Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sábado, 31 de maio de 2014

Brasil recebeu US$ 64 bilhões em investimentos externos produtivos em 2013!

Brasil lidera investimentos externos na América Latina



Relatório divulgado nesta quinta-feira (29), em Santiago, pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) mostra que Brasil atraiu, no ano passado, US$ 64 bilhões dos investimentos estrangeiros diretos (IED) destinados a esta região. Segundo a Cepal, o valor, “levemente” abaixo do captado em 2012, representa 35% do montante recorde de investimentos na região, de US$ 184,9 bilhões.


O destaque do relatório Investimento Estrangeiro Direto na América Latina e no Caribe 2013 é México, que dobrou o volume captado do exterior em relação a 2012. Com isso, o país passou a ser o segundo receptor na região, com US$ 38,3 bilhões no ano passado.

De acordo com o levantamento, 82% dos fluxos de IED foram destinados às seis principais economias da região. Enquanto o Chile (-29%), a Argentina (-25%) e o Peru (-17) deixaram de atrair investimentos externos, o Panamá (61%) e a Bolívia (35%) passaram a despertar maior interesses de investidores estrangeiros. O documento revela que a América Central captou 21% mais IED que em 2012, enquanto o Caribe recebeu menos 19%.

Conforme levantamento da Cepal, uma das cinco comissões regionais das Nações Unidas (ONU), exceto em 2006 e 2009, os investimentos estrangeiros diretos na região vêm crescendo desde 2003 e se mantiveram estáveis em 2011. Com a previsão de desaceleração econômica mundial neste ano, a Cepal calcula que também haverá queda desse tipo de aplicação em 2015.

O relatório mostra ainda que, em 2013, o setor de serviços recebeu 38% do total de investimentos estrangeiros, enquanto o de manufaturas ficou com 36% e o de recursos naturais, com 26%.

Responsável por quase metade do montante de IED, a Europa foi a região que mais investiu nos países da América Latina e do Caribe, enquanto os Estados Unidos foram o país que mais destinou recursos para a região.

Fonte: Agência Brasil


Link:

http://www.vermelho.org.br/noticia/243118-2

Nenhum comentário: