Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

O plano de governo do Syriza é social-democrata e de centro-esquerda! - por Marcos Doniseti!

O plano de governo do Syriza é social-democrata e de centro-esquerda! - por Marcos Doniseti!

Alexis Tsipras e os gregos comemorando a vitória na eleição para o Parlamento do país, na qual o Syriza obteve 36% dos votos e elegeu 149 dos 300 deputados, chegando muito próximo da maioria absoluta. Esta foi alcançada após o Syriza fechar um acordo com o partido nacionalista Gregos Independentes, que elegeu 13 deputados. 

A Grande Mídia tupiniquim e internacional está se referindo, o tempo inteiro, ao Syriza como sendo um partido político de 'extrema-esquerda'. Oras, os discursos de Alexis Tsipras e o plano de governo defendido em campanha mostram que isso não tem nenhum fundamento.
Tsipras fala o tempo inteiro em rever as condições de pagamento da dívida grega, em acabar com as políticas de austeridade implementadas por imposição da Troika (BCE, FMI, UE) nos últimos 5 anos e que tiveram consequências catastróficas para o povo grego, em restaurar direitos sociais e trabalhistas, em elevar os salários dos trabalhadores. Tudo isso faz parte do programa de governo do Syriza.
Porém, o Syriza deixa bem claro que não deseja que a Grécia abandone a União Europeia e tampouco a Zona do Euro e quer promover estas mudanças de forma negociada com a Comissão Europeia.
Aliás, o Syriza já defendeu, anteriormente, propostas mais radicais, mas tratou de amenizá-las nos últimos anos, a fim de facilitar a sua vitória e mostrar para a União Europeia que eles estão dispostos a negociar. Mas tem um item, fundamental, do qual o Syriza não abre mão, que é colocar um fim às políticas de austeridade impostas pela Troika ao povo grego a partir de 2009. 

Abaixo, publico alguns itens do plano de governo do Syriza:

1) Combater a sonegação;
2) Aumentar o salário mínimo;

3) Restaurar direitos trabalhistas;
4) Taxas grandes propriedades;
5) Subsídiar a alimentação para famílias sem renda;
6) Aumentar o investimento público;
7) Subsidiar as pequenas e médias empresas, para que criem novos empregos;
8) Reestruturar a dívida pública, para que a economia grega possa voltar a crescer;
9) Aumentar os salários e as pensões, para estimular o consumo.
10) Programa de garantia de habitação para a população de baixa renda, com o govenro subsidiando o mesmo (é o Minha Casa Minha Vida grego).

Alexis Tsipras e Lula em reunião no Instituto Lula em Dezembro de 2012. Várias das propostas que constam do plano de governo do Syriza já foram colocadas em prática, no Brasil, pelos governos Lula e Dilma. Exemplo: o aumento do investimento público como forma de se promover o crescimento econômico.

Como se percebe pela leitura do plano de governo do Syriza, não há nada de revolucionário ou extremista no mesmo.
O plano do Syriza é um típico plano de governo reformista, nitidamente de centro esquerda e social-democrata de caráter keynesiano. 
Vários dos itens que constam do mesmo remetem a medidas tomadas pelos governos Lula e Dilma, como a elevação do poder de compra do salário mínimo e o aumento do investimento público como fator de promoção do crescimento econômico. Há até a defesa da criação de uma espécie de 'Minha Casa Minha Vida' grego, com o governo subsidiando a oferta de moradias para a população de menor renda. 
Portanto, não há de nada de misterioso no plano de governo do Syriza. 
Somente um notório maluco ou desinformado pode considerar que tal projeto é de 'extrema-esquerda'. 
O fato concreto é que o Syriza quer apenas restaurar o Welfare State (Estado de Bem Estar Social) que existia no país antes das catastróficas políticas de austeridade terem sido implantadas por determinação da Troika (BCE, UE, FMI).

Resumindo: A Grécia 'petralhou'... rs... 

Links:

Plano de governo do Syriza:

Paul Krugman: Plano de governo do Syriza é mais realista do que o da Troika e não é suficientemente radical:

http://www.esquerda.net/artigo/plano-economico-do-syriza-e-mais-realista-que-o-da-troika-diz-krugman/35580

Alexis Tsipras escreve uma carta aberta ao povo alemão e na qual defende a adoção de um New Deal europeu:

http://www.esquerda.net/artigo/carta-aberta-de-alexis-tsipras-aos-cidadaos-alemaes/35622

Nenhum comentário: