Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 14 de outubro de 2012

Hasteamento de bandeiras marca retomada do conjunto de favelas de Manguinhos!

Hasteamento de bandeiras marca retomada do conjunto de favelas de Manguinhos

14/10/2012 - Vladimir Platonow - Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – O hasteamento das bandeiras do Brasil e do Rio de Janeiro, às 10h30 de hoje (14), marcou a retomada do conjunto de favelas de Manguinhos, na zona norte do Rio, pelas forças de segurança. A solenidade foi realizada em uma praça na comunidade João Goulart e assistida por dezenas de moradores, com a presença de policiais civis, militares, rodoviários federais (PRF) e dos fuzileiros navais, além de representantes da Defensoria Pública do estado.

O comandante do Batalhão de Operações Especiais (Bope), tenente-coronel René Alonso, considerou tranquila a ocupação do território. “A incursão ocorreu de forma tranquila, com o apoio da Marinha, da forma que se esperava, sem vítimas. O território está retomado, agora vamos trabalhar. O desafio é vasculhar a região e, para isso, contamos com o apoio da população, por meio de informações”, disse René.

O Bope utilizou 150 homens na operação e permanecerá por cerca de quatro meses em Manguinhos, com cerca de 50 policiais por turno, até ser instalada a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Segundo o oficial, serão necessárias pelo menos quatro bases para atender à região.

A praça onde foi instalado o mastro das bandeiras foi construída pelo comerciante Marcelo de Carvalho, que tem uma padaria em frente. “Isso tudo era um lixão, cheio de ratos. Nós fizemos a praça nesse espaço degradado, aproveitando as sobras das obras do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento]”, contou Marcelo, que estuda ciências sociais na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

O defensor público Felipe Almeida explicou que a presença da instituição visa a garantir o respeito aos direitos humanos e que deverá ser instalado um núcleo da defensoria em breve. “Nós viemos para ver se tudo ocorreu dentro do respeito às leis, se houve algum relato de maus-tratos praticados pela polícia, mas os moradores receberam as forças policiais na maior tranquilidade”, disse o defensor.

Além de Manguinhos, também foram ocupadas as comunidades do Jacarezinho, de Mandela e de Varginha. No Jacarezinho foram utilizados efetivos da Polícia Civil, que permanecerão no local, ainda sem data prevista para receber a UPP. Dentro de alguns meses, será inaugurada na área a Cidade da Polícia, reunindo em um só lugar todas as delegacias especializadas.

Edição: Graça Adjuto

Link:

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-10-14/hasteamento-de-bandeiras-marca-retomada-do-conjunto-de-favelas-de-manguinhos

Nenhum comentário: