Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Inflação: IGP-10 (FGV) fecha 2013 com taxa de 5,39%!

IGP-10 sobe 0,44% em dezembro e acumulado do ano fica em 5,39%

16/12/2013 - 10h43 - Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro – O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) aumentou 0,44% em dezembro, repetindo o resultado de novembro. Em dezembro do ano passado, o índice teve variação de 0,63%. Os dados foram divulgados hoje (16) pela Fundação Getulio Vargas e o IGP-10 calcula a inflação com base nos preços coletados entre o dia 11 do mês anterior e o dia 10 do mês de referência.
Com o resultado de dezembro, a taxa acumulada de 2013 chega a 5,39% - mais de 2 pontos percentuais abaixo da verificada em 2012 (7,42%).
Entre os componentes do IGP-10, o Índice de Preços ao Consumidor foi o que teve maior variação (0,68%), com cinco das oito classes de despesas em alta. Transportes foi o item que registrou maior elevação (de -0,06% em novembro para 0,41% em dezembro) puxado pelo item gasolina. Habitação, vestuário, comunicação e despesas diversas também subiram, enquanto alimentação, saúde e cuidados pessoais e educação, leitura e recreação registraram queda.
O Índice Nacional de Preços ao Produtor Amplo, outro componente do IGP-10, teve variação de 0,38% no último mês de 2013, abaixo dos 0,40% de novembro. As matérias-primas brutas lideraram a alta nesse indicador, com 0,80%, mas desaceleraram em relação a novembro, quando subiram 1,32%. A perda do ritmo deve-se principalmente ao minério de ferro, às aves e aos suínos.
Os bens intermediários avançaram 0,24%, e os bens finais, 0,38%, ambos influenciados pelo subgrupo dos combustíveis.  
O terceiro indicador componente do IGP-10, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 0,26% em dezembro, também abaixo de 0,32% de novembro.
Edição: Denise Griesinger
Link:

Nenhum comentário: