Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Porque a turma da grana mandou a oposição parar com essa palhaçada de Impeachment! - Marcos Doniseti!

Porque a turma da grana mandou a oposição parar com 
essa palhaçada de Impeachment!- Marcos Doniseti!
Dilma, em Roraima, onde entregou 747 novas moradias do Minha Casa Minha Vida. 

Riscos à Economia do país

Ficou muito claro para mim que o empresariado brasileiro em geral ficou com muito medo de que um processo de impeachment contra a presidenta Dilma, reeleita legitimamente, pudesse agravar a situação econômica do país.
E isso poderia provocar a perda do 'Grau de Investimento' por parte do Brasil.

Com isso, fazer empréstimos no exterior ficaria muito mais caro para TODAS as empresas que atuam no Brasil, incluindo as estrangeiras, que precisam ter acesso ao mercado de crédito internacional. E isso também afastaria investimentos externos do país, bem como poderia provocar uma maciça fuga de capitais para o exterior.
Olha o que o 'O Globo' publicou em editorial:
"É preciso entender que a crise política, enquanto corrói a capacidade de governar do Planalto, turbina a crise econômica, por degradar as expectativas e paralisar o Executivo. Dessa forma, a nota de risco do Brasil irá mesmo para abaixo do “grau de investimento”, com todas as implicações previsíveis: redução de investimentos externos, diretos e para aplicações financeiras; portanto, maiores desvalorizações cambiais, cujo resultado será novo choque de inflação. Logo, a recessão tenderá a ser mais longa, bem como, em decorrência, o ciclo de desemprego e queda de renda. Tudo isso deveria aproximar os políticos responsáveis de todos os partidos para dar condições de governabilidade ao Planalto".
Mais claro do que isso é impossível.
Assim, a turma da CasaGrande ficou com medo de perder muito dinheiro (dezenas ou até centenas de Bilhões de Reais) caso um processo de Impeachment fosse aberto contra a presidenta Dilma.
Portanto, entendo que o Impeachment já era.
Afinal, Impeachment não é algo que se usa a qualquer hora, como se fosse algo rotineiro, somente porque um candidato perdeu a eleição por uma pequena diferençra e ficou inconformado com o resultado. 
Impeachment é uma verdadeira bomba atômica que se joga sobre todo o sistema político e sobre a economia de um país. Por isso mesmo é que ele é pouco usado, mesmo em países com economias mais desenvolvidas e sistemas políticos mais estáveis do que o brasileiro.
Nos EUA, no caso de Richard Nixon, por exemplo, foi fechado um acordo político de última hora, para evitar o Impeachment dele. Daí, Nixon renunciou ao cargo e o país e as suas instituições continuaram funcionando normalmente. 

Economia Brasileira

Apenas no primeiro mandato de Dilma, o Brasil atraiu US$ 256 bilhões em investimentos externos produtivos. 
Somando com os US$ 216 bilhões que entraram nos 8 anos de governo Lula, o valor total investido aqui chega aos US$ 472 bilhões em apenas 12 anos. Nunca se investiu tanto aqui em tão pouco tempo.
E essa conta não inclui os investimentos externos no mercado financeiro brasileiro, mas apenas os produtivos. E o valor investido por estrangeiros no setor financeiro do país também é considerável. 
Além disso, a dívida externa do setor privado chega a cerca de US$ 310 bilhões. 
Enfim, é muito dinheiro em jogo, algo na casa dos Trilhões de Reais. 
Um processo de Impeachment seria longo e iria gerar fuga de capitais do Brasil, uma desvalorização ainda maior do Real, o que aumentaria fortemente o valor (em Reais) das dívidas externas das empresas privadas que atuam no Brasil, o que poderia levar muitas delas à falência e aprofundaria a recessão no país, fazendo com que ela durasse muito mais tempo, atravessando também, talvez, todo o ano de 2016. 
Não se pode esquecer que um dos principais motivos pelos quais o Brasil atraiu tanto capital estrangeiro durante os governos Lula e Dilma foi justamente a estabilidade política que o Brasil desfrutou durante todo esse tempo e que vem, pelo menos, desde o governo de Itamar Franco. 

Estabilidade Política: Um ativo valioso!

Muitos países importantes do mundo não tem isso. A estabilidade política é um ativo valioso que nós temos. E os grandes capitalistas talvez tenham se dado conta disso, bem como que um processo de Impeachment faria com que a imagem do Brasil como uma ilha de estabilidade política seria jogada no lixo.
Afinal, que país é esse que abre um processo de impeachment contra uma governante recentemente reeleita? No mínimo, muitos investidores estrangeiros irão pensar que o Brasil virou uma República de Bananas, com certeza. 
Então, tudo isso, junto com a resistência da própria Presidenta Dilma, que deixou claro que irá lutar por seu mandato, dos seus eleitores, da militância petista e de movimentos sociais, acabou fazendo com que a ideia absurda do Impeachment de Dilma fosse abandonada.

Nenhum comentário: