Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Concentração de renda despencou nos governos Lula-Dilma e tem rápido aumento no governo Temer! - Marcos Doniseti!

Concentração de renda despencou nos governos Lula-Dilma e tem rápido aumento no governo Temer! - Marcos Doniseti!
Durante os governos de Lula e Dilma o Brasil teve uma queda sensível na concentração da renda do trabalho, que é medida pelo índice de Gini. Mas, agora, no governo Temer (o ilegítimo), tivemos um rápido aumento da concentração de renda, devido às políticas anti-populares que o mesmo adotou, que beneficiam apenas ao Grande Capital Financeiro. 

O índice de Gini mede a distribuição da renda do trabalho entre o conjunto da população. 

Quanto mais o índice está próximo de 1 maior é a concentração de renda e quanto mais ele está perto de 0 menor é a concentração de renda. 

Vejam que quando terminou o governo FHC o índice de Gini do Brasil era de 0,588. 

Durante os governos Lula e Dilma o mesmo despencou (para 0,491) o que significa que tivemos uma melhoria significativ\ na distribuição da renda do trabalho. 

E agora, no governo ilegítimo de Temer, a concentração de renda voltou a subir, com o índice chegando a 0,524. 

Assim, praticamente metade da redução que tivemos durante os governos Lula e Dilma já foi revertida pelo governo neoliberal ultra-radical de Michel Temer e dos partidos que o sustentam no poder (PSDB, MDB, DEM, PTB, PP, PR, PSC, Solidariedade, entre outros). 

Entre as principais causas para que isso acontecesse, tivemos: 

1) Forte aumento do desemprego, que saiu de 6,5% em Dezembro de 2014, para 12,6% em Fevereiro de 2018; 

2) Destruição dos programas sociais;

3) Reajuste do salário mínimo abaixo da inflação por 2 anos seguidos (2017 e 2018);

4) Arrocho salarial no setor privado, pois muitas categorias de trabalhadores sequer conseguiram repor a inflação nos acordos salariais fechados com as empresas; 

5) Aprovação da Terceirização e da Reforma Trabalhista (destruição da CLT), que aumentou a precarização das relações de trabalho, empobrecendo os trabalhadores, que passaram a ganhar menos e a ter menos direitos;

6) Congelamento da tabela do Imposto de Renda por 3 anos consecutivos (2016, 2017 e 2018), o que eleva a tributação sobre os trabalhadores, mesmo aqueles que ganham pouco (2 salários mínimos para cima);

7) Aumento da taxa real de juros: Embora a taxa nominal de juros (Selic) tenha caído, a taxa real aumentou, pois a queda da inflação (provocada pela forte queda no consumo da população) foi mais rápida;

8) Forte redução dos investimentos produtivos, tanto no setor público, quanto no setor privado da economia;

E como a política econômica Neoliberal de Temer é fortemente recessiva e prioriza o setor financeiro e especulativo da economia, a tendência é que a concentração de renda deverá continuar aumentando rapidamente no Brasil nos próximos anos.

E isso já gerou consequências negativas, como foi o caso do aumento da pobreza extrema em 2017, que irei comentar em uma outra postagem. 

Links:

Temer reajusta salário mínimo abaixo da inflação por 2 anos seguidos:

http://www.redebrasilatual.com.br/economia/2018/01/salario-minimo-de-novo-abaixo-da-inflacao-fim-de-uma-politica-publica

Temer corta Bolsa-Família de 543 mil famílias em apenas um mês:

https://www.revistaforum.com.br/temer-vai-acabando-com-bolsa-familia-e-corta-543-mil-beneficiarios-em-um-mes/

Temer suspende reajuste do Bolsa-Família:

http://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2017/07/governo-temer-suspende-reajuste-do-bolsa-familia

Taxa de desemprego em Dezembro de 2014 ficou em 6,5%:


http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/02/desemprego-ficou-em-65-no-quarto-trimestre-de-2014-diz-ibge.html

Taxa de desemprego em Fevereiro de 2018 chega a 12,6%:

https://g1.globo.com/economia/concursos-e-emprego/noticia/desemprego-fica-em-126-em-fevereiro.ghtml

Nenhum comentário: