Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Eleição de 2014: Ninguém votou no Vice! – Marcos Doniseti!

Eleição de 2014: Ninguém votou no Vice! – Marcos Doniseti!
Fora, Temer! Volta, Dilma! Reforma Política Já!
Ainda não ficou claro para os analfabetos políticos direitistas, reacionários e golpistas que votamos na chapa porque a Lei assim determina? Ninguém escolheu votar no Temer. Votamos numa chapa. E a cabeça da chapa em questão era Dilma e não Temer. Votamos nela para Presidenta e nele para VICE.

Foi em Dilma que votamos para governar o Brasil entre 2015 e 2018.

Se Temer quisesse ser Presidente da República, bastava lançar a sua candidatura pelo PMDB (Partido Mais Delatado do Brasil) e batalhar pelos votos do povo, como a Dilma fez.

Nós não temos a opção, tal como existiu entre 1945-1964, de votar no candidato a Presidente de uma chapa e no Vice de outra.

Em 1960, por exemplo, Jânio Quadros foi eleito Presidente, mas o seu Vice (Milton Campos) foi derrotado por Jango, que era o Vice do Marechal Lott.

Além disso, nós não votamos apenas numa chapa, mas também num programa de governo.

E o programa de governo de Dilma não incluía a adoção de políticas de arrocho salarial, fim da CLT, diminuição dos investimentos em saúde e educação, reforma previdenciária que joga no lixo os direitos adquiridos e que irá valer para quem já está trabalhando, fim do Regime de Partilha, entrega do pré-sal para o capital estrangeiro, fim do Ciência Sem Fronteiras, aprovação do PL 4330 (terceirização generalizada), entre outros absurdos que o governo golpista de Temer quer impor ao país, sem que tal programa de governo tenha sido aprovado em qualquer eleição.

Portanto, o caráter ilegítimo de Temer fica evidenciado não apenas pelo fato de ter se aliado à oposição e ter ajudado a derrubar Dilma, mas também porque está impondo ao país um programa de governo no qual ninguém votou.

Aliás, tal programa de governo, de Temer, é idêntico ao de Marina e do candidato do PSDB em 2014 e que foram derrotados nas urnas.

Ninguém votou no plano de governo neoliberal, retrógrado e entreguista de Temer. 

Ninguém.

Fora, Temer! Volta, Dilma! Reforma Política Já!

Nenhum comentário: