Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

O objetivo único da 'grande imprensa'- por Cadu Amaral!

O objetivo único da 'grande imprensa'- por Cadu Amaral, do seu blog, 04/12/2013


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Com mais repeteco do que cantiga de grilo, a campanha para criminalizar o PT segue a todo vapor pela “grande imprensa”. Não que isso tenha dado à direita brasileira resultados eleitorais, mas vale, no caso, a lógica da natureza do escorpião.

O tratamento dispensado é o da ocultação total das falcatruas do PSDB e lentes de aumento em qualquer coisa que possa ter relação, mesmo com milhas de distância, do PT.

Assis Chateaubriand realmente fez escola. É dele a máxima de que “quem quiser imprensa livre que compre a sua”. Vejam só, o hotel Saint Peter, em Brasília, é de propriedade de uma empresa estrangeira, do Panamá, conforme o Jornal Nacional. E tem um laranja como dono. Como se essa fosse a única empresa no Brasil a adotar laranjas como proprietários legais.

Todo esse barulho por que é nesse hotel que José Dirceu solicitou permissão para trabalhar.

Não há, nem mesmo na matéria do JN, qualquer relação entre Dirceu e a empresa que administra o hotel. Será que o Saint Peter é a única empresa que tem laranjas como proprietários? Se couber, por se tratar de empresa sediada em outro país, a situação do hotel deve ser apurada pela Receita Federal ou pela Polícia Federal.

Será que todos que trabalham em empresas que usam laranjas para encobrir os verdadeiros donos têm envolvimento com tal prática?

O que tem mais importância jornalística, isso ou a quase meia tonelada de pasta base de cocaína em um helicóptero da família de um senador da república?

O que vale mais jornalisticamente, mais um laranja em um hotel ou um esquema de que circunda o valor de um bilhão de reais no metrô em São Paulo?

O que vale mais, um laranja em uma empresa estrangeira no Brasil ou o “esquecimento” de julgar o esquema de caixa dois do PSDB em Minas Gerais, com dinheiro público, da CEMIG (Companhia Energética de Minas Gerais), onde figuras como o Filho do FHC e Gilmar Mendes aparecem na lista de beneficiários do esquema?

O que vale mais, mais um laranja em uma empresa ou a filha do Serra, Verônica, em conjunto com Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil, comprarem 20% de uma empresa de sorvete, no valor de R$ 100 milhões sendo que o lucro dessa empresa é de R$ 30 milhões?

O que vale mais jornalisticamente, isso ou o fato do ex-senador e mosqueteiro da ética de Veja, Demóstenes Torres, após ter comprovado seu envolvimento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, está aposentado pelo Ministério público? Torres recebe R$ 22 mil de salário.

O que vale mais, o laranja do hotel ou Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), comprar um apartamento de um milhão de dólares através de uma empresa off shore, lotada em seu apartamento funcional por apenas dez dólares?

Lembrando que a condição de Barbosa não permite que ele seja dono de empresas.

O que vale mais, mais um laranja em empresas no Brasil ou a sonegação fiscal das Organizações Globo que, corrigidas, chegam à casa dos bilhões de reais?

O que vale mais, mais um caso de uso de laranjas em empresas ou a condição do banqueiro Daniel Dantas. Preso na Operação Satiagraha da Polícia Federal por lavagem de dinheiro, desvio de verbas públicas?

A PF apreendeu no apartamento do banqueiro Daniel Dantas, documentos que comprovam o pagamento de propinas a políticos, juízes e jornalistas no valor de 18 milhões de reais.

Sabe o que vale mais para a nossa autoproclamada “grande imprensa”? Criminalizar a esquerda, o trabalhismo. Sempre foi assim. Houve a vez do partido comunista, do Getúlio, Jango e Brizola. Agora é a vez do PT e seus expoentes, seus aliados pontuais e programáticos.

Pior é que tem gente que se diz de esquerda que parece dar boa noite ao William Bonner ao término do Jornal Nacional.
 
Link:
 

Nenhum comentário: