Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 8 de dezembro de 2013

Dólar sob controle no ano que vem: Tombini diz a banqueiros que BC vai continuar com intervenções no câmbio em 2014!

Tombini diz a banqueiros que BC vai continuar com intervenções no câmbio em 2014

05/12/2013 - 20h32 - Stênio Ribeiro - Repórter da Agência Brasil
Brasília – Passados cinco anos da crise financeira mundial, deflagrada em setembro de 2008, o cenário da economia internacional continua complexo, embora com “uma pequena luz no fim do túnel” em relação à recuperação da atividade norte-americana, embora em um ritmo ainda incerto, disse hoje (5) o presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, em almoço com banqueiros, em São Paulo.
Ele falou para dirigentes da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e da Confederação Nacional das Instituições Financeiras (CNF) que, em virtude das incertezas que ainda pairam na cena internacional, o BC continuará vigilante em 2014, com alguns ajustes na oferta de proteção cambial no mercado futuro. Anúncio suficiente para a cotação do dólar inverter a tendência de alta dos últimos dias e fechar o pregão desta quinta-feira com queda de 1,24%, cotado a R$ 2,359 na venda.
Tombini ressaltou que as incertezas quanto ao processo de recuperação econômica são responsáveis pelas fortes oscilações, que os economistas chamam de volatilidade. Ele destacou, no entanto, que “o Brasil está preparado para atravessar esse período”, e o BC tem adotado as providências necessárias para o bom funcionamento do sistema financeiro nacional e do mercado doméstico como um todo.
Apesar da redução de 0,5% na atividade econômica do país no terceiro trimestre do ano, comparado ao período abril-junho, ele citou que o crescimento está se materializando de forma gradativa. Baseado, segundo ele, na baixa taxa de desemprego, no crescimento (embora moderado) do crédito e na redução da inadimplência e do comprometimento da renda das famílias. Fatores que, no seu entender, apontam para uma “consolidação do crescimento” nos próximos trimestres.
Edição: Aécio Amado
Link:

Nenhum comentário: