Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 1 de dezembro de 2013

Para Abdib, resultado dos leilões fazem de 2013 o "ano das concessões"!

Para Abdib, resultado dos leilões fazem de 2013 o "ano das concessões"

27/11/2013 - 18h23 - Pedro Peduzzi - Repórter da Agência Brasil

Sabe tudo, essa Miriam Leitão... rs...
Brasília – A Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) divulgou hoje (27) nota na qual elogia o leilão de concessão da rodovia federal BR-163 e dos aeroportos de Confins (MG) e Galeão (RJ). Assinada pelo presidente Paulo Godoy, a nota classifica 2013 como “o ano das concessões”, após avaliar que, no setor de transporte e logística, elas ajudaram a criar “perspectivas positivas de aceleração dos investimentos em infraestrutura nos próximos anos”.
Segundo Godoy, o modelo de concessões nos setores de infraestrutura é mais apropriado para expandir a capacidade de oferta das redes e sistemas, quando há viabilidade econômica e financeira que viabilize os projetos. “O setor privado tem mais agilidade, pode construir com mais velocidade e inaugurar os empreendimentos em tempo mais curto”, argumentou o presidente da Abdib.
Ainda segundo a nota, com as concessões, as empresas de serviços públicos tendem a se responsabilizar por investimentos no longo prazo, metas de qualidade e nível de operação condizente com as necessidades da sociedade por todo o período do contrato, que pode ser superior a 25 anos.
“Ao término do contrato, toda a infraestrutura construída ou ampliada, com as benfeitorias realizadas, retorna ao poder do Estado, que pode, então, realizar um novo leilão de concessão ou então renovar o contrato com a atual concessionária por mais um período”, acrescenta Godoy. Ele lembra que os preços são regulados e as metas de qualidade são fiscalizadas por agências reguladoras, instituições públicas técnicas independentes.
De acordo com o presidente da Abdib, as recentes concessões têm mostrado que o setor privado “tem enorme interesse” em investir em infraestrutura. “Por isso, temos de fortalecer o modelo de concessões na infraestrutura e intensificar o uso dele no Brasil, expandindo-o para outros setores, nos quais há enorme potencial para investimentos privados e poucas concessões ainda”, completou.
Edição: Beto Coura
Link:

Nenhum comentário: