Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sábado, 28 de janeiro de 2017

O Brasil do governo neoliberal de Temer: 30 notícias que provam que país caminha para um Desastre! - Marcos Doniseti!

O Brasil do governo neoliberal de Temer: 30 notícias que provam que país caminha para um Desastre! - Marcos Doniseti!
Durante os governos Lula e Dilma, a indústria de construção naval do Brasil tornou-se a 4a. maior do Mundo. Agora, no governo Temer, ela está sendo desmantelada e a Transpetro já cancelou a construção de 17 navios que estavam contratados. 

1) As empresas que eram responsáveis por metade dos investimentos produtivos no Brasil (Petrobras e Empreiteiras) estão sendo desmanteladas pelo governo ilegítimo de Temer;


2) A indústria brasileira está com uma capacidade ociosa de 35% e, logo, não voltará a fazer novos investimentos tão cedo;

3) Além de não termos mais investimentos produtivos, os investimentos na área social ficarão congelados por 20 anos, devido à aprovação da PEC 55;

4) E ainda teremos reformas trabalhista e previdenciária que irão empobrecer ainda mais a população;

5) Os investimentos em pesquisa foram cortados em 90% pelo governo Temer, provocando uma gigantesca fuga de cérebros do país (pesquisadores);

6) A oferta de crédito no país caiu 3,5% em 2016, a primeira queda da série histórica, iniciada em 2007;

7) A taxa real de juros dobrou no governo Temer, passando de 3,5% para 7% ao ano;
Petróleo do pré-sal vale dezenas de trilhões de dólares, mas as suas reservas estão sendo virtualmente doadas para o capital estrangeiro. Empresa de petróleo francesa (Total) pagou tão barato por participações da Petrobras no pré-sal que a imprensa francesa deu risada. Governo ilegítimo de Temer transformou o Brasil em motivo de piada para o mundo inteiro. 
8) Salários estão sendo reajustados abaixo da inflação;

9) Governo Temer destruiu política de conteúdo nacional, desmantelando a indústria de construção naval do país, que havia se tornado a 4a. maior do Mundo durante os governos Lula e Dilma;


10) Pedidos de recuperação judicial cresceram 44,8% em 2016 e bateram recorde histórico;

11) PIB brasileiro desabou 4% entre Janeiro e Setembro de 2016;

12) Dívida Pública Líquida aumentou de 35% do PIB (2015) para 43,8% do PIB (2016); Em valores nominais o crescimento foi de R$ 512,5 bilhões);

13) Déficit Público Nominal (inclui despesas com pagamento de juros da dívida pública) está em 9,3% do PIB (R$ 581 bilhões);

14) O pré-sal está sendo doado tão barato para o capital estrangeiro que até os compradores e a imprensa estrangeira dão risada do Brasil;
Reforma da Previdência de Temer irá impedir que milhões de trabalhadores desfrutem da aposentadoria, mesmo tendo contribuído durante décadas para o INSS. Além disso, a Seguridade Social arrecada mais do que gasta. Entre 2011-2015 o superávit dela foi de R$ 311 bilhões.

15) Se fizermos a soma dos trabalhadores que estão desempregados, independente de terem procurado emprego ou não, a taxa de desemprego já está perto de 20%;


16) Arrecadação de impostos federais teve queda real (acima da inflação) de 3% em 2016, mesmo com a repatriação de recursos que estavam no exterior;

17) Nível de confiança do consumidor despencou 7,7% em Janeiro deste ano;

18) Reservas de petróleo da Petrobras caíram para o menor nível em 15 anos;

19) Receita Líquida da indústria de máquinas e equipamentos despencou 24,3% em 
2016, caindo para um nível inferior ao de 2003;

20) Número de passageiros transportados pelas empresas aéreas desabou 7,8% em 2016, a primeira queda em 10 anos;

21) Quase duas cidades decretam calamidade financeira em 2017
Investimentos públicos tiveram um crescimento expressivo no Brasil entre 2003-2013, passando de 2,6% do PIB (2003) para 4,4% do PIB (2013), crescendo 69,2%. Este aumento foi o grande responsável pelo forte crescimento do PIB brasileiro no período. Durante os governos Lula e Dilma, o PIB brasileiro passou de US$ 500 bilhões (2002) para US$ 2,4 trilhões (2014), tornando-se o 7o. Maior do Mundo.

22) Taxa de desemprego em São Paulo dispara e termina 2016 em 16,8%;


23) Investimentos produtivos (FBCF) despencaram 11,4% em Novembro (comparado com o mesmo mês de 2015);

24) Vendas de veículos zero km desabaram 20,1% em 2016;

25) Taxa de investimento na economia em 2016 (16,5% do PIB) é a menor desde 2003;

26) Brasil fechou 1,3 milhão de empregos formais apenas em 2016;

27)  OIT: Aumento do desemprego no Brasil em 2017 representará 35% do crescimento mundial;

28) FMI prevê que economia do Brasil ficará estagnada em 2017 (expansão de 0,2%, abaixo do crescimento demográfico, de 1,2% ao ano);

29) Vendas do comércio varejista brasileiro diminuíram 4,1% em 2016;

30) Taxa de desemprego ampliado no Brasil é de 21,2%:
Some tudo isso com as políticas nacionalistas e protecionistas de Trump, que fechará o mercado dos EUA para importações (a Embraer, por exemplo, será violentamente prejudicada com isso) e o resultado é que o Brasil irá regredir violentamente nos próximos anos.

O fato inegável é que estamos caminhando para uma convulsão social de gigantescas proporções.
Entre 2008-2013 o Brasil foi o 3o. país que mais cresceu entre as grandes economias mundiais, ficando atrás apenas da China e da Índia. Este fato este foi escondido da população pela Grande Mídia brasileira.

Links:


Capacidade ociosa da indústria brasileira está em 35%:

http://www.portaldaindustria.com.br/cni/imprensa/2016/11/1,102892/producao-e-emprego-caem-e-ociosidade-na-industria-continua-alta.html

Oferta de crédito bancário caiu 3,5% em 2016:

http://www.contabeis.com.br/noticias/31865/oferta-de-credito-bancario-cai-pela-primeira-vez-em-2016/

Negociações salariais: 47,9% dos acordos tiveram reajuste abaixo da inflação em 2016; Apenas 29,9% dos acordos ofereceram aumento real:

http://www.correiodoestado.com.br/brasilmundo/quase-metade-das-negociacoes-salariais-foram-abaixo-da-inflacao/296350/

Setor de pesquisa e inovação sofre corte de R$ 1,7 bilhão no Orçamento da União para 2017:

http://www.impresso.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/cadernos/politica/2017/01/14/interna_politica,161483/cientistas-veem-corte-de-r-1-7-bilhao.shtml

Brasil sofre com fuga de pesquisadores para outros países:

https://br.sputniknews.com/brasil/201701257517056-pesquisa-tecnologia-corte-verbas-imigracao-projetos-crise/

Desemprego dispara em SP e atinge 16,8%:

http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/277220/Depress%C3%A3o-da-era-Temer-faz-desemprego-disparar-em-S%C3%A3o-Paulo.htm

Quase duas cidades decretam calamidade por dia em 2017:

http://www.vermelho.org.br/noticia/292641-1

Investimentos produtivos (FBCF) despencaram 11,4% em Novembro (comparado com o mesmo mês de 2015):

http://www.ipea.gov.br/cartadeconjuntura/index.php/tag/fbcf/

Vendas de veículos zero km desabaram 20,1% em 2016:

http://g1.globo.com/carros/noticia/2017/01/vendas-de-veiculos-novos-caem-20-em-2016-pelo-4-ano-seguido.html

Dívida Pública Líquida cresceu 8,2 p.p. do PIB em 2016 (R$ 512,5 bilhões) ; Déficit Público Nominal ficou em 9,28% do PIB em doze meses terminados em Novembro de 2016 (R$ 581,4 bilhões):

https://www.bcb.gov.br/htms/notecon3-p.asp

Taxa de investimento na economia brasileira é a menor desde 2003:

http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/11/pib-do-brasil-recua-08-no-3-trimestre-de-2016.html

Pedidos de recuperação judicial cresceram 44,8% em 2016 e bateram recorde histórico; Pedidos de falência são os maiores em quatro anos:

http://www.valor.com.br/brasil/4824392/pedidos-de-recuperacao-judicial-batem-recorde-em-2016-nota-serasa

IPEA - Lava Jato contribuiu para o aumento do desemprego: 

http://www.valor.com.br/brasil/4289144/lava-jato-contribuiu-para-o-aumento-do-desemprego-diz-ipea

Lava Jato derrubou PIB do Brasil em 2,5 p.p. apenas em 2015:

http://jornalggn.com.br/noticia/lava-jato-impactou-pib-em-25-diz-consultoria

Seguridade Social não tem déficit, prova economista:

http://brasileiros.com.br/2016/02/farsa-chamada-deficit-da-previdencia/

Brasil fechou 1,3 milhão de empregos formais em 2016:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-01/brasil-perde-mais-de-1-milhao-de-vagas-de-emprego-formal-em-2016-diz-caged

FMI prevê que economia do Brasil ficará estagnada em 2017 (expansão de 0,2%, abaixo do crescimento demográfico, de 1,2% ao ano);

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/01/1850104-fmi-reduz-crescimento-do-brasil-em-2017-e-eleva-o-de-eua-e-china.shtml

OIT: Aumento do desemprego no Brasil em 2017 representará 35% do crescimento mundial:

http://www.valor.com.br/brasil/4834848/brasil-tera-12-milhao-de-desempregados-mais-em-2017-preve-oit

Prioridade dos governos deve ser o combate à desigualdade, diz Christine Lagarde (presidenta do FMI):

http://www.bbc.com/portuguese/brasil-38670576

Taxa de desemprego ampliado no Brasil é de 21,2%:

http://www.ocafezinho.com/2017/01/23/indice-de-desemprego-ampliado-no-brasil-e-de-212/

Vendas do comércio varejista brasileiro caíram 4,1% em 2016:

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Trump quer aprovar reforma tributária que aumenta protecionismo e estimula investimentos produtivos nos EUA! - Marcos Doniseti!

Trump quer aprovar reforma tributária que aumenta protecionismo e estimula investimentos produtivos nos EUA! - Marcos Doniseti!
Trump já avisou às montadoras que desejam produzir no México e exportar os veículos para os EUA que isso não será permitido.

Segundo a economista Monica De Bolle informou em sua coluna no site do 'Estadão', o governo de Trump quer fazer uma reforma tributária que resultará em aumento de tarifas para importações e em estímulos fiscais para empresas que produzirem e criarem empregos nos EUA.


Você pensou que Trump estava blefando, na campanha eleitoral, quando dizia que iria priorizar a produção industrial e a geração de empregos dentro dos EUA e que seu governo seria nacionalista e protecionista?

Pois saiba que você se enganou.

Entre as principais propostas de Trump de reforma tributária, temos:

A) Eliminar o imposto que é cobrado sobre lucros obtidos por empresas dos EUA no exterior (isso irá resultado em aumento da saída de dólares dos outros países para os EUA, valorizando o Dólar);

B) Reduzir o imposto sobre o lucro obtido pelas empresas dentro dos EUA de 35% para 20%;

C) Eliminar uma dedução existente atualmente para insumos importados pelos EUA. Isso, na prática, representaria um aumento na tarifa de importação. Com isso, as importações ficariam mais caras, o que estimularia as empresas a produzirem tais insumos nos EUA.
Governo de Macri quer comprar 15 caças MiG-29 da Rússia. Governos do mundo inteiro terão que rever as suas políticas de comércio exterior devido às novas políticas protecionistas que estão sendo adotadas pelo governo Trump. Indústria bélica russa possui tecnologias de ponta, chegando a superar os EUA. 

Como se percebe, Trump fará, sim, um governo nacionalista e protecionista.


Gostem ou não os neoliberais de Wall Street e a Esquerda Pós-Moderna neoliberal e globalizante das grandes cidades dos EUA e pelo mundo afora.

O governo neoliberal de Macri está querendo comprar caças MIG-29 da Rússia?  

Parece que já caiu a ficha do Macri de que com o governo protecionista de Trump comandando os EUA o jeito é procurar por novos parceiros e aliados.

Essa atitude de Macri de comprar caças da Rússia pode estar visando reforçar laços comerciais da Argentina com os russos, a fim de aumentar as exportações argentinas para lá.
Projeto de integração econômica das 'Novas Rotas da Seda', liderado por China e Rússia, atrai um número cada vez maior de países da Ásia, Europa e África.  

A indústria bélica russa é muito sofisticada e é virtualmente o único setor industrial onde os russos possuem tecnologia de ponta e no qual são extremamente competitivos globalmente.


Além disso, Trump fará um governo inteiramente nacionalista e protecionista. Ele vai fechar os EUA para importações.

Macri já percebeu que não será possível reforçar laços comerciais com os EUA e está querendo fortalecer comércio da Argentina com outros países.

No fim das contas, todos os países do mundo terão que rever a sua política externa, principalmente a de investimentos e de comércio exterior, devido ao governo fortemente nacionalista e protecionista que Trump fará.
A saída do Reino Unido da UE é um sinal claro da crise terminal pelo qual passa o processo de Globalização Neoliberal. E as políticas fortemente nacionalistas e protecionistas de Trump são a pá-de-cal sobre o mesmo.

Trump deixa o governo saudita apavorado! 


O governo de Trump quer que os EUA passem a desfrutar de independência energética, deixando de importar petróleo dos outros países.

E quem mais exporta petróleo para os EUA é a Arábia Saudita, cujo governo já está apavorado com a simples possibilidade de que os EUA deixem de comprar petróleo do país, pois terá um imenso prejuízo, de bilhões de dólares anuais, com tal medida.

Outro efeito positivo dessa política de Trump é que com os prejuízos que terão, os sauditas não poderão mais dar tanto dinheiro para financiar grupos de extremistas islâmicos pelo mundo afora, tais como Estado Islâmico/Daesh, Al-Qaeda e Boko Haram, entre muitos outros.

A Arábia Saudita comanda uma verdadeira 'Internacional do Terrorismo Islâmico Wahabita' e é o país que mais financia grupos de extremistas pelo mundo inteiro.
A Chanceler alemã Angela Merkel, que tratou a Grécia com total e absoluto desprezo quando da vitória do Syriza em 2015, está sentindo na própria pele as dificuldades de negociar com o governo de Trump, que não dá a mínima para os seus discursos e argumentos contrários ao protecionismo. E aí, gostou, Merkel?
Até Merkel desistiu de tentar dialogar com o governo Trump!

O governo de Merkel desistiu de tentar negociar com Trump. Os integrantes do governo alemão estavam tentando convencer Trump a não adotar as políticas nacionalistas e protecionistas que prometeu em campanha eleitoral e que reforçou no discurso de posse e nos primeiros dias de seu governo. 

Com isso, Merkel diz que a estratégia comercial alemã passará por mudanças e que a mesma passará a priorizar as relações comerciais com a Ásia. 

Desta maneira, não será nenhuma surpresa se os governos da União Europeia priorizarem a sua participação no projeto russo-chinês das 'Novas Rotas da Seda'. 

Com isso, os países europeus terão que abandonar as políticas belicistas e imperialistas que adotaram contra a Rússia (sanções e guerra na Ucrânia), no Norte da África (Líbia) e no Oriente Médio (Síria). 

Como se percebe, as políticas nacionalistas e protecionistas de Trump irá obrigar todos os países a definir novas políticas de investimentos e de comércio exterior. 
Benôit Hamon é o virtual candidato do Partido Socialista Francês à Presidência da República. Seu plano de governo é anti-neoliberal e pretende revogar a impopular reforma trabalhista neoliberal que foi imposta por François Hollande. Sua escolha pelos eleitores do PSF é um sinal evidente do fracasso das políticas neoliberais da 'Terceira Via', que começaram a ser adotadas pelos governos de Tony Blair e de Bill Clinton. Depois, inúmeros partidos Social-Democratas, Socialistas e Trabalhistas pelo mundo afora adotaram as mesmas. Mas agora elas estão com os dias contados. 

Links:


Reforma Tributária de Trump promoverá mudanças de caráter nacionalista e protecionista:

http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,trumponomics-e-o-brasil,10000099324

Argentina quer comprar 15 caças MiG-29 da Rússia:

https://actualidad.rt.com/actualidad/229573-argentina-adquirir-rusia-mig29

Governo saudita fica apavorado com política energética de Trump, que deseja fazer EUA adquirir independência no setor:

https://actualidad.rt.com/actualidad/223746-arabia-saudita-trump-energia-petroleo

Merkel desistiu de tentar convencer Trump a não adotar políticas protecionistas:

http://www.independent.co.uk/news/world/americas/germany-us-president-donald-trump-honour-trade-agreements-rough-ride-eu-sigmar-gabriel-a7541676.html

Merkel quer advertir Trump sobre os 'perigos do protecionismo':

http://www.dw.com/pt-br/merkel-pretende-advertir-trump-contra-perigos-do-protecionismo/a-37135987

Trump pretende encerrar sanções contra a Rússia:

https://br.sputniknews.com/sociedade/201701277530432-eua-trump-russia-relacoes/

Trump decide construir dois oleodutos que Obama havia bloqueado; Aço a ser usado nas obras será produzido nos EUA:

http://www.dn.pt/mundo/interior/trump-continua-a-pressionar-empresas-para-investirem-no-pais-5626162.html
A concentração de renda aumentou muito nos EUA desde 1970. Atualmente, os 20% mais ricos da população possui mais riqueza do que os outros 80%.

Trump enterrou o TPP, acordo de livre-comércio que atendia apenas aos interesses dos Grandes Capitalistas (Wall Street):


https://br.sputniknews.com/mundo/201701267519441-trump-soros-clinton-presidenciais-tpp-acordo/

Elites de Davos estão enfrentando uma rebelião da classe média?:

http://www.swissinfo.ch/por/wef-2017_as-elites-de-davos-est%C3%A3o-enfrentando-uma-rebeli%C3%A3o-da-classe-m%C3%A9dia-/42838466?ns_mchannel=rss&srg_evsource=rss&hootPostID=609003f6688f02b418fdd54f08a27afc

Elites globais estão em pânico com a ascensão de Trump ao poder nos EUA:

http://www.patrialatina.com.br/panico-geral-entre-as-elites-do-mundo-diante-da-ascensao-de-trump-casa-branca/

Benoît Hamon é o Bernie Sanders francês?:


http://www.cartacapital.com.br/internacional/benoit-hamon-o-bernie-sanders-frances

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Pepe Escobar: 'Guerra Híbrida' é um texto fundamental para se compreender o que acontece no Brasil! - Marcos Doniseti!

Pepe Escobar: 'Guerra Híbrida' é um texto fundamental para se compreender o que acontece no Brasil! - Marcos Doniseti!
'Império do Caos': Livro de autoria de Pepe Escobar que ajuda a entender as ações imperialistas dos EUA pelo mundo afora. 

'Brasil e Rússia sob ataque da Guerra Híbrida' é um texto essencial, de autoria do Pepe Escobar, para se compreender o Golpe de Estado que tivemos no Brasil e quais são as suas conexões com as grandes questões internacionais!


Obs: Selecionei os trechos do texto que considerei mais relevantes.
Brasil e Rússia sob ataque de “Guerra Híbrida” - Pepe Escobar!

1) Hoje, as ligações perigosas entre Revoluções Coloridas e Guerra Não Convencional já desabrocharam, como Guerra Híbrida: caso pervertido de Flores do Mal.

Uma ‘revolução colorida’ é apenas o primeiro estágio do que, adiante, será convertido em Guerra Híbrida.

E Guerra Híbrida pode ser interpretada, na essência, como a teoria-do-caos armada – paixão conceitual dos militares dos EUA (“política é a continuação da guerra por meios linguísticos”).

No fundo, meu livro de 2014, Empire of Chaos rastreia as miríades de manifestações desse conceito;

2) “O grande objetivo por trás de toda e qualquer Guerra Híbrida é esfacelar projetos multipolares transnacionais conectivos, mediante conflitos de identidade provocados de fora para dentro (étnicos, religiosos, regionais, políticos, etc.), dentro de um estado de trânsito tomado como alvo.”
O governo de Obama espalhou a guerra pelo mundo e, mesmo assim, ele não devolveu o Nobel da Paz.

3) Os BRICS – palavra/conceito de péssima reputação em Washington e no Eixo de Wall Street – teriam de ser os alvos preferenciais de Guerra Híbrida.


Por incontáveis razões, dentre as quais:

A) O movimento na direção de comerciar e negociar em suas próprias respectivas moedas, deixando de lado o dólar norte-americano;

B) A criação do Banco de Desenvolvimento dos BRICS;

C) O confessado interesse na direção da integração da Eurásia, simbolizada pelos projetos: Novas Rotas da Seda – ou, na terminologia oficial, Um Cinturão, uma Estrada [ing. One Belt, One Road (OBOR)] liderados pela China;

D) E a União Econômica Eurasiana (UEE) liderada pela Rússia;

4) Dado que os BRICS são o único real contrapoder ante o Excepcionalistão (obs: EUA), foi preciso desenvolver uma estratégia para cada um dos principais atores;

5) Para nodo mais fraco no grupo BRICS, teria de ser desenvolvida estratégia mais sutil. O que afinal nos leva até a complexíssima Guerra Híbrida que se vê hoje lançada com o objetivo de conseguir a mais massiva e real desestabilização política/econômica do Brasil;
Manifestação na Ucrânia, país no qual os EUA promoveram uma 'Guerra Híbrida' e colocaram um bando de neoliberais estúpidos e de neonazistas ignorantes no poder. Resultado: Guerra.

6) No Manual dos EUA para 'Guerra Não Convencional' lê-se que fazer balançar as percepções de uma vasta “população média não engajada” é essencial na rota do sucesso, até que esses “não engajados” acabem por voltar-se contra os líderes políticos;


7) O processo inclui de tudo, de “apoiar grupos insurgentes” (como foi feito na Síria) até implantar “o mais amplo descontentamento, mediante propaganda e esforços políticos e psicológicos para desacreditar o governo” (como no Brasil).

E, à medida que uma insurreição vá crescendo, deve-se “intensificar a propaganda e a preparação psicológica da população para a rebelião”. Assim, num parágrafo, está pintado o caso do Brasil;

8) O principal objetivo do Excepcionalistão (Obs: EUA) é quase sempre conseguir um mix de 'revolução colorida' e 'guerra não convencional'.

Mas a sociedade brasileira e sua vibrante democracia sempre seriam sofisticadas demais para uma abordagem de Guerra Não Convencional hardcore, como sanções 
ou o conto da “Responsabilidade de Proteger” (R2P);

9) Não surpreende que São Paulo tenha sido convertido em epicentro da Guerra Híbrida contra o Brasil. São Paulo, o estado mais rico do Brasil, onde está também a capital econômica e financeira da América Latina, é o nodo chave numa estrutura de poder interconectada nacional/internacional.
O jornalista brasileiro Pepe Escobar é um dos mais brilhantes analistas das questões internacionais.

O sistema da finança global centrado em Wall Street – e que governa virtualmente todo o Ocidente – simplesmente não poderia de modo algum permitir qualquer ação de plena soberania nacional, num ator regional com a importância do Brasil;


10) A ‘Primavera Brasileira”, de início, foi virtualmente invisível, fenômeno exclusivamente das mídias sociais – como na Síria, no início de 2011.

Então, em junho de 2013, Edward Snowden vazou aquelas sempre as mesmas práticas de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos EUA.

No Brasil, a NSA-EUA espionava a Petrobrás por todos os lados.

E então, de repente, sem mais nem menos, um juiz regional, Sergio Moro, baseado numa única fonte – depoimento de um corretor clandestino de câmbio no mercado negro (“doleiro”) – teve acesso a uma grande lixeira de documentos da Petrobrás.

Até agora, a investigação de corrupção que já dura dois anos, “Operação Car Wash“, ainda não revelou como conseguiram saber tanto sobre o que os próprios investigadores chamam de “célula criminosa” que agiria dentro da Petrobrás;

11) O que realmente interessa é que o modus operandi da revolução colorida – a “luta contra a corrupção” e“em defesa da democracia” – já estava posta em andamento. Foi o primeiro passo da Guerra Híbrida.
A Líbia: Antes e Depois da Guerra promovida pelos EUA-OTAN, que destruiu o país que, antes, possuía os melhores indicadores econômicos e sociais de toda a África.

Assim como o Excepcionalistão inventou terroristas “bons” e terroristas “maus” cujos confrontos criaram a mais terrível confusão e agitações por todo o “Siriaque”, no Brasil surgiu a figura do corrupto “bom” e do corrupto “mau”;


12) Wikileaks também revelou como o Excepcionalistão (obs: EUA) classificava o Brasil como “ameaça à segurança nacional dos EUA”,

A) Porque poderia projetar um submarino nuclear [esse Wicki-telegrama é de 2009, o mesmo ano do ‘curso’ que o juiz Moro fez no Rio de Janeiro. Só pode ter sido por acaso (NTs)];

B) Como a empresa construtora Odebrecht estava-se tornando global;

C) Como a Petrobrás desenvolvera, a própria empresa, a tecnologia para explorar os depósitos de petróleo do pré-sal (a maior descoberta de petróleo confirmada desse início do século 21, da qual o Big Oil foi excluído por, ninguém mais, ninguém menos, que o presidente Lula.[2];

13) Adiante, por efeito das revelações de Snowden, o governo Rousseff passou a exigir que todas as agências governamentais usassem empresas de tecnologia estatais, para atender todas as necessidades do governo.
O PNAC (Projeto para um Novo Século Americano) prevê a implantação de uma Ditadura Global dos EUA durante todo o século XXI. Para isso, os EUA derrubam, por vários meios, os governos que não se submetem aos interesses. 
Significaria que as empresas norte-americanas do setor perderiam, em dois anos, ganhos já previstos de $35 bilhões, se fossem alijadas dos negócios de tecnologia da 7ª maior economia do mundo – como o grupo Information Technology & Innovation Foundation rapidamente descobriu;

14) A marcha na direção de Guerra Híbrida no Brasil pouco tem a ver com direita ou esquerda política.

Consiste, basicamente, de:

A) Mobilizar algumas famílias ricas que realmente governam o país;

B) Subornar fatias imensas do Congresso; pôr sob estrito controle as principais empresas de mídia;

C) Pôr-se a agir como senhores de engenho de escravos do século 19 (as relações sociais da escravidão ainda permeiam todas as relações na sociedade brasileira);

D) E legitimar a coisa toda com discursos de uma tradição intelectual robusta, mas oca.

Todos esses dariam o sinal para mobilizar as classes médias altas;
Edward Snowden revelou inúmeros segredos importantes a respeito da espionagem promovida pela NSA em escala global. 
15) Os 0,0001% mais ricos e as classes médias altas precisavam de um Outro para demonizar – à moda do Excepcionalistão (obs: EUA). E ninguém seria mais perfeito para o complexo judicial-policial-midiático-velhas-elites-comprador, que a figura que tratariam de converter num Saddam Hussein tropical: o ex-presidente Lula.

16) “Movimentos” de ultradireita financiados pelos nefandos Koch Brothers repentinamente começaram a surgir nas redes sociais e em movimentos de rua.

O advogado-geral do Brasil visitou o Império do Caos chefiando uma equipe da “Operação Car Wash para entregar informações da Petrobrás que talvez levassem a uma acusação formal pelo Departamento de Estado.

A “Operação Car Wash” e o – imensamente corrupto – Congresso brasileiro, o mesmo que, agora, vai decidir sobre um possível impeachment da presidenta Rousseff, já se mostram absolutamente indistinguíveis, uma e outro;

17) Àquela altura, os autores do roteiro estavam certos de que já havia uma infraestrutura implantada para mudança de regime no Brasil na numa massa-crítica antigoverno, o que pode levar ao pleno desabrochar da revolução colorida.
O Estado Islâmico recebeu grande apoio dos EUA-OTAN-CCG (Conselho de Cooperação do Golfo)-Turquia-Israel, a fim de derrubar os governos da Síria e do Iraque, que são aliados do Irã.

E assim se pavimentou a trilha para um golpe soft no Brasil – sem nem ser preciso recorrer ao letal terrorismo urbano (como na Ucrânia);


18) Num plano socioeconômico, a “Operação Car Wash” só seria plenamente “bem-sucedida” se levasse a um afrouxamento das leis brasileiras sobre exploração de petróleo, abertura do país ao Big Oil dos EUA.

Paralelamente, todos os gastos em programas sociais teriam de ser esmagados;

19) O que é certo é que já há pensadores brasileiros independentes que começam a construir as bases teóricas para estudar a “Operação Car Wash” não como mera ‘investigação’ ou ‘movimento’ massivo “contra a corrupção”;

Mas, isso sim, como legítimo caso exemplar, a ser estudado, de estratégia geopolítica do Excepcionalistão (obs: EUA) aplicada a ambiente globalizado sofisticado, com ativas redes sociais e dominado pelas TIs (obs: tecnologias da informação).

20) Todo o mundo em desenvolvimento muito tem a ganhar, se se mantiver com os olhos bem abertos – e aprender as lições que dali brotem, porque é bem possível que o Brasil venha a entrar para a história como caso exemplar de Guerra Híbrida (só) Soft. *****
Manifestação pelo 'Fora Dilma' pedindo por mais investimentos em Saúde, Educação e Segurança. Mas onde eles estão agora que o governo Temer aprovou a PEC 55 e congelou os investimentos na área social por 20 anos? 

Link:


http://www.ocafezinho.com/2016/03/31/brasil-e-russia-sob-ataque-de-guerra-hibrida/

Denúncias de Snowden sobre espionagem da NSA:

http://opiniaoenoticia.com.br/internacional/10-coisas-que-as-denuncias-de-snow

Vídeo - Pepe Escobar analisa o Golpe no Brasil:

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Fim da Globalização Neoliberal provoca a falência da 'Terceira Via' de Blair/Giddens e Social-Democracia keynesiana renasce nos países desenvolvidos! - Marcos Doniseti!

Fim da Globalização Neoliberal provoca a falência da 'Terceira Via' de Blair/Giddens e Social-Democracia keynesiana renasce nos países desenvolvidos! - Marcos Doniseti! 
Bill Clinton e Tony Blair conduziram os seus partidos (Democrata e Trabalhista) para a defesa dos interesses do Grande Capital financeiro, virando as costas para a classe média e para a classe trabalhadora industrial que eram as bases eleitorais de suas legendas. Mas a derrocada da Globalização Neoliberal levou à derrota de Hillary para Trump e gerou a ascensão de Jeremy Corbyn, um típico social-democrata keynesiano, para a condição de líder do Partido Trabalhista britânico em 2015. 

Em sua página no Facebook, o meu amigo Diogo Costa perguntou: 


1. Porquê boa parte da esquerda, que protestou contra o neoliberalismo e os acordos de livre comércio, em passado não muito distante, não valoriza a contraposição que Trump está fazendo contra isso?

2. Como a esquerda conseguiu a proeza de perder a bandeira da luta contra a globalização neoliberal e os acordos de livre comércio para a direita - nos EUA, na França, no Reino Unido, etc.?

Esta é a minha resposta:

Isso aconteceu porque neste países os partidos que, antigamente, sustentavam as políticas do Estado de Bem-Estar Social, tipicamente social-democratas e keynesianas, passaram a ser adeptos da chamada 'Terceira Via', que foi, na prática, a rendição dos social-democratas keynesianos para as políticas neoliberais (thatcheristas). 

Isso foi feito por meio da defesa da chamada 'Terceira Via' neoliberal. 

A 'Terceira Via' foi obra de Tony Blair/Anthony Giddens, que transformaram o Partido 
Trabalhista britânico (que construiu o Welfare State no Reino Unido no Pós-Guerra) em uma legenda neoliberal. 

Esse processo foi interrompido apenas com a eleição de Jeremy Corbyn para a liderança do Labour Party em 2015. Uma nova geração de militantes trabalhistas foi responsável por essa vitória. Muitos jovens aderiram ao partido apenas para poder eleger Corbyn como o líder da legenda.
François Hollande e Lionel Jospin, do Partido Socialista Francês, que adotaram as políticas neoliberais da 'Terceira Via'. Jospin promoveu um verdadeiro festival de privatizações e Hollande impôs uma reforma trabalhista tipicamente neoliberal e que é rejeitada pela maioria absoluta dos franceses. Com isso, Hollande se tornou tão impopular que desistiu de tentar a reeleição na eleição presidencial que acontecerá em Maio deste ano.

Mas a maioria dos deputados trabalhistas ainda é adepta da Terceira Via de Blair/Giddens e, por isso, acontecem muitos conflitos entre Jeremy Corbyn e tais deputados neoliberais. 


Mas ele tem o apoio da maioria dos eleitores e militantes do partido e, assim, consegue se manter à frente do mesmo. 

Já nos EUA quem promoveu essa virada do Partido Democrata para o neoliberalismo foi o Bill Clinton. Foi ele, por exemplo, que aboliu a Lei Glass-Steagal, que foi uma das principais medidas adotadas por Roosevelt a fim de impedir que novas crises financeiras acontecessem. Tal lei separou bancos comerciais (de varejo) dos bancos de investimentos.

Ao abolir tal lei, o governo de Clinton acabou permitindo que bancos voltados para atender ao grande público acabassem se fundindo com os bancos de investimentos, que atuam muito mais voltados para a especulação financeira. 

Isso deu origem a gigantescas corporações financeiras, que são 'grandes demais para quebrar'. E quando quebram, o Governo salva as mesmas rapidamente, a fim de impedir que aconteça uma nova Depressão Econômica. 
Políticas tipicamente social-democratas e keynesianas do governo de Franklin D. Roosevelt estão voltando a ser adotadas. Até mesmo Trump fala em promover grandes investimentos públicos em infra estrutura, a fim de gerar empregos qualificados nos EUA, tal como fez Roosevelt em seu longo governo (1933-1945). 

Assim, o governo de Clinton aprofundou as políticas de desregulamentação da economia dos EUA que Reagan havia iniciado. E Obama não fez nada para reverter isso, muito pelo contrário, deu continuidade a políticas que são favoráveis à Globalização Neoliberal e que somente beneficiam os 20% mais ricos da população. 


É por isso que, nos EUA, considera-se que o Partido Democrata traiu e abandonou a classe média e a classe trabalhadora industrial, que sempre formaram a base do seu eleitorado. Essa base eleitoral reunia a maioria absoluta da população e fez com que os Democratas desfrutassem de uma significativa hegemonia política e eleitoral no Pós-29.

Afinal, entre 1932 e 1976 os Democratas venceram as eleições presidenciais de 1932, 1936, 1940, 1944, 1948, 1960, 1964 e 1976 (8 vitórias), enquanto que os Republicanos ganharam apenas em 1952, 1956, 1968 e 1972 (4 vitórias). E mesmo no caso da eleição de 1968, a vitória de Nixon somente foi possível devido ao assassinato de Robert Kennedy, que era o franco favorito para vencer a eleição presidencial daquele ano. 

Com as políticas de Clinton, o Partido Democrata acabou se tornando tão neoliberal quanto o Partido Republicano, que aderiu ao Neoliberalismo devido ao triunfo de Reagan em 1980. Até então, os Republicanos também eram defensores das políticas keynesianas. 
O anti-neoliberal Benoit Hamon (da ala mais esquerdista do PSF) é o virtual candidato a Presidente pelo Partido Socialista Francês em Maio deste ano. Ele venceu o primeiro turno das primárias do PSF neste domingo (22/01/2017) e terá o apoio do terceiro colocado, Arnaud Montebourg, que também é contrário ao neoliberalismo. Hamon defende a criação de uma Renda Básica Universal no valor de 600 Euros mensais e a taxação de riquezas geradas por máquinas e robôs a fim de financiar a Seguridade Social. 

O governo de Nixon, por exemplo, chegou a decretar o controle de preços de vários produtos, devido ao aumento da inflação que foi provocado pelo fim do padrão-ouro do Dólar, motivo pelo qual Milton Friedman disse que ele fez o governo mais socialista da história dos EUA.


As políticas neoliberais promoveram um grande aumento da concentração de renda em todos os países desenvolvidos. 


Nesta eleição presidencial, Trump se beneficiou, sim, dos movimentos que contestavam a hegemonia dos 1% mais ricos e fez um discurso de campanha que atraiu os setores da população que estão descontentes com os rumos do país e de suas vidas, pois estão empobrecendo. Nos EUA, os movimentos do Occuppy também abriram espaço para a ascensão de U.S. Senator Bernie Sanders, que é um típico social-democrata keynesiano. Se ele tivesse sido o candidato Democrata teria vencido a eleição com facilidade. O movimento dos 'Indignados' da Espanha gerou a formação do 'Podemos, que possui um programa tipicamente social-democrata e keynesiano.

Caso o Senador Bernie Sanders tivesse sido escolhido como o candidato à Presidente pelos Democratas, ele poderia ter levado o partido de volta para a defesa das políticas social-democrata keynesianas. Porém, a sua candidatura foi sabotada pelos Clinton e pelas lideranças do partido, o que foi um grave erro, pois ele derrotaria Trump com facilidade (as pesquisas o mostravam com 10 a 15 p.p. de vantagem sobre Trump). 

Na França, o governo de Lionel Jospin foi o que mais promoveu privatizações na história do país. E o governo de François Hollande foi ainda mais neoliberal do que o de Jospin, tendo imposto uma reforma trabalhista tipicamente neoliberal, contra a vontade da maioria dos deputados e eleitores do PSF, bem da maioria absoluta da população francesa, que era majoritariamente contra tal reforma. 

Assim, o PSF também tornou-se uma legenda neoliberal. 
O percentual de trabalhadores sindicalizados despencou nos EUA nas últimas décadas, caindo de 35% (1955) para apenas 11% (2015). No setor privado o percentual de sindicalizados é de apenas 6%. 

Agora, com a crise final do Neoliberalismo Globalizante ficando mais explícita do que nunca, uma grande parte dos líderes, eleitores e militantes do PSF decidiram levar o partido de volta para as suas origens, passando a defender novamente políticas social-democratas keynesianas. 


Com isso, o PSF deverá ter Benoît Hamon (anti-neoliberal) como o seu candidato à Presidente em Maio deste ano.

Logo, está chegando ao fim a época em que os partidos que, antigamente, eram defensores de políticas de defesa do Estado de Bem-Estar Social e que aderiram ao Neoliberalismo tinham condições de vencer eleições.

Agora, em vários países, tais partidos estão ou retornando às suas origens (caso do Partido Trabalhista Britânico) ou estão perdendo rapidamente o seu eleitorado e encolhendo bastante (foi o que aconteceu com o Pasok da Grécia). 

As pesquisas para a eleição presidencial francesa deste ano mostravam que o candidato do Partido Socialista não teria chance alguma. Mas com Hamon na disputa, o quadro pode mudar até Maio. 
'A Doutrina do Choque': Livro de Naomi Klein mostra como a imposição de políticas neoliberais exigiu a adoção de medidas fortemente repressivas por parte de inúmeros governos, no mundo inteiro. Boris Ieltsin, por exemplo, chegou a bombardear o Parlamento russo, em 1993, para impor as políticas neoliberais, que estavam empobrecendo rapidamente o povo russo.  

Trump: É só 'fofoca de campanha'? Nada disso. 


Não e só 'fofoca de campanha,' não, o discurso de Trump. Ele está retirando os EUA do TPP e já anunciou que vai renegociar o NAFTA. Se Canadá e México não concordarem com as mudanças, ele irá retirar os EUA do bloco. Ele também já avisou que não vai tolerar a instalação de indústrias no México para exportar a produção para os EUA, ameaçando taxar a mesma em 35%.

Trump é a demonstração clara de que as elites dos EUA estão rachadas. Uma parte é contra Trump, mas muitos dos membros do Big Business são a favor dele, pois está claro para muitos que os EUA estão vivendo uma fase de decadência. .

Uma das principais causas do empobrecimento da classe média e da classe trabalhadora industrial nos EUA foi o enfraquecimento dos sindicatos. 

Em 1955, 35% dos trabalhadores dos EUA eram sindicalizados, contra apenas 11% atualmente. E no setor privado, esse índice é ainda menor, de apenas 5%. Está explicado porque tantos trabalhadores empobreceram nos EUA e porque os empregos precários estão se disseminando no país. Entre os 31 países membros da OCDE apenas quatro países possuem um percentual menor de trabalhadores sindicalizados do que os EUA.

Tanto o governo de Reagan, quanto o de Thatcher, precisaram reprimir duramente o movimento sindical para poder impor as suas políticas neoliberais excludentes. Sem o enfraquecimento dos sindicatos elas eram inviáveis. 

A Ditadura Militar brasileira teve que fazer o mesmo para poder arrochar os salários dos trabalhadores. No Chile de Pinochet aconteceu a mesma coisa. Na Rússia, o governo ditatorial de Boris Ieltsin chegou a bombardear o Parlamento do país para impor as suas políticas de livre-mercado. 
Trump e Theresa May adotam discursos e políticas nacionalistas e protecionistas, abandonando as políticas neoliberais. Trump se volta mais para a geração de empregos industriais qualificados dentro dos EUA, enquanto que Theresa May faz duras críticas às desigualdades sociais provocadas pelo Neoliberalismo. 

Logo, o enfraquecimento dos sindicatos contribuiu decisivamente para a precarização das relações trabalhistas e para o aumento da concentração de renda, das desigualdades sociais e da pobreza. 


O fato concreto é que a Globalização Neoliberal é sinônimo de crise capitalista. 

Somente o seu fim é que poderá encerrar a crise. No fim das contas, um outro modelo de Globalização irá se impor. E a China e a Rússia, com a política do 'Um Cinturão, Uma Estrada', já estão liderando a mudança. 

Este é mais um motivo pelo qual os EUA irão mudar. Ou os EUA mudam ou ficarão cada vez mais isolados e a sua decadência irá se acelerar nos próximos anos e décadas. 


O governo de Trump será caracterizado pela adoção de um Nacionalismo Protecionista, de uma Política Industrial e um grande aumento dos Investimentos em Infra Estrutura (até parece que Trump está copiando o Lula, mas sem as políticas sociais distributivas que caracterizaram o governo deste). Falta apenas Trump investir na área social. Mas se ele fizesse isso daí já não seria o Trump, mas o Lula ou o Bernie Sanders.
O senador Bernie Sanders poderia ter sido o candidato do Partido Democrata à Presidência dos EUA, mas os líderes do mesmo sabotaram a sua candidatura, pois ele é um duro crítico das políticas neoliberais e defende uma redução drástica dos poderes do sistema financeiro (Wall Street). As pesquisas mostravam que ele derrotaria Trump com extrema facilidade. 

Links:


Trump retira os EUA do TPP:

http://www.dw.com/pt-br/trump-retira-eua-do-maior-acordo-comercial-da-hist%C3%B3ria/a-37244166

Candidato mais à Esquerda, Benoît Hamon vence primeiro turno das primárias do Partido Socialista Francês:

https://www.publico.pt/2017/01/22/mundo/noticia/benoit-hamon-ganha-as-primarias-da-esquerda-francesa-1759286

Trump ameaça BMW, que deseja construir fábrica no México e exportar produção para os EUA:

http://g1.globo.com/carros/noticia/2017/01/trump-tambem-ameaca-bmw-por-fabrica-no-mexico.html

Trump crítica belicista dos EUA para o Iraque:

http://g1.globo.com/mundo/eleicoes-nos-eua/2016/noticia/2016/09/trump-critica-politica-dos-eua-para-o-iraque-na-televisao-russa-20160909144505244662.html
Anthony Giddens e Tony Blair, em 1999, deram início ao projeto da 'Terceira Via' neoliberal, que foi adotada por inúmeros partidos socialistas, trabalhistas e social-democratas europeus, que abandonaram a defesa do Estado de Bem Estar Social keynesiano. O colapso da Globalização Neoliberal, no entanto, enterra o projeto da 'Terceira Via'. Não é à toa que, atualmente, até mesmo a Primeira-Ministra do Reino Unido, Theresa May (do Partido Conservador), e Christine Lagarde (Presidente do FMI) criticam duramente as desigualdades sociais geradas pelo Neoliberalismo. 

José Carlos de Assis: O fim da Globalização:


https://www.brasil247.com/pt/colunistas/josecarlosdeassis/276448/O-fim-da-globaliza%C3%A7%C3%A3o-pela-m%C3%A3o-desesperada-de-Donald-Trump.htm

Os EUA e as Guerras de US$ 6 Trilhões:

http://www.orientemidia.org/guerras-de-seis-trilhoes-de-dolares-dos-eua/

Trump diz que vai renegociar o NAFTA e ameaça abandonar o bloco se não acontecer mudanças:

https://br.sputniknews.com/americas/201701227492163-trump-nafta-eua-mexico-canada/

Moniz Bandeira - Vitória de Trump significa derrota de Wall Street:

http://www.cartacapital.com.br/internacional/dessa-vez-wall-street-perdeu-diz-moniz-bandeira-sobre-trump

George Soros - Trump é aprendiz de ditador e será derrubado:

http://expresso.sapo.pt/internacional/2017-01-20-Trump-e-um-aprendiz-de-ditador-que-vai-falhar-diz-George-Soros
"O Precariado': Livro de Guy Standing mostra que o percentual da população que trabalha em empregos precários aumentou muito nos países desenvolvidos nas últimas décadas. E isso está gerando uma crescente insatisfação popular, que levou à vitória do Brexit, de Trump e à derrota de Matteo Renzi no referendo italiano. 
Pepe Escobar: Por que as Novas Rotas da Seda apavoram os EUA:


Trump e Theresa May são aliados:


Oito homens mais ricos do mundo tem mais riquezas do que os 3,6 bilhões de pobres:


Christine Lagarde dá bronca em Meirelles em Davos e defende que políticas que reduzem desigualdades sociais devem ser prioridade:


Guy Standing: A explosão de raiva dos eleitores ocidentais se deve ao crescimento do trabalho precário!


Pepe Escobar - Vitória de Trump foi revide do povo contra as elites:


Benoit Hamon vence primárias (1o. turno) e deverá ser candidato do PSF à Presidência da França:


Políticas antissindicais aumentaram as desigualdades sociais nos EUA:

A concentração de renda aumentou consideravelmente nos EUA nas últimas décadas. A participação dos mais ricos na renda nacional cresceu de 43% (1970) para 51% (2013). Enquanto isso, a participação dos 80% de menor renda (classe média e pobres) diminuiu de 57% para 49%. 
Hollande impõe reforma trabalhista por decreto, mesmo sem aprovação do Parlamento e com rejeição da maioria absoluta dos franceses:


EUA: 58% dos novos empregos são precários:


A Terceira Via de Tony Blair e Anthony Giddens:


Boaventura de Sousa Santos: As Esquerdas europeias precisam ser refundadas (entrevista de 2011):