Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

terça-feira, 8 de julho de 2014

A derrota da Seleção Brasileira e as mudanças no futebol do país! - por Marcos Doniseti.

A derrota da Seleção Brasileira e as mudanças no futebol do país! - por Marcos Doniseti. 

Os responsáveis pelo fracasso da Seleção Brasileira na Copa 2014 são esses daí e não os jogadores. 

Todas as vezes em que o Brasil perde uma Copa do Mundo os jornalistas e a Mídia vem com essa conversa de que é preciso mudar tudo no futebol brasileiro. E continua tudo igual... Já tivemos seminários, debates, etc, a respeito do que fazer para melhorar a estrutura e a organização do futebol brasileiro.

Que precisamos de mudanças, isso já é de conhecimento de todos e há muito tempo.

Mas perder da Alemanha por 7 X 1 numa Copa do Mundo, jogando em casa, aí é incompetência da comissão técnica da Seleção Brasileira, mesmo, que convocou mal, escalou mal e organizou mal o time no aspecto tático para esta competição.

O jogo do Brasil, taticamente, estava manjado pelos adversários e já há muito tempo. Neste ano, o Felipão fez apenas um amistoso, contra a África do Sul (uma seleção muito fraca, tanto que nem disputou a Copa), antes de começar a fase final de treinamento para a Copa. Foi muito pouco. Deveria ter jogado mais vezes.

Felipão não convocou nenhum meia de criação de jogadas. E tinha várias opções, como cheguei a comentar aqui no Face: Phelipe Coutinho (Liverpool), Jadson (Corinthians), Ganso (SPFC), Alex (Coritiba). Ele convocou dois atacantes, Fred e Jô, com o mesmo perfil: lentos e que apenas jogam dentro da área. Diego Tardelli (Atlético-MG) é melhor que ambos, sendo muito mais rápido e habilidoso. Mas não foi convocado. E por aí vai...

E para piorar ainda mais, Felipão nunca treinou, de fato, o time para jogar em outro esquema tático, que não fosse aquele já usado em 2013 (4-2-3-1) e que não funcionou em nenhum momento nesta Copa do Mundo. Assim, não havia como modificar o esquema tático do time em plena Copa do Mundo. Isso tem que ser treinado e com muita antecedência. E não foi.

Na verdade, Felipão é um técnico muito limitado no aspecto tático. Ele monta os seus times mais na base da união do grupo e do estímulo emocional (não confundir com preparação psicológica).

Em 2002, isso funcionou porque tínhamos uma geração de craques: Ronaldo, Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho, Roberto Carlos. Mas em 2014, tínhamos apenas um, Neymar, que ficou fora da semifinal. E ele foi caçado durante toda a Copa, tanto que arrebentaram com ele nas quartas-de-final.

E temos que reconhecer um fato: A Alemanha tem uma geração excelente, muito talentosa e experiente. Dos 23 jogadores alemães 11 disputaram a Copa de 2010. E destes, quatro estiveram na Copa de 2006.

Além disso, e ao contrário do Brasil, ela tem um esquema tático que funciona e muito bem.

Nenhum comentário: