Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Fora, Temer! Volta, Dilma! Reforma Política Já! Eleições Gerais depois! - Marcos Doniseti!

Fora, Temer! Volta, Dilma! Reforma Política Já! Eleições Gerais depois! - Marcos Doniseti!
Sem que se faça uma profunda reforma do sistema político, partidário e eleitoral do país, não será possível superar a atual crise. O sistema político atual implodiu, caiu de podre e precisamos de um novo, o quanto antes.  
Sou favorável a que, se Dilma conseguir voltar ao cargo de Presidente da República, ela, Lula, o PT, o PCdoB e os movimentos sociais iniciem um amplo movimento popular, para defender o seguinte:

1) A realização de um referendo perguntando se a população deseja:

A) A realização de eleições gerais (Presidente da República, Congresso Nacional; governos estaduais; assembleias legislativas).

B) A instalação de uma Constituinte Exclusiva para aprovar uma reforma política que:

B.1) Reduza o número de partidos (via cláusula de barreira, exigindo percentual mínimo de votos - uns 3%, pelo menos - para ter representação no Parlamento);

B.2) Proíba a troca de legenda por parte dos políticos com mandato. Quem o fizer, perderá o mandato;

B.3) Proíba financiamento empresarial de campanhas eleitorais,;

B.4) Aumente as exigências para a criação de partidos políticos;

B.5) Proíba coligações para eleições legislativas;

C) Como a Constituinte será exclusiva para se fazer a Reforma Política, a mesma poderá ser bastante rápida (durando uns 2 a 3 meses, no máximo). Aprovada a Reforma, serão realizadas as eleições gerais, já com base nas novas regras.

D) Assim, um 'novo governo' Dilma terá a missão principal de reorganizar e depurar o sistema político do país, que está completamente apodrecido.

Todo poder emana do povo e por ele deve ser exercido.
Dilma tem que lutar para recuperar o seu cargo, sim, pois é a governante legítima do país. Mas tal movimento deve estar associado ao compromisso de liderar uma campanha popular para que se promova uma profunda reforma do sistema político, partidário e eleitoral brasileiro, que está completamente apodrecido. Assim, seria feito um referendo a respeito da convocação de uma Constituinte Exclusiva com essa finalidade. Depois da aprovação da Reforma Política, teríamos Eleições Gerais no país, já com base nas novas regras.
Obs: Mesmo que Dilma recupere o cargo, com esse Congresso Nacional que temos será praticamente impossível governar, visto que o mesmo possui um caráter nitidamente reacionário, fisiológico, anti-nacional e anti-popular.

Daí, a necessidade urgente de se aprovar a Reforma Política e de, logo depois, se promover eleições gerais no país.

Com o atual sistema político, partidário e eleitoral o país continuará ingovernável.

Assim, mais do que trazer Dilma de volta ao cargo, que é, inegavelmente, a governante legítima deste país, precisamos eleger um novo Congresso Nacional e novos governantes para o país, fazendo isso com base em novas regras.

Precisamos, o quanto antes, depurar o sistema político, mas que isso seja feito dentro das regras do jogo democrático.

Se não fizermos isso, a aliança golpista e reacionária que reúne a Grande Mídia e setores da Justiça, MPF e PF, farão isso em nosso lugar e as mudanças que eles irão promover terão, claramente,  uma natureza autoritária e anti-popular, o que colocará em risco, até mesmo, a continuidade do Brasil como um país democrático.

Por isso eu defendo:

1) Volta, Dilma!;

2) Referendo sobre Constituinte Exclusiva e Eleições Gerais;

3) Aprovação da Reforma Política;

4) Convocação de Eleições Gerais, com novas regras, pós-Reforma Política.

Nenhum comentário: