Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Diminuição do custo nos portos aumentará competitividade da economia!

Diminuição do custo nos portos aumentará competitividade da economia, avalia economista da FGV

06/12/2012 - Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – O sucesso do programa de estímulo à competitividade do setor portuário, anunciado hoje (6) pela presidenta Dilma Rousseff, vai depender dos atrativos que as medidas apresentarem para a participação do setor privado. A avaliação é do economista Maurício Canedo, da Fundação Getulio Vargas (FGV). “Sendo construídos os incentivos corretamente, a redução do custo logístico certamente tem impacto muito grande sobre a competitividade da economia brasileira e sobre o crescimento”, disse.
Canedo assegurou que “tão ou mais importante que o dinheiro que vai ser colocado é a construção adequada de incentivos”. Isso envolve o estabelecimento de metas e de fiscalização. “Porque o investimento por si só não resolve se você não tiver metas e incentivos adequados para que aquele porto opere de maneira eficiente”.

Para o economista, ainda é difícil prever se os R$ 54,2 bilhões que serão investidos pelo governo e pela iniciativa privada irão resolver o problema dos portos no país, uma vez que “mesmo as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), eventualmente, têm dificuldade de sair do papel”. É preciso, acentuou, examinar-se os detalhes na parte pública e privada.

Maurício Canedo destacou que um porto é eficiente não só pela rapidez com que faz o transbordo e a transferência de carga , mas por tudo que está no seu entorno. Segundo ele, para quem está transacionando mercadoria, um porto é mais atrativo se tem custo baixo e menor tempo de operação. Para isso, deve constar do seu planejamento a integração com os demais modais de transporte.

O economista da FGV considerou como importante, entre as medidas anunciadas pela presidenta da República, a que trata da diminuição da burocracia nos portos e dos procedimentos alfandegários sucessivos. “Se colocar isso em prática, seria interessante”, disse Canedo, ressaltando que a eliminação dos trâmites burocráticos terá impacto significativo na competitividade dos produtos brasileiros.
 
Edição: Aécio Amado

Link:

Nenhum comentário: