Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Mundo enfrenta uma nova etapa da Crise Global iniciada em 2007-2008! - Marcos Doniseti!

Mundo enfrenta uma nova etapa da Crise Global iniciada em 2007-2008! - Marcos Doniseti!
Antigamente eram as quedas das Bolsas de Valores dos EUA que puxavam a economia mundial para baixo. Agora é a Bolsa de Valores de Shanghai que espalha o vírus da crise pelo mundo todo. São os novos tempos da economia global, onde o papel da China é de grande importância. 
Essa é, na verdade, uma nova etapa da mesma crise global que começou em 2007-2008, com as crises das hipotecas subprimes, a quebra do Lehman Brothers e o desomoronamento dos mercados financeiros especulativos desregulados (fundos de hedge, derivativos, etc). 

Tal crise, e muito ao contrário do que o ex-presidente do Banco Central no governo FHC, Armínio Fraga, disse durante a campanha eleitoral, está muito longe de acabar.

Senão, vejamos:

1) Uma gigantesca Bolha Especulativa está desmoronando na Bolsa de Valores da China. E tem uma outra bolha que se formou por lá também, que é a do mercado imobiliário, que também deverá desmoronar em breve. 

E uma das medidas adotadas pelo governo chinês, a desvalorização da moeda chinesa (o renminbi), para combater os efeitos dessa crise irá desencadear uma guerra cambial global, com todos os países do mundo tendo que desvalorizar as suas moedas também. Caso contrário, eles irão perder mercado para os produtivos chineses, mergulhando numa crise econômica ainda pior.

Em termos práticos, uma guerra cambial global resultará num maior fechamento das economias nacionais, pois ao se desvalorizar a moeda nacional os produtos do país ficam mais barato e os importados se tornam mais caros. Isso irá que o comércio internacional volte a crescer e poderá resultar, até, na sua diminuição;

2) Nos EUA, uma nova Bolha Especulativa se formou nas Bolsas de Valores dos EUA nos últimos anos, graças à taxa de juros de 0% ao ano praticada pelo FED. E agora ela está pronta para desmoronar também. As vendas de imóveis novos despencaram quase 7% em Junho. 

A crise anterior (de 2007-2008), não se esqueçam, também começou pelo mercado imobiliário ianque (das hipotecas sub-prime), que movimenta boa parte do PIB e da oferta de crédito do país;

3) A crise da Zona do Euro também está longe de acabar.

Países como Grécia, Itália, Portugal, Irlanda e Espanha estão com seus Estados literalmente quebrados, endividados até o pescoço. A dívida pública grega é de 177% do PIB, a da Itália é de 132% do PIB, a de Portugal é de 130% do PIB, a da Irlanda é de 109% do PIB e a da Espanha é de 97,7% do PIB. 

É mais do que evidente que tais dívidas são impagáveis, pois acabam inviabilizando o crescimento da economia destes países, mantendo-os com as suas economias estagnadas por um longo período de tempo e com elevadas taxas de desemprego;

As próximas eleições que serão realizadas na Grécia (dia 20 de Setembro) poderão levar à formação de um governo que acabe por tirar o país da Zona do Euro. Depois disso, os outros quatro países falidos da Zona do Euro também passarão a ser vistos como os próximos da lista, agravando a crise na UE.

Na França, a candidata da Frente Nacional (extrema-direita), Marine Le Pen, lidera as pesquisas mais recentes para a Presidência do país (com 29% das intenções de voto), o que demonstra o elevado grau de insatisfação dos franceses com a situação econômica, social e política de seu país, que possui a segunda maior economia da Europa e a quinta maior do mundo;

4) Com o aprofundamento da crise nas três maiores economias mundiais (EUA, China, União Europeis), todos os outros países sofrerão o impacto da piora da situação econômica global, jogando América Latina, Ásia, África em uma situação de muito maior fragilidade, pois terão que enfrentar recessão, aumento do desemprego, das desigualdades sociais, da pobreza, da miséria e da insatisfação popular;

5) Se o Mundo escapar de uma nova Guerra Mundial e conseguir impedir a ascensão de governantes nazi-fascistas ou de qualquer tipo de Ditadura nos principais países do globo, então poderemos ter motivos para comemorar. Mas até isso é de se duvidar caso essa crise continua se agravando.

Link:

Bolsa de Valores da China despenca 8,5% no dia 24/08 e puxa para baixo as Bolsas do mundo todo:


Dilma tinha razão: Mundo enfrenta nova crise global:


Índice europeu de ações perde 450 Bilhões de Euros em apenas um dia:


A China e a sua primeira crise econômica capitalista:


FED criou uma nova Bolha Especulativa nas Bolsas de Valores e ele está próximo de implodir:


Marine Le Pen lidera pesquisa para eleição presidencial na França (será em 2017):

Nenhum comentário: