Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sábado, 18 de maio de 2013

Espanhóis são contra eliminação de direitos trabalhistas imposta por UE!


Espanhóis são contra reforma imposta por União Europeia - do Vermelho


Olha só o que a política da austeridade, a mesma que a Grande Mídia e o bloco PSDB-DEM-PPS defende para o Brasil, fez com a Espanha...

O comissário europeu de Emprego, László Ándor, propôs que o país implemente o chamado “contrato único aberto”. A proposta facilitaria as demissões sem justa causa e tornaria mais precárias as relações trabalhistas.


A União Europeia pressiona a Espanha para implementação de uma reforma trabalhista que facilitaria as demissões sem justa causa. O comissário europeu de Emprego, o húngaro László Ándor, propôs esta semana que o país, um dos mais atingidos pela crise econômica, implemente o chamado “contrato único aberto”.

A proposta substituiria o resto das modalidades contratuais. Ela teria uma única indenização por demissão inicial igual aos contratos temporários de emprego. Na justificativa da União Europeia, o que ocorre hoje na Espanha é uma alta taxa de temporários, pois estes trabalhadores são mais desprotegidos em termos de direitos do que os demais.

Setores do governo, da oposição e sindicatos rechaçaram o“contrato único”. O presidente espanhol, Mariano Rajoy, disse já estar satisfeito com a reforma trabalhista realizada há pouco tempo no país e que não iria mudá-la "nem em uma nem em outra direção".

Para o porta-voz do opositor Izquierda Plural, Joan Coscubiela, o contrato único “seria dar um passo a mais na precarização das relações trabalhistas”.

Já o sindicalista da Comissões Operárias (CCOO), Ignacio Fernández Toxo, avaliou que “seria um convite expresso às empresas para que optassem pela demissão de pessoas jovens, porque resultaria em menos custos. A demissão seria sem causa, além de quase totalmente gratuita”.

A Espanha tem taxa de desemprego de 27,16%, e entre os jovens o índice é 57,22%, mais de seis milhões de trabalhadores espanhóis estão parados.

Fonte: Radioagência NP


Link:
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=213967&id_secao=9

Nenhum comentário: