Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Felipão errou em tudo nesta Copa do Mundo e mostrou que é um técnico totalmente ultrapassado! - por Marcos Doniseti!

Felipão errou em tudo nesta Copa do Mundo e mostrou que é um técnico totalmente ultrapassado! - por Marcos Doniseti!




Felipão errou em tudo neste jogo contra a Alemanha. Tudo: esquema tático, escalação.

Ele colocou o Brasil num esquema de jogo suicida, um 4-3-3, que abriu totalmente a seleção, deixando espaços imensos no meio-de-campo do Brasil, e fazendo com que a defesa brasileira ficasse totalmente desguarnecida, sem nenhuma proteção. E o pior é que a Seleção Brasileira não feito um único treinamento com este esquema. Deu no que deu...

E Felipão ainda liberou o Marcelo para atacar livremente pela esquerda.

Daí, o que aconteceu? Os alemães tiraram a bola do Marcelo, puxaram um contra-ataque rápido, Marcelo voltou, conseguiu chutar a bola para escanteio e, neste, saiu o primeiro gol alemão, livre dentro da área brasileira, numa falha grotesca de marcação da defesa brasileira, que deixou o artilheiro Mueller totalmente livre para marcar o gol.

Enquanto isso, a Alemanha começou a partida em um 4-5-1, procurando fortalecer a marcação desde o meio-de-campo e sem dar nenhum espaço para os jogadores brasileiros do meio-de-campo para a frente.

E sempre que o Brasil tentava criar uma jogada, os alemães se antecipavam, marcavam em cima dos brasileiros, com dois jogadores, pelo menos. Assim, a Alemanha anulou o meio-de-campo e o ataque brasileiros.

Por isso é que o Brasil passou a dar chutões para a frente, totalmente inúteis, pois encontravam todos os jogadores brasileiros muito bem marcados pelos alemães.

Assim, os alemães tinham muito mais jogadores no meio-de-campo do que o Brasil e ainda tinha mais 4 na defesa. Ela se defendia, no mínimo, com 9 jogadores. E o Klose ainda atrapalhava a saída de bola da defesa brasileira...

Resultado: A Alemanha dominou o meio-de-campo facilmente e com isso também chegou sem dificuldade alguma no ataque, pegando uma defesa brasileira totalmente desorganizada, pois o time brasileiro estava muito adiantado e os jogadores tinham que correr atrás dos alemães. O lance do escanteio que deu origem ao primeiro gol alemão surgiu assim.

E depois do primeiro gol, a Alemanha se tranquilizou ainda mais, pois percebeu que o Brasil era frágil e não a ameaçava. Daí, foi questão de tempo para ela marcar o segundo gol e, com este, o Brasil desmoronou totalmente, deixando de existir como equipe. Os gols seguintes (3o, 4o. e 5o.) fecharam a tampa do caixão desta Seleção esforçada, mas que jogou um futebol feio e medíocre nesta Copa, sem nenhuma criatividade.

E daí eu vejo algumas pessoas fazer aquele velho discurso: 'O Brasil vendeu a Copa...'. Ué, mas não a tinha comprado? Haja paciência.

Vamos cair na real: Essa Seleção Brasileira desta Copa foi horrível, tanto que a principal jogada do time eram inúteis chutões para a frente. O Brasil nunca jogou assim em sua história. Isso não é nem futebol-arte e nem futebol-força. É o não-futebol.

E isso foi responsabilidade de Felipão, que decidiu repetir nesta Copa o mesmo esquema tático (4-2-3-1) e o mesmo time da Copa das Confederações. Só que nenhum os dois funcionou, nem o esquema e nem o time. Ele poderia ter mudado ambos, mas não fez, porque não havia treinado alternativas táticas e nem de escalação para o time.

E Felipão, com certeza, deve ter percebido isso, mas provavelmente acreditou que fazer tais mudanças em meio à disputa da Copa do Mundo era muito arriscado, pois o time não estaria acostumado a jogar neste novo esquema e nem com a nova escalação, fosse ele qual fosse. Daí, o medo da mudança se uniu à sua habitual teimosia e o resultado foi o desastre que vimos na partida contra a Alemanha.

Mesmo assim, entendo que Felipão deveria ter mudado, sim, o esquema tático e a escalação e ainda na primeira fase da Copa, quando já estava mais do que evidente que nem o esquema e nem time da Copa das Confederações estavam funcionando.

Poderíamos até perder a Copa ao fazer estas mudanças, mas o time jogaria melhor e duvido que seríamos humilhados pela Alemanha da maneira que fomos.

O fato é que somente chegamos à semifinal devido ao Neymar carregar o time lá na frente e ao Thiago Silva, que comandou a defesa do Brasil durante 5 jogos com extrema competência, e também devido à capacidade do J.César e a incompetência chilena nos pênaltis.

O Chile é um velho freguês de caderneta do Brasil, ao qual sempre goleamdos em Copas e nesta, jogada aqui no Brasil, ele quase nos eliminou.

E outra coisa: O time alemão é bom, sim, sendo muito técnico, bastante entrosado e experiente, jogando um futebol objetivo, sem grandes fantasias (dar dribles desconcertantes, lençóis nos adversários, etc, nunca foram características deles).

E a seleção alemã tem um entrosamento excelente.

Dos 23 jogadores da atual Seleção da Alemanha, 11 estiveram na Copa de 2010. E muitos deles jogaram nas Eurocopas de 2008 de 2012. E muitos também jogam juntos desde as categorias de base. Além disso, do time titular da Alemanha, 6 jogam juntos no Bayern de Munique.

Depois dos fiascos da Copa de 1994 e 1998, quando a Alemanha foi eliminada ainda nas quartas-de-final (em 1994 foi eliminada pela Bulgária e em 1999 pela Croácia, dois velhos fregueses da Alemanha) os alemães reorganizaram a sua Seleção, fazendo um trabalho desde as categorias de base.

Eles (a Federação Alemã de Futebol) selecionaram os melhores e mais talentosos jovens alemães da época e colocaram para treinar juntos. E os resultados disso eles colheram nas Copas seguintes. Senão, vejamos: Vice-Campeã em 2002, 3o. lugar na Copa de 2006, 3o. lugar na Copa de 2010 e está na final na Copa de 2014.

Portanto, o 7 X 1 que a Alemanha aplicou na Seleção Brasileira nesta Copa foi resultado tanto dos acertos dos alemães, como dos erros do Brasil.


Muitos dizem que o futebol brasileiro precisa de uma reorganização urgente. Bem, isso é verdade e já ouço essa história há muitos anos.

Mas não foi por isso que perdemos a Copa, não.

Esta foi perdida dentro de campo, mesmo.

Afinal, mesmo com essa estrutura e organização arcaicas do futebol brasileiro nós ganhamos cinco Copas do Mundo.

Mas o futebol mundial mudou e o Brasil ficou para trás, enquanto outras Seleções evoluíram bastante.

Poderíamos perder, sim, da Alemanha, mas nunca por 7 X 1.

Esse placar elástico e humilhante somente aconteceu em função dos inúmeros erros (primários) cometidos por Felipão desde que assumiu o comando da Seleção Brasileira, entre os quais, temos:

1) Convocou mal: Ele não convocou nenhum meia de criação de jogadas, como o ótimo Phelipe Coutinho, que fez excelente temporada no Liverpool. E ainda levou para a Seleção jogadores que fizeram temporadas ruins em seus clubes, casos de Daniel Alves, Henrique, Paulinho, Fred e Hernanes. E ele também não convocou jogadores que fizeram ótimas temporadas em seus clubes, como Miranda e Filipe Luís, ambos do Atlético de Madri, por exemplo, e Diego Tardelli (Atlético-MG); 


2) Realizou poucos jogos antes da fase de preparação. Neste ano tivemos apenas uma partida contra a fraca África do Sul, que nem sequer se classificou para a Copa do Mundo; 

3) Usou um esquema tático (4-2-3-1) e um time estudados e já manjados pelos adversários, que funcionou na Copa das Confederações, mas que foi anulado pelos adversários nesta Copa 2014. E como não tinha um esquema alternativo treinado, o resultado foi esse desastre que vimos no jogo contra a Alemanha;

4) Organizou mal taticamente a Seleção, fazendo com que ela jogasse um futebol feio, de chutões inúteis para a frente. E o Brasil nunca ganhou nada jogando assim em sua história; 


5) Não fez treinos táticos durante a fase de preparação. Logo, não tinha um esquema tático alternativo treinado para ser utilizado caso o 4-2-3-1 da Copa das Confederações não funcionasse na Copa 2014. E ele não funcionou;

6) Manteve no time titular jogadores que estavam jogando mal (Fred, Daniel Alves), mostrando uma teimosia inaceitável. Insistir com Fred durante toda a Copa foi o fim da picada, pois ele é lento, jogava isolado no ataque, não procurava abrir espaços e já vinha de uma temporada ruim no Fluminense; 


7) E durante a Copa 2014 ele foi incapaz de mudar e fazer as substituições corretas e necessárias no time. Exemplo: Durante toda a Copa, os adversários fizeram inúmeras jogadas nas 'costas' dos dois alas brasileiros (Marcelo e Daniel Alves). E Felipão não conseguiu consertar isso. Tanto que o Marcelo foi para a frente, a Alemanha contra-atacou rapidamente explorando o espaço aberto por ele, conseguiu o escanteio e marcou o primeiro gol. É muita incompetência para uma pessoa só;

8) Não preparou o time para jogar em um esquema tático diferente daquele que foi utilizado na Copa das Confederações (4-2-3-1) e que foi mantido para a Copa 2014. Quando esta começou o esquema e o time já estavam manjados pelos adversários e isso dificultou demais o jogo do Brasil;


9) Felipão convocou 4 jogadores do Chelsea para a Seleção Brasileira, que foram David Luiz, Ramires, Oscar e Willian. Mas sabem em quantas partidas eles começaram jogando juntos, ao mesmo tempo? Nenhuma. Enquanto isso, 6 jogadores do Bayern de Munique que são titulares da Alemanha nesta Copa. E é claro que o time alemão se beneficia deste entrosamento dos mesmos;

10) Depois do primeiro e, principalmente, após o segundo gol alemão, o Brasil desmoronou e deixou de existir como time. E isso mostra que os jogadores não foram preparados nos aspectos mental e emocional para enfrentar uma situação adversa, ou seja, de conseguir virar uma partida decisiva. E isso aconteceu em várias oportunidades, com outras seleções, nesta Copa. 

Exemplos:

A) A Costa Rica começou perdendo a partida contra o Uruguai e virou o jogo, ganhando por 3 X 1;

B) A Holanda ganhou três partidas de virada, contra a Espanha, Austrália e México;

C) A Costa do Marfim ganhou de virada do Japão (2 X 1);

D) A Suíça ganhou de virada a partida contra o Equador (2 X 1);

E) A Bélgica também derrotou a Argélia de virada (2 X 1).

Assim, fica claro que a Seleção Brasileira não foi preparada, sob qualquer aspecto, para jogar uma partida decisiva em condições adversas, ou seja, quando estivesse atrás do placar. Quando isso aconteceu na partida contra a Alemanha, o time foi ladeira abaxio. 

O Brasil jogou mal desde o início da Copa 2014. Cansei de escrever aqui que não tínhamos meio-de-campo e nem criatividade alguma, vivendo de chutões para a ataque, o que é ridículo. 

Nesta Copa, jogamos um futebol feio e ridículo, motivo de vergonha para os verdadeiros amantes do futebol. Os únicos momentos em que o Brasil jogou um pouco foi justamente quando colocou a bola no chão e tocou, articulando as jogadas para o ataque. E isso aconteceu apenas no segundo tempo da partida contra Camarões e no primeiro tempo do jogo contra a Colômbia. O resto foi algo feio e ruim de se ver e que nem de longe honra o futebol brasileiro. 

Tanto isso é verdade que faltou pouco para sermos eliminados pelo Chile, um velho freguês de caderneta do Brasil, e já nas oitavas-de-final, o que também seria humilhante para o Brasil, embora não tanto quanto levar um 7 X 1 da Alemanha em pleno Mineirão. O Chile somente não eliminou o Brasil porque veio com o seu principal jogador de meio-de-campo, Vidal, contundido e em condições precárias de jogo. Se não fosse por isso, não teríamos passado das 8as. de final. 

Com tantos erros, muitos deles primários e ridículos, que não são dignos de dois técnicos que ja ganharam Copas do Mundo, Felipão e Parreira mostraram que estão ultrapassados e obsoletos como técnicos de futebol. Eles são como máquinas de escrever, numa era em que elas não existem mais.

Afinal, estamos na era dos iphones, tablets e smartphones. 


Que fique bem claro: Eu não estou criticando apenas a escalação ou o esquema tático da Seleção Brasileira, que não funcionaram nesta Copa 2014. Estou criticando tudo, incluindo o planejamento e a organização feitos para a Copa, que foram ridículos. E é claro que nisso a CBF tem culpa. Mas a culpa da CBF vai até a página 3. 

Repito: Felipão e a Comissão Técnica são os maiores responsáveis por esse vexame. Erraram em tudo. E quem os escolheu para comandar a Seleção nesta Copa também errou, é claro, pois demonstraram que a concepção que eles possuem de Futebol está totalmente obsoleta e equivocada. 

Com um outro técnico, que conheça bastante de esquema tático, poderíamos perder da Alemanha, sim, mas nunca por 7 X 1. Nenhum time que jogou contra a Alemanha nesta Copa adotou o mesmo esquema que o Felipão usou contra os germânicos. 

Nenhum outra Seleção desta Copa foi maluca o suficiente para jogar num 4-3-3 contra a Alemanha. Somente a Seleção Brasileira fez isso. 

E estas outras seleções (cito Gana e Argélia, em especial, duas seleções bem mais fracas e sem 1% da tradição do futebol brasileiro) dificultaram muito mais para a Alemanha do que o Brasil. E aí não é culpa do Marín, não. É do Felipão e da Comissão Técnica que ele montou, mesmo. 

Foram eles que comandaram a Seleção Brasileira e que tomaram as decisões que resultaram vexame inacreditável e histórico da Seleção Brasileira. 

Obs: Chega de técnicos brasileiros comandando a Seleção Brasileira, que estão totalmente desatualizados taticamente e que usam métodos de treinamento da época dos neandertais. 

Precisamos de um treinador estrangeiro, com mentalidade e forma moderna, atual, de trabalhar. Neste aspecto, o meu preferido para comandar a Seleção Brasileira é Pepe Guardiola, do Bayern de Munique. Caso isso não seja possível, uma outra boa opção seria Jorge Sampaoli, técnico da seleção do Chile nesta Copa.


Mas a mudança precisa vir e o quanto antes. 

Obs: Resumindo o esquema de jogo de Felipão com esta Seleção Brasileira:

1) Não ter um esquema tático que funcionasse;

2) Não ter meio-de-campo;

3) Não ter um criador de jogadas no elenco;

4) Não tocar a bola;

5) Não conseguir articular jogadas de ataque;

6) Não driblar;

7) Dar chutões inúteis para a frente. 

Felipão inventou um novo esporte: o Não-Futebol. 

Obs2: Se ficarmos insistindo nessa baboseira, que já vi ser defendida por várias pessoas nas redes sociais, de que 'o Brasil vendeu a Copa' iremos dar outro vexame na próxima Copa do Mundo. O que precisamos fazer é analisar friamente quais os erros que foram cometidos e corrigí-los. Senão, daqui a 4 anos a história se repetirá. Quem viver, verá.

Link:

http://blogdobirner.virgula.uol.com.br/2014/07/08/felipao-foi-o-principal-responsavel-pela-maior-humilhacao-da-historia-da-selecao-brasileira-parabenizo-os-alemaes-pela-facanha/

Nenhum comentário: