Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 6 de julho de 2014

Afinal, o resultado da Copa do Mundo influencia as eleições? - por Marcos Doniseti!

Afinal, o resultado da Copa do Mundo influencia as eleições? - por Marcos Doniseti!



Afinal, qual é a relação existente entre a vitória da Seleção Brasileira na Copa do Mundo e o resultado das eleições presidenciais? Se formos analisar a história recente do país veremos que não existe nenhuma relação entre eles. 

Senão, vejamos:

Desde que o Brasil voltou a ter eleições diretas para Presidente da República, tivemos Copas do Mundo em 1990, 1994, 1998, 2002, 2006 e 2010.

A primeira eleição presidencial direta foi em 1989, quando o Collor venceu e, portanto, não coincidiu com a realização da Copa do Mundo, que foi no ano seguinte.

Daí, em 1994, o Brasil foi TetraCampeão Mundial e o FHC ganhou a eleição. Mas a vitória do candidato tucano não se deu em função da conquista do título mundial, mas devido à adoção do Plano Real. Até antes deste ser lançado, Lula liderava com folga as pesquisas, com cerca de 42% das intenções de voto. 

Daí, em 01/07/1994, foi lançada a nova moeda, o Real, e em menos de um mês, FHC já tinha ultrapassado Lula nas pesquisas.

Logo, foi o Plano Real o fator decisivo para a vitória de FHC naquela eleição e não a conquista do Tetracampeonato mundial pela Seleção Brasileira. 

Tanto isso é verdade que, quatro anos depois, o Brasil perdeu a Copa do Mundo, sendo derrotado pela França na final, e o FHC foi reeleito do mesmo jeito, pois foi visto pela população como o mais qualificado para manter a estabilidade econômica. O povo errou na sua avaliação, como se viu depois, mas FHC ainda tinha um certo crédito pelo lançamento do Real, embora este tenha ocorrido no governo de Itamar Franco, que nunca recebeu o merecido reconhecimento por isso.

Em 2002, o Brasil conquistou o Pentacampeoanto Mundial de Futebol e mesmo assim Lula foi o vitorioso na eleição presidencial, sendo que ele era o candidato da oposição, derrotando o candidato do governo federal, José Serra, apoiado pelo mesmo FHC, o 'criador do Real'. 

Em 2006, o Brasil perdeu a Copa do Mundo, sendo eliminado pela França, mas Lula foi reeleito Presidente da República.

Em 2010, o Brasil novamente perdeu a Copa, mas Dilma, que era uma, até então, desconhecida ex-ministra do governo Lula, foi a vitoriosa na eleição presidencial. 

Portanto, não há nenhuma relação entre o resultado da Copa do Mundo e o das eleições, pois os brasileiros já atingiram um grau de maturidade mais do que suficiente para saber separar os dois fenômenos: Futebol é Futebol. Eleição é Eleição. 

Simples assim. 

Nenhum comentário: