Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 8 de dezembro de 2013

Datafolha descobre que brasileiros pensam exatamente o contrário do que a Grande Mídia diz - por Marcos Doniseti!

Datafolha descobre que brasileiros pensam exatamente o contrário do que a Grande Mídia diz - por Marcos Doniseti!


Crescimento das novas mídias contribui decisivamente para que ocorra uma crescente perda de influência da Grande Mídia Reacionária e Golpista sobre a forma de pensar dos brasileiros. 

O Datafolha descobriu, em pesquisa feita nos dias 28 e 29 de Novembro passados, que os brasileiros defendem ideias contrárias a que o PIG trombeteia todos os dias no seu 'noticiário' e já há várias décadas. 

A pesquisa do instituto mostra que a maioria da população quer mais interferência do Estado (na área econômica e social) e não menos. 

Por exemplo: O Datafolha registra que 67% dos brasileiros defendem a ideia de que o Estado deve ser o maior responsável por promover o desenvolvimento econômico. E 54% pensam que as Leis Trabalhistas beneficiam os trabalhadores. E mesmo quando se trata de impostos, 43% dos brasileiros estão dispostos pagar mais ao Estado para ter acesso a serviços gratuitos de saúde e educação. 

E vejam que isso acontece mesmo com todo o igigantesco noticiário midiático diário falando sobre inúmeros casos de 'corrupção', nas diferentes esferas do governo, o que é algo que deveria derrubar fortemente a ideia de atuação estatal na economia e na área social. 

Aliás, é exatamente esse o objetivo desse noticiário interminável da Grande Mídia a respeito de 'corrupção'. 

Portanto, quase 35 anos de defesa diária do Neoliberalismo pela Grande Mídia Global (desde o advento dos governos Thatcher-Reagan, pelo menos) acabou não dando em nada, pelo menos no caso da maioria da população brasileira, que defende a intervenção estatal para promover o desenvolvimento econômico e a justiça social.

Assim, o Datafolha descobriu que os brasileiros defendem ideias contrárias a que o PIG trombeteia todos os dias no seu 'noticiário' e já há várias décadas. 

A maioria dos brasileiros defende a intervenção estatal para promover o desenvolvimento econômico e a justiça social. E o PIG diz exatamente o contrário.

Essa defesa da atuação do Estado na economia e na área social, pela maioria dos brasileiros, também ajuda a explicar a perda de influência do PIG, com a queda de circulação de jornais e revistas que são descaradamente neoliberais (Folha, Veja, etc), a diminuição da audiência do 'Jornal Nacional' e a ascensão, cada vez mais rápida, da Internet, da chamada mídia móvel (celulares, smartphones, tablets, notebooks) e da TV paga. 

Como a maioria das pessoas não concorda com a maneira como os acontecimentos são noticiados e divulgados (exemplo: os casos do Helipóptero dos Perrela e a da prisão do Zé Dirceu, por exemplo) elas acabam por abandonar a leitura destes jornais e revistas e também deixam de assistir ao 'Jornal Nacional', por exemplo. 

A parcialidade e a falta de isenção do noticiário midiático ficaram explicítos demais, nos últimos anos, aos brasileiros. Estes, na sua maioria, podem até não possuir um nível mais elevado de educação formal, mas não são burros e percebem a manipulação e a distorção descarada que a Grande Mídia promove em seu noticiário. 

Além disso, temos uma sequência de governos federais (Lula-Dilma) que, inegavelmente, melhorou as condições de vida da maioria da população, reduzindo fortemente o desemprego, a pobreza, a miséria, aumentando o poder de compra dos salários, permitindo que 50 milhões de brasileiros (a população somada da Espanha e Portugal) ascendessem de classe sócio-econômica (40 milhões subiram para a chamada Classe C e outros 10 milhões para as classes AB), beneficiando dezenas de milhões de brasileiros com outros programas de inclusão social (ProUni, Luz Para Todos, Minha Casa Minha Vida, Bolsa Família, Pronatec, etc). 

Assim, há uma brutal contradição entre o terrorismo promovido pela Grande Mídia (que diz que o país está à beira do abismo, que a inflação irá explodir, que teremos racionamento de energia, que as contas públicas estão desequilibradas, que a Petrobras está falida) e as condições de vida da maioria da população, que está melhorando bastante desde o governo Lula, embora tenha muito por ser feito, ainda, sem dúvida alguma, principalmente na área social (educação, saúde, transporte coletivo, saneamento básico, segurança pública). 

Tudo isso se soma para provocar uma crescente perda de influência da Grande Mídia sobre os brasileiros. 

No entanto, trágica e infelizmente, não existe em nosso país uma Mídia alternativa e de grande alcance que atinja a totalidade da população brasileira (como o PIG consegue) e que defenda esse conjunto de ideais progressistas e que são professados e defendidos pela maioria dos brasileiros. 

A construção dessa rede midiática progressista deveria ser uma das grandes metas dos movimentos políticos e sociais de perfil progressista para os próximos anos. 

Precisamos construir uma rede midiática de grande alcance (TV, rádios, Internet, plataformas para dispositivos móveis, etc) que defenda uma visão progressista de mundo (com base em valores e princípios de Esquerda e Centro-Esquerda, que defendam a justiça social e o desenvolvimento econômico) que seja plural, democrática e que reflita a forma de pensar da maioria da população brasileira, ajudando a esclarecer a mesma sobre quais são os grandes problemas do país e apresentando alternativas viáveis para superar, o quanto antes, a chaga social brasileira. 

Com isso, poderemos tornar irreversível o processo de construção de uma sociedade justa, soberana e democrática, onde todos possam viver com dignidade, derrotando definitivamente o projeto excludente, autoritário e elitista defendido pelas forças políticas e sociais mais conservadoras. 

Link:

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/12/1382484-brasileiros-se-dividem-sobre-impostos-e-papel-do-governo.shtml

Nenhum comentário: