Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Por que Serra saiu do Ministério das Relações Exteriores? - Marcos Doniseti!

Por que Serra saiu do Ministério das Relações Exteriores? - Marcos Doniseti!
Política externa agressiva de Serra inviabilizou a sua permanência no ministro das Relações Exteriores. Arrumar confusão com os países latino-americanos, que comprar a maior parte das exportações industriais do Brasil não é exatamente uma boa ideia. Afinal, eles poderão começar a comprar tais produtos da China, prejudicando os interesses das indústrias brasileiras. 

Existem vários motivos que explicam a saída de José Serra do ministério das Relações Exteriores. Um deles está relacionado ao perfil de Serra e o outro está conectado com as mudanças que se desenvolvem no mundo atualmente.
Serra, definitivamente, não tem o perfil necessário para comandar o ministério das Relações Exteriores.

Esse ministério exige alguém com capacidade ampla de dialogar (um diplomata experiente, como é o Celso Amorim, por exemplo) e Serra não tem isso. Nunca teve.
Serra arruma muita confusão com os outros países, prejudicando o Brasil com uma política externa agressiva e totalmente equivocada e desnecessária.

Ele falou mal, com piada de mau gosto, da participação das mulheres na política no México, que tem uma ministra das Relações Exteriores e onde metade do Senado é formado por mulheres.

Serra também criou problemas em excesso com os países latino-americanos, atacando a Bolívia, Equador e Venezuela, por exemplo.

Outro dia mesmo a ministra venezuelana das Relações Exteriores ficou tão irritada com os problemas que Serra cria, desnecessariamente, com a Venezuela que ela o atacou duramente.

Serra também atacou Trump antes deste vencer a eleição, dizendo que a vitória dele seria um pesadelo.

O fato concreto é que Serra não tem nenhuma vocação para o diálogo e para a diplomacia. Ele foi colocado no cargo porque apoiou o Golpe e ninguém o queria em ministério da área econômica, na qual ele iria querer mandar. E quem manda ali é o setor financeiro.

Logo, Serra está mais para General do que para Diplomata.

Além disso, adotar uma política externa agressiva em um momento no qual o Brasil precisa sair de uma Depressão Econômica e, para isso, necessitaria fechar acordos comerciais com outros países, é algo pouco inteligente, para dizer o mínimo.

Afinal, quem irá querer dialogar e fechar acordos com o Brasil tendo um ministro de Relações Exteriores destes? Ninguém, é claro. 

Os países desenvolvidos estão adotando, cada vez mais, políticas protecionistas e nacionalistas, o que inviabiliza os planos do governo golpista de aumentar as exportações para os mesmos.

E os países latino-americanos são os principais mercados de exportação de produtos industrializados do Brasil.

Portanto, o governo brasileiro não pode ficar arrumando confusão com tais países, pois eles poderão deixar de comprar os produtos industrializados brasileiros e passar a adquiri-los da China, por exemplo. Isso geraria um prejuízo de bilhões de dólares anualmente para o Brasil, sendo que isso aconteceria em um momento no qual a produção industrial brasileira está desmoronando.

Assim, alguém que realmente manda no Governo deve ter chegado para o Serra e dito 'Sai. Você já criou problemas demais para o Brasil. Vai para o Senado e fique por lá até o final do seu mandato'.

É isso.

Links:

CNI mostra importância da América do Sul para exportações industriais brasileiras:

http://www.comexdobrasil.com/estudo-da-cni-mostra-importancia-da-america-do-sul-para-exportacoes-da-industria-brasileira/

Serra -  Vitória de Trump seria pesadelo:


Serra ataca a Venezuela:


José Serra ataca Venezuela, Bolívia e Equador:


José Serra - México é um perigo porque metade dos Senadores são mulheres:


Ministra das Relações Exteriores da Venezuela ataca Serra:

6 comentários:

Luiz Carlos Oliveira disse...

DONISETI: tem algum motivo oculto por trás da renúncia do Serra. Que ele é incompetente todo o mundo sabe. Mas daí a renunciar não está muito claro. Existe algo de podre nessa história. A conferir.

Marcos Doniseti disse...

Luiz,

O Matheus de Alencastro escreveu, na 'Folha', um texto que, essencialmente, diz a mesma coisa do meu (cuja publicação é anterior ao dele).

Resumidamente, dissemos que as mudanças que ocorreram no cenário mundial (Brexit, vitória de Trump) inviabilizaram a continuidade da política externa de Serra, que visava aprofundar a integração do Brasil (de forma submissa) às economias dos EUA (levando o Brasil a participar do TTIP, acordo de livre comércio entre EUA e países sul-americanos e asiáticos; Trump retirou os EUA desse acordo, que estava pronto para ser assinado) e da UE (com quem os golpistas tupiniquim pretendiam fechar um acordo de livre comércio).

O crescimento do nacionalismo, da xenofobia e do protecionismo nos países ricos levou à queda de Serra. O novo ministro das Relações Exteriores, se tiver um mínimo de inteligência, adotará outra política externa, totalmente diferente daquela que Serra implantou.

Além do que escrevi, o que posso acrescentar é que Serra pode estar acreditando que o Temer será derrubado em breve (em função das delações e do processo no TSE) e, daí, ele foi para o Senado a fim de fazer campanha junto aos congressistas para se eleger Presidente da República por via indireta.


http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2017/02/1861391-trump-e-brexit-inviabilizaram-estrategia-de-serra-no-itamaraty.shtml

Marcos Doniseti disse...

Serra saiu do ministério porque sua política externa fracassou e ele se enfraqueceu politicamente! - Marcos Doniseti!

Serra se enfraqueceu politicamente por vários motivos, tais como:

1) O tempo que ele ficou no Ministério o levou a perder espaço no PSDB e no PMDB.

Serra não comanda nenhum governo estadual (como é o caso de Alckmin) e seu ministério era pouco importante quando comparado com os da Fazenda, Planejamento ou Casa Civil, por exemplo.

Com isso, ele perdeu espaço no PSDB e no PMDB, o que dificulta sobremaneira o seu antigo projeto presidencial.

2) Voltando para o Senado, Serra poderá se dedicar a articulações políticas visando se recuperar politicamente, reocupando espaços que já chegou a possuir dentro do PSDB e do PMDB.

Sem isso, ele pode dizer adeus ao sonho de ser Presidente da República.
3) Serra também decidiu voltar para o Senado porque a sua política externa fracassou totalmente em função das mudanças que aconteceram no cenário mundial.

Ele nunca pensou que o Brexit poderia acontecer (o plebiscito no
Reino Unido foi realizado em Junho, quando ele já era ministro) e tampouco imaginava que Hillary iria perder a eleição nos EUA.

Sem o Brexit e com a vitória de Hillary, Serra iria querer fechar grandes acordos comerciais com os EUA (fazendo o Brasil se integrar ao TTIP) e com a UE (cujas negociações se desenvolvem há muitos anos).

Daí, com essas grandes vitórias na política externa, Serra apresentaria isso como a prova de que ele seria o mais qualificado para governar o Brasil, obtendo o apoio do Grande Capital (nacional e estrangeiro) que é quem, de fato, promoveu o Golpe e sustenta o governo de Temer politicamente.

Além disso, os conflitos que Serra provocou com os governos latino-americanos progressistas (Venezuela, Bolívia, Equador e Uruguai) prejudicam e muito a indústria brasileira, que tem na América Latina o seu maior mercado de exportações.

E com o Brexit e a vitória de Trump, o Brasil não pode mais se dar ao luxo de perder os mercados latino-americanos, até porque o país estão em Depressão Econômica.

O PIB brasileiro desabou 8% em 2015-2016 e a produção industrial brasileira despencou 6,6% apenas em 2016.

Nestas circunstâncias, os mercados latino-americanos tornam-se essenciais para manter a indústria brasileira respirando.

A soma destes fatores levou Serra a perceber que o ministério das Relações Exteriores não poderia mais servir de trampolim para que ele pudesse vir

Ele estava perdendo tempo ali, pois todos os cargos que Serra ocupou até hoje (ministérios, prefeitura de SP, governo do estado de SP) sempre foram vistos por ele como meros trampolins para alcançar a Presidência, que sempre foi o seu grande objetivo.

E foi em função de tudo isso que ele decidiu retornar para o Senado.

Luiz Carlos Oliveira disse...

Concordo com tudo. Mas, neste momento, o Brasil está enfraquecido no BRICS, pois é notório que o Serra focou no comércio com os EUA.Só ele não percebeu que o Trump dará prioridade à produtos made in USA. E esse erro de foco do Serra poderá deixar o Brasil de fora de um mercado estimado em 3 bilhões de consumidores, via "a nova rota da seda". É lastimável a visão tacanha do Serra e do Temer.

Marcos Doniseti disse...

Justamente porque o Brasil perdeu espaço junto aos BRICS, na A.Latina e na África é que o Serra teve que sair. De certa forma, como escrevi, ele foi convidado a sair.

O futuro ministro das Relações Exteriores deverá reverter a política de Serra. O problema é que o governo Temer está desmoronando e talvez nem tenha tempo suficiente para fazer isso.

Luiz Carlos Oliveira disse...

O governo Temer conseguiu a proeza de criar o cargo de "ministro afastado". Você já ouviu o dito popular "mais perdido que barata em galinheiro"?
Só no Brasil existem essas bizarrices.