Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 7 de junho de 2015

Espanha: Pesquisa eleitoral mostra Centro-Esquerda/Esquerda com 48,6% das intenções de voto, contra 37,9% da Direita neoliberal! - Marcos Doniseti!

Espanha: Pesquisa eleitoral mostra Centro-Esquerda/Esquerda com 48,6% das intenções de voto, contra 37,9% da Direita neoliberal! - Marcos Doniseti!

Pesquisa feita para a eleição de Novembro, que escolherá o novo governo do país, mostra provável derrota do governo neoliberal. Partidos direitistas e neoliberais (PP e Ciudadanos somam 37,5% das intenções de voto! 
Mariano Rajoy (PP), Albert Rivera (C's), Pedro Sánchez (PSOE) y Pablo Iglesias (Podemos).
Pesquisa eleitoral feita na Espanha pelo instituto Metroscopia mostra a Esquerda e a Centro-Esquerda, somadas, chegando próximas dos 50% dos votos.

A Espanha terá eleição, em Novembro próximo, para escolher o seu novo governo.

Se as eleições fossem hoje, os resultados seriam os seguintes:

PP 24,5%;
PSOE 23,0%;
Podemos 21,5%;
Ciudadanos 13,0%;
Izquierda Unida​ 4,1%;
UPyD 0,4%.

Somando as intenções dos partidos de oposição ao atual governo do PP (direita neoliberal), que são o PSOE, Podemos​ e Izquierda Unida, temos uma soma de 48,6% das intenções de votos, contra 37,9% dos três partidos de Direita Neoliberal (PP, Ciudadanos e UPyD). É uma diferença de 10,7 p.p. a favor dos partidos de Esquerda e Centro-Esquerda. 

Assim, há uma grande possibilidade de que uma possível aliança entre PSOE/Podemos/Izquierda Unida possa vir a governar a Espanha a partir do final deste ano, o que representará uma clara derrota do projeto Neoliberal que em quase toda a União Europeia, impõe políticas de arrocho salarial e de eliminação de direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, o que resulta em aumento brutal da concentração de renda, das desigualdades sociais, da pobreza e da miséria. 

O Podemos (Centro-Esquerda) já tem, praticamente, garantida uma aliança com a Izquierda Unida, cujo principal líder (Alberto Garzón) defende a criação de uma grande Unidade Popular que unifique as forças de esquerda e centro-esquerda espanholas.

Simultameamente, Podemos (liderado por Pablo Iglesias) e PSOE (liderado por Pedro Sánchez) já estão dialogando, procurando promover uma aproximação política para formar os governos municipais e regionais no país, junto com outras forças progressistas, bem como visando derrotar os partidos da Direita Neoliberal em Novembro próximo.

Portanto, caso as forças políticas de oposição ao atual governo espanhol venham a promover essa aproximação política, aumenta consideravelmente as chances de que a Espanha venha a ter um governo de Centro-Esquerda, anti-arrocho e anti-neoliberal, a partir do final de 2015.

Que assim seja. 

Obs: A Espanha possui 30% das suas crianças vivendo abaixo da linha da pobreza, índice que, na União Europeia, é inferior apenas ao da Romênia (34,6%):

http://www.diarioliberdade.org/mundo/laboral-economia/47698-no-estado-espanhol,-3-em-cada-10-crian%C3%A7as-vivem-abaixo-da-linha-da-pobreza.html


Links:

Guinada progressista do PSOE e diálogo das Esquerdas visando unificação:

http://guerrilheirodoentardecer.blogspot.com.br/2015/06/espanha-psoe-promove-guinada.html

Pesquisa eleitoral mostra Esquerda e Centro-Esquerda liderando na Espanha:

http://www.publico.es/politica/izquierda-obtendria-50-votos-generales.html

Pesquisa eleitoral mostra Esquerda e Centro-Esquerda liderando na Espanha:

http://politica.elpais.com/politica/2015/06/05/actualidad/1433521754_182709.html

Nenhum comentário: