Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Hillary perdeu para Trump porque o Partido Democrata traiu a classe trabalhadora industrial! - Marcos Doniseti!

Hillary perdeu para Trump porque o Partido Democrata traiu a classe trabalhadora industrial! - Marcos Doniseti!
Trump fez uma forte campanha em quatro estados que passaram por um processo muito intenso de desindustrialização e que tradicionalmente votavam nos Democratas (Ohio, Michigan, Pensilvânia e Wisconsin) explorando a insatisfação da classe trabalhadora dos mesmos. Deu certo. Ele derrotou Hillary nos quatro estados.

Hillary teve, nesta eleição, quase 10 milhões de votos a menos do que Obama conquistou em 2008.
E o que esse excelente artigo do El País Brasil mostra é que grande parte destes eleitores recusou-se a votar em Hillary porque o Partido Democrata traiu a sua base política e eleitoral fundamental, ou seja, os membros da classe trabalhadora industrial, principalmente em estados como Ohio, Michigan, Pensilvânia e Wisconsin.
Estes estados formavam, antigamente, o chamado 'Cinturão da Ferrugem', ou seja, eram estados com economia essencialmente industrializadas e que, portanto, possuíam uma numerosa classe trabalhadora que votava maciçamente nos Democratas.
Por isso mesmo é que estes quatro estados deram a vitória para Obama em 2008 e em 2012.
Pois nesta eleição, Trump venceu nos quatro estados (O-M-P-W).
Será que a população destes quatro estados se tornou racista e passou a odiar mulheres, imigrantes e muçulmanos apenas quatro anos depois de ter eleito um Presidente negro e cuja família tem origem africana e que possui muitos integrantes que são muçulmanos?
Claro que não. Isso é ridículo.
Michael Moore explicou, em Julho, porque Donald Trump era o favorito para vencer a eleição presidencial. Ele acertou em cheio.

O que levou estes estados a virar as costas para os Democratas é o que está nestes trechos dessa ótima matéria do El País Brasil:
1) "Desde o New Deal da era Roosevelt, foram nestes trabalhadores que o Partido Democrata apostou para construir a máquina política mais robusta da história americana e dominar através dela, por décadas e décadas, a vida política do país.
Em contrapartida, aos trabalhadores foram prometidos direitos, respeito e uma vida digna. Eles acreditaram no american dream e no Partido Democrata.
Ao contrário dos agricultores racistas do Sul, o chamado "Cinturão da Ferrugem" não abandonou o Partido Democrata depois da desagregação promovida pelo partido dos anos 60. Mesmo com fortes valores conservadores, esses trabalhadores não se deixaram seduzir pelo discurso cada vez mais focado em religião do Partido Republicano.
E mesmo depois que o NAFTA assinado pelo presidente Clinton começou a acelerar o fechamento definitivo de suas fábricas e a destruição das suas comunidades, continuaram votando nos democratas.
Ficaram cada vez mais pobres. Com seus filhos obrigados a procurar emprego em outras regiões, se tornaram também menos, mais velhos e mais isolados. O flagelo das drogas tomou conta de muitos que não souberam lidar melhor com o seu desespero. E mesmo assim, a esperança de que o contrato social do passado continuasse vigorando levou eles a votar pelo primeiro presidente negro da história do país. Acreditaram no Obama e torceram pelo “Yes, we can!
EUA passam por um processo de aumento da concentração de renda e das desigualdades sociais.: A participação dos mais ricos na renda nacional está aumentando desde a década de 1970, enquanto que a classe média e os pobres tiveram queda na sua participação.

2) Por décadas, o Cinturão da Ferrugem ficou cada vez mais pobre enquanto o país ficou cada vez mais rico. Não se trata de um exagero ou de uma medida relativa. Em Michigan, por exemplo, a família mediana ganhava 49.041 dólares por ano em 1984. Até 2015, este valor havia caído para 48.801dólares: 30 anos sem aumento. E isso enquanto o PIB per capita do país cresceu em mais de 70%. Quem foi que absorveu este 70% de crescimento? As elites urbanas das grandes cidades, que se beneficiaram com os lucros gigantescos das grandes corporações multinacionais e do mercado financeiro.".
É isso.
E depois a Hillary vem a público dizer que perdeu a eleição por culpa do FBI?
Que piada.
O Partido Democrata adotou, internamente, uma política neoliberal que foi imensamente prejudicial aos trabalhadores industriais destes quatro estados, que foram desprezados por Hillary em sua campanha eleitoral.
Exemplo disso, diz o El País, é que ela não foi uma única vez a Wisconsin e somente apareceu em Michigan na véspera da eleição.
Provavelmente os Democratas contavam que esses estados eram favas contadas para eles. Enquanto isso, Trump apostou fortemente nestes quatro estados, fazendo um discurso anti-livre comércio e anti-globalização neoliberal, prometendo trazer de volta os empregos industriais perdidos durante as décadas anteriores.
Deu no que deu...
Moral da história: Nunca traia o seu eleitorado pois, mais cedo ou mais tarde, ele lhe dará o troco.
Atualmente, a Dívida Pública dos EUA é maior do que o PIB, chegando a 104% do mesmo.

Links:
A vingança da ferrugem:
Michael Moore explicou, em Julho, porque Donald Trump era o favorito:
BCE alerta para era de protecionismo e incerteza com vitória de Trump:

Nenhum comentário: