulsão do anarquista da Primeira Internacional Socialista, em fins do século XIX.

Além dessa diferença irreconciliável, tem também a questão da forma, dos métodos de luta. O anarquismo nunca fez e nunca fará nenhuma revolução em nenhum lugar do globo terrestre!

Voltando ao tema do Black Bloc, insisto, a esquerda perde um admirável tempo romantizando esse grupo. Esse pessoal rejeita cabalmente as experiências do socialismo e do comunismo, rejeitam cabalmente Marx, Engels, Lênin, Trótski, Rosa Luxemburgo ou Antonio Gramsci.

Rejeitam todos os partidos de esquerda!

O objetivo do anarcoprimitivismo é acabar com o Estado, o que a experiência histórica comprova ser uma imbecilidade completa, querem fazer a roda da história voltar no tempo, outra imbecilidade histórica... É mais ou menos como uma espécie de 'ludismo' fora de época.

Programática e estrategicamente, a esquerda não tem absolutamente nada a ganhar com as práticas e formas de luta desse pessoal.

As formas de luta desse pessoal, em todos os lugares e em qualquer tempo, só fortalecem as teses conservadoras e a direita, ao mesmo tempo em que promovem a derrocada dos partidos de esquerda, sempre, por onde quer que passem.

É preciso frisar que o objetivo deste texto não é criminalizá-los (isto eles conseguem fazer sozinhos, e levam toda a esquerda junto...), mas sim alertar para os equívocos daqueles que apoiam as táticas historicamente equivocadas desses grupos anarcoprimitivistas.

A ruína da esquerda no Brasil será proporcional ao tamanho do romantismo que a mesma dispensa a grupos que pretendem, ideologicamente, destruí-la.


Link:

https://www.facebook.com/diogosho?hc_location=timeline


Nenhum comentário: