Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

domingo, 16 de dezembro de 2012

Dilma fortalece relações com a Rússia!


Com sete acordos, Dilma encerra viagem fortalecendo relação com russos - do Opera Mundi




Áreas de cooperação em defesa e na organização de megaeventos esportivos objetos de parcerias estratégicas entre os dois países


A presidente brasileira, Dilma Roussef, se encontrou com o presidente russo, Vladimir Putin, no Kremlin

A presidente Dilma Rousseff deixou a Rússia algumas horas antes do previsto e embarcou para o Brasil neste sábado de manhã (15.12), encerrando a sua agenda de viagens internacionais de 2012. O voo estava programado para as 18h locais (12h em Brasília), mas a presidente adiantou o embarque e se dirigiu ao aeroporto às 11h locais, viajando logo em seguida. O voo faz uma escala técnica em Marraquech e continua com destino a Fortaleza.
A visita política a Moscou durou apenas 58 horas e foi marcada por um forte discurso de aproximação entre os parceiros estratégicos do grupo dos Brics (Brasil, Rússia, Índia e China). Em todos os pronunciamentos na capital russa, Dilma enfatizou a importância de que os dois países unam esforços para que a multipolaridade do mundo seja refletida nas organizações internacionais, como o FMI e a ONU. Temos “visões convergentes  (...) e nossos países defendem um mundo (...) que reflita as profundas transformações pelas quais passa a humanidade”.
O “significativo progresso material experimentado” pela Rússia e pelo Brasil na última década também foi mencionado repetidas vezes pela presidente Dilma, tanto no discurso de encerramento do II Fórum Empresarial Brasil-Rússia, no hotel Ritz Carlton, quanto no encontro bilateral com o presidente Vladimir Putin, no Kremlin, ambos na tarde de sexta-feira (14.12).

(Dilma Roussef conversa com jornalistas presentes no Kremlin)
Durante a assinatura de atos feita no Kremlin, com o presidente Vladimir Putin, Dilma quis quebrar a formalidade da cerimônia e contou uma história “que os brasileiros gostam muito, relacionada ao futebol”.  Ou pelo menos, tentou.
- Quando nós disputamos a Copa do Mundo aqui...
E um dos membros da comitiva diplomática brasileira corrigiu: “Foi na Suécia...”
- Aliás, foi na Suécia, mas nós disputamos a final contra a Rússia – continuou a presidente.
Outro membro da comitiva corrigiu: “Semifinal”
A presidente, de maneira simpática, replicou:
- Você veja (digindo-se a Putin) que os nossos ministros estão, todos eles, muito atentos aos detalhes futebolísticos que envolvem a Rússia e o Brasil.
E segue: “A parte interessante não está no jogo, está antes do jogo. O treinador do nosso time, Vicente Feola, chamou o nosso querido e inesquecível Garrincha e disse ‘Você entra pela direita, corta à esquerda, centra a bola e faz o gol’. E Garrincha respondeu: ‘Senhor treinador, você combinou com os russos?”.
O público presente riu discretamente, provavelmente achando mais engraçado o fato da presidente não ter sabido contar a piada. E Dilma conclui: “E eu quero dizer que eu vim aqui para combinar com os russos. Dessa vez”.
O “combinar com os russos” diz respeito a sete acordos assinados entre os dois países, nas áreas de cooperação em defesa e na organização de megaeventos esportivos. Na visita à Rússia, Dilma não conseguiu suspender o embargo da Rússia à carne suína de três estados brasileiros (MT, RS e PR). Os russos continuarão analisando se o Brasil cumpre com todos os requisitos sanitários exigidos pela OIE (Organização Mundial de Saúde Animal, na sigla em francês).

Política externa
O conflito na Síria também fez parte da agenda das conversas entre Rússia e Brasil. Dilma foi categórica: “O Brasil acha que não existe solução militar para o conflito sírio. Aqueles que defendem a solução dos conflitos através das armas têm tido grandes problemas”. Como exemplo, a presidente citou o Afeganistão, o Iraque e a Líbia”
A presidente afirmou que as intervenções, na maioria dos casos, em vez de estabilizar, criam mais impasses e conflitos que duram muito tempo. E disse ainda que “o governo de Damasco é o maior responsável pelo início dos conflitos armados, mas as oposições no país são muitas vezes armadas por potências externas”.
Quando perguntando a respeito de como celebraria o seu aniversário (Dilma completou 65 anos ontem), a presidente brincou com jornalistas: “Bolinho não tem, não. Bolinho engorda. Meninas, bolinho engorda”. Um dos jornalistas sugeriu: “Estrogonofe”. Dilma, de maneira descontraída, respondeu que também não tinha comido estrogonofe (prato típico da Rússia) e devolveu a pergunta aos jornalistas. Um profissional da imprensa respondeu: “Sim, estrogonofe. Com carne brasileira”.

Link:

Nenhum comentário: