Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sábado, 18 de maio de 2013

A verdadeira história de Carlos Amarilla - O Ladrão!


A verdadeira história de Carlos Amarilla - O Ladrão!

Carlos Amarilla - O maior ladrão da história do futebol mundial.

CARLOS AMARILLA - Árbitro da partida CORINTHIANS X Boca Juniors Na vida pessoal, é considerado autoritário e cruel. Em uma das investidas contra Edina López, mãe de seus três filhos, queimou-lhe o rosto com uma frigideira. Respondeu a processo, mas foi inocentado, mesmo com inúmeras provas e testemunhas de suas agressões.

Nos bastidores do futebol, é conhecido por aceitar subornos para 'fazer resultados'.

Em 2006, na Copa do Mundo, teve atuação tendenciosa no jogo entre Suíça e Togo, favorecendo descaradamente a equipe europeia.

Em seguida, assaltou a seleção da Tunísia, empenhando-se em garantir a vitória da Ucrânia, presenteando-a com um pênalti não existente. Na época, afirmou-se que foi generosamente pago pela máfia daquele país. Por conta dessa atuação, foi impedido de atuar a partir das oitavas de final.

Em 2005, praticou vergonhoso assalto contra o Pumas, do México, na final da Copa Sulamericana. Nesta ocasião, privilegiou o Boca Juniors. A imprensa mexicana estampou no dia seguinte a seguinte manchete: 'Boca ganó por decreto'.

Em 2006, Carlos Amarilla prejudicou deliberadamente o Corinthians em jogo da Libertadores contra o River Plate. Não expulsou Ferrari, que entrou de sola em Mascherano, dando-lhe apenas cartão amarelo.

Depois, invalidou gol legítimo de Tevez. Em seguida, deu o segundo cartão amarelo (expulsão) a Mascherano, em falta cavada por Gallardo.

Em 2009, foi novamente acusado de 'vender arbitragens' e enfrentou um processo no Tribunal de Justiça Desportiva. Foi suspenso. A investigação mostrou claramente o favorecimento a determinadas equipes. Mesmo assim, foi absolvido.

Recentemente, em setembro de 2012, nas eliminatórias da Copa, operou o Equador no jogo contra o Uruguai. Nessa partida, deixou de marcar pênalti claro a favor do Equador, quando Muslera derrubou Benítez na área. Logo depois, assinalou falta inexistente a favor do Uruguai e sacou o cartão amarelo para Antonio Valencia, retirando-o da partida seguinte, contra o Chile.

Link:

http://www.meutimao.com.br/forum-do-corinthians/bate-papo-da-torcida/21345/olha_a_ficha_desse_safado_ai_nacao_ta_explicado

Nenhum comentário: