Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 6 de julho de 2014

Os semifinalistas da Copa 2014: Suas virtudes e defeitos! - por Marcos Doniseti!

Os semifinalistas da Copa 2014: Suas virtudes e defeitos! - por Marcos Doniseti!

As semifinais desta Copa reúne Seleções fortes, tradicionais e habituadas a disputar e conquistar títulos, reunindo alguns dos maiores craques do futebol mundial. 

1) Brasil - Foi muito irregular nos primeiros quatros jogos, alternando bons e maus momentos. Um esquema tático falido e manjado (o 4-2-3-1, igual ao da Copa das Confederações), com o mesmo time de 2013, e o baixo rendimento de alguns jogadores importantes (Paulinho, Fred, Daniel Alves) fizeram o Brasil sofrer contra a Croácia e o México, e mais ainda nas oitavas-de-final contra o Chile, um velho freguês de caderneta do Brasil em Copas do Mundo e do qual somente conseguimos a vitória nos pênaltis.

A Seleção Brasileira melhorou muito no jogo contra a Colômbia, fazendo um ótimo primeiro tempo. Se o Brasil quiser, realmente, ganhar esta Copa, então teremos que colocar a bola no 'chão' e tocar, criando e articulando jogadas de ataque. E também teremos que marcar forte, não dando espaço para os adversários. 

Foi exatamente isso que fizemos no primeiro tempo contra a Colômbia, quando tivemos o melhor momento da Seleção Brasileira na Copa. 

Mas no segundo tempo, o Brasil voltou a oscilar, sendo dominada pelos colombianos em certos momentos. Se o Brasil repetir, durante todo o jogo contra a Alemanha o mesmo desempenho que teve no 1o. tempo da partida contra a Colômbia, temos uns 90% de chances de obter a classificação.


A dupla de zagueiros mais cara e talentosa do futebol mundial comanda o Brasil nesta Copa. Mas um deles, Thiago, não jogará contra a Alemanha. E ainda não teremos Neymar em campo...


Porém, há um fator que pesa contra o Brasil: A Seleção Brasileira tem poucos jogadores que estiveram na Copa de 2010 ou na de 2006, pois a seleção passou por uma grande renovação depois da Copa disputada na África do Sul. A imensa maioria dos jogadores disputa a sua primeira Copa do Mundo, mesmo não sendo tão jovens (casos de Paulinho e Thiago Silva, por exemplo). E isso pode pesar na semifinal ou na final, caso derrote a Alemanha. 

E contra a Alemanha, um time muito forte e que mantém uma regularidade impressionante, não é permitido cometer erros graves, pois eles sabem tirar proveito disso. Os franceses que o digam.

E o Brasil ainda terá que conseguir compensar as ausência de Neymar (fora da Copa) e Thiago Silva (suspenso). 

Mas se a Seleção Brasileira souber usar a lamentável saída de Neymar da Copa em seu favor, jogando para conquistar o título e oferecendo-o ao principal jogador do time, fortalecer o seu jogo coletivo e contar ainda com o apoio total da torcida, então o Brasil pode ser considerado como sendo levemente favorito contra a Alemanha e também terá grandes chances de ganhar o Hexa. 

2) Alemanha - Os alemães sempre tiveram, e isso não mudou nada, um profundo respeito pela Seleção Brasileira. Para eles, o Brasil é o país do verdadeiro futebol, do futebol-arte e dos grandes craques. 

Por isso não acredito que a Alemanha irá tomar a iniciativa contra o Brasil, não, pelo menos no início da partida. 

A Alemanha é um time muito forte, com ótimos jogadores (Neuer, Schweinsteiger, Podolski, Mueller, Lahm) e que mantém uma regularidade impressionante, contra o qual não é permitido cometer erros graves, pois eles sabem tirar proveito deste fato. E depois é muito difícil reverter a situação. 


Ozil, Kroos,  Schweinsteiger e Thomas Mueller: Uma talentosa geração alemã que ainda não conquistou nenhum título internacional, mas que está disposta a fazer de tudo para que isso termine. A conquista da Copa consagraria esta geração, que entraria para a história do futebol mundial. E olha que ainda tem  Neuer, Lahm, Podolski e o artilheiro Klose...

Eles fizeram 1 X 0 contra a França e esta, depois, quase não conseguiu mais criar chances reais de gol até o final da partida, devido à forte e bem feita marcação alemã, que é um time muito bem disciplinado e organizado taticamente, o que é uma tradição do futebol alemão.

E a Alemanha tem outra vantagem: dos 23 jogadores da sua seleção, 11 disputaram a Copa de 2010. E destes, quatro estiveram na Copa de 2006 (Klose, Schweinsteiger, Podolski e Lahm). 

Assim, a Alemanha é um time bastante experiente, habituado a disputar torneios importantes, e esta é uma vantagem dos alemães sobre o Brasil;


As contusões de Di Maria e Aguero reduziram o Quarteto fantástico da Argentina a um Dueto Fantástico. E sem Di María, seu principal jogador nesta Copa, quem irá se sacrificar para que Messi possa decidir as partidas em um único lance? Sabella terá que encontrar a solução para a semifinal contra a Holanda. Conseguirá?

3) Argentina - A forte equipe argentina começou a Copa do Mundo com o chamado 'Quarteto Fantástico': Messi, Di María, Aguero e Higuaín. Porém, agora a mesma está reduzida ao 'Dueto Fantástico', pois Di María se contundiu e está fora da Copa, enquanto Aguero também está em situação precária. 

Aliás, este se contundiu na temporada 2013-2014 no Manchester City, ficando grande parte da mesma inativo. Isso mostra que Aguero veio 'baqueado' para esta Copa e mesmo que consiga voltar para disputar a semifinal, dificilmente ele conseguirá render, tal como aconteceu nos primeiros jogos da Copa, onde produziu muito pouco. 

Além disso, o melhor jogador da seleção dos Hermanos nesta Copa tem sido, de fato, Di María. Messi tem sido o mais decisivo, sem dúvida alguma, mas o melhor era, até agora, o Di María. Este é que criava as melhores jogadas, abria espaços na defesa adversária com seus dribles e finalizações, cruzava para a área.

Claramente, Di María era o jogador que mais estava se sacrificando para que Messi pudesse jogar o seu melhor futebol e fizesse seus lances geniais e decisivos. Eles eram, sem dúvida alguma, a melhor dupla ofensiva da Copa até agora. 

E agora a Argentina não conta mais com ele e nem com Aguero. Daí, fica a dúvida: Quem será o jogador que irá se sacrificar para que Messi posse decidir as partidas pela Argentina. Higuaín é um atacante propriamente dito e não tem as características e nem a assombrosa técnica de um Di María. O único que sobrou, entre os jogadores do meio-de-campo e do ataque argentinos, é Lavezzi.

Assim, a cada fase da Copa que passa, a Argentina fica cada vez mais dependente dos lances individuais e geniais de Messi. 

Conseguirá Lavezzi compensar as ausências de Di María e Aguero? Tenho sérias dúvidas. Se eu fosse o técnico (excelente, aliás) da Holanda, o experiente e raposa velha Van Gaal, eu mandaria os jogadores de marcação da Holanda marcar de perto ao Messi e Lavezzi. Se estes forem anulados durante todo o tempo, a Argentina irá depender de alguma jogada fortuita (exemplo: um cruzamento na área que alguém aproveite) para vencer a partida.

Com Di María no time titular eu não hesitaria em apontar a Argentina como sendo a grande favorita para chegar à final. Sem o mesmo, tudo ficou mais complicado e, agora, as chances das duas seleções me parecem ser equivalentes. 


Van Persie, Robben e Snejder são os três grandes nomes da Holanda. E eles sabem que esta é a última chance de conquistar uma Copa do Mundo em suas carreiras. E para isso eles estão dispostos a tudo, até a praticar um futebol pragmático e que vise apenas o resultado, ou seja, a vitória. O resto não interessa. 


4) Holanda - Muitos ainda se referem à seleção holandesa como sendo a 'Laranja Mecânica'. Mas esta somente existiu, mesmo, na Copa do Mundo de 1974. Nem os holandeses repetiram mais aquele esquema tático revolcionário, no qual ninguém guardava posição, até porque nunca mais a Holanda teve tantos craques num único time (Cruyff, Resp, Resenbrink, Neeskens, Krol, etc). 

E desde a Copa de 2010 que a Holanda joga um futebol pragmático, voltado para resultados.Traduzindo: 'Ganhou, tá ótimo, não importando se jogou feio ou bonito'. 

E Van Gaal sempre foi um técnico nessa linha do futebol pragmático, visando resultados (títulos...) e não dando a mínima para essa história de 'dar espetáculo' ou jogar bonito. O que ele quer é ser campeão. E os principais jogadores holandeses desta geração  (Snejder, Van Persie, Robben) e que sabem que esta é última Copa que disputam, pensam como ele. 

Logo, os holandeses estão cansados dessa história de jogar um futebol bonito, ofensivo, dar show e, quando chegam à final, acabar derrotados. 'Chega de ser vice, pensam os holandeses. Agora, nós queremos ser os campeões'.

Por isso que Van Gaal tem o grupo na mão, como se diz na linguagem futebolística. E isso não irá mudar, agora, que os holandeses estão na semifinal, na qual irão jogar contra um forte e tradicional rival, que é a Argentina. 

Um caso que evidencia isso é o fato de Van Gaal ter substituído o goleiro Cillessen por Krul um pouco antes de terminar a prorrogação, para que o mesmo pudesse participar da cobrança de pênaltis. E segundo foi divulgado, Van Gaal já havia previsto essa possibilidade, de que o jogo terminasse apenas nos pênaltis, e havia avisado Krul de que se isso acontecesse, ele substituiria Cillessen no final da prorrogação. Assim, Krul foi orientado a estudar as cobranças dos costariquenhos, que já havia eliminado a Grécia neste sistema. E deu certo. 

E se alguém pensa que Cillessen ficou chateado pelo fato de que não foi avisado sobre esta mudança, então você se engana. Quando as cobranças terminaram, Cillessen foi o jogador que correu mais rapidamente na direção de Krul, que defendeu dois pênaltis, garantindo a classificação da Holanda para a semifinal. 

Este fato evidencia que a Holanda não veio para o Brasil a fim de dar espetáculo, mas para ganhar a Copa do Mundo, que é um título que os holandeses não tem. A Holanda cansou de ser vice e agora quer ser a Campeã Mundial. Se cuida, Argentina.

Obs: Se alguém me perguntar quem eu penso que irá vencer as semifinais, eu diria, hoje, que serão Brasil e Holanda. 

Mas quando essas quatro grandes forças do futebol mundial se enfrentam, simplesmente não existem favoritos. 

Então, se a final for Alemanha X Argentina, Alemanha X Holanda ou Brasil X Argentina, ninguém poderá dizer que tivemos uma surpresa. 

Link:

Di María pode ficar fora da Copa!

http://www.brasil247.com/pt/247/247_na_copa/145825/Perda-de-Di-Mar%C3%ADa-seria-golpe-duro-para-Argentina.htm

Nenhum comentário: