Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sábado, 30 de setembro de 2017

Economia internacional acelera o crescimento e ajuda o medíocre governo Temer, que adota política econômica recessiva! Brasil poderia estar crescendo muito mais! - Marcos Doniseti!

Economia internacional acelera o crescimento e ajuda o medíocre governo Temer, que adota política econômica recessiva! Brasil poderia estar crescendo muito mais! - Marcos Doniseti! 
Preços das commodities subiram de maneira significativa em 2017. E o Brasil se beneficia muito com isso. 

A economia da União Europeia acelerou o seu crescimento nos últimos anos e isso está ajudando a evitar uma crise econômica ainda pior no Brasil. 


Atualmente, a UE está crescendo a um ritmo de 2,3% ao ano, o que é bastante quando falamos de uma economia que possui um PIB de US$ 16,4 Trilhões e uma Renda Per Capita de US$ 35.600 dólares anuais. A taxa de desemprego caiu fortemente nos últimos anos, sendo que ela era de 11% em 2013 e, agora, está em 7,7%. 

A China também aumentou o seu ritmo de crescimento econômico, depois da forte desaceleração que sofreu após o estouro da crise mundial em 2007/2008, e seu PIB está crescendo a um ritmo de 6,9% ao ano. 

Os EUA também aceleraram o seu ritmo de crescimento anual neste ano, que está em 2,2% (Julho de 2017), contra um crescimento de 1,2% ao ano em Julho de 2016. O PIB dos EUA é de US$ 18,6 trilhões e a sua taxa de desemprego está em 4,4%, semelhante à que tínhamos antes do estouro da crise mundial de 2007/2009. 

O ritmo de expansão do comércio internacional também se acelerou de maneira significativa em 2016, quando o mesmo se expandiu apenas 1,3%. Agora, em 2017, o crescimento ficará em 3,6%, quase o triplo. 

Essa melhora do cenário econômico mundial beneficiou o Brasil, principalmente com o aumento significativo que tivemos dos preços das commodities (minérios e alimentos) que o Brasil exporta. E com isso o superávit comercial brasileiro aumentou bastante.

O governo Dilma também contribuiu para isso, ao fechar vários acordos comerciais e desvalorizar o Real em 2015. Isso abriu mercados para as exportações do país e aumentou a competividade da produção nacional, pois a desvalorização do Real barateou os produtos brasileiros e encareceu os importados). 

Em função disso, o superávit comercial brasileiro, que foi de US$ 19,7 bilhões em 2015 e subiu para US$ 45 bilhões em 2016, deverá terminar 2017 com um saldo positivo de US$ 65 bilhões (o que é um recorde histórico). 

Se o governo Temer não tivesse adotado uma política econômica recessiva (e que é inteiramente desnecessária) o Brasil poderia estar crescendo muito mais, em torno de 3,5% a 4% ao ano, pelo menos, e sem sofrer qualquer pressão inflacionária relevante.

Com isso, a taxa de desemprego brasileira estaria em um patamar muito menor do que aquele em que se encontra atualmente, com altíssimos 12,6%, uma das maiores da história do país, que é exatamente o dobro da taxa de 6,3% de Dezembro de 2014. 

Mas a política econômica fortemente recessiva, que é inteiramete estúpida e suicida, do governo Temer é que impede essa aceleração do crescimento da economia brasileira neste momento de aceleração do crescimento econômico global. 

A previsão do Banco Central brasileiro é de que a economia do país irá crescer ridículos 0,7% em 2017, um resultado medíocre e que é indefensável em função do bom momento econômico que o Mundo desfruta atualmente. 

Se em um momento no qual a economia internacional está crescendo de forma mais rápida o PIB do Brasil se expande apenas 0,7%, imaginem o que irá acontecer se a mesma entrar em um processo recessivo, tal como aconteceu a partir de 2007/2008. 

A política econômica do governo Temer é caracterizada por juros reais altos (6% ao ano, contra 0% na UE, Japão e próximo disso nos EUA), corte drástico nos investimentos públicos, redução e eliminação dos programas sociais (Ciência Sem Fronteiras, Bolsa Família, Fies, Minha Casa Minha Vida, etc), congelamentos dos investimentos na área social por 20 anos, arrocho salarial, encolhimento e redução das empresas públicas.

E qual é a necessidade de se fazer tudo isso? Nenhuma.

Até porque tais políticas aumentam de maneira significativa a concentração de renda e as desigualdades sociais, o que prejudica o crescimento econômico e destrói a coesão da sociedade. E quem reconheceu e afirmou isso não foi nenhum comunista, 'petralha' ou bolivariano, não. 

Quem fez tais afirmações foi o FMI...

O pior momento da economia internacional desde a Grande Depressão (2007/2014) já ficou para trás, as maiores economias do mundo (EUA, China e UE) estão crescendo muito mais, o comércio internacional está se expandindo rapidamente e o Brasil já está se beneficiando com isso.

Mas a política econômica totalmente equivocada do governo Temer impede que o Brasil cresça de forma muito mais rápida. 

Haja incompetência! 

Links:

Comércio internacional crescerá 3,6% em 2017, diz OMC:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-09/omc-eleva-estimativa-de-crescimento-da-economia-mundial-para-36

Atividade industrial na China cresce no ritmo mais rápido em 5 anos:

http://br.reuters.com/article/topNews/idBRKCN1C50IW-OBRTP

Economia europeia cresce em ritmo acelerado:

https://brasil.elpais.com/brasil/2017/08/16/economia/1502870747_148493.html

União Europeia: Taxa de desemprego cai para 7,7%, o o menor nível desde 2009:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2017-08/uniao-europeia-registra-taxa-mais-baixa-de-desemprego-desde-2008

EUA: Desemprego fica em 4,3% em Julho de 2017:

http://istoe.com.br/eua-aumentam-criacao-de-empregos-e-registram-queda-do-desemprego/

Brasil: Taxa de desemprego fica em 12,6% no trimestre encerrado em Agosto de 2017:

https://g1.globo.com/economia/noticia/desemprego-fica-em-126-em-agosto-diz-ibge.ghtml

Banco Central eleva projeção de crescimento da economia brasileira para apenas 0,7% em 2017:

http://economia.ig.com.br/2017-09-21/projecoes-banco-central.html

Banco do Brasil fecha 551 agências e demite 10 mil funcionários:

http://www.redebrasilatual.com.br/economia/2017/05/em-um-ano-bb-corta-10-mil-vagas-e-fecha-551-agencias

Governo Temer cortou mais de 1 milhão de famílias do Bolsa Família:

http://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2017/08/temer-corta-bolsa-familia-de-desempregados-e-moradores-de-ocupacoes

FMI diz que desigualdade social atrapalha o crescimento econômico e corrói a coesão social:

https://www.cartacapital.com.br/economia/desigualdade-atrapalha-crescimento-e-corroi-a-coesao-social-diz-fmi

Luiz Gonzaga Belluzzo: Privatização destrói aquilo que fez o Brasil crescer:

http://www.cutsp.org.br/noticias/belluzzo-a-privatizacao-e-a-destruicao-do-que-fez-o-brasil-crescer-c32f/

sábado, 23 de setembro de 2017

Comércio internacional acelera em 2017 e ajuda o governo Temer! - Marcos Doniseti!

Comércio internacional acelera em 2017 e ajuda o governo Temer! - Marcos Doniseti!
Gráfico mostra que ocorreu uma forte queda dos preços das commodities a partir de 2011 e que tal processo se acelerou em 2014 e em 2015. A recuperação dos preços começou apenas em 2016 e acelerou em, 2017, o que beneficiou a economia brasileira, mesmo com o governo Temer adotando inúmeras medidas recessivas. 

O comércio internacional cresceu apenas 1,3% em 2016. 


Agora, em 2017, ele deverá se expandir 3,6% e em 2018 o crescimento deverá chegar a 3,4%, segundo a OMC. 

Isso é que está ajudando a manter a economia brasileira respirando em 2017, pois tal expansão levou a um forte crescimento nos preços das principais commodities exportadas pelo Brasil, aumentando o superávit comercial do país. 

Não é à toa que o agronegócio está crescendo tanto neste ano (até porque tivemos uma safra recorde de grãos, graças ao Plano Safra que o governo Dilma adotou em 2016, antes do Golpe). 

Dilma também ajudou nestes resultados positivos para o comércio internacional brasileiro fechando inúmeros acordos comerciais em 2015 (com o México, Colômbia, etc) e desvalorizando o Real (o que barateou as exportações e encareceu as importações).

Logo, essa recente estabilização da economia brasileira que tivemos em 2017, interrompendo a fortíssima recessão de 2015 e 2016, nada tem a ver com qualquer iniciativa do governo Temer.

Na verdade, todas as iniciativas do governo Temer foram recessivas, pois o mesmo aumentou a taxa real de juros (Selic está em 6% ao ano, contra 3,5% em 2015), reduziu fortemente os investimentos públicos, cortou fortemente os investimentos na área social e diminuiu de maneira significativa a oferta de crédito para investimentos produtivos. 

Link:

OMC eleva estimativa de crescimento do comércio internacional para 2017 e 2018:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-09/omc-eleva-estimativa-de-crescimento-da-economia-mundial-para-36