Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sábado, 12 de maio de 2018

O governo Geisel e a soberania nacional por meio de um desenvolvimento econômico independente! - Marcos Doniseti!

O governo Geisel e a soberania nacional por meio de um desenvolvimento econômico independente! - Marcos Doniseti! 
Livro com mais de 30 horas de entrevistas com o ex-Presidente Ernesto Geisel. 
O governo Geisel foi o mais nacional-desenvolvimentista da época da Ditadura Militar. 

De certa maneira, ele continuou e aprofundou um projeto de desenvolvimento industrial, econômico e tecnológico soberano que havia sido iniciado e levado adiante pelos governos de Vargas, JK e Jango. 

Isso ficou bem claro com a adoção do II Plano Nacional de Desenvolvimento, bem como por meio de uma série iniciativas políticas de forte teor nacionalista e desenvolvimentista que o governo Geisel adotou, tais como:

A) Geisel denunciou o acordo militar com EUA (herança da Guerra Fria);

B) Geisel fez o Brasil se tornar o primeiro país a reconhecer o governo marxista de Angola (MPLA), abrindo espaço para o Brasil na África;

C) Iniciou o programa nuclear, visando dominar tal tecnologia;

D) Completou o Ciclo de Industrialização, com forte presença do Estado Nacional, que foi iniciado por Vargas nos anos 30/40, investindo maciçamente em setores industriais estratégicos: energia, petroquímica, papel e celulose, siderurgia. 
Quatro Presidentes do Brasil que adotaram políticas desenvolvimentistas, nas áreas econômica e social: Vargas, JK, Jango e Lula. Os quatro sofreram tentativas de Golpes de Estado por parte das forças conservadoras e dos EUA. Deve ter sido mera coincidência...
Porque a Grande Mídia e a CIA tentam, agora, desmoralizá-lo e não fazem isso com a figura muito mais negativa de um ditador como o Castello Branco? Porque este último foi o responsável por implementa4r uma política Neoliberal e Entreguista, que foi comandada pela dupla Bulhões-Campos, bem ao gosto dos interesses dos EUA.

Castello Branco adotou uma política recessiva, desnacionalizante, privatista, promoveu um brutal arrocho salarial (e para isso ele reprimiu fortemente o movimento sindical, afastando mais de 10 mil dirigentes sindicais dos seu cargos, para os quais haviam sido eleitos), fechou os partidos políticos, adotou os AIs (Atos Institucionais) para promover um processo de perseguição e destruição da oposição. 

Assim, por exemplo, os estudantes foram proibidos de atuar politicamente (proibiçãlo imposta pela Lei Suplicy de Lacerda) e os massacres de trabalhadores rurais e camponeses, por parte dos latifundiários, tornaram-se rotineiros. Vide o que aconteceu com as Ligas Camponesas e com os Sindicatos de Trabalhadores Rurais em seu governo. 


'Folha de S.Paulo' noticiando a imposição do AI-2, pelo governo ditatorial de Castello Branco. Com o AI-2, a Ditadura Militar passou a ter o poder de suspender os direitos políticos de qualquer pessoa por 10 anos e os partidos políticos existentes foram extintos, sendo substituídos pela ARENA e MDB. As instituições Legislativas também podiam ser fechadas a qualquer momento. 

A política externa de Castello Branco foi tão submissa aos interesses dos EUA que até estes se sentiram incomodados com tal subserviência. Foi no governo de Castello Branco que o embaixador brasileiro nos EUA, Juraci Magalhães, disse uma frase histórica: 'O qué é bom para os EUA é bom para o Brasil'. Depois disso, Juraci foi nomeado para ser o Ministro das Relações Exteriores pelo mesmo Castello Branco. 


Aliás, o governo de Castello Branco foi tão subserviente e puxou tanto o saco dos EUA que o saco dos ianques começou a ficar muito dolorido. Até o governo dos EUA reclamou dos exageros de Castello Branco em sua submissão, pois os EUA queriam passar para o mundo a ideia de que eles não eram tão influentes, assim, no Brasil. 

Afinal, quando ocorreu o Golpe de Estado que derrubou Jango, os EUA foram o primeiro país a reconhecer o governo golpista recentemente instalado, praticamente ao mesmo tempo em que o Golpe ainda estava em desenvolvimento. 
Donald Rumsfeld, Dick Cheney e Paul Wolfowitz (os três primeiros na parte de cima da foto) estão entre os principais nomes dos Neocons, que pretendem impor uma Ditadura Global dos EUA durante todo o século XXI. Suas políticas foram adotadas pelo governo de Bush Jr. e tiveram continuidade nos governos de Obama e Trump.

Castello Branco chegou a enviar soldados brasileiros para invadir a República Dominicana, em 1965, na qual o povo havia eleito um presidente Socialista (Juan Bosch). Aliás, também faltou pouco para Castello Branco enviar soldados brasileiros para lutar no Vietnã. 


De fato, a última coisa que os EUA toleram, no mundo todo, são governos nacionalistas e desenvolvimentistas, que fazem com que suas nações se tornem soberanas e independentes economicamente e que atuam de forma altiva no cenário mundial, defendendo seus interesses nacionais. 

Isso explica porque os EUA se aliam com os governos obscurantistas pelo mundo afora, como os da Arábia Saudita (que é a maior financiadora do extremismo islâmico no mundo, levando o Terrorismo e a Guerra para inúmeros países, fato este que é de total conhecimento dos EUA), para destruir os governos nacionalistas e laicos do Iraque, Líbia e Síria.

Estes três países adotavam as políticas nasseristas de unificação dos povos árabes em torno de um projeto de desenvolvimento econômico soberano e também queriam fazer seu comércio externo sem usar o Dólar, o que deixa os EUA em pânico, pois é o fato do Dólar ser a moeda mais usada no mundo inteiro que sustenta o seu Império e a sua imensa Riqueza. 
Eles quiseram abandonar o Dólar. E todos foram ou são atacados pelos EUA. Deve ser coincidência. 

Então, não foi coincidência que os EUA tenham promovido Guerras brutais contra os três países árabes mais nacionalistas, devastando todos eles. 


Os EUA assassinaram Saddam e Khadafi, dois nacionalistas seguidores de Nasser, e somente não fizeram o mesmo com Assad (outro nasserista) porque Rússia e Irã, em especial, não permitiram. 

Assim, os ataques contra Geisel não são feitos à toa, pois ele comandou o mais nacionalista de todos os regimes militares.

Não se iludam: Os ataques da Grande Mídia e da CIA contra Geisel não foram feitos porque eles se preocupam com os Direitos Humanos, mas pelo fato dele ter liderado um governo com forte tom nacionalista e desenvolvimentista.

E atualmente esses tipos de governo são os maiores inimigos do Império Ianque, que leva adiante, desde os atentados de 11/09/2001, um Projeto de dominação global denominado PNAC (Projeto para um Novo Século Americano, que já comentei em vários textos publicados em meu blog). 

O PNAC prevê a derrubada de todos os governos, do mundo inteiro, que não se submetam aos interesses estratégicos dos EUA, principalmente daqueles governos que adotam políticas nacionalistas e reformistas, tal como os de Lula-Dilma, Chávez-Maduro, Evo Morales, Assad, Khadafi, Saddam, entre outros. 
Nasser foi o criador do Pan-Arabismo, do qual Saddam, Khadafi e Assad eram seguidores. O único que permanece vivo e governando é Assad, devido ao forte apoio que recebeu da Rússia e do Irã na guerra que sofreu por parte dos extremistas islâmicos. 

O objetivo é fazer com que o Mundo inteiro seja totalmente dominado pelos EUA, criando-se uma Ditadura Global Ianque que garanta a hegemonia total dos EUA até o final do século XXI. 


Tal projeto é comandado pelos Neocons, que nunca esconderam do público quais são os seus objetivos. Entre os seus principais nomes, temos Donald Rumsfeld, Paul Wolfowitz e Dick Cheney, que ocuparam cargos estratégicos no governo de Bush Jr. 

E para levar tal política adiante, os EUA adotaram estratégias variadas: 

1) Processos de Desestabilização, usando da Mídia e das Redes Sociais, que espalharam Fake News a respeito dos governos reformistas e nacionalistas destes países (acusando-os de corrupção, por exemplo), que o jornalista Pepe Escobar chamou de 'Guerra Híbrida';

2) Golpes de Estado, militares ou pela via institucional, tal como ocorreu em Honduras, Paraguai e Brasil;

3) Invasões diretas por militares e mercenários pagos pelo Império Ianque. Exemplo: No Iraque tivemos 180 mil soldados das Forças Armadas dos EUA e mais 160 mil mercenários lutando  para derrubar Saddam e para lutar contra as forças da Resistência iraquiana;
'A Segunda Guerra Fria': Livro de Luiz Alberto Moniz Bandeira, um dos poucos especialistas brasileiros em questões internacionais e que faleceu recentemente. 

4) Guerras por Procuração (terceirizadas), como essa que foi levada adiante na Síria, que foi invadida por mais de 100 mil extremistas islâmicos, originários do mundo inteiro (países muçulmanos, Europa, Austrália, etc), que foram financiados e armados pelos EUA-OTAN, Israel, Arábia Saudita-CCG (Conselho de Cooperação do Golfo) e Turquia.  


Desta maneira, os EUA promovem o Caos e a Desordem pelo mundo inteiro, gerando a destruição de inúmeras nações, que ou são totalmente devastadas e se desintegram (caso da Líbia), ou que sofrem  um tal processo de desmonte das suas principais Instituições que a existência de um governo forte e que una o país em torno de um projeto nacional de desenvolvimento torna-se praticamente inviável (Ucrânia; Brasil atual).

Exemplo deste último caso é o Brasil, que está bastante fragmentado politicamente, sem possuir nenhuma força política e social organizada que esteja em condições, neste momento, de comandar um processo de reconstrução nacional. 

A existência de tantos candidatos para o pleito presidencial deste ano, no Brasil, é uma constatação do fato, embora Lula lidere as pesquisas com folga, motivo pelo qual ele foi preso. Aliás, eu disse, aqui no blog, em Fevereiro de 2017, que a prisão de Lula poderia vir a acontecer. Infelizmente acertei.

Muito dificilmente o Brasil irá se recuperar no curto ou médio prazo da crise atual, pois a fragmentação política e social que atinge o país neste momento, bem como o virtual desmonte do Estado Nacional (que sempre foi o responsável pelo desenvolvimento econômico e social do país), irão demorar muito tempo para serem revertidos. 

Se é que isso irá acontecer.
A Grande Mídia brasileira comemorou a vitória do Golpe de 64, que resultou na instalação de uma Ditadura Militar de 21 anos. Entidades empresariais apoiaram o Golpe e ajudaram a financiar a criação do aparato de repressão que matou milhares de pessoas. 

Porque a Ditadura não foi apenas Militar!


É bom esclarecer que ninguém aqui está querendo justificar ou muito menos defender as horripilantes torturas e assassinatos de oposicionistas e de cidadãos comuns que aconteceram durante os 21 anos de Ditadura Militar (1964-1985). 

Já escrevi e publiquei inúmeros textos, aqui no blog, sobre o assunto e neles eu denunciei e condenei tais violências, que foram de uma brutalidade e desumanidade indescritíveis e inacreditáveis. 

Mas estou chamando, nesse texto, a atenção para o fato de que está se atacando apenas ao Ernesto Geisel por tais crimes, como se ele, sozinho, comandasse todo o aparato de repressão da Ditadura Militar, o que é uma arrematada asneira. 

O governo mais violento e repressivo da Ditadura Militar foi o de Médici (1969-1974), cujo nome sequer é citado nessas recentes informações divulgadas pela Grande Mídia e que foram baseadas em informes da CIA. 

E na verdade tais violências ocorreram durante toda a Ditadura Militar e começaram já no mandato de Castello Branco (1964-1967), perdurando até o governo de Figueiredo.
O jornal 'O Globo' comemora a vitória do Golpe de 64 e a 'eleição' indireta, pelo Congresso Nacional, e posse de Castello Branco como o novo Presidente do país.

Além disso, toda a Burguesia brasileira (latifundiários, banqueiros, industriais), bem como a Classe Média e a Igreja Católica, apoiou o Golpe e a instalação desse aparato repressivo. A Grande Mídia que, agora, divulga tais informações, também apoiou ostensivamente o Golpe de Estado e a Ditadura Militar. 


O jornal 'O Globo' saudou a derrubada de Jango como sendo o 'ressurgimento da Democracia' e a própria 'Rede Globo' foi criada e cresceu muito devido à imensa ajuda da Ditadura Militar. A 'Folha de S.Paulo', por sua vez, chegou a escrever editoriais elogiando a Ditadura de Médici e, há poucos anos, disse que a Ditadura Militar foi apenas uma 'Ditabranda'. Não foi. Mas a 'Folha' disse isso porque culpa no cartório, pois apoiou o Golpe e a Ditadura Militar. Ela chegou a demitir um diretor de Redação (Cláudio Abramo) porque o mesmo era declaradamente socialista e isso não era bem visto pela Ditadura.

Portanto, é um verdadeiro festival de hipocrisia da Grande Mídia falar, neste momento, sobre as torturas e os crimes da Ditadura Militar como se ela não tivesse nada a ver com isso. Tem. E muito. A Grande Mídia também é responsável por tais crimes. 

Também é bom lembrar da participação da maior parte dos membros do Congresso Nacional no Golpe, principalmente dos políticos da UDN e do PSD, os dois maiores partidos conservadores da época. O então presidente do Senado afastou Jango do cargo, declarando vaga a Presidência da República, sob a falsa alegação de que o então Presidente da República estaria fora do país, o que era mentira. 


Padre Patrick Peyton, financiado pela CIA, veio ao Brasil promover manifestações a partir do final de 1963, o que acabou resultando na realização das 'Marchas da Família'. Sua pregação anti-comunista o tornou uma figura muito popular entre milhões de brasileiros. 

A Igreja Católica também apoiou o Golpe, tendo uma participação fundamental na realização de uma maciça campanha de propaganda anti-comunista durante os anos anteriores ao Golpe, bem como na organização das chamas 'Marchas da Família', que apoiaram o movimento golpista e que mobilizaram, especialmente, a classe média, na qual a influência da Igreja Católica era significativa. Nestes protestos e 'Marchas' tivemos a participação do Padre Peyton, que era financiado pela CIA. 


A classe média, especialmente em 1964, saudou a vitória do Golpe e tivemos inúmeras manifestações populares, reunindo centenas de milhares de pessoas, pelo país inteiro, nos meses seguintes ao Golpe. A manifestação do dia 02 de Abril de 1964, no Rio de Janeiro, virou uma festa da classe média pela vitória do movimento golpista. Depois do início do 'Milagre Brasileiro', em 1968, a classe média reforçou este apoio à Ditadura Militar. 

Portanto, temos que deixar claro que os militares somente ficaram no poder por tanto tempo devido ao fato de que tiveram um substancial apoio de setores expressivos e poderosos da sociedade brasileira. 

Logo, se as mãos dos Ditadores estão sujas de sangue pelas torturas e crimes cometidos pela Ditadura Militar, o mesmo pode ser dito dos setores sociais que apoiaram o Golpe e sustentaram a Ditadura Militar. 
Livro de Stephen Kinzer, que mostra como os EUA derrubaram o governo nacionalista e reformista de Mossadegh, que havia nacionalizado a indústria do petróleo e criado leis trabalhistas, em 1953. O método usado naquele momento foi, depois, aplicado com sucesso por toda a América Latina nos anos 1950/60/70.

Links:


Juraci Magalhães e sua frase imortal:

http://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/AEraVargas1/biografias/juraci_magalhaes

Castello Branco e o envio de soldados brasileiros para invadir a República Dominicana:

http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/blog-na-rede/2015/05/brasil-foi-subimperialista-ao-participar-da-invasao-da-republica-dominicana-1976.html

O AI-2 imposto por Castello Branco:

http://justificando.cartacapital.com.br/2015/11/17/historicizar-e-preciso-50-anos-do-ai-2-e-o-mito-da-boa-ditadura/

Cães de Guarda - A Grande imprensa e a Ditadura Militar;

https://www.pstu.org.br/caes-de-guarda-imprensa-burguesa-e-ditadura-militar/

A atuação do Padre Peyton na promoção do Golpe de 64:

https://jornalggn.com.br/noticia/a-relacao-de-patrick-peyton-com-a-ditadura-militar

Nenhum comentário: