Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

O triste fim de Obama! - Marcos Doniseti!

O triste fim de Obama! - Marcos Doniseti!
Obama falava em fechar a prisão de Guantánamo, em dialogar com os governos de outros países, em apoiar a reindustrialização do país, mas as suas promessas não foram cumpridas, gerando uma grande decepção, mesmo entre muitos eleitores democratas, o que foi essencial para a vitória de Trump. 

O legado do governo Obama não é nada positivo e está muito abaixo do que se esperava quando ele venceu a eleição presidencial de 2008.


A economia dos EUA não está numa boa situação, muito pelo contrário.

Senão, vejamos:

1) A Dívida Pública subiu de 45% para 104% do PIB no governo Obama, fruto da política de salvar o sistema financeiro privado (que faliu no governo de Bush Jr) com dinheiro público;

2) O processo de desindustrialização do país teve continuidade;

3) A classe média e a classe trabalhadora industrial estão encolhendo e empobrecendo a cada década;

4) A concentração de renda e as desigualdades sociais estão no seu maior patamar histórico;

5) 47 milhões de pessoas somente conseguem comer porque ganham um cupom do governo e o trocam por alimentos no mercado (é o programa Food Stamp, criado por Franklin D. Roosevelt na época do New Deal);
Síria: Antes e depois da guerra na qual o governo dos EUA teve uma intensa participação, fornecendo armas e treinamento para os grupos de extremistas que tentam, desde 2011, derrubar o governo laico, secular, multi-religioso, multi-étnico e nacionalista de Assad. 

6) 60% dos novos empregos são precários (pagam baixos salários, quase não oferecem direitos ou benefícios, tem longas jornadas de trabalho e não oferecem perspectiva de subir na carreira);


7) Os 20% mais ricos possuem mais riqueza do que os outros 80% e a participação da classe média e dos pobres na renda nacional diminui a cada década;

8) O crescimento econômico do país se dá em função da criação de sucessivas bolhas especulativas e quando uma bolha implode, logo depois é criada outra;

9) Os níveis de criminalidade e de violência são os maiores dos países desenvolvidos. Com exceção do aumento da Dívida Pública, os outros problemas já existiam antes do governo Obama e o mesmo não conseguiu sequer amenizá-los, quanto mais resolvê-los.

Política Externa!

Quanto à política externa do governo Obama, ela foi marcada pela continuidade em relação ao governo Bush, com os Neocons dando as cartas. Com a exceção de Cuba, com o qual se aproximou, o resto foi um verdadeiro desastre.
Fábrica abandonada da Ford em Detroit (Michigan). Processo de desindustrialização gerou o empobrecimento e o encolhimento da classe média e da classe trabalhadora industrial dos EUA. E o governo de Obama não fez nada contra isso, o que foi fundamental para a vitória de Trump, que soube explorar o descontentamento da população com essa situação. 

Resultados:


A) Guerras Secretas, com o uso intenso de Drones e de Forças Especiais que matam milhares de pessoas, quase todas inocentes, em dezenas de países, todos os anos;

B) Apoio a Golpes de Estado pelo mundo afora: Honduras, Paraguai, Brasil, Venezuela, Ucrânia, etc;

C) Destruição de países inteiros (Líbia e Síria) por meio de Guerras por Procuração, aliando-se a grupos de extremistas islâmicos como Al-Qaeda e Estado Islâmico/Daesh, o que deu origem à atual Crise dos Refugiados que afeta a Europa;

D) Manutenção da prisão de Guantánamo;

E) Provocações gratuitas contra a Rússia, promovendo um Golpe de Estado que colocou neonazistas e neoliberais no poder na Ucrânia, a fim de envolvê-la numa guerra desnecessária.

Quando Obama se candidatou pela primeira vez, eu acompanhei toda a campanha, assistia aos seus discursos, lia as matérias mais recentes sobre a disputa, via resultados das pesquisas diariamente, de tão entusiasmado que fiquei com o seu discurso favorável às mudanças, principalmente na relação com os outros países. 
Victoria Nuland, secretária assistente do Departamento de Estado, mandou a União Europeia literalmente se f... Isso ocorreu porque ela integra o grupo dos Neocons, para os quais o governo de Obama entregou o controle da política externa. 
Até chequei a comprar o seu livro, que era uma espécie de plano de governo de Obama. Percebia-se que ele era um político moderado, mas que apontava claramente no caminho de mudar a forma como os EUA se relacionavam com os outros países.

Mas tais mudanças não aconteceram, pois Obama entregou o controle da política para os Neocons, extremistas de Direita que desejam impor uma Ditadura Global dos EUA, que dure até o final do século XXI, por meio do PNAC (Projeto para um Novo Século Americano).

Lembro que Obama chegou a fazer um discurso histórico em Berlim, como sinal de que as relações com outros países seriam marcadas pelo diálogo.

E o que aconteceu?

O neoliberalismo foi reforçado internamente. A economia esteve inteiramente a serviço dos interesses do 1% mais rico, de Wall Street.

E a síntese da política externa do governo Obama foi quando a Victoria Nuland, funcionária do do Departamento de Estado, mandou a UE se f..er.

Obama saiu do discurso em Berlim e chegou ao 'Fuck You UE'.

Assim, ele se rendeu aos neoliberais na economia e aos neocons na política externa.

Este é o triste fim de Obama.

Nunca se esperou tanto de um Presidente dos EUA e nunca ele nos deu tão pouco.
A concentração de renda aumentou bastante nos EUA nas últimas décadas. Com isso, atualmente, os 20% mais ricos possuem 51% da renda nacional, contra 49% dos 80% restantes (classe média e pobres). 
Links:

A eleição de Trump e o fim do 'neoliberalismo progressista':

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/geral/46163/a+eleicao+de+donald+trump+e+o+fim+do+neoliberalismo+progressista.shtml

Documentos secretos dos EUA confirmam que governo ianque sempre apoiou Estado Islâmico e Al-Qaeda na guerra da Síria:

http://blogdoalok.blogspot.com.br/2016/09/plano-e-agenda-dos-eua-para-balcanizar.html

Michael Moore - Por que Trump é o favorito:

http://www.brasilpost.com.br/michael-moore/donald-trump_b_11217240.html

Silêncio dos EUA significa apoio ao Golpe no Brasil:

http://brasileiros.com.br/2016/04/silencio-dos-eua-e-apoio-ao-golpe-no-brasil-diz-especialista-americano/

Wikileaks: Aúdios vazados confirmam que EUA usaram Estado Islâmico para tentar derrubar Assad:

https://br.sputniknews.com/mundo/201701117394599-kerry-wikileaks-assad-siria-eua-russia/

EUA armaram Estado Islâmico e se recusaram a ajudar Síria no combate ao grupo:

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/reportagens/37414/wikileaks+eua+armaram+estado+islamico+e+se+recusaram+a+ajudar+siria+no+combate+ao+grupo.shtml

Nenhum comentário: