Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Vendas dos supermercados crescem 9,78% em Novembro!

Vendas dos supermercados crescem em novembro, segundo Abras

19/12/2013 - 13h48 - Fernanda Cruz - Repórter da Agência Brasil

São Paulo – As vendas do setor supermercadista tiveram alta real de 3,26% em novembro, com relação ao mês anterior, de acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Na comparação com novembro de 2012, houve alta de 9,78%. No acumulado do ano até novembro, houve crescimento de 5,65% em relação ao mesmo período do ano passado.
A cesta com 35 produtos mais consumidos nos supermercados apresentou alta, em novembro, de 0,34%, em relação ao mês anterior. Em valores nominais, a cesta passou de R$ 358,60 em outubro, para R$ 359,86 em novembro.
No ano, esse indicador teve crescimento acumulado de 5,28%, valor acima do registrado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que variou 4,95% no mesmo período. No período de 12 meses, até novembro, a variação acumulada foi 6,82%, enquanto o IPCA acumulou 5,77%.
Em novembro, as maiores altas foram: tomate (13,39%), batata (5,98%), pernil (4,83%) e desinfetante (3,85%). Os produtos que tiveram as maiores quedas foram: feijão (-5,90%), leite longa vida (- 4,25%), creme dental (-1,60%) e extrato de tomate (-1,04%).
No acumulado do ano de 2013, as altas mais elevadas foram: farinha de trigo (31,3%), farinha de mandioca (22,8%), massa sêmola espaguete (22,3%) e leite longa vida (21,8%). As maiores quedas foram: cebola (-23,3%), óleo de soja (-18,1%), açúcar (-12,1%) e arroz (-7,4%).
Edição: Davi Oliveira

Link:


Nenhum comentário: