Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 9 de setembro de 2012

História comprova o conservadorismo de SP! - por Marcos Doniseti!

História comprova o conservadorismo de SP!  - por Marcos Doniseti!

Conservadorismo é um fenômeno histórico na capital paulista e no estado de São Paulo!


Força política-eleitoral de Russomanno não é nenhuma surpresa, portanto"




A história política da capital paulista e do estado de São Paulo comprovam o seu conservadorismo.


Senão, vejamos:


Desde 1985, São Paulo teve os seguintes prefeitos eleitos: Jânio (1985), Erundina (1988) , Maluf (1992), Pitta (1996), Marta (2000), Serra (2004), Kassab (2008).


São 28 anos de governo. Destes, em 20 anos a capital paulista ficou sob governos claramente conservadores e apenas 8 anos sob governos mais progressistas (Erundina e Marta).


Nas eleições presidenciais, Lula venceu apenas uma vez, em 2002, na capital paulista. Foi derrotado em 1989, 1994 e 1998. Depois voltou a ser derrotado em 2002 e em 2006. Dilma também perdeu para Serra em 2010.


Nas eleições para o governo do estado, ocorre o mesmo fenômeno: candidatos conservadores sempre  vencem. O estado de São Paulo NUNCA elegeu um governador de Esquerda. NUNCA!


Antes do Golpe de 64, que colocou fim às eleições diretas para prefeito da capital e para o governo do estado, candidatos conservadores venceram TODAS as eleições para os governos da capital paulista e para o governo estadual, sem nenhuma exceção.


Nem o PTB getulista-trabalhista do período 1945-1965 conseguiu criar raízes no estado. Ele sempre foi fraco em SP. Mesmo Getúlio Vargas, para conseguir o voto dos operários paulistas e vencer a eleição presidencial no estado, em 1950, teve que fazer aliança com Adhemar de Barros, que o apoiou em 1950 em troca de receber o apoio de Vargas em 1955. 


E se recuarmos ainda mais no tempo, veremos que o resultado das eleições na capital paulista e no estado de SP deixa isso bem claro: Com as únicas exceções de Erundina e de Marta, em todas as outras eleições os conservadores venceram as eleições disputadas na cidade e no estado de SP nos últimos 80 anos.

E mesmo as vitórias de Erundina e de Marta se deram em condições muitos especiais: Erundina, bem como outros candidatos do PT pelo país afora, se beneficiou politicamente do assassinato de 3 operários pelo Exército na CSN. 

A insatisfação com o governo Sarney era crescente (o Plano Cruzado tinha desmoronado entre o final de 1986 e o começo de 1987 e a crise econômica era muito 
forte nessa época).

A impopularidade crescente do governo Sarney, junto com a morte dos operários na CSN, criou as condições para a vitória do PT em SP, Campinas, no ABCDM, em Porto Alegre, etc.

Marta Suplicy venceu, por sua vez, por ter enfrentado um Maluf já enfraquecido devido ao desastre que foi o governo Pitta. 

Da mesma forma que Serra, agora, paga o preço da impopularidade do governo Kassab, Maluf pagou o preço da tragédia que foi o governo Pitta. Daí, a vitória de Marta ter se tornado possível.

Assim, com essas duas únicas exceções, em todas as outras oportunidades as forças conservadoras venceram todas as eleições realizadas em SP e isso já acontece há mais de 80 anos.

Desconhecer ou ignorar a força deste conservadorismo é um grave erro, sem dúvida alguma. Afinal, são mais de 80 anos hegemonia conservadora em SP. 

Nem todos sabem do fato, mas a razão principal que provocou a chamada 'Revolta de 1932' não tem nada a ver com o desejo de se elaborar um nova Constituição ou com a nomeação de um interventor paulista para governar o estado de SP.

Ambas as reivindicações já haviam sido atendidas pelo governo de Getúlio Vargas quanto estourou a revolta dos paulistas, em 09 de Julho de 1932. Vargas já havia confirmado a realização de eleições para uma Assembléia Constituinte (e que seriam realizadas em 1933, como de fato aconteceu) e havia nomeado um conservador e tradicional político paulista, Pedro de Toledo, como interventor.

Então, o que provocou a revolta que visava derrubar Vargas? É que este se recusou a atender a principal reivindicação dos paulistas, que era a extinção das leis trabalhistas já assinadas por Vargas.

Como este não atendeu a isso, a revolta estourou. Assim, esta foi uma revolta de caráter essencialmente reacionário.

Aliás, foi justamente por isso que os operários paulistas se recusaram a participar da revolta contra  Vargas, pois eles se sentiam beneficiados pela criação das leis trabalhistas.

Aliás, o 'Estadão', que sempre expressou a opinião do conservadorismo paulista, também fez campanha contra a Lei Áurea. Isso mesmo. Ele dizia que se a mesma fosse aprovada a economia brasileira iria quebrar. Pode uma coisa dessas?

Assim, se dependesse apenas das elites conservadoras de São Paulo, nem a Lei Áurea e nem as leis trabalhistas jamais teriam entrado em vigor.

Então, a história demonstra, de forma clara, a hegemonia política conservadora na capital paulista e no estado de São Paulo.


Querer negar isso é entrar em conflito com décadas de história. 




Entao, não é surpreendente que, em função da fraqueza da candidatura de José Serra, um outro candidato conservador, Celso Russomanno, lidere as pesquisas na cidade de São Paulo.


Russomanno é, claramente, um candidato conservador. 

1) Idéias: Russomanno defende que se use hormônios inbidores do desejo sexual contra criminosos sexuais... mais medieval do que isso, é difícil.


2) Discurso: Russomanno defendeu que exista uma igreja em cada quarteirão. Isso resolveria todos os problemas da capital paulista, segundo ele;


3) Apoios: Vejam só quais as forças organizadas que dão sustentação à candidatura de Russomanno: Igreja Universal, Igreja Renascer, Assembléia de Deus.


Portanto, tudo em Russomanno indica um claro e nítido conservadorismo.


Só não vê isso quem não quer ou quem ainda não se deu conta de qual é a natureza do fenômeno Russomanno.


Russomanno criticou o fato de que alguns candidatos possuem 'padrinhos políticos', o que é algo absolutamente normal e tradicional na política brasileira. Ele diz que não precisa dos mesmos. Claro que não. Até porque, os seus padrinhos não são políticos, mas religiosos. Afinal, são pastores da Igreja Universal que controlam e comandam a sua campanha, certo?


E muitos desses políticos originários de igrejas, das mais variadas denominações, respondem a inúmeros processos judiciais. (ver link abaixo). Assim, o fato de pertenceram a Igrejas não é garantia alguma de que terão uma postura correta na vida política. 


Russomanno também costuma dizer que seus padrinhos são os eleitores, ignorando a existência de importantes instituições nas quais se desenvolve a atividade política, como os partidos políticos, os sindicatos, o Parlamento, entre outras.


Candidato de um partido minúsculo, que tem o apoio de forças conservadoras, adota um discurso anti-políticos e que ignora as instituições. 


Isso não lembra ninguém, não? Claro que sim.


Esse tipo de discurso já foi muito utilizado na história brasileira, em especial pelos ex-presidentes Jânio Quadros e Fernando Collor. 


O primeiro (Jânio) renunciou depois de apenas sete meses de mandato. E o segundo (Collor) foi afastado da presidência da República após um processo de Impeachment que mobilizou milhões de pessoas no país inteiro em gigantescas manifestações populares. Ambos fracassaram em seus governos.


Agora, só falta Russomanno usar a vassoura como símbolo político (ou seria uma aspirador de pó?). dizer que tem 'aquilo roxo' e gritar 'Não me deixem só!'.


Isso não vai acabar bem...


Links:


Russomanno usa estrutura da Igreja Universal em sua campanha:


http://www1.folha.uol.com.br/poder/1150580-russomanno-usa-estrutura-da-universal-na-campanha.shtml


Russomanno diz que não tem padrinhos políticos:


http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,russomanno-critica-uso-de-padrinhos-politicos-por-adversarios,922211,0.htm


Russomanno defende uma igreja em casa quarteirão:


http://eleicoes.uol.com.br/2012/noticias/2012/08/22/gostaria-que-tivesse-uma-igreja-em-cada-quarteirao-diz-russomanno.htm


Maioria dos deputados ligados à Igrejas responde a processos judiciais:


http://www.paulopes.com.br/2012/04/maioria-dos-deputados-evangelicos.html

Nenhum comentário: