Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Joseph Stiglitz: Europa é o maior risco para a economia mundial!


Stiglitz: Europa é o maior risco para a economia mundial - do Vermelho


Zona do Euro mergulhou numa grave crise econômica, financeira e social  em função do fracasso das políticas neoliberais e de uma especulação financeira e endividamento desenfreados. 

O nobel da economia norte-americano, Joseph Stiglitz, afirma que o maior perigo para a economia mundial em 2013 será a Europa e que a Espanha e a Grécia são os principais pontos de preocupação.


No contexto europeu, o nobel norte-americano rejeita a ideia de que um pacto orçamental possa ser uma forma de sair da crise que afeta a zona euro há vários meses, referindo que "isso não é solução". 

Num artigo de opinião publicado nesta quarta-feira (2) no jornal alemão Handelsblatt e citado pela AFP, Stiglitz afirma que o “o risco real para a economia mundial está na Europa” e que tanto a Espanha como a Grécia se encontram numa depressão económica da qual “não vemos sinais de saída”.

“Se o Banco Central Europeu assume que a continuação das políticas de austeridade é condição para o financiamento, só vai estar a piorar a condição do paciente”, afirma Joseph Stiglitz no jornal alemão.

Joseph Stiglitz afirmou ainda que a moderada acalmia que se seguiu ao anúncio do Banco Central Europeu (BCE) do mecanismo de compra ilimitada de dívida é apenas “um paliativo temporário”.

Stiglitz criticou o funcionamento deste programa, que se encontra reservado apenas aos países que estejam sob um programa de resgate financeiro internacional.

No contexto europeu, o nobel norte-americano rejeita a ideia de que um pacto orçamental possa ser uma forma de sair da crise que afeta a zona euro há vários meses, referindo que "isso não é solução" e, por isso, reforça que os líderes europeus ainda não conseguiram estabelecer um verdadeiro Pacto para a Estabilidade e Crescimento (PEC) para os países periféricos da Zona Euro.

Fontes: Esquerda.net


Link:

Nenhum comentário: