Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

As realizações dos governos Lula e Dilma! - Marcos Doniseti!

As realizações dos governos Lula e Dilma! - Marcos Doniseti!


Lula e Dilma: Os Presidentes que mudaram o país. 

1) Em 2002, o Brasil era a 15a. maior economia do Mundo. Hoje é a 6a. maior; 

2) O PIB brasileiro, em 2002, era de apenas US$ 459 bilhões. E hoje é de US$ 2,2 trilhões, o 6o. maior do mundo (segundo o Banco Mundial); 

3) A renda per capita do Brasil era de US$ 2.500 (2002) e em 2013 foi de US$ 11.000, acumulando um crescimento de 340%; 

4) A taxa de desemprego (média anual) foi de 12,6% (2002) e em 2013 foi de apenas 5,4%, diminuindo 57%; 

5) As exportações brasileiras cresceram de US$ 60 bilhões (2002) para US$ 242 bilhões (2013), acumulando um crescimento de 303%; 

6) As reservas internacionais líquidas cresceram de US$ 17 bilhões (2002) para US$ 379 bilhões (2014), crescendo 2129%; 

7) A taxa de juros (Selic) foi reduzida de 25% ao ano (2002) para os atuais 11% ao ano; (queda de 56%);

8) O orçamento da Educação cresceu de R$ 17 bilhões/ano (2002) para R$ 82 bilhões/ano (2014), aumentando 382,4%; 

9) O patrimônio líquido da Petrobras cresceu de R$ 65 bilhões (2002) para R$ 345 bilhões (2013), crescendo 430,7%; 

10) A produção de grãos cresceu de 97 milhões de toneladas (2002) para 193,5 milhões de toneladas (2014), aumentando 99,5%;

11) A taxa de inflação (média anual) do período 2003-2013 foi de apenas 6%, a menor da história do Brasil; 

12) Os investimentos externos produtivos, apenas no período 2011-2014 (até Julho), chegaram a US$ 230 bilhões, batendo um recorde histórico; 

13) O ProUni já beneficiou mais de 1.560.000 estudantes de menor renda desde a sua implantação, em 2005; 

14) O Minha Casa Minha Vida já entregou 1.700.000 moradias e outras 1.700.000 já foram contratadas (400.000 serão entregues até o fim de 2014); 

15) O Pronatec já ultrapassou 8 milhões de matrículas; 

16) O Luz Para Todos beneficiou mais de 15 milhões de pessoas; 

17) O Salário Mínimo foi reajustado em 262%, contra uma inflação acumulada de 90%, passando de R$ 200 (2002) para R$ 724 (2014). Para 2015 já está garantido um novo reajuste, com o mesmo passando a valer R$ 780 (reajuste acumulado de 290% entre 2003-2015);

18) O valor do salário mínimo, em dólares, passou de US$ 56 (2002) para US$ 300 (2014), crescendo 435,7%; 

19) Três novas usinas hidrelétricas (Jirau, Belo Monte, Santo Antônio) irão gerar 18.560 MW de energia, 33% mais do que a usina de Itaipu (que é a 3a. maior do mundo); 

20) Novas rodovias, ferrovias, refinarias e indústrias de fertilizantes estão sendo construídas por todo o país, como são os casos das Ferrovias Norte-Sul, Transnordestina e Leste-Oeste;

21) O índice de Gini (que mede a distribuição da renda do trabalho e quanto mais próximo estiver de zero, menor é a concentração de renda) caiu de 0,59 (2002) para 0,53 (2011); 

22) O percentual da população que faz parte das classes ABC passou de 48% (2002) para 67% (2011). Em 2001 ela era formada por 79 milhões de pessoas e agora ela já é constituída por 130 milhões de pessoas;

23) 40 milhões de brasileiros deixaram a miséria e subiram para a classe C; 

24) Outros 10 milhões de brasileiros subiram para as classes AB; 

25) As vendas de veículos no mercado interno cresceram de 1,7 milhão de unidades (2002) para 3,5 milhões (2013); 

26) Em Reais, o valor do PIB brasileiro passou de R$ 2,3 trilhões (2002) para R$ 4,8 trilhões (2013), crescendo 108,7%; 

27) O lucro médio anual da Petrobras passou de R$ 4,5 bilhões (1995-2002) para R$ 25 bilhões (2003-2013), expandindo 455,6%; 

28) O patrimônio líquido da Petrobras cresceu 437% entre 2002-2013, de R$ 65 bilhões (2002) para R$ 349 bilhões (2013); 

29) O faturamento da Petrobras cresceu de R$ 95 bilhões (2002) para R$ 281 bilhões (2013), aumentando 195,8%; 

30) Os desembolsos (empréstimos) do BNDES (que financia investimentos produtivos de longo prazo e com juros baixos, como rodovias, usinas hidrelétricas, etc) passaram de R$ 38 bilhões (2002) para R$ 190 bilhões (2013), crescendo 400%;

31) A participação do Brasil no comércio mundial cresceu de 0,65% do total (2003) para 1,26% do total (2012), crescendo 93,8%; 

32) O lucro do Banco do Brasil passou de R$ 2 bilhões (2002) para R$ 15,8 bilhões (2013), aumentando 690%; 

33) O salário mínimo comprava 1,2 cesta básica em 2002. Agora ele compra 2,4 cestas básicas (crescimento de 100%); 

34) A tabela do Imposto de Renda passou a ser reajustada anualmente, em 4,5%, algo inédito na história brasileira, aliviando a tributação sobre os assalariados. O reajuste acumulado entre 2003-2014 é de 67,7%;

35) O Mais Médicos levou mais de 13 mil novos médicos a todos os locais do país onde eles não existiam ou eram em número reduzido, beneficiando mais de 50 milhões de brasileiros; 

36) O Brasil deixou de ser devedor do FMI e se tornou credor do mesmo; 

37) A taxa de inflação está dentro da meta desde 2005. Já são 10 anos consecutivos em que isso acontece, algo inédito na história do país; 

38) A pobreza crônica foi reduzida em 76% entre 2004 e 2012 (informação do Banco Mundial); 

39) O desmatamento da Floresta Amazônica foi reduzido em 79% nos governos Lula e Dilma;

40) O Brasil deixou de fazer parte do 'Mapa da Fome' da ONU;

41) A cotação do dólar era de R$ 3,54 no final de 2002 e, agora, oscila em torno de R$ 2,45;

42) As matrículas nas universidades federais passaram de 583.000 em 2003 para 1.100.000 em 2013;

43) A oferta de crédito cresceu de 23% do PIB (2002) para 55% do PIB (2014), tornando-o mais acessível e mais barato para toda a população; 

44) A participação dos bancos públicos (BNDES, Banco do Brasil, CEF) nas oferta de crédito no país aumentou de 43% para 49%, tirando espaço dos bancos privados, pois passaram a cobrar juros bem menores, beneficiando a população; 

45) Construção de 18 novas universidades federais, aumentando a oferta de vagas nas mesmas em mais de 100%; 

46) Construção de 422 novas escolas técnicas federais, que já oferecem 600 mil vagas anualmente; 

47) Construção de 173 novos campi universitários, interiorizando o acesso ao ensino superior público, levando-o para regiões e cidades onde o mesmo não existia; 

48) Instalação de 23000 kms de linhas de transmissão de energia, interligando todo  o sistema de energia do país, permitindo que a energia que sobra numa região seja transferida para outra onde esteja em falta, evitando novos racionamentos; 

49) A produção de veículos subiu de 1,5 milhão de unidades (2002) para 3,5 milhões (2013); 

50) Fortalecimento da Polícia Federal, que passou a ter muito mais autonomia e recursos para fazer o seu trabalho, o que gerou o desmantelamento de inúmeros esquemas de corrupção que funcionavam desde governos anteriores. Entre 2003-2013 ela realizou 1777 operações;

51) Fortalecimento do processo de integração da América Latina, com a criação da Unasul, transformando o Brasil no principal líder da região e ampliando o prestígio do país em todo o mundo; 

52) Conquista do comando, pelo Brasil, de organizações internacionais importantes e respeitadas, como são o caso da OMC e da FAO, demonstrando o inequívoco prestígio e respeito que o país desfruta pelo mundo afora; 

53) A produção do pré-sal cresceu 62% em Julho deste ano, quando comparado com Julho de 2013; 

54) A produção média do pré-sal já ultrapassou os 520 mil barris diários;

55 ) Déficit Público Nominal foi reduzido de 6,3% do PIB (1995-2002) para 2,6% do PIB (2003-2013);

56) A Dívida Pública Líquida foi reduzida de 60,4% do PIB (2002) para 33,9% do PIB (2014);

57) Entre 2003-2013, o Brasil acumulou um Superávit Comercial de US$ 311 bilhões;

58) A taxa de inflação (média anual) caiu de 9,5% (1995-2002) para 6% (2003-2013);

59) O número total de empregos com carteira assinada passou de 28.700.000 em (2002) para 49.200.000 (2014), acumulando um crescimento de 71,4%;

60) O orçamento do Pronaf (programa de apoio à Agricultura Familiar) passou de R$ 2 bilhões (2002) para R$ 24 bilhões (2014);

61) Os investimentos do Governo Federal passaram de R$ 6 bilhões (2003) para R$ 68 bilhões (2014), crescendo 1033%;

62) O nível de escolarização dos brasileiros com ensino superior passou de 10% para 23,4%;

63) A população que faz parte das classes de menor renda, as D-E, diminuiu de 91 milhões para 63,5 milhões;

64) A indústria de construção naval tinha 7 mil funcionários em 2002. Atualmente ela já conta com 81 mil funcionários. Com isso, ela já é a 4a. maior do mundo;

65) Em 2002, um Salário Mínimo comprava 11 sacos de cimentos. Hoje ele compra 31. Isso se chama aumento do poder de compra;

66) Em 3 anos e 8 meses, o governo Dilma já criou 5,1 milhões de empregos com carteira assinada, mais do que FHC  conseguiu criar em 8 anos;

67) O número de brasileiros com acesso à Internet banda larga já chegou a 133 milhões;

68) O total de residências com acesso à TV paga chegou a 18 milhões, atingindo 57,7 milhões de pessoas.

69) Apenas em 2014-2015, 10 novas fábricas de automóveis serão inauguradas no Brasil e os investimentos no setor chegarão a R$ 14 bilhões até 2016; 

70) O consumo das famílias cresce há 43 trimestres consecutivos;

71)  O Brasil tem a 5a. menor taxa de desemprego entre as 20 maiores economias do mundo;

72) Entre 2008-2013 o Brasil foi o terceiro país que mais cresceu no mundo (entre as maiores economias), ficando atrás apenas da China e da Índia, acumulando um aumento de 20% do seu PIB. Enquanto isso, a economia do Reino Unido diminuiu 1,37%, o da Itália diminuiu 8,73% e o da Grécia despencou 23,65%.


Nenhum comentário: