Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

PSDB e PMDB lutam pelo controle de um governo que está condenado ao fracasso! - Marcos Doniseti!

PSDB e PMDB lutam pelo controle de um governo que está condenado ao fracasso! - Marcos Doniseti!
Trump já anunciou que irá retirar os EUA das negociações do TPP. Seu governo adotará uma política protecionista, o que poderá levar ao colapso do comércio internacional. Propostas como as de Trump também são defendidas por Marine Le Pen (da Frente Nacional) e Beppe Grillo (líder do M5S italiano) e por outros movimentos nacionalistas que estão se fortalecendo pelo mundo afora.

Os Golpes de 2016 e de 1964: Cenários econômicos mundiais são totalmente diferentes!


O Golpe de 2016, tal como o de 1964, fez uma série de promessas para a população brasileira: retomar o crescimento econômico, combater a corrupção, varrer o 'comunismo' do país.

Os Golpistas de 64 também enganaram a classe média e parte da classe trabalhadora, dizendo que o Golpe contra o governo de Jango era para eliminar a corrupção e barrar o Comunismo (mesmo com os golpistas sabendo que Jango era um nacionalista e reformista e que nunca foi comunista).

Mas a Ditadura Militar, depois, prejudicou imensamente os trabalhadores (via arrocho salarial e brutal repressão ao movimento sindical) e à própria classe média (que apoiou o Golpe de forma entusiasmada), até 1967, também empobreceu bastante.

O que salvou a Ditadura Militar de ser derrubada já em 1968 (quando tivemos imensas e crescentes manifestações populares, lideradas pelos estudantes, e que contavam com grande apoio da classe média) foi o 'Milagre Econômico', que começou naquele ano e que durou até o final de 1973, quando ocorreu o primeiro 'Choque do Petróleo', que quadruplicou o preço do barril (passou de US$ 3 para US$ 12), em função da 'Guerra do Yom Kippur'.

Com o 'Milagre Brasileiro', tivemos geração de milhões de novos empregos (de baixos salários, mas eles foram criados, absorvendo a mão-de-obra que saía da área rural e migrava para as cidades), aumento da renda da classe média (que foi beneficiada pela oferta de crediário, uma novidade no Brasil da época e pela criação de empregos que exigiam técnicos qualificados para trabalhar na indústria, no setor
público e nos serviços) e o arrocho salarial foi contido.

Além disso, o brutal aparato de repressão montado pela Ditadura Militar conseguiu virtualmente destruir ou inviabilizar qualquer tipo de oposição organizada. 
A saída do Reino Unido da União Europeia foi provocada pelas políticas neoliberais, que prejudicaram a maioria da população, que empobreceu bastante. A distância que a separa dos mais ricos também aumentou bastante. A vitória de Trump e o Brexit são sinais claros de que o processo de Globalização Neoliberal está desmoronando.

A censura, a vigilância, a espionagem, as prisões ilegais, as torturas, os assassinatos e os desaparecimentos de operários, camponeses, estudantes, índios, foram largamente empregados pela Ditadura, produzindo dezenas de milhares de vítimas, principalmente durante o governo Médici, no qual tivemos o auge da repressão e do 'Milagre Brasileiro', quando a economia do país cresceu em torno de 11% ao ano. 

Assim, a 'Paz dos Cemitérios' vigorou no Brasil durante o governo Médici, em especial. 

Mas este 'Milagre Econômico' brasileiro somente aconteceu porque toda a economia mundial (EUA, Europa e Japão) crescia rapidamente naquela época. Havia um 'Milagre Econômico Global' em andamento e o governo de Costa e Silva, sob a batuta do ministro Delfim Netto.

Delfim soube fazer com que o Brasil se beneficiasse deste 'Milagre Econômico Global', atraindo capital estrangeiro produtivo (via redução de impostos, reserva de mercado, oferecendo mão-de-obra barata), apoiando às exportações industriais (via crédito barato e impostos reduzidos) e modernizando a agricultura, com a criação do agronegócio (financiado pelo Banco do Brasil e com a Embrapa produzindo novas sementes, que o que expandiu a fronteira agrícola brasileiro, por meio da incorporação do Centro-Oeste).

Trump, Brexit e crescente Nacionalismo econômico inviabilizam estratégia econômica de governos neoliberais da América Latina!

Governos de Macri e Temer apostam numa maior integração e subordinação de Brasil e Argentina à economia global como estratégia para superar a crise. Mas a economia mundial enfrenta uma grave crise e tudo indica que ela irá se agravar após a posse de Trump, cuja política será fortemente protecionista. O cenário econômico global, agora, é totalmente diferente. Agora, toda a economia mundial está em crise.

E com o Brexit, o crescimento do nacionalismo na Europa e o protecionismo já anunciado pelo novo governo de Trump (que irá retirar os EUA do TPP e aumentará as tarifas de importação, para promover um processo de reindustrialização dos EUA), o comércio internacional (que já se encontra estagnado desde o estouro da crise de 2008) irá desmoronar.

E com isso teremos o início de uma Grande Recessão Mundial, que poderá até desembocar em uma nova Depressão Econômica, derrubando as maiores economias do Mundo.

Com este cenário econômico global catastrófico, nenhum governo neoliberal terá como se manter no poder, seja no Brasil, Argentina, México, Peru ou em qualquer outro país. A tendência será, cada vez mais, no sentido de se estabelecer governos nacionalistas (e muitos serão autoritários) que também irão proteger as suas economias da concorrência internacional. 

E quando todos os países fizerem isso ao mesmo tempo, o resultado que teremos é o colapso da economia globalizada. Isso aconteceu, por exemplo, durante a década de 1930, quando tivemos a Grande Depressão. 

Uma das causas desta Grande Depressão foi justamente o fato dos países terem fechado as suas economias para investimentos, bens e serviços importados. Desta maneira, o comércio internacional desmoronou.

Com este cenário, os governos neoliberais irão desabar pelo mundo todo, inclusive
na América Latina. 
O Banco do Brasil acumulou um lucro de R$ 51 bilhões em 4 anos (2012-2015) e mesmo assim o governo Temer quer fechar centenas de agências e demitir e aposentar milhares de funcionários. O encolhimento do banco (bem como da CEF) abrirá espaço para uma maior participação do setor financeiro privado, que lucrará muito mais com isso.

Até porque a estratégia dos governos de Macri (Argentina), Temer (Brasil), Peña Nieto (México), Kuczynski  (Peru) é justamente a de aprofundar a integração da economia destes países à economia capitalista globalizada, acreditando que isso irá gerar um novo ciclo de crescimento para os mesmos, superando a crise que enfrentam atualmente.

Mas com o agravamento da crise econômica mundial (Brexit, Trump, crescimento do nacionalismo na UE, protecionismo se impondo pelo mundo inteiro) tal estratégia está, de antemão, totalmente condenada a fracassar, o que levará estes governos a enfrentar crises econômicas brutais. 

Logo, neste cenário global catastrófico, nenhum governo neoliberal irá durar muito tempo no Brasil, seja ele comandado por Temer/PMDB/Centrão ou pelo PSDB/DEM/PPS. Mesmo que Temer seja derrubado, via TSE ou via Impeachment (e o caso Geddel poderá levar ao seu afastamento pelo Congresso Nacional em 2017) o cenário econômico e social irá se agravar, independente de quem venha a ser o novo Presidente (que será eleito pelos congressistas). 

O Golpe de 2016 já fracassou e governo atual é inviável!

O Golpe de 2016 fracassou e o governo golpista está condenado. Ele não tem nada a oferecer para todo o povo brasileiro, a não ser mais arrocho salarial, mais desemprego, mais eliminação de direitos (sociais, trabalhistas e previdenciários), mais pobreza e mais miséria. 

A questão é: Quanto tempo irá demorar para que os atuais detentores do poder, no Brasil, reconheçam isso? Quanto mais isso demorar para acontecer, mais a crise (econômica, social, política) irá se agravar. Eles deram um Golpe para promover a imposição de uma estratégia de crescimento econômico (neoliberal) que está previamente condenada, em função do próprio cenário econômico global. 

A taxa de desemprego teve uma forte queda no Brasil durante os governos Lula e
Dilma, caindo de 12,2% (2002) para apenas 4,8% em 2014 (taxa média anual). Mas agora, depois do início do movimento golpista, ela voltou a aumentar rapidamente.

Número total de desempregados no país já chega a 17,8 milhões de pessoas. 

Assim, o governo ilegítimo brasileiro quer atrelar o Brasil a um gigantesco navio que está afundando. É como se novos passageiros desejassem subir no Titanic no exato momento em que ele estivesse afundando, o que não é uma das atitudes das mais inteligentes.

Portanto, com a imposição destas políticas neoliberais, privatizantes e desnacionalizantes, teremos um aumento muito rápido do desemprego, da pobreza e da miséria no país nos próximos anos (processo este que já está em andamento), seja em função das políticas neoliberais que já estão sendo impostas pelo governo brasileiro, seja porque o cenário econômico mundial irá piorar bastante nos próximos anos, o que já irá começar a acontecer a partir de 2017. 

E com isso o Brasil irá mergulhar num processo de convulsão social que deverá começar muito em breve. 

Resumindo: Não há nenhuma possibilidade deste governo brasileiro ilegítimo ser bem sucedido. Ele já está condenado, independente de quem venha a governar o país nos próximos anos (Temer/PMDB/Centrão Reacionário ou PSDB/DEM/PPS). 

Peçam para sair, golpistas. Vocês fracassaram!

O Salário Mínimo teve um aumento real de 91,3% entre 2003-2016, devido à política de aumento real anual que foi adotada pelos governos Lula e Dilma. Com a aprovação da PEC 241/55 o seu valor real ficará congelado por 20 anos consecutivos. 

Não teremos retomada econômica alguma em 2017!


Não haverá retomada nenhuma da economia brasileira, nem em 2017, nem em 2018. Podem esquecer.  Todas as medidas adotadas pelo governo Temer são recessivas:
A) Aumento de Juros Reais (subiram de 3,5% em 2015 para 7% em 2016);

B) Corte drástico dos investimentos públicos;

C) Valorização do Real, o que prejudica as exportações e estimula as importações;

D) Arrocho salarial, o que diminui o consumo;

E) Eliminação de direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, empobrecendo
ainda mais aos trabalhadores;

F) Entrega das riquezas nacionais e das estatais para o capital privado, nacional e estrangeiro, empobrecendo ainda mais o Brasil;

G) Congelamento dos investimentos sociais por 20 anos;

H) Congelamento dos reajustes do salário mínimo por 20 anos.

Com um modelo econômico (neoliberal e entreguista) desses, que arrocha os salários e empobrece a população, é impossível que vá ocorrer qualquer retomada.  
As reservas internacionais brasileiras tiveram um crescimento expressivo durante os governos Lula e Dilma, passando de US$ 16 bilhões (2002) para US$ 376 bilhões (2015). Elas são suficientes para pagar toda a Dívida Externa brasileira, que é de US$ 333 bilhões.

Links:

Luis Nassif: Xadrez do Golpe dentro do Golpe:

Trump diz que irá retirar EUA do TPP:

Calero diz que foi pressionado por Temer, que nega a acusação:

Calero teria gravado conversas com Temer, Geddel e Padilha:

Vendas de veículos Zero km desabam 17% em Outubro:

Pobres irão pagar a conta da aprovação da PEC 241/55:

Vendas do comércio varejista ampliado despencam 8,6% em Setembro de 2016:
A crise econômica brasileira é tão grave que a Honda ainda não inaugurou uma nova fábrica, na qual ela investiu R$ 1 bilhão, e que construiu entre 2013-2015, em Itirapina-SP, em função da forte queda das vendas de veículos que tivemos no mercado interno brasileiro a partir de 2015.

Produção industrial brasileira despenca 4,8% em Setembro de 2016:

Taxa de desemprego sobe para 11,8%; número total de desempregados chega a 17,8 milhões:

Honda adia novamente a inauguração de nova fábrica em Itirapina-SP:
IPEA: PEC 241/55 vai retirar R$ 743 bilhões da Saúde durante 20 anos:

Lula é inocente, dizem delatores da Petrobras:

Luis Nassif: Como o Brasil chegou a 12 milhões de desempregados:

Indústria da construção naval quer manutenção da política de conteúdo nacional:

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Honda investiu R$ 1 bilhão em nova fábrica no Brasil, mas mantém ela fechada em função da crise provocada pelo Golpe! - Marcos Doniseti!

Honda investiu R$ 1 bilhão em nova fábrica no Brasil, mas mantém ela fechada em função da crise provocada pelo Golpe! - Marcos Doniseti!
O modelo Urban SUV Concept servirá de inspiração para o novo modelo de SUV compacto que a Honda pretende produzir em Itirapina. Mas a crise econômica provocada pelo movimento golpista derrubou fortemente as vendas de veículos Zero Km no Brasil. Com isso, a fábrica permanece fechada, embora já esteja pronta.

Olha só o que o movimento golpista fez com o Brasil

No final de 2013 a Honda começou a construir uma nova fábrica no Brasil (em Itirapina-SP) e investiu R$ 1 bilhão na construção da mesma. Na época, esse investimento se justificava, pois as vendas de veículos Zero Km batiam recordes no país.

Somente entre 2011-2014, ou seja, no primeiro mandato de Dilma, foram vendidos 14.700.000 veículos Zero Km no Brasil (recorde histórico), atingindo uma média anual de 3.675.000 veículos vendidos.

Mas, no final de 2014 começou o movimento golpista que por meio de um gigantesco terrorismo midiático, da operação Lava Jato, das Pautas-Bomba aprovadas pelo Congresso Nacional, da sabotagem às medidas do governo Dilma para se promover o ajuste da economia jogou o Brasil na pior crise econômica de sua história.

Com isso, as vendas de veículos zero Km despencaram no Brasil e, agora, em 2016, elas deverão ficar, no máximo, em 2 milhões de unidades vendidas.
Entre 2010-2012 as vendas de veículos Zero Km chegaram a 10.948.000 unidades (exclui motos; média anual de 3,649 milhões).

Portanto, não foi à toa que Temer levou bronca do Primeiro-Ministro (Shinzo Abe) e dos empresários japoneses quando visitou, recentemente, o Japão.

Os japoneses lhe disseram claramente que o Brasil não receberá mais investimentos japoneses produtivos, pois as empresas nipônicas tiveram um imenso prejuízo com a crise econômica provocada pelo movimento golpista.

E essa crise afetou duramente não apenas ao setor automobilístico, mas também ao da construção naval. Este foi um outro setor da economia brasileira que cresceu muito durante os governos Lula e Dilma, que também recebeu muitos investimentos japoneses e que, agora, está sendo desmantelado pelo governo ilegítimo de Temer.

O resultado está aí: desemprego imenso e crescente, PIB despencando quase 10% em 2015-2016, arrocho salarial, aumento da pobreza e da miséria, investimentos produtivos despencando.


Entre 2013-2015 foram vendidos, no Brasil, 9.832.000 veículos Zero Km (exclui motos; média anual de 3,227 milhões). 

Link:

Honda desistiu de inaugurar nova fábrica de Itirapina:



quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Resistência popular contra o governo Temer deverá crescer ainda mais em 2017! - Marcos Doniseti!

Resistência popular contra o governo Temer deverá crescer ainda mais em 2017! - Marcos Doniseti!
Estudantes precisaram avisar aos governantes brasileiros que 'Educação não é gasto, mas investimento', pois muitos deles não sabem disso. 

A resistência e a luta popular contra as medidas de arrocho, anti-populares e anti-nacionais, do governo Temer/PMDB/PSDB/DEM já começou.

Isso fica claro a partir de alguns eventos:

1) Convocação de greves e de paralisações nacionais por várias categorias profissionais e, também, por movimentos sociais como a CUT, MST, entre outros;

2) Ocupação de escolas e de universidades pelos estudantes por todo o país, contra a PEC 241/55 e o projeto do Escola Sem Partido. Também temos professores de Universidades Federais declarando greve;

3) Invasão da Câmara dos Deputados por grupos reacionários que exigiram a instalação de uma Ditadura Militar no país, mostrando que uma boa parte dos segmentos sociais que apoiaram o Golpe contra Dilma já está desencantada com os rumos do atual governo ilegítimo do país;

4) Conflitos políticos e sociais crescentes no RJ em função do 'Pacote de Arrocho' do governador Pezão.

Estamos assistindo, assim, a uma aumento considerável das lutas e mobilizações populares contra o atual governo ilegítimo do país.

E isso já está se dando tanto por parte dos movimentos sociais tradicionais, como por parte de grupos reacionários e golpistas.

A probabilidade de que venhamos a ter uma reação popular crescente e maciça contra o governo Temer/PMDB/PSDB/DEM é cada vez maior e tudo indica que isso irá acontecer já em 2017.
Câmara dos Deputados foi invadida por manifestantes que pediam a instalação de uma Ditadura Militar no país. 

O Gigante do Fascismo acordou! – Marcos Doniseti!

Os líderes do governo atual jogaram o país na crise para poder derrubar Dilma (via Terrorismo Midiático, Pautas-Bomba, Lava Jato, rejeição das medidas do governo Dilma no Congresso Nacional) e, agora, não fazem a menor ideia do que fazer para superar a mesma.

Essa invasão da Câmara dos Deputados por reacionários golpistas mostra, claramente, que setores crescentes entre os que apoiaram p Golpe contra Dilma estão percebendo, aos poucos, de que o governo atual (Temer/PMDB/PSDB/DEM) está sendo um verdadeiro desastre e que tudo deve piorar ainda mais em 2017.

Os líderes do governo atual e a Grande Mídia disseram para eles que bastava tirar a Dilma e que tudo iria melhorar. E eles acreditaram.

Daí, eles perceberam que foram enganados (nem todos, é verdade, mas muitos foram) e agora os mesmos se voltaram contra o governo atual.

Notem que os invasores não pediram pela ascensão de um tucano ao poder, mas dos militares e de Sérgio Moro.

O fato concreto é que o PSDB e a Grande Mídia, na ânsia de derrubar Dilma e de destruir Lula e o PT, pariram um Monstro.

O Gigante do Fascismo acordou.

Quero ver quem é que irá colocá-lo para dormir, agora.
Capacidade de produção da indústria automobilística chega a quase 6 milhões de unidades, mas a produção deverá ficar em cerca de 2,5 milhões de unidades em 2016. Assim, a capacidade ociosa chega a 58%.

O Brasil vive uma situação trágica!

1) Temos um sistema político-partidário em decomposição, que está totalmente desmoralizado;

2) Temos uma economia que está derretendo, acumulando uma queda de cerca de 9% do PIB em 2015-2016;

3) Em 2017, na melhor das hipóteses, a economia brasileira ficará estagnada, mas o mais provável é que enfrente uma nova queda, devido à piora do cenário econômico mundial (protecionismo de Trump provocará uma guerra comercial que irá derrubar o comércio global) e aos efeitos das medidas recessivas adotadas pelo governo Temer (arrocho salarial, corte drástico de investimentos públicos, aumento dos juros reais, redução do crédito, PEC 241/55, eliminação de direitos sociais, trabalhistas e previdenciários);

4) Um rápido aumento do desemprego, da pobreza e da miséria, que irão crescer ainda mais em 2017.

5) Instituições que poucos respeitam (vide a invasão da Câmara dos Deputados ontem, na qual tivemos pedido por intervenção militar e de que os parlamentares fossem presos).

6) Logo, vivemos em um país que passa por um acelerado processo de decomposição política, econômica e social.

Foi isso que o movimento golpista provocou.

7) Essa é uma combinação explosiva. Nada de bom sairá disso.

Triste.
Rio de Janeiro: Protesto dos servidores públicos contra o pacote de arrocho do governador Pezão.
Links:

Vendas de veículos despencam 17,2% em Outubro:


Paulo Kliass - Temer, PIB e estelionato golpeachmental:


Marcio Pochmann - Brasil caminha para a convulsão social:


Grupo de extremistas invade plenário da Câmara dos Deputados e exige instalação de Ditadura Militar:



Rio de Janeiro - Protesto de servidores contra pacote de arrocho de Pezão é reprimido pela Polícia: