Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Vendas no comércio varejista crescem 7% em Novembro!

Vendas no comércio varejista crescem 0,7% entre outubro e novembro, diz IBGE

16/01/2014 - 9h32 - Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil
Rio de Janeiro – As vendas no comércio varejista cresceram 0,7% na passagem de outubro para novembro de 2013. É a nona alta consecutiva do indicador. O crescimento da receita nominal foi  1,1%, segundo a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) divulgada hoje (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Na comparação de novembro de 2013 com o mesmo período do ano anterior, as altas foram 7% no volume de vendas e 13,8% na receita nominal. No acumulado do ano, houve incremento de 4,3% no volume e 12% na receita, enquanto no acumulado de 12 meses, os crescimentos foram 4,4% e 11,9%.
Na passagem de outubro para novembro, o volume de vendas cresceu em sete dos oito segmentos do comércio varejista. A exceção foi o setor de equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, que teve queda de 2,1%.
As maiores altas foram observadas nos setores de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (1,6%), móveis e eletrodomésticos (1,5%) e tecidos, vestuário e calçados (1,5%). Também tiveram crescimento os segmentos de combustíveis e lubrificantes (1,1%), supermercados, alimentos e bebidas (1,1%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,7%) e livros, jornais, revistas e papelaria (0,6%).
Considerando também os segmentos de veículos e peças e de materiais de construção, o chamado varejo ampliado, o crescimento total do volume de vendas foi 1,3%. Os veículos, motos, partes e peças tiveram alta de 2,5%, enquanto as vendas dos materiais de construção cresceram 0,5%.
Edição: Denise Griesinger
Link:

Nenhum comentário: