Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Jornal do sindicato dos bancários sofre ação de censura de coligação de Serra!

Jornal do sindicato dos bancários sofre ação de censura de coligação de Serra

Da Rede Brasil Atual, 04/10/2012 - 
Publicado em 04/10/2012



O jornal do Sindicato dos Bancários de São Paulo foi alvo de apreensão na noite desta quinta-feira (4). Um policial militar e uma oficial de Justiça estiveram na sede da entidade no centro da cidade, com ordem de busca e apreensão da Folha Bancária, e de arrombamento, “se necessário”. A ameaça de arrombamento foi confirmada por prestador de serviço de uma das subsedes da entidade visitadas pelos agentes.
A operação foi resultado de uma representação encaminhada pela coligação do candidato José Serra (Avança São Paulo – PSDB, PSD, DEM, PV e PR) à Justiça Eleitoral. A ação alega que o jornal da entidade contém matéria que "denigre" a imagem do candidato tucano a prefeito de São Paulo. A concessão de liminar foi assinada pela juíza Carla Themis Lagrotta Germano. Alguns jornais procuraram o sindicato para repercutir a movimentação antes mesmo de ação de apreensão começar.
O jornal trazia entre suas reportagens uma que analisava as principais candidaturas à prefeitura de São Paulo. E declarava o apoio da maioria da direção executiva da entidade a Fernando Haddad (PT). Segundo dirigentes da entidade, Haddad foi o único dos postulantes a receber o documento Agenda da Classe Trabalhadora e a se comprometer com pontos do texto relacionados a reivindicações de interesse dos trabalhadores elaboradas pelo movimento sindical.
 “O Sindicato tem quase 90 anos e sempre defendeu a liberdade de expressão. Desde o ano passado estamos fazendo o debate, com os bancários, do que afeta a vida dos trabalhadores. Além da campanha salarial e por melhores condições de trabalho, somos um sindicato cidadão, que se preocupa com a cidade, o estado e o país. Sabemos da importância desse debate”, afirma a presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira. “Os trabalhadores têm direito a analisar as propostas dos candidatos. Pode haver divergência, mas repudiamos a censura e sempre lutamos pelo fortalecimento da democracia”, ressalta a dirigente, lembrando que a Folha Bancária coloca em prática o bom jornalismo. “Só não pudemos noticiar o plano de governo de um dos candidatos que não tem seu material divulgado nos sites oficiais da campanha.”
Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, a ação agride o direito de informação dos trabalhadores. “Todos os veículos se expressam e respeitamos. Defendemos a liberdade de imprensa, o direito à livre manifestação e foi isso que colocamos em prática. É o nosso ponto de vista, podem concordar ou discordar, mas não censurar”, ressalta o dirigente. "A democracia pela qual tanto lutamos não prevê que só um segmento da sociedade que é privilegiado pela imprensa comercial convencional tem o direito de se expressar."
Não é a primeira vez que o PSDB investe contra a liberdade de expressão dos trabalhadores. A Revista do Brasil foi alvo de censura desencadeada por ações do partido em 2006 e em 2010, quando trazia material jornalístico a respeito dos processos eleitorais em questão – a reeleição de Lula e a eleição de Dilma Rousseff. Recentemente, o candidato Serra agrediu verbalmente um repórter da Rede Brasil Atual que tentou entrevistá-lo durante uma atividade de campanha. O tucano, depois de se recusar a responder uma pergunta incômoda, chamou o jornalista de sem-vergonha.
Com informações de www.spbancarios.com.br
Link:

Nenhum comentário: