Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Tostão e o inexistente meio-de-campo da Seleção Brasileira! - por Marcos Doniseti!

Tostão e o inexistente meio-de-campo da Seleção Brasileira! - por Marcos Doniseti!



Em apenas um parágrafo (o primeiro), o craque Tostão explica quais são os grandes problemas da Seleção Brasileira:

1) O Brasil tem meio-de-campo, mas ele exerce apenas uma função, que é a de marcar os adversários. Não há toque de bola e nem criação de jogadas;

2) O Brasil não tem meio-de-campo porque a Seleção não tem nenhum meia de criação de jogadas entre os 23 convocados por Felipão;

3) Além de não ter um meia, Oscar e Hulk jogam pelas laterais do campo, marcando os adversários e ficam por ali durante todo o jogo. Logo, não criam nenhuma jogada;

4) Luiz Gustavo joga como volante de marcação, ficando próximo aos zagueiros e também não participa da criação de jogadas;

5) Sobra o Fernandinho, que fica totalmente sozinho no meio-de-campo, sem ter com quem tocar a bola e articular as jogadas do Brasil;

6) Neymar joga mais próximo a Fred e fica lá na frente, recebendo os lançamentos de David Luiz, direto da defesa para o ataque, pois como não há meio-de-campo para criar as jogadas, o ataque brasileiro depende da ligação direta. 

Assim, na prática, o meio-de-campo do Brasil resume-se a apenas um jogador (foi o caso de Paulinho nos dois primeiros jogos e no 1o. tempo da partida contra Camarões) e de Fernandinho na partida contra o Chile. E meio-de-campo com apenas um jogador simplesmente não existe.

Tostão defende que o Brasil jogue com três no meio-de-campo e mais três no ataque (4-3-3). 

Eu prefiro um time que use o 4-4-2, com: J.César, Maicon, D.Luiz, Thiago S, Marcelo; L.Gustavo, Fernandinho, Oscar e Neymar; Hulk e Willian.

Assim, teríamos 4 jogadores no meio-de-campo, que conseguiriam articular as jogadas para o ataque brasileiro, que seria formado por dois atacantes que se movimentam bastante. 

Nós temos jogadores com qualidade suficiente para que o Brasil conquiste o Hexa. Mas falta um esquema tático que permita ao Brasil ter um padrão de jogo bem definido e que leve a Seleção Brasileira a jogar um futebol que lhe permita conquistar essa que já é a melhor Copa do Mundo da história, como até o secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, já admitiu.

Muda, Felipão!

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/esporte/173843-chorar-e-bom.shtml

Nenhum comentário: