Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Tabela do Imposto de Renda têm reajuste de 4,5%!

Entra em vigor a nova tabela do Imposto de Renda

31/12/2013 - 16h13 - Da Agência Brasil

Brasília – A nova tabela de Imposto de Renda da Pessoa Física entra em vigor amanhã (1º). Será corrigida em 4,5% na última correção automática. A tabela vinha sendo corrigida em 4,5% desde 2007 e a previsão era acabar com o uso do percentual em 2010. Entretanto, no início de 2011, por meio da Medida Provisória 528, o governo resolveu aplicar o mesmo percentual até 2014.
As deduções do imposto serão feitas nos salários pagos em 2014, mas valem para a declaração de Imposto de Renda de 2015. Na declaração que será feita no próximo ano será usada a tabela de 2013.
De acordo com a tabela da Receita Federal, estará isento do imposto quem ganhar até R$ 1.787,77, por mês. A alíquota de 7,5% valerá para quem ganha entre R$ 1.787,78 e R$ 2.679,29. De R$ 2.679,30 a R$ 3.572,43, a alíquota é 15%. A alíquota de 22,5% vai incidir nos salários de R$ 3.572,44 até R$ 4.463,81. E a alíquota de 27,5% é para quem ganha acima de R$ 4.463,81 por mês.
O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal tem alertado sobre a defasagem entre a tabela do Imposto de Renda Pessoa Física e a inflação. A defasagem deve fechar o ano em 60%. Segundo o sindicato, várias pessoas que eram isentas, por causa da renda baixa, passaram a pagar o imposto.
Enquanto a correção da tabela é 4,5%, a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, este ano, deve ficar em 5,73%. Para 2014, a projeção é 5,98%, de acordo com pesquisa do Banco Central. A correção da tabela em 4,5% foi definida porque o governo estabeleceu o percentual como meta para a inflação anual.
Edição Beto Coura
Link:
Meu Comentário!

Só para lembrar:

1) No governo FHC, a tabela do Imposto de renda ficou congelada por 7 anos seguidos (entre 1995-2001);

2) Durante o governo FHC o reajuste da tabela foi feito apenas em 2002, ano de eleição, e mesmo assim foi de meros 17,5%, contra uma inflação acumulada de 100,6% (IPCA);

3) Somente no primeiro mandato de Lula (2003-2006) o reajuste da tabela do IR (de 18%) foi superior ao que foi feito durante os 8 anos de governo FHC;

4) E desde 2006 que a tabela do IR passou a ser reajustada, todos os anos, em 4,5%, como resultado de um acordo fechado entre o governo Lula e as Centrais Sindicais;

5) O governo Dilma renovou este acordo, dando continuidade ao reajuste anual da tabela do IR em 4,5%.


6) Além disso, o governo Lula criou duas novas alíquotas, de 7,5% e de 22,5%, que reduziu o imposto sobre uma parcela de contribuintes. Antes, a alíquota inicial era de 15% e depois foi reduzida para 7,5%, o que permanece até agora. 

Assim, esta foi mais uma conquista que os trabalhadores conseguiram nos governos Lula e Dilma.

Nenhum comentário: